Artigos

61,2% Das Famílias Brasileiras Estão Endividadas

Por: Marcelo Segredo – Especialistas em Finanças – Palestrante

A média são de 5 cartões de Crédito por Adulto – Última Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), apurada em março de 2013 pela Confederação Nacional do Comércio (CNC), os números indicam que 61,2% das famílias pesquisadas possuem dívidas assumidas com cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro. Isso é o que mostra a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, feita Confederação Nacional do Comércio (CNC), que apurou aumento do endividamento pelo 3º mês consecutivo, ouvindo 18 mil pessoas em todas as capitais e no distrito federal.

As respostas são várias. A principal delas é que as pessoas que já deviam continuam devendo, e novas famílias entram diariamente na fila da inadimplência.

Juros Reduzidos? Aonde? Pra quem? – Quando as pessoas vão renegociar suas dívidas para limparem o seu nome, essas dívidas crescem assustadoramente porque os bancos não estão cobrando juros mais baixos. O consumidor que foi até os bancos procurar por juros reduzidos sabe muito bem que as propagandas veiculadas na mídia são uma mentira deslavada. Ao contrário: há casos em que, para poder encaixar o pagamento da dívida renegociada no seu orçamento, o consumidor acaba triplicando o valor dela, isso quando não deixa seu imóvel como garantia. Historicamente tendo mais de 40% de sua renda com o pagamento dessas renegociações, o que, em pouco tempo, acaba refletindo em uma nova inadimplência no pagamento de outras dívidas e despesas.

76% dessas famílias devem no cartão de crédito – Continuam a liderar o endividamento as dívidas contraídas nos cartões de crédito, produto esse que pratica os juros mais caros do mercado. Os principais cartões, aqueles que detém o maior número de consumidores em sua carteira de clientes estão praticando juros de cerca de 13,50% ao mês no crédito rotativo. Com um juros tão altos como esses a dívida se multiplica rapidamente.

A Causa e o efeito: Como os juros dos cartões de crédito variam de 11% a estratosféricos 22,08% mensais – esses consumidores vão se endividando continuamente e muitos acabam não suportando pagar o que devem, uma vez que os juros praticados pelos cartões brasileiros são os mais elevados do mundo. Quem entra no crédito rotativo dificilmente consegue sair sem ajuda.

Como reduzir minha dívida no cartão de crédito?– afirmo com conhecimento de causa que é possível reduzí-la em até 95%. Da mesma forma que o cartão pressiona o consumidor nas cobranças, é possível também usar desse mesmo princípio para pagar o que realmente deve, e não dívidas que se elevam de forma estratosférica de um mês para o outro. É preciso saber conduzir a negociação utilizando-se dos mecanismos corretos para se atingir esse objetivo.

Quantos cartões você tem? – Para justificar porque os cartões continuam liderando o ranking de endividamento fui pesquisar e cruzar informações. Segundo projeção feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país contava, em julho/2012, com 193.946.886 habitantes e Segundo estimativas da Associação Bras. das Emp. de Cartões de Crédito e Serviços (ABECS), o Brasil alcançou a marca de 597 milhões de cartões em uso, incluindo os de crédito, débito e das redes de varejo (os private label) no primeiro semestre/2012 – um recorde, com crescimento de 10% em 1 ano.

Esses cartões – 5 por adulto, em média – movimentaram R$ 244 bilhões em 6 meses, 21% mais que há um ano, com 3,3 bilhões de transações; ou seja, média de quase R$80,00 por transação.

Mais de 60% desse total, foram com cartões de crédito, que envolveram R$25 bilhões só em junho; quando os cartões de crédito somaram 145 milhões de unidades, tendo sido usados para 244 milhões de pagamentos naquele mês.

R$ 500,00 só de anuidades por ano!! – Considerando que você paga anuidade em todos eles, você já parou para calcular o quanto gasta somente de anuidade para manter tantos cartões? Estamos falando em praticamente R$ 500,00 por ano só de despesas com anuidade. Será que você realmente precisa de tudo isso?

Cobranças e Ameaças sem fim – Se não bastasse o verdadeiro terror impostos por escritórios de cobrança contra os devedores, ainda são veiculados na imprensa recomendações para que o consumidor vá até o banco e renegocie dívidas. Lembre-se sua dívida já esta inflada de juros, e você ainda via renegociar, para que mais juros sejam agregados a ela?

Evite usar crédito para consumo. Utilize para construir patrimônio e proporcionar conforto e bem-estar para você e sua família.

Por:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of