Artigos

Planejar é fundamental para carreira em 2017. Veja 7 dicas!

É preciso definir metas, prazos e ter muita disciplina, orienta professora da IBE-FGV

Em 2016, a crise econômica e política do Brasil desestabilizou o mercado de trabalho, desempregando mais de 12 milhões de pessoas. Por isso, a ordem é planejar a carreira para se tornar competitivo na disputa de vagas. E, segundo a a professora da IBE-FGV, Rita Ritz, doutora em Qualidade e especialista em Desenvolvimento Organizacional, esta é a hora. “Nesta época estamos todos contaminados com a ideia de rever nossa vida e projetos. Então pode ser um momento favorável aos planejamentos, sejam eles de carreira, vida pessoal, saúde ou financeiro”, destaca.

A probabilidade de sucesso aumenta considerando o máximo de variáveis possíveis.
Por isso, no campo profissional, é preciso bastante reflexão, pesando os prós e contras, levando em conta a carreira e família, além dos desejos para o futuro. “O momento de vida impacta muito, pois quanto mais jovem, menos compromissos financeiros assumidos a pessoa tem”, analisa a professora. “Já um profissional mais sênior precisa considerar não somente sua busca de realização profissional, mas também como bancar este sonho, como contornar ou administrar os compromissos financeiros com filhos, por exemplo”, continua.

Sentir-se perdido na hora de traçar os planos profissionais é bastante comum. O importante é reconhecer a dificuldade e procurar ajuda. “Há muitas pessoas que não conseguem vislumbrar um rumo ou redesenhar a carreira porque têm dificuldades para fazer isto na vida, de maneira geral. É a pessoa confusa em relação a relacionamentos, a tomadas de decisões e aos seus pensamentos”, explica. Nestes casos, a recomendação da professora é a busca de auxílio profissional como de um terapeuta ou coach. “Também se pode fazer isto com a ajuda de algum colega, mais experiente, que tenha chegado aonde se quer chegar”, completa Rita.

O planejamento deve incluir metas e prazos. É necessário incluir, por exemplo, o tempo para iniciar e terminar um curso de atualização, como MBA e especialização para aprendizado de uma nova língua ou até a experiência em outro país. Mas a professora faz um alerta. “Mudar comportamento é mais complicado do que ganhar conhecimentos técnicos”, comenta a professora. Por isso, na hora de colocar as metas no papel é importante ter o foco na realidade e analisar a capacidade para colocar o planejamento em ação. “Por em prática implica em disciplina e em adquirir hábitos que sejam favoráveis à realização”, explica.

Os prazos podem ser flexíveis, já que nenhum planejamento é possível de ser seguido à risca. “Quanto mais longo o plano de carreira, mais variáveis se apresentarão e as metas deverão ser atualizadas. Aliás, flexibilidade é um comportamento que deve ser desenvolvido para se conseguir melhores resultados. O plano serve para mostrar se estamos no caminho ou se já saímos totalmente dele. Mas o caminho pode ser mais largo ou mais estreito, ou seja, com mais ou menos variáveis. Saber como lidar com fatos novos prediz a probabilidade de sucesso na nova empreitada”, finaliza a especialista.

Conheça as dicas da professora e entre em 2017 com um novo planejamento:
– Defina metas de curto e longo prazo
– Coloque datas para começar e terminar cursos de MBA ou idiomas
– Revise seu plano para saber se não saiu da rota
– Atualize sempre datas e novas metas
– Mantenha o foco e a disciplina
– Não se esqueça de rever comportamentos
– Se necessário, consulte um terapeuta ou coach de confiança