Artigos

10 dicas para facilitar discussões

O seu papel durante uma discussão em grupo é facilitar o fluxo de comentários dos participantes. Embora não seja necessário interpor seus comentários depois de cada participante falar, periodicamente, apoiar alguns comentários pode ajudar. Aqui está um menu com dez pontos para você usar quando estiver conduzindo discussões em grupo.

1. Parafraseie o que um participante disse de modo que ele ou ela se sinta compreendido e de maneira que os outros participantes ouçam um sumário conciso do que foi dito.

Então, o que você está dizendo é que você tem que ser muito cuidadoso sobre perguntar aos candidatos onde eles moram durante uma entrevista porque isto pode sugerir algum tipo de afiliação racial ou ética. Você também nos falou que está certo perguntar o endereço do entrevistado no formulário da companhia.

Nova call to action

2. Cheque o seu entendimento da afirmação de um participante ou peça a ele para clarificar o que ele está dizendo.

Você está dizendo que este plano não é realista? Eu não tenho certeza de que entendi exatamente o que você quis dizer. Você poderia repetir, por favor?

3. Cumprimente um comentário interessante ou perspicaz.

Este é um bom ponto. Estou feliz que você o trouxe a nossa atenção.

4. Elabore a contribuição do participante para a discussão com exemplos ou sugestão de uma nova maneira de ver o problema.

Seus comentários proporcionaram um ponto interessante da perspectiva do empregado. Isto poderia também ser útil ao considerar como um gerente veria a mesma situação.

5. Energize a discussão acelerando o ritmo, usando humor ou se necessário encorajando o grupo a dar mais contribuições.

Nós temos muitas pessoas modestas nesse grupo! Aqui vai um desafio para vocês. Nos próximos dois minutos, vamos ver quantas maneiras de como aumentar a cooperação dentro do seu departamento você pode pensar.

6. Discorde (gentilmente) com um comentário de um participante para estimular mais discussões.

Eu posso ver onde de onde você está partindo, mas eu não tenho certeza de que o que está descrevendo é sempre o caso. Alguém mais teve uma experiência que é diferente da do João?

7. Medeie as diferenças de opinião entre os participantes e atenue quaisquer tensões que possam estar fermentando.

Eu acho que Maria e Joana não estão realmente discordando entre si, mas apenas trazendo dois lados diferentes da questão.

8. Trabalhe em conjunto idéias, mostrando suas relações entre si.

Como vocês podem ver a partir dos comentários de João e Maria, estabelecer objetivos pessoais faz parte da administração do tempo. Você precisa ser capaz de estabelecer objetivos para si diariamente para administrar seu tempo mais eficazmente.

9. Mude o processo do grupo alterando o método de obter participação ou fazendo com que o grupo avalie as idéias que foram apresentadas.

Vamos nos dividir em grupos menores e ver se vocês podem identificar algumas objeções típicas de clientes aos produtos que foram cobertos na apresentação desta manhã.

10. Resuma (e escreva se for adequado) as principais percepções do grupo.

Eu notei que as quatro principais razões que apareceram na nossa discussão porque os gerentes não delegam são: (1) falta de confiança, (2) medo do fracasso, (3) conforto em fazer eles mesmos a tarefa e (4) medo de ser substituído.

MS.Sergio Ricardo é Mestre em Coaching pela FCU – Flórida Christiam University , Educador Físico, com especialização em Psicossomática, e Pesquisador em: Neurociência Comportamental, Doenças Psicossomáticas, Neurofisiologia das Emoções. Formador e Instrutor de Cinesiologia Educacional e Terapia do Comportamento, Balanceamento Muscular, Memória Celular, Desativação de Estresse, Funcionamento do Cérebro nos Processos de Aprendizagem, Relacionamento Interpessoal, Integração e Dominância Cerebral, Ginástica Cerebral (Neuróbica e Neurofitness).

0 0 vote
Article Rating

Por: SERGIO MISSIONEIRO

Mestre em Coaching pelo FCU – Flórida Christiam University; Educador físico, com especialização em Psicossomática, e Pesquisador em: Neurociência Comportamental, Doenças Psicossomáticas, Neurofisiologia das Emoções, Formador e Instrutor de Cinesiologia Educacional e Terapia do Comportamento, Balanceamento Muscular, Memória Celular, Desativação de Estresse, Funcionamento do Cérebro nos Processos de Aprendizagem, Relacionamento Interpessoal, Integração e Dominância Cerebral, Ginástica Cerebral (Neuróbica e Neurofitness). – É Master Coach Internacional nas Linhas: Integral, Evolutivo, Psicodrama, Constelação Sistêmica, Centrado em Valores e Generativo. – Internacionalmente reconhecido, já atuou com mais de 5000 coaches e mais de 10.000 horas de atendimento; Master Trainer em PNL. – Consultor Empresarial especialista em Desenvolvimento de Liderança, Business Plan, Cultura Organizacional e Gestão de Mudança; Investigador em Física Quântica e Pesquisador em Neuroteologia. – Um dos pioneiros em Coaching no Brasil, na área de Gestão Comportamental com Neurociência e Neurometria Funcional Encefálica, com mais de 20.000 avaliações realizadas, onde visa orientar e treinar as pessoas em busca da qualidade de vida, controle de ansiedade, aumento de reserva funcional e coerência cardíaca. – No meio empresarial Sérgio Ricardo é reconhecido como uma autoridade em temas como Coaching, Liderança, Negociação, Relações Humanas e Gestão Eficaz de Pessoas. Treinador de equipes de vendas, liderou importantes organizações nacionais e internacionais, atuando diretamente como Coach com mais de 50.000 vendedores e 200 equipes de gestão organizacional. – Diretor do Centro Nacional de Coaching (CENACOACHING), onde ministra Formações em Coaching. – Escritor do Livro “O Guardião do Cérebro”, Palestrante e Conferencista com mais de 4.000 apresentações onde 100.000 pessoas já assistiram suas apresentações no Brasil e na Europa.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments