Artigos

Bullying No Ambiente De Trabalho

Bullying no ambiente de trabalho

Comumente quando nós falamos de praticas abusivas de bullyng nos vem de imediato o cenário da sala de aula, o que comumente sofríamos enquanto criança e/ou adolescente. A temática sobre o Bullying tem sido tão debatida nos anais da psicologia, da educação, da antropológica cultura e até mesmo na seara do direito que hoje as pessoas passam a discutir sobre esta assunto de forma um tanto quanto decorrente, principalmente quando se fala desta pratica monstruosa no ambiente de trabalho.
Diferente do que se imagina, a prática do bullying não ocorre somente dentro das salas de aulas. Também não acontece somente entre alunos: os mais populares e os nerds; ou entre os maiores e os menores. A prática do bullying, esse comportamento tão eficaz e destrutivo da nossa auto-estima, está presente também entre adultos em seus locais de trabalho. Com pouquíssimas diferenças nas suas definições e muita semelhança nas suas conseqüências, o bullying no local de trabalho pode se tornar um grande pesadelo para muitas pessoas. “A exposição dos trabalhadores e trabalhadoras a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções, sendo mais comuns em relações hierárquicas autoritárias e assimétricas, em que predominam condutas negativas, relações desumanas e aéticas de longa duração, de um ou mais chefes dirigida a um ou mais subordinado(s), desestabilizando a relação da vítima com o ambiente de trabalho e a organização, forçando-o a desistir do emprego”.Margarida Maria Silveira Barreto (2000), Médica do Trabalho Fonte: http://obullying.wordpress.com/o-bullying-no-local-de-trabalho/Em 13/05/2014

Esta prática covarde tem se estendido também hoje para o ambiente de trabalho, a relação hierárquica de funções entre empregador e empregado, entre empregado de uma mesma hierarquia de função tem constrangido o colegas com esta pratica que somente aquele que sofreu pode e poderia nos descreveu o que já passou ou tem passado em seu ambiente de trabalho.
Comumente quem sofre esta prática não costuma denunciar de imediato, sofre todas as formas de discriminação sejam elas psicológicas ou físicas, mas o indivíduo é bombardeado de forma quase continua por situações que lhe são desconfortáveis, desagradáveis, desencadeando com isto, depressão, solidão, síndrome de pânico, exclusão social e humilhação.
Não é simples abordar este tema, pois trata-se de vários elementos teóricos que foram desenhados ao longo do tempo, por estudiosos deste assunto, na realidade, pode-se afirmar aqui que esta pratica é tão antiga quanto o que possamos imaginar, simplesmente não tínhamos uma definição apropriada para descrever. Na realidade esta forma de insulto, de incomodo ao outro, vem de gerações, em especial daqueles que detém algum tipo de poder sobre o outro.
Na relação entre aqueles que detém o poder, que acaba também traduzindo o Bullying em assédio moral e sexual. A pratica desta ação por parte do abusador é tão traumática para aquele que sofre e vivencia que as feridas da alma desta pessoa demoram tempo para serem saradas, tamanho o trauma constituído. Esta pratica traz sequelas, humilha o indivíduo sobre a sua dignidade, fere a sua honra, traz sequelas do medo, do pânico, do sentir inferior, pequenos sobre aquele ou aqueles que realizam tal ato. Vejamos alguns exemplos desta pratica

Alguns exemplos de comportamentos de bullying no local de trabalho: Críticas não cabíveis; Culpar o funcionário sem uma justificativa real; Ser tratado de forma diferente da sua equipe de trabalho; Ser alvo de xingamentos; Ser excluído ou isolado socialmente; Ser alvo de gritos ou ser humilhado; Ser alvo de piadas; Ser constantemente e excessivamente vigiado; Fonte: http://obullying.wordpress.com/o-bullying-no-local-de-trabalho/Data: 13/05/2014

Portanto, podemos aqui dizer a pratica deste ato covarde tem trazido muitos problemas para as pessoas na relação de trabalho, muitas empresas podem ter a sua produção comprometida por um funcionário insatisfeito, triste e isolado, porque este tem sofrido de alguma forma a humilhação por parte de seus colegas e até mesmo pelo seu chefe de trabalho.
Com isto faz-se necessário uma reflexão unanime sobre este assunto, sobre esta pratica tão imbecil, monstruosa e que causa tantas sequelas nas pessoas, que nós possamos pensar, na condição de humanista, no exercício da função de RH que nós possamos detectar e trabalhar estes disparates nos nossos trabalhos ou outras empresas, informando e conscientizando o empregador e o trabalhador, que todos possam de alguma forma estar informado de, conhecer tamanho problema que poder vir a trazer para a vida do próximo que antes de qualquer função, cargo constituído, formação ou não é um ser humano que se constrói sempre e sempre.
Prof. Júlio di Paula

Por:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of