Artigos

A Qualidade De Vida No Trabalho

Na atualidade, principalmente na que interfere no meio econômico, mais
especificamente, nas organizações, é crescente a preocupação com a qualidade de vida do
trabalhador, ou seja, com o potencial humano. A origem desta preocupação com os colaboradores
tem suas raízes nas convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que em seus
países de origem, convencionaram uma legislação específica para a melhoria do trabalho, com
um foco especial direcionado à saúde, higiene, satisfação e segurança do trabalhador. A relação
que existe entre a qualidade de vida no trabalho e a produtividade traduz uma latente realidade: a
de que empresas deixam de lucrar, gastam em excesso e têm grande custo social, devido a sua má
gestão dos processos nos quais os trabalhadores estão envolvidos.
Hoje o enfoque primordial da Qualidade de Vida (QV) encontra-se no aspecto
biopsicossocial (BPS), ou seja, o homem passa a ser visto como um complexo dinâmico,
indissociável, encarado como um todo (visão holística). Essa nova forma de encarar o indivíduo
abre um leque de oportunidades de investimento no capital humano, agregando a estes, valores
que irão refletir sobre a organização na qual está inserido, assim sendo, é necessário ao gestor a
percepção da importância da qualidade de vida na organização.
O conceito BPS expresso por Limongi-França (2001) declara que este tem suas raízes na
medicina psicossomática, que classifica o homem por meio de uma visão integrada, na qual todo
ser humano é um complexo sociopsicossomático, ou seja, é constituído por potencialidades
biológicas, psicológicas e sociais que reagem simultaneamente às mais variadas condições de
vida. Por sua vez, estas respostas apresentam-se combinadas de formas diferentes e em variadas
intensidades nos três níveis apresentados, podendo suas manifestações serem evidentes em um ou
outro aspecto, no entanto, todas as camadas são interdependentes.
A autora Limongi-França (2001) assim define as camadas do aspecto BPS, que são
ilustrados na figura 1:
Camada biológica – expressa as características físicas herdadas e/ou adquiridas ao nascer e
durante toda a vida, incluindo metabolismo, resistência e vulnerabilidade de órgãos e/ou
sistemas;
Camada psicológica – incorpora os processos afetivos, emocionais e de raciocínio, sendo estes
conscientes ou inconscientes, formando a personalidade de cada pessoa e o seu modo de ver e
posicionar-se diante das situações e sociedade;
Camada social – caracteriza-se por valores, crenças, o papel na família, trabalho e nos demais
grupos e comunidades em que cada indivíduo esta inserido, participando deste último também o
meio ambiente e a localização geográfica.

AUTOR: WILLAMS JOSE DA SILVA
TECNICO EM RECURSOS
FACULDADE JOAQUIN NABUCO

Nova call to action

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of