Artigos

A “arte” de demitir pessoas

Tomar decisões com pessoas é algo que pode está acima do estudo de números ou estatísticas.

A maioria das decisões envolvem respeito, cordialidade, dignidade e muita calma, sempre considerando que grande parte dos relatórios não destacam “os valores” que formam o caráter dos profissionais de nossas empresas.

Grande parte das ações trabalhistas se dão devido ao mal direcionamento do processo demissional.

Nova call to action

Sou testemunha de muitos ex-colaboradores que amam a empresa, mas continuam magoados com algumas pessoas que conduziram de forma errônea, os últimos momentos na relação empregado/patrão.

Quando tomamos decisões, devemos pensar nos seguintes aspectos:

1. Essa é a decisão correta?
2. Se for a decisão correta, é o tempo certo de tomar essa decisão?
3. Se for a decisão correta e estiver no tempo ideal, qual é a forma adequada de conduzir essa decisão?

Quando tomamos esses cuidados, reduzimos:

1. A possibilidade de causas trabalhistas motivadas por rancor;
2. A margem de recusa para esclarecimentos diante de dúvidas nas atividades exercidas pelo Colaborador desligado;
3. O risco de denúncias incabíveis e anônimas para Sindicatos e Órgãos interligados;
4. O risco de propagação negativa da imagem da empresa no Mercado de Trabalho;
5. O risco de ter o Colaborador desligado dando suporte testemunhal em causas de terceiros contra a empresa.

Por isso é importante que o RH esteja preparado para administrar de forma sábia e humana, os processos rescisórios. Sempre visando o zelo pelo ser humano por trás do cargo. Tenhamos a certeza que o compromisso com as empresas deve está de mãos dadas com o respeito e a dignidade do profissional.

Por fim, deve ficar claro que o RH não pode assumir a condição de oferecer o “risco zero” as organizações, mas deve garantir que, seguindo os passos anteriores, reduzirá consideravelmente tais riscos. O importante pensador Alemão Karl Marx alerta que “A desvalorização do mundo humano aumenta em proporção direta com a valorização do mundo das coisas.”
Por isso, é importante ter o cuidado de sempre enxergar a pessoa por trás do cargo, mesmo que seja no desenrolar de um processo rescisório.

5 1 vote
Article Rating

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments