Artigos

Quem é Você?

Você já deve ter ouvido ou até mesmo mencionado frases do tipo: “eu não ligo para o que vão pensar ao meu respeito” ou “não sou responsável pelo o que os outros pensam de mim”. Mas eu te pergunto: será que é verdade? E vou te dizer por quê.

Muitas de suas ações revelam exatamente a opinião que a sociedade influencia em suas decisões, e até mesmo na sua autoimagem.

Em meados do século XIX, a sociedade influenciava diretamente na educação familiar. Aquele ditado “a voz do povo é a voz de Deus” se encaixa perfeitamente no contexto social da época. Era uma regra, por exemplo, que entre as classes médias e altas, uma moça só pudesse se casar após ser apresentada formalmente à sociedade através de um baile de debutantes. Outro costume da época era que as vestes sofriam por uma espécie de crise do pudor, imposto pelo cristianismo da época, o qual exercia forte influência sobre a sociedade.

Mesmo após conquistas importantes da época, como a abolição da escravatura e a vitória do movimento feminista sobre seus direitos civis, até hoje nos deparamos com diversas situações que comprovam a existência dessa preocupação ao extremo e a sociedade ainda exerce poder sobre as decisões individuais do ser humano.

O que acontece é que essa preocupação excessiva acaba fazendo com que você se perca nos seus propósitos para a vida. De repente você já não sabe quem é você e nem como tomar suas decisões. O próprio Sigmund Freud, considerado o pai da Psicanálise (método que acredita que nossos comportamentos e sentimentos são regidos por desejos inconscientes), recomenda que os analistas profissionais sejam reanalisados a cada 5 anos, o que comprova que a opinião externa também exerce forte influência sobre a nossa autoimagem.

A autoimagem é exatamente a visão que temos de nós mesmos, tanto física quanto social, intelectual e incluindo, profissional – que é exatamente o ponto que quero chegar.

Imagine agora que você é dono de uma empresa, que seja pequena. E precisa exatamente de um profissional como você. Você se contrataria? E por quê? Se você não sabe responder a esta pergunta, significa que está na hora de conhecer suas habilidades, qualidades, dificuldades e, principalmente, perspectivas do futuro, porque são elas que irão traçar o seu presente.

Comece a pensar agora nas áreas que mais se destacou. Pode até ser instituições sociais, como escolas ou igrejas, caso você ainda não tenha muita bagagem profissional AINDA! O que você quer fazer e o que pretende realizar? Qual o cenário para a sua vida que pretende viver nos próximos anos? Peça a 3 pessoas que relate 5 qualidades suas e 2 defeitos (mas esteja pronto para ouvir os defeitos) e reflita sobre eles. Procure ferramentas de como lidar com suas dificuldades e quais as áreas de atuação que você pode ser dar bem com suas habilidades. Olhe seu currículo e pense de que forma você pode melhorá-lo. Tem muita coisa bacana na internet que pode te ajudar nisso, caso não possa investir agora. Mas isso só depende de você. Se desapegue do que os outros pensam e dê o primeiro passo. A hora é agora!

Por: Nara Porto

Coach especialista em Recursos Humanos, atua há 10 anos com liderança e há 4 anos com Gestão de Pessoas.