O mais completo portal de Recursos Humanos

Artigos

EstatÍstica Aplicada E Seus Conceitos

A organização desses dados como um arranjo dos dados brutos em ordem crescente ou decrescente.

Para RAMOS (2007), os métodos estatísticos modernos formam uma mistura da ciência, tecnologia, e lógica para que o problema de várias áreas do conhecimento humano, seja em uma investigação ou na solução de algum caso. A estatística pode ser aplicada em todas as áreas do conhecimento humano, em algumas áreas recebem um nome diferenciado, é o caso da bioestatística que trata de aplicações da estatística em ciências biológicas da saúde. A utilização do método estatístico é de extrema importância, ele estabelece o ligamento dos resultados alcançados aos propostos problemas. A utiliza-se através das teorias probabilísticas para tornar clara a frequência de fenômenos e para possibilitar a previsão desses fenômenos futuramente.

O estudo estatístico é muito importante para no desenvolvimento do raciocínio lógico, exige forte censo crítico quando vamos fazer pesquisas. A estatística vem ao encontro da necessidade de tornar reais as análises e avaliações objetivas, fundamentadas em conhecimentos científicos.

As empresas atuais estão se tornando cada vez mais dependentes dos dados estatísticos para a obtenção de informações importantes sobre seus segmentos de trabalho e principalmente sobre a ação econômica e social. O objetivo geral desse trabalho é apresentar claramente os conceitos da estatística aplicada.

Segundo CASTRO (1967) Possui sua origem praticamente com o surgimento dos primeiros dos primeiros homens, todavia, destacando apenas os momentos mais importantes, podendo se dividir a sua evolução histórica em três fases;

O primeiro período se caracteriza pelos registros sistemáticos e cadastro de informações do estado com finalidades principais ligadas à guerra ou interesses. Este modelo vai desde o período feudal meados do século. XVII. O segundo período dá á estatística o caráter de disciplina autônoma, os primeiros estudos se referiam as análises de registros de batismos, casamentos e enterros. O mesmo autor complementa que em 1949 a estatística foi definida em termos de objetos em relações com as ciências por GRODOFRED ACHINWAL. E por ultimo o terceiro período, que constitui a evolução da estatística até os dias de hoje. Caracterizando por constantes aperfeiçoamentos técnicos e científicos.

O marco desta fase foi o um congresso internacional de estatística (BRUXELAS, 1853).

A estatística conforme explica castro (1967), o estadista e o sociólogo pela necessidade de conhecer sobre as populações, os meteorologistas pela a necessidade de conhecimento sobre o tempo e seus reflexos na agricultura, nas navegações etc., a biologia pelo o estudo das doenças, suas causas e consequências. A estatística para SPIEGEL (1977) é a área que compreende o conjunto de métodos que cientificamente permite a coleta, organização, o resumo a apresentação e a análise dos dados com interesses na obtenção de conclusões válidas e na tomada de decisões razoáveis doseadas em três análises.

FERNANDES (1999) define a estatística como um objetivo de fornecer informações (conhecimentos) utilizando quantidades numéricas. Segundo este raciocínio, pode-se dizer que ela divide o estudo e a análise dos dados (fatos numéricos) em três fases;

1-primeiro na obtenção de dados
2-segundo na descrição, classificação e na apresentação de dados
3- terceiro nas conclusões a tirar dos dados.

PARIS 21(2007) também descreve que a estatística de boa qualidade na prestação de contas junto à população. Segundo o mesmo autor apresenta números reais e bem exatos para que a população possa entender onde os recursos estão sendo aplicados, e se a política esta realmente fazendo efeito.

Complementando o que foi dito na abordagem da estatística aplicada foi apresentado abaixo uma pesquisa feita com 16 gestores de uma organização sobre o que eles achavam da administração do nosso país, o que o presidente da república deveria fazer para tornar a gestão do nosso país mais transparente sem tanta corrupção. Foi elaborado um questionário e entregue para que eles dessem suas opiniões a respeito do tema abordado, e assim foi dado andamento à pesquisa.

TEMA: O que eles achavam da gestão do nosso país, relacionado aos conceitos dado por eles, quais sugestões apresentaria ao presidente da república, visando à melhoria de uma gestão transparente e produtiva sem tanta corrupção.

OBJETIVO: objetivo da pesquisa é apresentar o que os administradores achavam da gestão do nosso país, e qual a solução apresentariam ao presidente da república referente a uma administração transparente e produtiva sem tanta corrupção como estamos evidenciando nos dias de hoje.

COLETAS DE DADOS AMOSTRA: 16 administradores (masculino).

TIPO DE AMOSTRA: A amostra aqui apresentada será sistemática, pois os dados já encontravam organizados no cadastrados do sindicato.

INSTRUMENTOS: Para a realização dessa pesquisa foi usado um questionário com alternativas,

QUESTÃO DA PESQUISA: O que você acha da gestão do nosso país? Relacionado ao conceito abordado por você, qual sugestão você apresentaria ao presidente da república, visando à melhoria de uma administração mais e sólida sem tanta corrupção?

Alternativa A (3) – acharam á gestão péssima, a sugestão que eles apresentaram é de gastar menos com o governo e investir mais na sociedade, aplicando assim o choque de gestão.

Alternativa B (3) – acharam á gestão razoável, podendo melhorar na área financeira, visando não só o crescimento do país, mas também investir mais na saúde.

Alternativa C (2) – acharam á gestão excelente, não tendo nada a sugerir ao presidente.

Alternativa D (3) – acharam á gestão boa, podendo melhorar no setor de distribuição de verbas.

Alternativa E (5) – acharam á gestão ótima, podendo investir mais para torná-la mais transparente e produtiva,

VARIÁVEIS QUALITATIVAS: Gestores de uma organização

VARIÁVEIS QUANTITATIVAS: Para a realização dessa pesquisa foram entrevistados 16 gestores

Apresentação de tabelas TABELA 1: Gestores entrevistados números de gestores

RESPOSTAS

(3) entrevistados acharam á gestão péssima, a sugestão dadas por eles é gastar menos com o governo e investir mais na sociedade, aplicando assim o choque de gestão.

(3) entrevistados acharam á gestão razoável, podendo melhorar na área financeira, visando não só o crescimento do país, más também investir mais a saúde.

(2) entrevistados acharam á gestão excelente, não tendo nada a sugerir ao presidente.

(3) entrevistados acharam á gestão boa, podendo melhorar no setor de distribuição de verbas púbicas.

(5) entrevistados acharam á gestão ótima, podendo investir mais para torná-la mais transparente e produtiva.

FONTE: DADOS COLETADOS NO QUESTIONÁRIO serão apresentados nesta tabela à tabulação dos dados coletados conforme as respostas dos entrevistados. Apresentação das frequências relativas

TABELA 2: frequência relativa dos gestores entrevistados quantidade de pessoas frequência relativa 3 18,75% 3 18,75% 2 12,5% 3 18,75% 5 31,25% Total: 16 100%

FONTE: DADOS COLETADOS NO QUESTIONÁRIO Nesta tabela apresentam os resultados da pesquisa em porcentagem.

MODA: A moda é cinco, sendo o valor que ocorre com mais frequência em uma série de valores.
CONCLUSÃO

A pesquisa nos fez a chega à seguinte conclusão de que a gestão do nosso país não está sendo levada muito a sério, mais de 87,5% dos gestores entrevistados acham que a administração do nosso país precisa de inovação, planejamento e controle principalmente do dinheiro público. A corrupção está em peso em nosso país. Podemos considera o nosso País como uma grande organização, que precisa ser administrada com seriedade, competência, e punir aqueles que dizem serem grandes gestores. Puderam observa que além de fazer uma breve abordagem sobre a estatística aplicada, foi apresentado um exemplo de uma pesquisa sobre a gestão do nosso país de forma resumida, abordamos sobre amostra, variáveis qualitativas e quantitativas, moda, tabelas e outros.
Enfim, a estatística permite a geração de conhecimentos em diversas áreas por intermédio do método quantitativo. A estatística tomou mais força o séc. XX, já sendo empregadas pelos povos antigos, mas é nas empresas que ela mostra o seu poder apresentado os resultados em gráficos, tabelas são mostrados na exposição de resultados de uma organização. Sendo assim uma ferramenta de grande importância para a entidade. Desde modo nota-se que a estatística possui uma grande contribuição para a melhoria da natureza humana, especialmente na transmissão de informações e tomadas de decisões.

RAMOS. Estatística: PODEROSA CIÊNCIA AO ALCANCE DE TODOS. Disponível em: Acesso em: 14 jan. 2007.

LEVIN, J. ESTATÍSTICA APLICADA ÁS CIÊNCIAS HUMANAS: São Paulo: Ed. Harbra, 1987. MOORE, D. A ESTATÍSTICA BÁSICA E SUA PRÁTICA. Rio de Janeiro: Ed. LTC, 2000.

GARCIA, REGIS. ESTATÍSTICA: Administração III/ Regis Garcia- São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010. ISBN 978-85-7605-637-9.

CARVALHO, SERGIO, ESTATÍSTICA BÁSICA SIMPLIFICADA/ Sérgio Carvalho, Weber Salmito- Rio de Janeiro: Elsevier, 2008. 608 p.- (Provas e Concursos)- 2 Reimpressão.

LARSON, R. FARBER, B. ESTATÍSTICA APLICADA. 2 Edição. São Paulo: Editora Pearson, 2008

Adm. André Cardoso dos Santos
Bacharel em Administração de Empresas pela Universidade Norte do Paraná – UNOPAR.

Administrador registrado no CRA/MG n° 01-054272/D
Contatos:
adm.andrecardososantos@hotmail.com
andrecardososantos@ig.com.br
twitter> @andrecardosoADM
http://br.linkedin.com/pub/adm-andr%C3%A9-cardoso-dos-santos/52/a66/77a

Por: Adm. André Cardoso Santos

Bacharel em Administração de Empresas (Administrador) pela Universidade Norte do Paraná-UNOPAR. Cursando Bacharelado em Ciências Contábeis no Centro Universitário Internacional UNINTER. É também colunista do RHPortal, o maior portal de recursos humanos do país. Profissional registrado no CRA-MG n° 01-054272/D Google+: https://plus.google.com/117430463439726522115/posts