DESTAQUE
Revista RHPortal Grátis 
Consultores de RH 
Colunistas RHPortal
Guia de Fornecedores   
Testes Auto-avaliações 
Agenda e Cursos         
Livros e Apostilas        
Vídeos p/ Treinamento  
Dinâmicas em Grupo    
TOP 10 de Artigos      
Conteúdo p/ seu Site   
Barra de Ferramentas   
Shopping RH             
 
ARTIGOS
Publique seu Artigo       
TOP 10 de Artigos         
Avaliação de Desempenho 
Cargos e Salários 
Carreira e Negócios      
Clima Organizacional
Coaching 
DP e Folha Pgto 
Gestão de Talentos 
Gestão por Competências
Liderança 
Mkt, Vendas e Atend.   
Motivação 
Qualidade de Vida         
Recrutamento Seleção 
Relações Trabalhistas   
Remuneração e Benef. 
RH na Prática               
Saúde e Segurança 
Tendências e Tecnologia 
Treinamento e Desenv. 

FERRAMENTAS
Indicadores de RH
Consulte o Advogado
Consulte um Especialista
Grupo de Discussão RH
Enquetes                    
 
CONTEÚDO
Palestrantes                 
Dicionáriode RH          
Relações de Trabalho   
Cargos e Salários         
Encargos Trabalhistas  
Downloads                 
Parceiros RH                
Links RH                     
O que é RH?                     
Software de RH       
 
CURRÍCULOS
Vagas de Emprego       
Incluir Currículo             
Buscar Currículos          
 
ENTRETENIMENTO
Sala de Bate Papo       
Hora do Café               
 
APRESENTAÇÃO
Quem Somos              
Anuncie Aqui              
Mapa do Site              
 

 

Software para RH
solides.com.br/solidesrh
 
Perfil Profissional
www.rhpro.com.br
 
Vagas e Currículos
www.webvagas.com.br
 





 


 Solides - Tecnologia que valoriza seu RH
19/12/2014 - Dia do Atleta Profissional;

RH Portal - RH na Prática

 
 
Busca Avançada
 

 RH na Prática

15/08/2013

ARTIGO: Absenteísmo

   
Absenteísmo

Nas organizações, quando os trabalhos são interrompidos ou descontinuados pela ausência de um ou mais profissionais do quadro da Empresa, quebrando a sinergia e operacional, as coisas não andam bem, e com certeza medidas importantes devem ser tomadas. O absenteísmo quase sempre é a conseqüência. É a dor refletida de uma causa que precisa ser diagnosticada pelo gestores para controle e identificação.

E assim como na Medicina, devemos levantar dados da sua vida passada, medir a pressão, a temperatura, e seguir examinando, ou seja, quero dizer através deste exemplo que nos devemos ter indicadores internos em nossa Empresa que possam nos mostrar este índice, ou seja, de como anda o ambiente interno da Empresa, pois a Empresa pode ser culpada (quando omissa ou vamos dizer, sem estes indicadores para análise) por influenciar a intenção dos profissionais de se ausentarem do trabalho, por meio de ações, como disciplinar imediatamente os faltosos sem justificativa ou justificativas infundadas, implantar programas de qualidade de vida e outras com custos mínimos e auto pagáveis pelo seu retorno. É duro numa linha de produção de qualquer Empresa ter em seus quadros profissionais faltosos. Todo profissional que falta ao trabalho gera um desconforto na organização. Todos podem sentir esta falta durante o dia do trabalho. Quem nunca ouviu aquela historinha da “moça do café”, que quando falta faz muita falta. Aí entram medidas que devem ser tomadas para que quando aconteça, tenhamos o “plano B”. Devemos olhar o desconforto com outros olhos, não pela falta do cafezinho, mas pela descontinuidade de uma linha de produção, na demora de resposta de um e-mail, ou seja, o Cliente não pode sentir esta descontinuidade.

Algumas ações são tomadas variando de Empresa para Empresa. Temos que ter indicadores, processos em que tenhamos as informações em tempo real. E a área de Recursos Humanos, através do Departamento de Pessoal, precisa ter em mãos relatórios do sistema de ponto eletrônico ou qualquer outro sistema que anteceda este sistema, mesmo que manualmente, os gestores precisam estar atentos para as ausências sem atestado médico.

Em paralelo, acompanhar junto ao seu Setor de Medicina do Trabalho (Saúde Ocupacional), também as ausências com atestado médico. Se na sua Empresa não possui um Setor de Medicina do Trabalho, essas informações devem constar nos controles da área do Departamento Pessoal. Temos que ter informações, histórico. E desta forma será possível levantarmos as informações inerentes a ausência/dia. Não podemos deixar de lado os atrasos e saídas antecipadas por qualquer motivo. Os processos devem levar os resultados de indicadores de absenteísmo, para se apurar o seu reflexo no custo financeiro dos resultados da Empresa. As avaliações destes índices podem ser por categorias/faixas salariais dos profissionais ou setores/departamentos da Empresa. Não podemos deixar de ficar atentos a estes índices.

Para calcularmos o índice de absenteísmo, podemos utilizar, dentre outras, a seguinte fórmula: total de homens/hora por horas perdidas dividido pelo total de homens/hora por horas perdidas multiplicado por 100 (cem). Aí obtemos o índice de nossa Empresa.

Se os indicadores mostram altos índices de absenteísmo em algum setor/departamento ou em alguma categoria profissional/função devemos agir imediatamente para conter, identificando o problema e implementando soluções para contê-lo. Existem profissionais da área de RH preparados para fazer uma observação mais profunda, detectando as causas e soluções do problema. Envolver gestores e seus profissionais é importante em campanhas. Os dados podem ser divulgados de forma transparente.

E aí vem uma pergunta fatal, que sempre me fazem: por que os profissionais da Empresa faltam ao trabalho?

Para esta pergunta, existem diversas respostas, pois cada caso é um caso. Por isso precisa ser diagnosticado por profissionais para que possam tomar medidas imediatas para que não continue aumentando. Tem que estar sempre sob controle. Alguns fatores que influenciam nossos profissionais a faltarem pode ser a falta de perspectivas de carreira, a não existência de critérios claros de promoção interna, a falta de reconhecimento pessoal, Baixos salários, ambiente de trabalho com muita pressão, comunicação deficiente entre setores ou pessoas pela falta de processos claros, deficiência ou ausência de treinamentos, profissionais com mais de um emprego, controles inadequados de freqüência, indiferença dos líderes e gestores quanto às ausências, enfim, vejam quantos motivos podem agir isoladamente ou em conjunto para que o profissional se sinta desmotivado e sem incentivo para comparecer ao trabalho. Portanto, qualquer motivo vira uma “desculpa” para uma falta. É uma gripe, uma dor de cabeça, um problema intestinal, tudo vira motivo.

E além disto, é fácil faltar ao trabalho com justificativa médica pois os Atestados Médicos podem ser fornecidos sem dificuldades, isto é fato, todos presenciamos a fatos como este. Falhas no sistema, que não cabe a mim por questões éticas julgar uma categoria profissional.

Por este motivo, quando temos um setor de Medicina do Trabalho, podemos acompanhar mais de perto estes problemas. E o profissional tem que ir à Empresa. Em casos contrários, vai a algum conhecido ou utiliza de outros meios que estão fora do controle da Empresa. Este setor, em sintonia com o RH atua com certo rigor para cada atestado médico apresentado ou solicitado.

Se estes índices crescerem em sua Empresa, independente do porte dela, tome algumas medidas de impacto que são eficazes, tais como: campanha de valorização de pontualidade e assiduidade, envolvimento do profissional Assistente Social com o objetivo de contactar todos os casos de ausência ao trabalho, quer seja pessoalmente ou por telefone, mas estar mais junto do profissional faltante, mostrar que a Empresa se preocupa com seu bem estar, e a intensificação do contato do médico do trabalho ou de algum profissional de RH junto aos profissionais com maior número de atestados, afim de evitarmos medidas enérgicas de efeito como advertências, suspensões e desligamentos.

Devemos tratar da dor, da doença e da causa também. O absenteísmo deve ser analisado em todo o seu processo: início, meio e fim. Todos querem resultados, e atrás deles é que trabalhamos. Bem como devemos trabalhando em Empresas que nos valorizem, pelo conhecimento e pelos nossos resultados. Dela precisamos apenas do suporte para atingirmos nossas metas. Não se trata apenas de uma coisas materiais, mas também de condições e desafios para superarmos o dia a dia, que nos mantenha motivados.

Uma ótima semana a todos. Um grande abraço!!!!!


Andréas C. Hermann
Consultor Empresarial
Desenvolvimento de Soluções e Serviços em RH.

Veja Mais sobre o Autor deste artigo



Comente este ArtigoComente Este Artigo                Indique este artigo a um amigoEnviar Artigo para um Amigo

 
 Enviar este artigo a um amigo  Dê uma nota (Lido: 5014 | Refer: 30 | Impressões: 193 | Nota: 0.00 / 0 votos)

Próximo:
Resistência Por Parte Da Diretoria – 15/08/2013
O Perfil Comportamental E Seus Reflexos No Ambiente De Trabalho – 15/08/2013
Como Gerir Pessoas A Partir Do Perfil Comportamental – 15/08/2013

Anterior:
A Importância Da Gestão De Pessoas, Estudo De Caso ‘’ Americanas.com ’’ – 12/12/2014
Só eu tenho dúvidas? – 15/08/2013
Como lidar com um chefe autocrático (sem ficar com úlceras...) – 15/08/2013


Comentários para este artigo:




   

 







Cadastre-se  Revista RH Portal  Forum  Artigos  Fornecedores  Links  Anuncie   Política de Segurança

O RH Portal é o maior portal brasileiro para profissionais de Recursos Humanos. São milhares de artigos para Gestores de RH: seleção e recrutamento de pessoas, 
Cargos e Salários, Coaching, Gestão por Competências, Avaliação de Desempenho, Testes,Clima Organizacional, Remuneração Estratégica, Avaliações Comportamentais e Treinamentos, 
Currículos, Consultoria em RH, Treinamento e Desenvolvimento e material variadopara Departamento de Pessoal. Útil para Head Hunter, Administradores, Psicólogos e Gerentes. 

O RHPortal é da Solides Ltda - CNPJ 06.139.579/0001-54