logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Início > Gestão de Pessoas > Como desenvolver a escuta ativa?

Sumário

Como desenvolver a escuta ativa?

Descubra a importância da escuta ativa para melhorar a comunicação e fortalecer relacionamentos. Aprenda as técnicas e benefícios de ouvir de forma atenta e empática.

Atualmente, a escuta ativa é uma habilidade altamente valorizada, pois envolve uma prática que busca investigar com curiosidade o que está sendo dito e compreender o ponto de vista do interlocutor.

Colaboradores que se sentem ouvidos têm 4,6 vezes mais chances de se sentirem capacitados para realizar um trabalho melhor, segundo um dado da Salesforce.

Já 89% dos líderes de RH atestam um impacto positivo na realização de feedbacks frequentes, conforme uma pesquisa da Globoforce. 

Esses dois dados nos ajudam a entender, em números, que um dos primeiros passos para a gestão de pessoas e o desenvolvimento humano dentro de uma empresa, e consequentemente obter resultados, é a escuta ativa.

Esse ouvir é um exercício diário que líderes e gestores precisam fazer para manter atenção plena naquilo que colaboradores e colegas estão nos dizendo.

Na verdade, a escuta ativa é muito mais do que absorver as palavras que nos são ditas.

O que é a escuta ativa?

Escuta ativa significa também observar cuidadosamente a linguagem como um todo da pessoa que está na nossa frente – ou até nas mensagens de texto e e-mails –, com o objetivo de entender realmente o que ela quer dizer.

curso para reter colaboradores

Uma das pessoas que considero um dos mentores em minha carreira, o fundador da MRV Engenharia, Rubens Menin, sempre me dizia que “a diferença entre duas pessoas de mesmo potencial é que uma vai ouvir melhor que a outra pessoa e, por isso, chegar mais longe”.

Como profissional de RH, é essencial lembrar que, em muitas ocasiões, a escuta ativa pode se manifestar como um desabafo.

É importante compreender as razões pelas quais a pessoa está se aproximando de você e, como especialista em recursos humanos, saber como lidar com essa situação.

O que é uma escuta passiva?

Uma escuta passiva refere-se a uma forma de ouvir em que o ouvinte não se envolve ativamente na conversa, não oferecendo feedback ou demonstrando pouco ou nenhum engajamento com o que está sendo dito. 

Neste tipo de escuta, a pessoa pode ouvir as palavras do falante, mas não processa completamente a informação, não reflete sobre ela ou não reage de maneira significativa.

Isso muitas vezes pode ser percebido como falta de interesse ou empatia, podendo levar a mal-entendidos ou a uma comunicação ineficaz. 

A escuta passiva contrasta com a escuta ativa, onde o ouvinte se engaja ativamente, prestando atenção completa, refletindo sobre o conteúdo e respondendo de forma adequada, demonstrando compreensão e interesse no diálogo.

Quais são as 5 técnicas da escuta ativa?

Ao aplicar essas práticas, os ouvintes não apenas entendem melhor o que está sendo comunicado, mas também transmitem respeito e valorização ao falante, criando um ambiente de confiança mútua e compreensão profunda.

Sem julgamentos nem interferências

Seja durante um feedback, seja numa reunião 1-1 ou qualquer outra situação de conversa, a pessoa mais importante naquele momento é a que está na sua frente. E ela precisa sentir isso.

Num mundo ideal, é hora de tirar o celular da jogada e qualquer outro impedimento que possa gerar ruído nessa comunicação.

Então, nesses momentos de escuta ativa, temos que deixar polarizações e julgamentos de lado e trabalhar com o contexto que está sendo apresentado.

Ainda que você já saiba do histórico do colaborador, dos problemas enfrentados, ouça o presente, sem julgar o passado.

Ouvinte praticando a escuta ativa, um componente chave na comunicação interpessoal.

Empatia é um exercício diário da escuta ativa

Empresas precisam de resultados. Estamos falando inevitavelmente do lucro como objetivo. Porém, não podemos nos ater a isso quando pessoas, com todas as suas emoções e complexidades, estão envolvidas no processo.

Por isso, ainda que colaboradores consigam se posicionar de forma muito profissional no ambiente de trabalho, não podemos esquecer que cada um tem uma vida fora dali.

Então, como disse antes, precisamos dar atenção às palavras escolhidas, ao tom e suas oscilações de voz, aos detalhes dos gestos, à apresentação pessoal (roupas, cuidados de higiene) e todos os fatores que envolvem o interlocutor.

  • Essa conversa tem tom de desabafo?
  • Será que pode ter um cansaço envolvido aí?
  • Esse colaborador está sobrecarregado (e há algo a ser feito nesse sentido)?
  • Como está a realidade dessa pessoa fora do trabalho?

Essas e muitas outras perguntas – INTERNAS, para você mesmo – podem ajudar gestores a entender o colaborador. Reforço: não é julgar, mas entender o contexto daquele momento da fala.

Pratique o debate saudável

Praticar o debate saudável e a escuta ativa é fundamental para uma comunicação eficaz e construtiva.

Quando nos envolvemos em discussões ou debates, é importante que estejamos dispostos a ouvir atentamente as opiniões dos outros, compreender seus pontos de vista e responder de maneira respeitosa e fundamentada. 

A escuta ativa é uma habilidade que envolve prestar atenção plena ao que o outro está dizendo, sem interrupções ou julgamentos precipitados.

No debate saudável, o objetivo principal não é vencer a discussão ou impor nossas próprias opiniões, mas sim buscar um entendimento mútuo, trocar ideias e enriquecer o conhecimento através da diversidade de perspectivas. 

Através da escuta ativa, podemos realmente compreender as preocupações, os valores e as experiências dos outros, o que nos permite construir argumentos mais sólidos e identificar pontos de convergência.

É natural que, ao dedicarmos nossa atenção a algo e absorvermos verdadeiramente o assunto, sintamos a necessidade de fazer perguntas para obter um entendimento mais profundo e ir além do que foi mencionado.

Online também tem jeito

Se estamos lidando com uma linguagem escrita, as perguntas acima também se aplicam, principalmente com relação à escolha das palavras, uso de caixa alta, pontuação etc.

Além disso, algo que também pode fazer gestores refletirem é o horário do envio de certas mensagens.

Tarde da noite, com a cabeça no travesseiro, podem vir muitas insatisfações, inseguranças e incômodos do dia a dia corporativo.

Diálogo entre duas pessoas, onde uma pratica a escuta ativa para compreender melhor o outro.

Essas angústias acabam motivando uma comunicação ao gestor. Pensar sobre isso é um passo para marcar um 1-1 e entender melhor o que pode estar acontecendo.

Até agora, exploramos até aqui como a escuta ativa é uma técnica fundamental de comunicação, que impulsiona o desenvolvimento pessoal, aprimora os relacionamentos interpessoais e desempenha um papel crucial na gestão de projetos profissionais.

Mas e o tempo para escutar ativamente?

A escuta ativa não precisa ser apenas em momentos “oficiais”, como durante uma sessão de feedback. É preciso ouvir ativamente nas conversas no corredor, na “passadinha” na sala ou numa ligação de 5 minutos.

Fato é que gestores precisam ter organização para estarem com seus times e criar tempo para ouvir demandas e necessidades. Escutar faz parte das soft skills tão fundamentais para o mundo corporativo atual.

A habilidade de ouvir é parte primordial do trabalho do gestor, e algumas dos benefícios da escuta ativa são:

  • Aumento da confiança mútua: quem pode se expressar direito tem mais liberdade para propor e executar ideias com mais autonomia.
  • Aumento da produtividade: falei de produtividade no primeiro parágrafo – quem é ouvido produz mais.
  • Redução de conflitos: comunicação assertiva previne diversos problemas no ambiente corporativo.
  • Integração do time: quem é ouvido reconhece que precisa saber escutar.
  • Redução de erros, retrabalho e, consequentemente, aumento de lucros.

Para quem tem dificuldade de ouvir e, mais, se concentrar numa conversa, existem diversos exercícios para desenvolver atenção plena – mindfulness –, como técnicas de respiração, meditação, entre outros. Pesquise e encontre o que pode te ajudar a focar – talvez este artigo sobre saúde mental ajude.

Mas é como disse mais acima: a escuta ativa é um exercício diário. Cada dia conseguimos ouvir mais e mais e, assim, aprender a tomar melhores decisões para o colaborador, o time e a empresa.

Veja também:

Quais são os 3 tipos de escuta ativa?

A escuta ativa é uma habilidade de comunicação essencial que pode ser categorizada em três tipos principais, cada um desempenhando um papel único na forma como processamos e respondemos às informações recebidas.

Escuta reflexiva

Este tipo de escuta envolve a absorção ativa do que está sendo dito e a reflexão sobre a mensagem do falante.

Aqui, o ouvinte não apenas ouve as palavras, mas também tenta entender o contexto emocional e psicológico por trás delas. 

A escuta reflexiva é muitas vezes caracterizada por parafrasear ou resumir o que foi dito, para garantir que o ouvinte compreendeu corretamente.

Profissionais engajados em uma apresentação, demonstrando a escuta ativa em um contexto de negócios.

Esta técnica é especialmente útil em conversas sensíveis ou complexas, onde entender a perspectiva e os sentimentos do outro é crucial.

Escuta empática

A escuta empática vai além do entendimento intelectual e se conecta emocionalmente com o falante. Neste tipo, o ouvinte se esforça para se colocar no lugar do outro, sentindo o que o falante sente e entendendo as coisas do ponto de vista dele. 

Ao fazer isso, o ouvinte cria uma conexão mais profunda e significativa, o que pode ser fundamental em situações de aconselhamento ou quando se lida com tópicos emocionais.

Escuta crítica

Este tipo de escuta é focado em avaliar e analisar a informação que está sendo compartilhada.

Ao praticar a escuta crítica, o ouvinte presta atenção não apenas ao conteúdo, mas também ao modo como a informação é apresentada, ao tom de voz e aos argumentos utilizados. 

É uma habilidade essencial em ambientes onde a tomada de decisão e a análise crítica são necessárias, como em reuniões de negócios ou discussões acadêmicas.

Saiba mais: Acesse nosso curso sobre Comunicação Eficaz

E conheça os conceitos e diferentes tipos de comunicação, assim como o poder da escuta ativa e as melhores técnicas para desenvolver a comunicação nas suas equipes. 

Como exercer a escuta ativa?

A escuta ativa envolve não apenas ouvir o que a outra pessoa está dizendo, mas também compreender plenamente suas palavras, captar suas emoções e demonstrar interesse genuíno.

Aqui estão algumas das melhores práticas e técnicas que podem ajudar a aprimorar a escuta ativa:

Esteja presente

dedique-se a estar totalmente presente no momento da conversa. Elimine distrações, como dispositivos eletrônicos, e concentre-se na pessoa que está falando.

Demonstrar interesse genuíno é fundamental para criar um ambiente propício à escuta ativa.

Mostre interesse e empatia

demonstre interesse sincero pelo que a outra pessoa está dizendo. Faça contato visual, acene com a cabeça e adote uma postura corporal aberta.

Mostre empatia, colocando-se no lugar do outro e tentando compreender suas perspectivas e sentimentos.

Ouça atentamente

escute com atenção às palavras e ao tom de voz da pessoa que está falando. Evite interromper ou planejar suas respostas enquanto a pessoa ainda está falando.

Dê a ela espaço para expressar seus pensamentos e sentimentos completamente.

Faça perguntas claras e relevantes

faça perguntas para esclarecer e aprofundar sua compreensão do que está sendo dito. Isso mostra que você está engajado e interessado em compreender plenamente as perspectivas do outro.

Evite perguntas tendenciosas ou que busquem apenas confirmar suas próprias opiniões.

Mulher praticando escuta ativa em uma discussão, enfatizando a importância da comunicação efetiva.

Pratique a escuta reflexiva

após a pessoa terminar de falar, reflita sobre o que foi dito antes de responder. Isso mostra respeito e consideração pelas palavras do outro.

Você pode repetir ou parafrasear partes importantes do que foi dito para garantir que compreendeu corretamente.

Controle suas próprias emoções

mantenha a calma e o controle emocional durante a conversa. Evite reações impulsivas ou defensivas que possam prejudicar a comunicação.

Porém, esteja aberto a ouvir opiniões diferentes e aceitar que nem sempre concordaremos com tudo.

Evite julgamentos precipitados

resista à tentação de fazer suposições ou julgar prematuramente a outra pessoa.

Aborde a conversa com uma mentalidade aberta, livre de preconceitos, e esteja disposto a considerar diferentes pontos de vista.

Pratique a empatia ativa

tente compreender as emoções por trás das palavras da pessoa. Esteja atento às suas expressões faciais, linguagem corporal e tom de voz.

Isso permitirá uma compreensão mais profunda e ajudará a construir uma conexão mais forte.

Evite interrupções

permita que a pessoa termine de falar antes de responder. Interromper constantemente pode criar barreiras à comunicação e demonstrar falta de respeito.

Dê espaço para que a outra pessoa se expresse completamente.

Seja consciente de seus vieses

reconheça seus próprios vieses e tendências ao ouvir. Esteja disposto a desafiar suas próprias crenças e suposições, abrindo-se para perspectivas diferentes.

Lembrando que o desenvolvimento da escuta ativa é um processo contínuo.

Quanto mais você praticar essas técnicas, mais eficaz será na arte de ouvir e na promoção de uma comunicação saudável e significativa.

Conclusão

A escuta ativa é uma ferramenta de comunicação inestimável, essencial para estabelecer relacionamentos fortes e eficazes, tanto no âmbito pessoal quanto no profissional.

Dominar as várias formas de escuta ativa – reflexiva, empática e crítica – enriquece as interações, facilita um melhor entendimento e reforça a empatia e o respeito mútuo. 

Ao praticar estas habilidades, não só melhoramos nossa capacidade de compreensão e resposta, mas também cultivamos um ambiente onde ideias e sentimentos são valorizados e considerados. 

desenvolvimento e treinamento de pessoas
Especialista em Educação Corporativa e Design de Experiências de Aprendizagem!
Assine a nossa Newsletter