Artigos

A Arte Da Guerra – Sun Tzu

Os líderes de hoje em dia tem buscado cada vez mais alternativas e estratégias diferentes para se destacarem entre as equipes e no mercado. Tem ficado muito em alta, o Livro a Arte da Guerra de Sun Tzu, originalmente escrito na China a muito tempo atrás e reescrito de diversas maneiras e versões.
Esse livro tem sido a “bíblia” de muitos líderes atuais, pois define exatamente o que é estratégia e qual a melhor maneira de tornar uma equipe mediana em uma equipe de alta performance.
Segue abaixo um resumo sobre os 13 capítulos originais do livro, tentei colocar no artigo os pontos mais importantes e relacioná-los com as equipes de hoje, pode ter certeza que você vai se identificar com vários pontos.
Tenham uma boa leitura.

Resumo:

Para Sun Tzu a guerra é um caminho para a vida ou para a morte, um caminho da sobrevivência ou da desgraça de um Estado.

Para que atos mais pessimistas não aconteçam, devem-se analisar cinco fatores principais seus e do inimigo, dos quais são: caminho, clima, terreno, comando e doutrina. A plena compreensão desses fatores pode levar um exército à vitória, assim podemos dizer que são as equipes de alta performance, pois para alcançar um objetivo deve conhecer para onde está indo, o que o espera e como será feito.

Também deve ser feito uma análise sobre as equipes inimigas, pois se elas forem orgulhosas deve-se fazer alguma provocação, se forem humildes deve-se torná-las arrogantes, se estiverem descansadas deve-se desgastá-las e se estiverem unidas deve-se provocar intriga entre seus membros.

Uma batalha só é vencida se sua equipe estiver bem equipada, portanto, perderá aquela que deixar faltar recursos. Em todas as operações procure uma vitória rápida, para que não lhe falte nenhum recurso, pois se isso acontecer terá uma equipe cansada, desgastada e desmotivada.

Sun Tzu disse que a supremacia de uma guerra é vencê-la sem ter a necessidade de combater, ou seja, antes de ir para combate devem-se destruir as estratégias do inimigo e obrigá-lo a rendição, está é a primeira melhor política. A segunda melhor política é destruir as suas alianças por meio da diplomacia e a pior de todas é ir para o combate direto. O líder é o equilíbrio de uma equipe, ou seja, se o líder for forte a equipe será poderosa, se ele for defeituoso, ela será fraca. O líder deve manter sempre em alta a confiança de sua equipe, pois, se essa confiança se quebrar, é certo que a vitória será do inimigo.

A equipe que sairá vencedora de uma batalha é aquela que sabe seguir esses cinco princípios: Saber quando deve ou não deve lutar; Saber adotar a melhor arma de acordo com as forças do inimigo; Saber manter sua equipe unida; Estar bem preparado e enfrentar o inimigo desprevenido; Ser um líder sábio e capaz e ter autonomia para comandar a sua equipe.

Ser invencível depende da equipe, derrotar o inimigo depende dos erros do inimigo. Ser perito de guerra é entender sempre os seus princípios e adotar sempre as políticas corretas, de forma que a vitória sempre estará em suas mãos.

Administrar uma equipe grande é em princípio igual a administrar uma equipe pequena, basta ter organização. É muito importante que uma equipe saiba quais são seus pontos fortes e fracos, pois assim, conseguirá derrotar o inimigo muito mais facilmente, como Sun Tzu disse é como derrubar uma pedra sobre ovos.

Em operações de guerra existem apenas duas táticas de operações, a frontal e a de surpresa, porém suas variações são inúmeras, cabe ao líder saber usá-las da melhor forma de acordo com cada situação que é vivenciada.

A habilidade de um líder consiste em cansar o inimigo quando ele estiver descansado e movê-lo quando estiver parado.
Seja sutil onde ninguém possa achar rastro, seja misterioso onde ninguém possa ouvir nenhuma informação, pois dessa forma poderá controlar o destino do inimigo em suas mãos.

Uma equipe que não está forte deve-se tomar precauções em todos os lugares para se prevenir de possíveis ataques de uma equipe mais forte.

Sun Tzu disse que o dom mais elevado da arte militar de enganar o inimigo é esconder as suas intenções, pois, assim, mesmo os espiões mais penetrantes não poderão espionar e nem sequer o homem mais sábio poderá conspirar contra você.

Todas as táticas militares devem evitar os pontos fortes do inimigo e atacas os pontos fracos. Para conseguir a vitória o ideal é que se variem as táticas de acordo com os posicionamentos do inimigo, portanto a forma de agir diante de uma batalha nunca poderá ser a mesma.

Sun Tzu disse que devemos transformar as desvantagens em vantagens, ou seja, é melhor enganar o inimigo oferecendo vantagens fáceis para que com isso ele possa ser surpreendido. Porém deve-se estar atento a todos os perigos que essas manobras possam trazer.

Outra regra muito é importante é que toda equipe deve estar a postos para qualquer ataque do inimigo, mesmo que ele não ataque, pois é muito melhor você estar preparado do que receber um ataque de surpresa e não conseguir reagir.

Com relação às negociações de uma guerra Sun Tzu disse que se o mensageiro inimigo fala palavras moderadas, mas suas preparações de guerra continuam ele pretende avançar, se fala de forma belicosa e ameaça a avançar ele vai se retirar, se fala com palavras conciliadoras é porque tem intenção de obter uma trégua e se pede trégua, mas não retrocedeu é porque está tramando alguma coisa.

Um líder deverá saber as situações que podem apontar uma derrota da equipe quando: os membros fogem, possuem disciplina negligente, a equipe está deteriorada, se desmorona sob insurgência ou está desorganizada. Muito provavelmente que essas causas são decorrentes de falhas do próprio líder, portanto, cabe ao líder investigá-las com a maior cautela e importância para que isso não ocorra e provoque uma derrota da equipe.

Para um líder o mais importante do que ter o conhecimento é saber aplicá-lo na hora e no momento certo para que a vitória possa ser alcançada. O líder que não sabe, com certeza provocará a derrota da sua equipe.

Dessa mesma forma Sun Tzu deixa a frase: “Conheça o inimigo e a si mesmo e você obterá a vitória sem qualquer perigo, conheça o terreno e as condições da natureza, e você será sempre vitorioso”.

A essência das operações estratégicas está na velocidade das ações e a exploração da vulnerabilidade do inimigo, indo por caminhos que ele não espera e atacando onde ele não está preparado.

Sun Tzu faz uma comparação dos militares com a serpente de Monte Chang, pois se atacarem a sua cabeça, ela revida com a sua calda, se atacarem a sua calda, ela revida com a sua cabeça e se atacarem no meio do seu corpo, ela revida com a calda e com a cabeça. Assim também, podemos transformar os membros de uma equipe, para que estejam preparados para revidar independentemente de onde vem o ataque.

Mas para isso, Sun Tzu também lista uma série de qualidades que um líder deve ter para conseguir comandar uma equipe como: manter a mente serena e insondável, comandar de maneira imparcial e vertical, não dizer toda a estratégica a equipe e esconder suas intenções quando necessário.

Outro ponto importante é que ao descobrir o ponto fraco do inimigo, deve-se afetá-lo com rapidez e inicialmente capturar ou conquistar aquilo que é de mais importante para ele. Para obter a vitória, seus planos devem ser modificados de acordo com a situação do inimigo e nunca revele a hora do seu ataque.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of