Produtividade e gente: o possível equilíbrio

“Mas isso só será viável se as organizações se voltarem para a aprendizagem, o que significa
conciliar os interesses da empresa com os das pessoas que nela trabalham. É um processo que
exige flexibilidade, comprometimento e honestidade de ambas as partes”
“As empresas que dão certo são aquelas que não têm a tirania do ‘ou’. Não é razão ou
emoção, lucro ou gente. É gente e lucro. E é possível esse equilíbrio, essa conciliação,
basta que todos se comprometam em tentar fazer uma organização melhor”

por:

Inteligência Emocional: Diferencial competitivo no mercado corporativo das empresas privadas brasileiras

O artigo visa compartilhar como a inteligência emocional pode ser um fator competitivo aos profissionais que atuam no mercado de trabalho e buscam se destacar. Introduzindo o entendimento do tema; explicando suas características; relacionando com o meio corporativo e apresentando como diferencial. A metodologia adotada foi a pesquisa exploratória de caráter qualitativo e quantitativo, e envolve levantamento bibliográfico. A pesquisa de campo incluirá coleta de dados primários através da aplicação de questionário. O trabalho justifica-se pela importância do conhecimento do tema aos que terão a oportunidade de acessá-lo, uma vez que auxiliará os profissionais a identificarem e gerirem suas emoções para alcançarem melhor desempenho, servindo não apenas no contexto profissional, mas para a vida pessoal. Dessa forma, espera-se com isso, um aumento na produtividade das organizações, melhoria no trabalho em equipe, lideres e liderados mais preparados para atuar no mercado profissional de forma mais assertiva.
Palavras-chave: profissionais, inteligência, comportamentos, mercado

por:

Gestão do conhecimento: o que é e como pode ser utilizada como vantagem competitiva?

É importante nos atentarmos para a quantidade de conhecimento produzido em uma organização e o quão relevante é todo este conhecimento para a competitividade da empresa.
Porém, não basta conhecer, é preciso distribuir e saber explorar tudo o que se sabe. Como? Através de uma gestão do conhecimento eficiente.
Neste artigo buscou-se entender um pouco acerca deste tema e de vertentes e transformações.

por: