Artigos

A Força Dos Modismos Na Motivação


Os modismos que ocorrem nas áreas de seleção e treinamento visam, entre outras propostas, manter as expectativas e os níveis motivacionais. Eles, afinal, são uma reutilização de conceitos e princípios com uma nova roupagem. Cabe ao administrador saber como separar a eterna essência das diversas metodologias, que lhe são oferecidas pelo mercado, com estas novas roupagens. Este é um constante desafio. Saber escolher o melhor treinamento que motive e seja bem aproveitado.

No livro “Entre o Moderno e o Eterno – técnicas alternativas nas empresas e na vida pessoal “, que está disponível no catálogo desta revista, este tema está bem explicado. Foi feito no intuito de informar sobre as diversas teorias, algumas consideradas mágicas, e suas conseqüências dentro das empresas. Este livro expõe, analisa e comenta sobre a evolução das idéias em administração, dos meios de comunicação, dos modismos administrativos e das técnicas alternativas: físicas e mentais, dentro de um contexto prático. Está dividido em três blocos de interesse:

os modismos com as técnicas de administração e a influência dos consultores empresariais; 
os modismos com as atividades físicas para compensar o árduo trabalho diário e aliviar o estresse dentro das empresas; 
os modismos com as técnicas de tomada de decisão sob o aspecto do uso de oráculos e de outros meios alternativos;
Neste último ponto desenvolvo aspectos de como a intuição, o esoterismo, as ciências divinatórias e, até, a religiosidade compõem este universo técnico e influenciam na tomada de decisões. Como está sendo empregada a grafologia, a numerologia, a cromoterapia, a astrologia, a radiestesia, o I Ching e o tarô nas empresas. Este estudo, que iniciou-se em 1986, conclui explicando como agem os chamados empresários intuitivos e de como a espiritualidade está transformando as organizações em sociedades vivas, transparentes e participativas.

O mais importante, dentro deste universo, é perceber a dimensão da natureza humana quando se trata destes assuntos materiais e espirituais. Minha preocupação foi escrever um livro que pudesse auxiliar, com uma visão panorâmica, a quem toma decisões, a como utilizar as ferramentas técnicas, quer sejam as racionais ou emocionais, que possam estar disponíveis num momento importante da decisão. O objetivo foi demonstrar como se buscam as informações na hora de se decidir e de como os modismos estão presentes nas organizações. 

Escrevi de modo que pudesse ser de fácil leitura e consulta, citando diversos casos práticos, como por exemplo o uso de esportes radicais junto de times de vendas ou as terapias corporais para integrar e treinar pessoas. Dentro das empresas ou na vida profissional – muita coisa é procurada em nome do lucro ou do desespero de causa, às vezes – o empresário cria situações no mínimo inusitadas, quando não engraçadas, que podem dar certo ou não na qualidade de seus serviços ou produtos. Mas que acabam dando um toque motivacional as pessoas que estão na organização. 

Eis, abaixo, mais alguns exemplos colhidos nestas entrevistas e nas empresas que são comentados ao longo do livro: 

1. funcionários que vão fantasiados ao trabalho;
2. como interpretar peças gregas para simular a venda de ações;
3. a utilização de sinais coloridos para indicar como está o seu humor durante o dia;
4. a assinatura de contratos importantes só depois de consultar a astrologia;
5. a visita de religiosos (padre, pai de santo, rabino, monge, pastor) no ambiente de trabalho;
6. a historia de um comitê político que se utiliza de radiestesista para saber se local é ideal;
7. empresa que faz tabela de preços que a soma acaba em oito;
8. seleção de vôlei que se utilizou de florais;
9. essências aromáticas jogadas no ar em loja de departamentos que estimula a compra;
10. a consulta do oráculo para ir à guerra e outros aspectos deste tipo desde a antigüidade;

Na minha opinião os problemas se resolvem com idéias que podem vir de qualquer lado, daí o empresário se vale de todas as fontes, que julga serem confiáveis na hora de decidir, mesmo que esteja consultando um oráculo, se a sua crença admitir. É dentro deste universo de técnicas, ditas imponderáveis, e de outras consideradas racionais que faço uma avaliação de como isto pode conviver dentro de uma empresa. 

Como se sabe não existe a solução correta, existe, sim, meios de se chegar a melhor das escolhas, naquele momento, e não se sentir culpado. É um alerta a quem queira se prevenir e se desintoxicar das teorias de soluções rápidas. Saber utilizar os modismos para criar novos níveis motivacionais é onde mora a eterno bom senso. 

Mario Enzio
Graduado em Comunicação, Pós em Administração de Empresas pela ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing; 
Cursou a Universidade Holística da Paz – Unipaz, em Brasília; e a Escola de Governo; Mestre em Reiki; .

Por:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of