Artigos

Gestão de Pessoas aplicada no desenvolvimento dos negócios

A verdadeira missão da área de gestão de pessoas de uma empresa é ser guardiã dos valores e princípios que regem os negócios e gerar líderes capazes de assumir grandes responsabilidades. Além disso, é papel da área alinhar o desenvolvimento profissional dos colaboradores com os objetivos estratégicos e indicadores das organizações, a fim de estabelecer uma direção para a evolução do negócio de forma ordenada.

Ao mesmo tempo, com o aumento da procura por mais eficiência e rendimento por parte das empresas, aprimorar a gestão de colaboradores se faz cada vez mais necessário para reger melhores práticas e criar um ambiente onde seja desenvolvido o legado de crescimento do capital mais valioso de uma organização: as pessoas que fazem parte dela.

Uma empresa com práticas avançadas de Gestão de Pessoas sabe que os colaboradores devem estar motivados e precisa oferecer um ambiente de trabalho construtivo. Porém, essa abordagem não atende a todos os desafios enfrentados hoje pelas organizações. É necessário ir além. É preciso uma liderança forte que desenvolva e reconheça o diferencial dos seus colaboradores, uma cultura que reconheça o que cada um agrega dentro da empresa, e também, transparência nas mudanças que se fazem necessárias por meio da comunicação em todos os níveis da organização.

Profissionais que compartilham da cultura da organização fazem toda a diferença na evolução dos negócios e propagam a cultura organizacional. Lembre-se sempre, apesar de importante, ensinar tarefas técnicas é muito mais fácil do que ensinar a cultura organizacional. Por isso, quem está alinhado a ela se torna uma ferramenta importante para a consolidação da gestão de pessoas, e servem como exemplos a serem seguidos pelos demais funcionários.

Para exemplificar melhor a atuação da área de Gestão de Pessoas, elenquei cinco práticas que precisam ser exercidas para gerir a força de trabalho e tornar sua empresa um lugar excelente para se trabalhar:

Líderes: É preciso desenvolver liderança de forma constante. Os líderes são os multiplicadores da cultura, dos valores e do modelo de Gestão da Organização. Eles precisam estar sempre muito alinhados com a estratégia e são os melhores exemplos de uma instituição.

Comunicação: As organizações precisam enxergar seus profissionais como mecanismos oficiais de comunicação, e não apenas como multiplicadores de informação. Hoje, a informação circula em altíssima velocidade, as pessoas exigem ser informadas em tempo real, e querem opinar e interagir umas com as outras. As organizações precisam estar atentas e fomentarem senso de responsabilidade sobre o que é transmitido de informação, fornecer mecanismos que possam ser atualizados em tempo real, como intranets e até grupos no Whatsapp, e desenvolver ‘embaixadores’ dentro da empresa.

Senso de “dono do negócio”: Os funcionários precisam ser incentivados a pensar como donos do negócio. Manter a empresa funcionando e alcançar os objetivos de negócios exige envolvimento de todos. Por isso, os líderes corporativos e a área de Gestão de Pessoas precisam estar alinhados à cultura organizacional, para passar a mensagem certa para os funcionários sobre as responsabilidades de cada um dentro de um ambiente muito maior, que é a empresa.

Inovação: As empresas precisam mudar rapidamente seus processos de negócios para se adequarem às novidades do mercado, e os funcionários precisam fazer parte dessa mudança. Para não serem engolidas pelo mercado, especialmente na era da Transformação Digital, as companhias precisam ter a inovação e a agilidade como focos nos princípios, visão e missão corporativas.

Produção: A alta performance é o objetivo de toda empresa. Mas é preciso assegurar um bom ambiente de trabalho e a saúde emocional dos colaboradores, caso contrário, esse objetivo não é alcançado. O estresse nas relações é inimigo da produtividade.

Proteger a diversidade: Ter pessoas de diferentes origens, referências e formações, pode ser benéfico para incorporar a inovação no ambiente de trabalho. A empresa deve ter mecanismos para proteger a diversidade do seu time, incentivando o respeito as pessoas e às suas diferenças. Importante ter um código de ética claro, de fácil acesso, que permeie toda a organização.

Além dessas práticas descritas acima, uma importante dica para ter uma Gestão de Pessoas eficiente é não basear as avaliações dos colaboradores apenas na visão do líder ou do gestor de área. É preciso ouvir as pessoas, seus anseios e suas necessidades. Assim, os feedbacks e as avaliações se tornam mais humanos e possibilitam entender o que de fato precisa ser mudado dentro da organização para atingir melhores resultados nos negócios, criando um legado que irá perpetuar as melhores práticas para sua empresa.

*Por Polianna Lopes é Diretora de Pessoas e Marketing na Microcity.