O mais completo portal de Recursos Humanos

Artigos

Rh: Os Mitos Que O Cercam

Quem trabalha no setor de Recursos Humanos de uma empresa ou é um consultor independente na área já deve ter percebido que existem certos “preconceitos” (aqui no sentido de conceituar antes de conhecer e não no sentido de discriminação) tanto por parte dos gestores ou empresários quanto por parte dos colaboradores. Vamos falar um pouco a respeito dos mitos mais comuns que cercam o RH e mostrar que não é bem assim:
Gestores ou Empresários costumam achar que:
— O RH “puxa a sardinha” para o lado dos funcionários: Quando o departamento de RH promove ações para melhorar a qualidade de vida no trabalho ou para aumentar a motivação da equipe está mais do lado da empresa do que dos colaboradores, afinal é assim que se aumenta a produtividade e diminui a rotatividade (por sinal a rotatividade excessiva só causa prejuízo à empresa tanto financeiro quanto de imagem). Os objetivos não são atuar como “protetores” dos empregados e sim criar condições de melhorar o clima e consequentemente o desempenho do time.
— O departamento de RH é um “mal necessário”: Geralmente este departamento é visto como uma despesa, pois (aos olhos dos gestores) não está ligado diretamente na produção, ledo engano, os resultados produzidos nos demais departamentos dependem da condução dos seus gerentes ou supervisores, e para conduzir bem o seu time, acompanhar e impulsionar os seus resultados estes líderes precisam de apoio: e de onde vem este apoio? Há! Do Departamento de RH. E aí, o trabalho do RH tem ou não tem reflexo direto nos resultados da empresa?? É uma despesa ou investimento??
— Os profissionais de RH são sonhadores vivem no “mundo das maravilhas” e não entendem nada de estratégia e de negócios: Não há erro maior do que pensar isso, uns dos maiores estrategistas das organizações estão no departamento de RH e a razão é simples: tecnologia, maquinário e dinheiro são seres inanimados e não produzem sozinhos, correto? Certo! Para produzirem precisam de GENTE, mas apenas manter um quadro funcional também não resolve, as pessoas precisam ser conduzidas, motivadas a colaborarem com os objetivos estratégicos e promover a aliança estratégica entre a empresa e a equipe requer um trabalho contínuo e totalmente objetivo, para isso o RH precisa ter profundo engajamento com as estratégias do negócio e do mercado.

Enquanto os colaboradores comumente pensam que:
— O RH deve ser seu advogado: Definitivamente não! Para isso existem os sindicatos. Os profissionais de RH costumam ser procurados pelos empregados para defender seus interesses muitas vezes interesses individuais e até se chateiam quando não são atendidos. O RH deve manter um canal aberto e ouvir o que o time tem a dizer, mas isso não significa que é obrigado a realizar todos os seus desejos. O RH ouve a equipe a fim de apurar pontos de conflito e até fatores que estão causando desconforto ou falta de motivação para o trabalho, e a partir das informações apuradas deverá criar ações estratégicas a fim de se evitar que estas situações prejudiquem a relação de trabalho e a produtividade.
— As pessoas que trabalham no setor de Recursos Humanos estão ali para “vigiar” o seu trabalho: Outra crítica comum, principalmente na época da avaliação de desempenho, por favor, entendam que os objetivos de medir o desempenho é de propor melhorias e não de fazer acusações descabidas ou encontrar as “laranjas podres” e eliminá-las. Quando se avalia as pessoas é justamente para dar a oportunidade de que possam melhorar, se desenvolverem e progredirem, pois é fato que sempre temos algo a ser melhorado e devemos agradecer se tem alguém que se preocupa em encontrar onde devemos melhorar e nos dê este feedback, é isso que se chama investir no progresso das pessoas.
— A função do RH é defender os seus interesses “contra” a empresa: Para começar vamos fazer uma analogia: imagine os jogadores de um time de futebol que torcem para que o seu time perca, não seriam interesses contrários? E qual seria o desempenho desses jogadores? Eles seriam bem sucedidos na carreira jogando mal só porque acham que seus interesses devem ser contrários aos do seu clube? Então, reflitam se é realmente inteligente pensar que seus interesses são opostos aos da empresa onde trabalha. Enfim o RH não “defende” um ou outro, procurem entender bem quais são as funções do RH e o ajudem a promover a qualidade de vida no trabalho e o desenvolvimento tanto da empresa quanto das pessoas que nela trabalham, o RH deve defender os interesses da boa relação de trabalho.
Vai aí um recadinho:
Empregadores –> Veja o RH como parceiro estratégico que ajuda melhorar o desempenho do ativo mais importante da sua empresa e que faz todos os outros funcionarem.
Colaboradores –> O departamento de RH trabalha para alinhar os seus objetivos aos da empresa, pois é assim que você tem a oportunidade de mostrar o que de melhor tem a oferecer.
Como podemos perceber a função central do RH é alinhar objetivos, trabalhamos em prol da relação de trabalho e, para isso não podemos advogar em defesa de um ou de outro sequer se pode entender a relação de trabalho como um conflito de interesses opostos, afinal enquanto pensarmos que as relações de trabalho são batalhas travadas entre empregadores e empregados, ambas as partes sairão perdendo, pois empenharão energias em direções opostas causando uma tensão absolutamente desnecessária, prejudicando o progresso pessoal, profissional e organizacional.
Pense nisso…
Gisele dos Santos Válido
10envolver@balcaodecurriculos.com.br

Por: Gisele Válido

Gestora de Recursos Humanos de formação atuando desde 2007 com Administração de Pessoal, Folha de Pagamento, Recrutamento e Seleção, Treinamento e Desenvolvimento, Consultoria Empresarial e de Carreiras.