DESTAQUE
Revista RHPortal Grátis 
Consultores de RH 
Colunistas RHPortal
Guia de Fornecedores   
Testes Auto-avaliações 
Agenda e Cursos         
Livros e Apostilas        
Vídeos p/ Treinamento  
Dinâmicas em Grupo    
TOP 10 de Artigos      
Conteúdo p/ seu Site   
Barra de Ferramentas   
Shopping RH             
 
ARTIGOS
Publique seu Artigo       
TOP 10 de Artigos         
Avaliação de Desempenho 
Cargos e Salários 
Carreira e Negócios      
Clima Organizacional
Coaching 
DP e Folha Pgto 
Gestão de Talentos 
Gestão por Competências
Liderança 
Mkt, Vendas e Atend.   
Motivação 
Qualidade de Vida         
Recrutamento Seleção 
Relações Trabalhistas   
Remuneração e Benef. 
RH na Prática               
Saúde e Segurança 
Tendências e Tecnologia 
Treinamento e Desenv. 

FERRAMENTAS
Indicadores de RH
Consulte o Advogado
Consulte um Especialista
Grupo de Discussão RH
Enquetes                    
 
CONTEÚDO
Palestrantes                 
Dicionáriode RH          
Relações de Trabalho   
Cargos e Salários         
Encargos Trabalhistas  
Downloads                 
Parceiros RH                
Links RH                     
O que é RH?                     
Software de RH       
 
CURRÍCULOS
Vagas de Emprego       
Incluir Currículo             
Buscar Currículos          
 
ENTRETENIMENTO
Sala de Bate Papo       
Hora do Café               
 
APRESENTAÇÃO
Quem Somos              
Anuncie Aqui              
Mapa do Site              
 

 

Software para RH
solides.com.br/solidesrh
 
Perfil Profissional
www.rhpro.com.br
 
Vagas e Currículos
www.webvagas.com.br
 





 


 Solides - Tecnologia que valoriza seu RH
01/11/2014 - Todos os Santos;

RH Portal - RH na Prática

 
 
Busca Avançada
 

 RH na Prática

15/08/2013

ESPIRITUALIDADE NAS EMPRESAS

   
ESPIRITUALIDADE NAS EMPRESAS

ESPIRITUALIDADE NAS EMPRESAS

 

A espiritualidade, que sempre esteve mais restrita às religiões, está hoje penetrando campos inesperados. Quando poderíamos imaginar que empresários e executivos buscassem ajuda em atividades tão diferenciadas, dentre as quais estivesse a espiritualidade? Quando poderíamos imaginar que um dia pudessem ser realizados congressos com a presença deste tema? Ficamos admirados com sua emergência e imaginamos que isto tenha acontecido de repente. Sem que pudéssemos esperar, a espiritualidade nos surpreende ao surgir como uma espécie de tábua salvadora para nossas angústias atuais. É o que parece, mas a espiritualidade vem sendo semeada há muito, inclusive por homens de ciência. Segundo o físico Fritjof Capra, um dos artigos de Einstein criou a mecânica quântica e com ela emergiram paradoxos que abalaram os físicos da época. Descortinou-se um mundo novo, provocando reflexões como esta do físico Werner Heisenberg: "será este mundo tão absurdo como nos está provando nossas pesquisas?". Esta expressão deveu-se a mudanças como esta expressada pelo físico Niels Bohr: "as partículas materiais isoladas são abstrações, e suas propriedades são definíveis e observáveis somente através de sua interação com outros sistemas".

Semelhantemente aos físicos, talvez a globalização nos esteja ajudando a descobrir um mundo novo dentro das organizações. A tensão atual tem feito com que empresários e seus gerenciadores permaneçam abertos a qualquer possibilidade de ajuda. A angústia tem sido muito intensa. Não se pode perder oportunidades e a espiritualidade parece mostrar-se como um caminho adequado. Contudo, não há possibilidade das organizações colherem os expressivos frutos resultantes da espiritualidade, se empresários e seus gerenciadores não estiverem verdadeiramente envolvidos com seus propósitos. "Se qualquer organização quiser sobreviver, terá que promover radicais transformações em si mesma. Estas não se referem a estrutura, mas sim aos valores, essencialmente, aos valores do coração e da alma", diz Judi Neal, professora de gerenciamento da Universidade de New Haven.

Portanto, compreender a espiritualidade significa questionar paradigmas usuais, ver uma realidade diferente daquela de costume, encontrar formas menos sofridas de convivência, entender nossa interdependência e necessidade de ajuda mútua. Essas questões ficam veladas pela aparência das coisas, mas nas organizações tornam-se mais visíveis na medida em que nos perguntamos: "quais são as marcas da evolução das organizações inclusive empresariais? Não nos é exigido grande esforço para perceber que uma dessas marcas é a fragmentação: foco técnico de um lado e foco humano do outro, departamentos organizadamente separados, cada indivíduo na sua posição hierárquica, realizando a específica função para a qual se especializou. Isto significa que traçamos limites divisórios, mas "o resultado de tal violência, apesar de ser conhecido por muitos outros nomes, é simplesmente infelicidade", diz o bioquímico Ken Wilber. Traçar limites significa dar origem a antagonismos, inventar batalhas, fomentar competições, criar inimigos. As divisões podem até ser úteis como referenciais, mas quando as transformamos em verdades, temos como conseqüência o fomento das atitudes defensivas, as quais tendem a imobilizar uma empresa. A energia humana que poderia ser integralmente utilizada na produtividade, é desviada para a defensividade, porque, competição significa ameaça e quem se sente ameaçado se defende.

Não há separações como nos demonstram o físico Albert Einstein: "um ser humano (...) concebe a si mesmo, (...) como algo separado de todo resto, uma ilusão de ótica de sua consciência...", o filósofo e matemático Alfred North Whitehead: a "comunidade das realidades do mundo significa que cada acontecimento é fator na natureza de todos os outros..." e os mestres taoístas Sen Tsan: "... a Verdadeira Mente não é dividida, quando nos pedem uma identificação direta, só podemos dizer: Não-Dois", Lao Tsé: "Com o barro o oleiro faz o vaso, mas este só ganha significado pelo seu vazio interior. Assim são as coisas físicas, parecem o principal, mas o valor está na metafísica". Podemos perceber claramente uma convergência entre físicos e místicos, definindo uma identificação entre espiritualidade e unidade universal.

Como partes inseparáveis do universo, não somos apenas responsáveis por nós, mas por tudo o que nos cerca e por tudo o que fazemos. Por mais paradoxal que pareça, temos que aprender a cuidar de nós mesmos na medida em que cuidamos dos outros. Pode-se pensar: "como posso não estar separado, se não sinto a dor que o outro sente?" Isto é tão somente uma verdade aparente, pois ampliando nosso nível de consciência, sentiremos a dor como o outro a sente, da mesma forma que a mãe sente em relação ao filho. Um exemplo marcante está na relação entre Mao Tsé Tung e Dalai Lama. Mao invadiu o Tibete, destruiu a quase totalidade de seus templos e exterminou inúmeros tibetanos. Quando de sua morte, perguntaram ao Dalai Lama: "e agora que Mao morreu o que o Sr. tem a dizer?" O Dalai Lama respondeu: "é mais uma alma para a qual eu tenho que rezar". Para os Lamas tibetanos, o chinês não é um povo cruel, mas tão somente ignorante, ou seja, não sabem o que ainda estão fazendo. Contudo, os chineses obrigaram os tibetanos a espalhar a mensagem que visa transformar o planeta num paraíso semelhante àquele em que viviam.

Fragmentar significa perder. Por exemplo, ao separar o foco técnico do foco humano, valoriza-se um em detrimento do outro, pois somente assim pode-se escolhe. Toma-se o escolhido e joga-se fora o outro, despreza-se o que há de interessante no foco descartado. Por considerarem ingênuas as abordagens que baseiam-se no foco humano, mesmo porque, lidar com o humano exige um preparo que empresários e gerenciadores negam-se a alcançar, optam pelo foco técnico e perde-se o potencial contido dentro do humano. Wilber nos diz: "a consciência da unidade é o verdadeiro território sem limites". Cristo nos deixou: "a fim de que todos sejam um; como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós" (João 17:21). É preciso repensar as idéias fragmentadoras da realidade ou Cristo e Wilber está completamente errados. São fatos que indicam que espiritualidade significa caminhar em direção à integração, à união, à unidade universal. Qual a possibilidade de começarmos a refletir sobre a ajuda que a espiritualidade pode fornecer às organizações, inclusive empresariais? Precisamos entender que a espiritualidade configura-se como um caminho que nos ajuda a desenvolver a consciência de estar neste mundo de um modo responsável. Ser responsável por si mesmo significa ser responsável também pelos outros. Para tornar possível o alcance da consciência deste fato, é preciso libertar a própria essência. Está na essência de cada um o maior potencial de contribuição à disposição da sociedade, um bem deveras precioso para ser jogado fora como temos feito desde a revolução industrial. A espiritualidade pode ajudar-nos a assumir nossas responsabilidades perante a vida em todos os sentidos, dos quais a responsabilidade profissional é apenas uma.

FONTE: Gilberto Velloso



Veja Mais sobre o Autor deste artigo



Comente este ArtigoComente Este Artigo                Indique este artigo a um amigoEnviar Artigo para um Amigo

 
 Enviar este artigo a um amigo  Dê uma nota (Lido: 16857 | Refer: 134 | Impressões: 727 | Nota: 8.67 / 6 votos)

Próximo:
Personalidade, Emoção E Liderança - A Excelência Tem Segredo – 15/08/2013
Como Me Comportar No Ambiente De Trabalho? – 15/08/2013
Resistência Por Parte Da Diretoria – 15/08/2013

Anterior:
Mudanças, Por Onde Começar? – 30/10/2014
A Importancia Do Capital Humano – 25/10/2014
Perfil Comportamental: Conhecendo Pessoas, Descobrindo Potenciais – 21/10/2014


Comentários para este artigo:




   

 








Cadastre-se  Revista RH Portal  Forum  Artigos  Fornecedores  Links  Anuncie   Política de Segurança

O RH Portal é o maior portal brasileiro para profissionais de Recursos Humanos. São milhares de artigos para Gestores de RH: seleção e recrutamento de pessoas, 
Cargos e Salários, Coaching, Gestão por Competências, Avaliação de Desempenho, Testes,Clima Organizacional, Remuneração Estratégica, Avaliações Comportamentais e Treinamentos, 
Currículos, Consultoria em RH, Treinamento e Desenvolvimento e material variadopara Departamento de Pessoal. Útil para Head Hunter, Administradores, Psicólogos e Gerentes. 

O RHPortal é da Solides Ltda - CNPJ 06.139.579/0001-54