Artigos

Coaching Executivo Jurídico

Por Marisa Golin da Cunha*
marisa@resultato.com.br

A permanência de escritórios de advocacia no mercado nos trás a indagação de qual o caminho que os advogados sucedidos trilharam para os seus êxitos.

Identificar e conhecer esses caminhos, que oferecem satisfação pessoal e profissional aos advogados, é possivelmente um dos questionamentos que os profissionais procuram incessantemente sem saber, ao certo, como encontrar essa resposta.

O ser humano está envolto por cenários relacionais, profissionais, políticos e econômicos velozes e que estão exigindo, dele, agilidade de raciocínio e de execução. Atitude e disciplina são insumos essenciais requeridos para atingir o sonhado de sucesso.

Quando nos reportamos a sucesso, podemos estar falando em questões individuais como também a um contexto empresarial. Há ao menos três perspectivas que requerem evoluções incessantes e permanentes devido ao ritmo e dinâmica da conjuntura mundial. A esses três pontos de vista tem-se denominado como: Capital Humano, Capital Social e Capital Organizacional.

Ao se falar em capital humano, destaca-se a importância das pessoas vistas individualmente, mas dentro de um contexto de cooperação. O constante desenvolvimento individual e a identificação dos próprios talentos e habilidades, bem como as competências e os desafios almejados, compõem um dos elementos importantes à mantença e crescimento das empresas no mercado.

Quando nos referimos ao capital social, a segunda perspectiva acima mencionada, tratamos das relações individuais trabalhadas em redes de relacionamento, promovendo interações sociais que contribuem para o bem comum organizacional.

E, quando nos referimos à terceira perspectiva, que trata do capital organizacional, falamos sobre
vantagens competitivas entre as organizações. Neste enfoque o desempenho dos líderes é fundamental para o sucesso. É pelas lideranças que a cultura organizacional se diferencia.

Ser bem sucedido sob o ponto de vista de qualquer uma das três perspectivas antes descritas é um desafio. Nesse desafio há o que parece um “enigma” para que essas descobertas possam vir à tona. Mas o que pode ser a resposta a esse enigma talvez seja tão prosaico, que, por ser tão trivial, está relegado em nível de importância quase inexistente nos relacionamentos.

Esse segredo para o desenvolvimento, melhoria e constância do negócio no mercado poderá ser
desvendado através da performance dos líderes do Escritório, a Alta Administração, ao se permitir ser ouvida e ouvir a sua equipe.

Ouvindo-se, possibilitamos que as ideias se organizem e que possam fazer parte de reflexões. Mas por outro lado não encontramos a cada esquina alguém para nos ouvir e apoiar nossos pensamentos de forma que essas ideias sejam estimuladas e capacitem esse gestor a se repensar, permitindo descobrir suas habilidades e vocações.

A intervenção metodológica e estratégica proporcionada pelo processo de Coaching é a indicação que permitirá o desvendar de potenciais e pendores do sócio, dono do negócio.

No processo de Coaching o objetivo e limites do pretendido ficam estabelecidos pelas partes. Denomina-se Coach o facilitador do Processo e Coachee, quem está almejando mudanças em seu comportamento.

Os líderes dos Escritórios de Advocacia ao se preocuparem com o futuro do seu negócio podem
contar com mais essa ferramenta de mudança e busca da otimização que o Processo de Coaching proporciona.

“O processo de Coaching Executivo acontece durante um espaço de tempo limitado e estimula e facilita a identificação e a adoção de novas posturas para a identificação dos talentos do Profissional.”

* Marisa Golin da Cunha é economista, advogada e mestre em engenharia da produção, com concentração em gestão de qualidade. É diretora da Resultato Projetos Empresariais.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of