logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Saúde mental no ambiente de trabalho: o que é? qual é o impacto?

Sumário

Home > Artigos > Saúde e Segurança > Saúde mental no trabalho: A chave secreta para o sucesso empresarial

Saúde mental no trabalho: A chave secreta para o sucesso empresarial

Este artigo destaca a importância da saúde mental no ambiente de trabalho. Discute como promover o bem-estar mental pode melhorar a produtividade, a criatividade e contribuir para o sucesso geral da empresa.

Em um mundo onde as linhas entre trabalho e vida pessoal estão cada vez mais tênues, a saúde mental no ambiente de trabalho emergiu como um dos principais fatores que influenciam não apenas o bem-estar dos funcionários, mas também a saúde geral de uma organização. 

Reconhecer e abordar a saúde mental no local de trabalho não é mais um diferencial, mas uma necessidade urgente que pode determinar o sucesso ou o fracasso de uma empresa. 

Neste artigo, vamos mergulhar nas complexidades da saúde mental no ambiente corporativo, destacando sua importância crítica e as estratégias que as organizações podem adotar para cultivar um ambiente de trabalho onde os funcionários prosperem emocionalmente e contribuam para os objetivos da empresa de maneira sustentável. 

O que é a saúde mental no ambiente de trabalho?

YouTube video

A saúde mental no ambiente de trabalho refere-se ao estado psicológico e emocional dos funcionários em relação ao seu trabalho e local de trabalho. 

Ela abrange uma ampla gama de aspectos, incluindo o bem-estar geral dos empregados, a maneira como eles lidam com o estresse no trabalho, e como eles se sentem em relação à sua importância e segurança na organização.

Uma boa saúde mental no trabalho é caracterizada por funcionários que se sentem motivados, engajados e têm um bom equilíbrio entre vida profissional e pessoal. Isso se reflete em altos níveis de produtividade, criatividade e colaboração, além de baixas taxas de absenteísmo e rotatividade de funcionários.

Por outro lado, um ambiente de trabalho que não apoia a saúde mental pode levar a problemas como estresse crônico, esgotamento profissional (burnout), ansiedade e depressão. Isso não só afeta negativamente a pessoa, mas também pode ter um impacto considerável na eficácia da organização.

Banner artigo_Material-RH Humanizado

Qual a importância da saúde mental no trabalho?

A saúde mental e o bem-estar nas empresas vem ganhando cada vez mais espaço na lista de prioridades de grandes corporações.

Dessa forma, as empresas estão revendo suas prioridades e repensando suas estratégias com base nas tendências de bem-estar, com o intuito de preservar a saúde mental no ambiente de trabalho. 

Essa deve ser uma das prioridades das organizações para realizar ações de promoção ao bem-estar físico, mental e social dos colaboradores, dentro e fora da empresa.

O bem-estar corporativo precisa se tornar um dos índices de RH para medir a qualidade de vida e bem-estar dos funcionários. A empresa só tem a ganhar, com a diminuição do turnover e com o aumento da produtividade dos profissionais satisfeitos com a instituição.

De acordo com o médico e gestor em saúde Ricardo Pacheco agora é a hora de colocar em prática as ações que contribuem para o bem-estar físico, mental e social dos trabalhadores.

Um cérebro com um estetoscópio ao redor, representando a importância da saúde mental no ambiente de trabalho.
“Fazer desse ano que começou há pouco um novo ciclo para promover as melhorias necessárias que contribuem para o bem-estar é uma excelente forma de contribuir para o aumento da produtividade e diminuição dos afastamentos e absenteísmo. Pensar em bem-estar é considerar um estado de satisfação e conforto em que corpo e mente estejam em tranquilidade e sintonia. São sensações importantes para garantir a segurança e a saúde emocional das pessoas”, afirma o CEO da Oncare Saúde e presidente da ABRESST (Associação Brasileira de Empresas de Saúde e Segurança no Trabalho).

Bem-estar e saúde mental no trabalho é um conjunto de ações que garantem qualidade de vida aos colaboradores no ambiente corporativo.

E vai além: promover o bem-estar torna a equipe mais engajada e faz com que as atividades de rotina sejam executadas de forma mais assertiva, o que otimiza os processos.

A promoção da saúde mental no trabalho e do bem-estar acontece por meio de multiespecialidades que envolvem inclusive o serviço de saúde ocupacional, que ajudam a manter um time saudável e satisfeito no desempenho das suas funções.

“Quando uma empresa investe em bem-estar, ela ganha em organização, produtividade, resultados e, consequentemente, o sucesso da marca. O inverso acontece quando as pessoas não se sentem bem no ambiente de trabalho ou não sentem que suas necessidades estão sendo atendidas.

Em casos mais graves, cansaço e frustração podem evoluir para distúrbios emocionais relacionados ao trabalho, como depressão, Burnout, síndrome do Pânico e transtornos de ansiedade”, alerta o médico e CEO da Oncare Saúde.

Aprofunde-se na saúde mental no curso gratuito da Escola de Pessoas: Saúde Mental e Bem-estar e aprenda a importância de promover um ambiente de trabalho saúdavel.

O médico lembra que a estrutura física precisa ser observada para obter o bem-estar nas empresas. “O ambiente físico influencia na saúde emocional dos colaboradores e é por isso que a norma nº 17 da Portaria MTE/MPS nº 3.751 de 1990 dispõe sobre ergonomia. 

É importante planejar o ambiente de trabalho e investir, por exemplo, em cadeiras macias com encosto no ângulo adequado para coluna, ombros e braços; em mesas reguladas na altura ideal para manter a postura do colaborador e em um ambiente bem iluminado e com temperatura apropriada. O objetivo é reduzir danos evitando os riscos de acidentes, impactos e lesões por esforço repetitivo”.

Como a saúde mental pode afetar no ambiente de trabalho?

Mãos estendidas em um gesto de apoio, representando a ideia de oferecer ajuda às pessoas que lutam com problemas de saúde mental no ambiente de trabalho.

Sabemos que o bem-estar também está muito relacionado com saúde mental. O colaborador que não está com sua saúde mental comprometida é capaz de realizar suas atividades com envolvimento e eficiência e, assim, potencializar os resultados da empresa.

Um maior enfoque na saúde emocional vai beneficiar dos acionistas aos colaboradores. 

Por isso, segundo a pesquisa, o bem-estar emocional é prioridade para 97% das empresas, que já estão realizando algumas ações específicas. 

Elas incluem: promover soluções de cuidados virtuais; fazer uso de campanhas e comunicação para mudar a visão sobre problemas emocionais; medir o estresse da força de trabalho e suas principais causas; oferecer suporte emocional sobre luto; patrocinar grupos de empregados com foco em saúde mental, entre outras.

“O trabalhador tem que ser cuidado em todas as suas necessidades e, nesse sentido o serviço de saúde corporativa tem um papel fundamental, já que avalia mais que os riscos físicos, por meio de um serviço de psicologia consegue também avaliar os riscos de distúrbios mentais. O ser humano é complexo e a medicina no trabalho também precisa ser”, completa o médico e CEO da Oncare Saúde.

Alertas sobre saúde mental no trabalho

Além de criar campanhas focadas na promoção de bem-estar e saúde mental, é importante que a gestão fique de olho em alguns sinais que podem mostrar que o colaborador não está bem. 

Entre eles, podemos destacar:

  • queda na produtividade;
  • faltas e atrasos excessivos;
  • alterações repentinas de humor;
  • negatividade;
  • isolamento social;
  • apatia e fadiga;
  • procrastinação. 

Além desses sinais, algumas frases ditas pelos profissionais também podem ser interpretadas como pedidos de ajuda e problemas de autoestima. 

Confira as principais:

  • Eu não consigo / não dou conta;
  • Não estou me sentindo bem;
  • Não aguento mais fazer a mesma coisa;
  • Ninguém valoriza o meu trabalho;
  • É muita coisa ao mesmo tempo;
  • Fulano está contra mim.

Como cuidar da saúde mental no ambiente de trabalho?

Uma mulher em uma camisa branca sentada em uma mesa com as mãos em uma pose meditativa, cercada por mãos segurando uma prancheta e um laptop.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) o Brasil é o país mais depressivo da América Latina.  Ainda de acordo com a OMS, em 2016, 75 milhões de trabalhadores foram afastados de seus postos de trabalho pela doença em todo mundo.

Os problemas psicoemotivos são o segundo maior caso de abstenção no trabalho. Apesar de comuns, doenças como ansiedade, estresse e depressão, ainda são um tabu enfrentado em muitas pessoas. Alguns termos como “frescura”, infelizmente ainda são usados em situações deste tipo.

Diante de um quadro tão preocupante, essa realidade tem mudado o foco das medidas de prevenção e cuidados adotadas pelas empresas. Mais do que as condições das estações de trabalho, as atenções precisam se voltar para os aspectos mental e psicossocial que estão colaborando para o adoecimento profissional.

A inteligência emocional no ambiente de trabalho é um pilar fundamental para manter a saúde mental e promover uma cultura organizacional positiva. Funcionários com alta inteligência emocional são capazes de reconhecer suas próprias emoções e as dos outros, gerenciar reações eficazmente, demonstrar empatia e manter relações interpessoais saudáveis, mesmo sob pressão. 

Esta habilidade contribui significativamente para a saúde mental no trabalho, pois ajuda a mitigar o estresse, previne o esgotamento e promove um ambiente onde o suporte mútuo e a comunicação aberta são valorizados.

Uma das principais ferramentas de prevenção desses adoecimentos e acidentes de trabalho é a ergonomia, que algumas pessoas não sabem, mas vai muito além da aquisição de cadeiras e móveis adequados. 

Trata-se de um conjunto de conceitos e tecnologias para o ajuste do ambiente de trabalho para o ser humano para tornar mais confortável, produtiva e segura; sempre procurando adaptar a atividade profissional às pessoas. 

“A ergonomia busca tratar os aspectos físico, cognitivo e organizacional (mental e psicossocial), sendo esses dois últimos os que mais demandam atenção na atual realidade das organizações e relações de trabalho”, afirma o engenheiro Eduardo Marcatto, sócio fundador da ProdERGO, referência de mercado no desenvolvimento de Assessoria e Gestão em Ergonomia; Análise Ergonômica do Trabalho; Treinamentos e Palestras em Ergonomia; Fisioterapia e Ginástica Laboral.

Para o especialista, é preciso estabelecer programas de prevenção, além de estudar, identificar e encontrar sempre soluções junto aos trabalhadores para que eles convivam bem física e mentalmente no ambiente de trabalho. 

“As empresas estão investindo cada vez mais em programas de qualidade de vida e bem-estar a fim de proporcionar melhor desempenho e maior produtividade. Nesta hora entra a Ergonomia, que auxilia na conscientização dos funcionários e empregadores a respeito de riscos de saúde, através de soluções viáveis, tanto no custo como prazo acessível para que haja a transformação contínua e duradoura”, finaliza Marcatto.

Dicas para manter a saúde mental no ambiente de trabalho

Duas mãos se unindo em um gesto de apoio, transmitindo uma sensação de apoio e compreensão no ambiente de trabalho.

O estado emocional do seu chefe, as reuniões relâmpagos, a pressão diária, os próprios equipamentos que não funcionam e até a falta de retorno para a conclusão de suas atividades podem influenciar o estresse, fazendo com que perca a tranquilidade no ambiente de trabalho. 

Mas, esses momentos fazem parte do nosso dia a dia e o estresse torna-se um inimigo e perigoso a partir do momento em que afeta a saúde, além de influenciar na produtividade.

Para se fortalecer em situações estressantes e preservar a saúde mental no ambiente de trabalho, é importante respirar fundo, se concentrar, refletir e procurar sempre o lado positivo da situação. 

É preciso encarar as atividades do trabalho como um estímulo e passar por certas etapas é necessário para alcançar os objetivos e metas.

Como cuidar da saúde mental no ambiente de trabalho? 

Antes de mais nada, preciso aprender a administrar o seu tempo. Planejar o dia a dia de trabalho . Uma ferramenta utilizada no processo tem por objetivo fazer com que perceba quais são as principais tarefas, o que pode descartar e o que pode delegar, fazendo um melhor gerenciamento do tempo.

Outra dica é a comunicação: O diálogo sincero com o chefe e/ou colegas de trabalho é imprescindível. O diálogo tem que ser calmo e a comunicação limpa e esclarecida. Dessa forma, cria-se um espaço para conversar, tornando o ambiente mais harmonioso e o trabalho mais proveitoso.

Ter o controle das emoções para administrar conflitos futuros: A melhor maneira de controlar as emoções é agir racionalmente, do contrário agindo pela emoção e impulso as consequências serão prejudiciais para todos os envolvidos. 

Leia também:

E uma das ferramentas do coaching tem por objetivo ajudar a enxergar as limitações e ideias que levam aos conflitos e a falta de adaptação, trabalhando com crenças limitantes e o posicionamento dos valores facilita a desenvolver o autoconhecimento e consequentemente melhor controle emocional.

Dependendo do grau de estresse, quando chega à flor da pele é preciso controlar as emoções e deixar para outra ocasião qualquer atitude. Se o contato for inevitável, se prepare com a seguinte técnica de coaching – visualização por ensaio mental.

Antes de qualquer ação que pressinta ser estressante, reserve alguns minutos para você se preparar: Fique sozinho, respire fundo, feche os olhos e visualize você mais calmo e com a clareza de seus pensamentos. 

Agora visualize você depois desse momento, já houve a conversa e tudo ocorreu bem. Mentalize pensamentos positivos e relaxantes. Depois desse exercício mental você com certeza estará ainda mais preparado.


Lembre-se que as habilidades necessárias para ultrapassar barreiras estão todas dentro de você, é preciso apenas desenvolvê-las.

Como lidar com a ansiedade no ambiente de trabalho?

Duas pessoas em um ambiente de trabalho, uma sofrendo de estresse ou angústia, relevante para a saúde mental no ambiente de trabalho.

Atualmente, diversos profissionais se enxergam engolidos por uma rotina de prazos curtos, inúmeras tarefas e compromissos assumidos com chefes e clientes.

A sensação é de que o dia não tem o número de horas suficientes e nem todos lidam bem com tanta pressão: quando o indivíduo se dá conta, os pensamentos estão desorganizados, a agitação domina seu corpo e o peito parece apertado, sintomas típicos da ansiedade.

Entenda como ela funciona

Considerada como o mal do século XXI, a ansiedade causa bastante preocupação nas organizações: são cada vez mais comuns os exemplos de colaboradores que passam noites sem dormir, preocupados com a possibilidade de não conseguirem executar todas as tarefas, cumprirem todos os prazos e compromissos assumidos com chefes e clientes.

A sensação é a de que o dia não tem o número de horas suficientes e nem todos lidam bem com tanta pressão: quando o indivíduo se dá conta, os pensamentos estão desorganizados, a agitação domina seu corpo e o peito parece apertado, sintomas típicos da ansiedade.

Como complicador, ainda há a instabilidade do cenário econômico, que contribui para que a estabilidade no emprego se torne uma incerteza com a qual o trabalhador precisa lidar diariamente.

Algumas empresas já se atentam à necessidade de encontrar soluções, juntamente com seus colaboradores, porém, há o grande desafio detectar os ansiosos, já que estes sentem vergonha em falar sobre o seu caso. 

A falta de tratamento adequado pode desencadear na diminuição de seu desempenho e de rentabilidade para a companhia.

Identifique o problema

Em um momento tão complexo, os gestores de RH devem encontrar maneiras de identificar o problema sem a necessidade do colaborador se manifestar sobre o assunto. Para isso, é necessário manter olhos e ouvidos bem abertos e contar, inclusive, com a sensibilidade.

A pausa para o cafezinho, momento em que pessoas ficam relaxadas, pode se tornar uma oportunidade para entender os anseios e pensamentos dos colaboradores.

Já existem empresas que trabalham na prevenção da ansiedade, incentivando seus funcionários a aderirem a programas de lazer e relaxamento, como a prática de atividades físicas, inclusive, no local de trabalho.

Também há exemplos de organizações que procuram proporcionar ao colaborador um ambiente mais leve, o que traz a sensação de segurança e bem estar, essenciais para diminuir a pressão e, consequentemente, a ansiedade.

Meios para evitar a cultura organizacional tóxica 

Pessoa em camisa azul com a cabeça nas mãos, sentada em frente a outra pessoa em camisa cinza em um ambiente de trabalho.

É muito importante que as lideranças estejam atentas para evitar reproduzir uma cultura organizacional tóxica, que pressiona o colaborador e o trata com desrespeito. 

Um estudo publicado na MIT Sloan Management Review (revista especializada norte-americana) mostra que 20% das demissões voluntárias são causadas por causa da cultura tóxica da empresa. 

Por isso, é importante manter algumas atitudes, como: 

  • Respeitar os funcionários; 
  • Não cobrar metas absurdas;
  • Abrir espaço para opiniões divergentes; 
  • Dar feedbacks construtivos; 
  • Fornecer equipamentos adequados.

Por fim, a experiência de trabalhar na empresa deve ser positiva. Com certeza, corre-se o risco da demissão voluntária, afinal, todos desejamos novos desafios profissionais, porém é importante zelar pela experiência positiva de cada profissional. 

A ausência desse foco gera, muitas vezes, o “quiet quitting”, que pode ser classificado como o não engajamento do funcionário que não pede demissão, mas também não se sente motivado para crescer na empresa nem entregar melhores resultados. Assim, este profissional faz o mínimo necessário. 

Uma empresa que tem uma política de feedback irá identificar esse comportamento e procurar meios para solucioná-lo junto com o trabalhador. 

10 frases sobre Saúde Mental no trabalho

YouTube video

Agora, leia frases de grandes pensadores e se inspire para criar a sua campanha:

  1. “A maior arma contra o estresse é nossa habilidade de escolher um pensamento ao invés de outro.” William James
  2. “Quanto mais relaxado você estiver, melhor você será em tudo. Melhor você será com aqueles que ama, melhor você será com seus inimigos, melhor você será no seu trabalho, melhor você será com você mesmo.” Bill Murray
  3. “Quase tudo volta a funcionar se você desligar por alguns minutos… Incluindo você mesmo.” Anne Lamott
  4. “Nossa ansiedade não vem do pensamento sobre o futuro, mas sobre a vontade de controlá-lo.” Kahlil Gibran
  5. “Não antecipe os problemas ou se preocupe com o que pode nunca acontecer.” Benjamin Franklin
  6. “Não faz sentido olhar para trás e pensar: devia ter feito isso ou aquilo, devia ter estado lá. Isso não importa. Vamos inventar o amanhã e parar de nos preocupar com o passado.” Steve Jobs
  7. “Depressão é uma condição médica. Precisamos criar um mundo em que as pessoas se sintam à vontade em procurar cuidar de suas mentes, assim como de seus corpos.” Adam Grant
  8. “Tenha em mente que seu foco determina a sua realidade.” Daniel Goleman
  9. “Aquilo que você mais teme não tem poder. Seu medo é que tem poder.” Oprah Winfrey
  10. “Viva um dia de cada vez e cuide da sua saúde mental como cuidaria de um recém-nascido.” Karyne Santiago

Essas frases sobre saúde mental no trabalho podem ajudar o RH a inspirar e motivar o time, contribuindo para que os colaboradores se sintam mais reconhecidos e valorizados, o que pode ajudar a promover um ambiente muito mais harmonioso e saudável. 

Conclusão

A saúde mental no trabalho é indiscutivelmente uma das chaves secretas para o sucesso empresarial. 

Ao cultivar um ambiente de trabalho que valoriza e apoia a saúde mental dos funcionários, as empresas não apenas promovem o bem-estar de sua força de trabalho, mas também impulsionam a produtividade, a criatividade e a inovação. 

Investir na saúde mental é um investimento no capital humano da empresa, que se traduz em maior satisfação no trabalho, retenção de talentos e, finalmente, resultados de negócios mais robustos. 

Portanto, a atenção à saúde mental no local de trabalho não deve ser vista como um custo adicional, mas como um componente essencial e estratégico para o crescimento e as prosperidades no longo prazo de qualquer organização.

Assine a nossa Newsletter