Artigos

Como Estragar Um Bom Funcionário

Recebi recentemente um pedido bem inusitado, um Gerente de uma empresa pedindo para que eu escrevesse um texto que falasse em como estragar um bom funcionário, segundo ele já haviam muitos livros e textos por aí dizendo em como melhorar a performance, extrair o melhor do colaborador, valorizar seus pontos fortes, mas nada em como estragar.

Por isso escrevo esse texto para vocês, seguem algumas dicas que aconselho à vocês não seguirem:

1º) No recrutamento e na seleção prometa aquilo que sua empresa não pretende cumprir, ou não pode oferecer. Muitas empresas em seus processos de recrutamento e seleção enchem o possível novo colaborador de promessas, mais ou menos como candidato em época de eleição, e aí com o passar do tempo ele percebe a cilada que se meteu.

2º) Na contratação aproveite a necessidade do colaborador de conseguir um emprego e abaixe o máximo possível seu salário. É comum o responsável pela vaga depois de todas as promessas feitas na seleção, de oportunidades e benefícios, jogar um valor inicial bem baixo como proposta de salário. “Agora é isso que podemos pagar, mas em breve conversamos novamente.”. E esse breve durará meses ou até anos.

3º) No dia-a-dia falhe bastante na comunicação interna. Infelizmente na maioria das empresas a famosa rádio-corredor, ou rádio-peão é o maior canal de comunicação, isso acontece por direcionamentos confusos, gestões com relações ruins, falta de organização de processos, planejamento estratégico e alinhamento ruim da equipe com a missão e a visão organizacional, mas principalmente por algum despreparo ou falta de confiança nos liderados.

4º) Não tenha processos e fluxos de trabalho bem definidos. Não importando o tamanho da empresa os processos e fluxos das atividades são as orientações fundamentais para o colaborador, desenvolver fluxogramas dos processos, organograma, descrição de cargos, avaliações de desempenho entre outros, e estar em constante revisão desses, é fundamental para dizer o que sua empresa quer, e como deve ser feito.

5º) Não dê importância às relações pessoais no trabalho. Ainda hoje algumas empresas acreditam que: “Não precisa gostar do colega de trabalho”. Pois bem eu digo, precisa sim. A esmagadora maioria dos problemas no trabalho é originada num relacionamento ruim entre alguns membros, criando dentro da empresa lados e panelas, que se digladiam com ofensas verbais, piadinhas, apelidos gerando todo tipo de confusão até casos bem mais graves.

Bom são muitos os erros que uma empresa pode cometer, não promover ações de endomarketing, não fazer benchmarking com os seus concorrentes, adicione um pouquinho de cada um desses fatores, misture bem e está aí a receita para ter uma empresa repleta de bons funcionários “estragados”.

Leonardo Amorim – Consultor de Recursos Humanos na Heach Brazil, USA and Latin America e Professional Coach pela Academia Brasileira de Coaching.

Email: leonardoamorim.rh@gmail.com

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of