Artigos

10 dicas indispensáveis para divulgar a pesquisa de clima

Dentre os recursos mais conhecidos, porém nem sempre utilizado de maneira correta, encontra-se a Pesquisa de Clima Organizacional (PCO). Através desse recurso, por exemplo, é permitido que a empresa conheça os pontos fortes e aqueles que precisam ser melhorados em sua gestão. No entanto, vale lembrar que não é suficiente boa vontade para instituir essa iniciativa. É preciso saber apresentá-la aos colaboradores, caso contrário essa inovação pode gerar resistências. Isso porque há pessoas que consideram a PCO como um mecanismo de punição, pois através dela os funcionários podem opinar sobre o que acontece no ambiente corporativo.

A seguir, destaco algumas ações que podem ajudar os colaboradores a vencerem o receio diante da aplicação da Pesquisa de Clima Organizacional.

1 – A adoção da Pesquisa de Clima Organizacional é uma ferramenta que deve ser abraçada não apenas pela área de Recursos Humanos, mas também pela alta direção da empresa.

2 – A implantação da PCO requer estudos preliminares. Ou seja, a organização pode tomar como exemplo cases de sucesso e caso não se sinta preparada para adotar essa ferramenta, pode recorrer à contratação de uma consultoria externa para auxiliar o processo.

3 – A participação dos gestores é fundamental, para o êxito da pesquisa de clima. Essa é um dos motivos que levam as empresas a convidarem as lideranças para serem agentes multiplicadores do processo. Um dos primeiros passos a serem adotados é realizar reuniões a fim de que os líderes entendam os objetivos, a aplicação e os benefícios que a PCO trará a empresa e aos profissionais.

4 – Ao entenderem a pesquisa de clima em sua amplitude, os gestores estão prontos para disseminar a “novidade” junto às suas equipes. É importante que eles promovam reuniões com os liderados, pois nesses encontros pode-se desmistificar que a PCO não é um procedimento de “caça às bruxas”, mas sim um mecanismo que trará melhorias para a organização e os próprios profissionais.

5 – Durante os encontros com os liderados, os gestores devem manter um canal aberto. Isso permitirá que os colaboradores tirem dúvidas e entendam o funcionamento do processo.

6 – Também é aconselhável que a área de RH também promova encontros presenciais para falar sobre os objetivos da empresa ao adotar a PCO e os objetivos da ferramenta. Dessa forma, poderá sentir como os funcionários estão reagindo à novidade.

7 – Além dos gestores, a área de RH deve recorrer aos canais de comunicação interna (murais, impressos, intranet etc) para divulgar a PCO e as datas de suas respectivas fases.

8 – Os funcionários devem ser convidados a responderem os questionários que possuem indicadores que impactam diretamente no dia-a-dia organizacional como, por exemplo, liderança; espírito de equipe; segurança no trabalho; feedback; remuneração e benefícios; diversidade, entre outros.

9 – Durante a condução do processo, a área de RH deve enfatizar que os resultados da pesquisa não ficarão engavetados. Depois que os dados forem analisados, devem ser divulgados aos colaboradores. Isso, vale destacar, não deve acontecer como uma enxurrada de informações desconexas. Para isso, mais uma vez os gestores devem entrar em cena a fim de ajudarem na divulgação do resultado final do processo e quais ações a organização adotará em relação aos pontos que precisam ser melhorados na gestão da empresa.

10 – A empresa deve ainda salientar que a pesquisa não será realizada uma única vez e sim que será um processo periódico. Durante o intervalo de uma edição e outra da Pesquisa de Clima Organizacional, a área de RH deve estar pronta para ouvir as opiniões dos funcionários, pois eles podem dar ideias para melhorar, inclusive, a logística do processo.

Fonte: rh.com.br

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of