Artigos

Como ter um ambiente corporativo sustentável?

Estamos diante de um momento crítico para o planeta Terra, numa época em que a humanidade deve escolher como irá planejar seu futuro. À medida que o mundo se torna cada vez mais interdependente, conectado e as empresas cada vez mais avançam em tecnologia, o meio-ambiente tem se tornado cada vez mais frágil.

Assim, o futuro do planeta enfrenta grandes perigos em sua biodiversidade e grandes promessas. Para seguir adiante, devemos reconhecer que no meio de uma magnífica diversidade de culturas e formas de vida, somos uma humanidade com um destino comum, seja morar num espaço rural, em imóveis na grande cidade ou numa praia mais deserta.

Com base nesse pensamento, muitas empresas hoje têm se posicionado no sentido de somar forças para gerar uma sociedade sustentável global baseada no respeito pela natureza, nos direitos humanos universais, na justiça econômica e numa cultura da paz. Para chegar a esse propósito, têm desenvolvido projetos focados em sustentabilidade, de modo a garantir a qualidade de vida das futuras gerações.

Entenda o que é sustentabilidade

Em linhas gerais, sustentabilidade é o nome dado à perspectiva de equilíbrio no campo da sobrevivência. O termo vem da biologia e se direciona para a manutenção da biodiversidade. A ecologia acolheu a palavra para aplicá-la a questões locais (como a preservação de espécies em extinção), a questões regionais (como os biomas), e a questões planetárias (como o aquecimento global), colocando em foco o cuidado com os ecossistemas e a preservação do planeta para as futuras gerações.

Isso vem romper com o modelo de produção que até então muitas empresas adotavam, especialmente aquelas que já possuem uma solidez de marca, tendo sido fundadas há mais de um século, ou que estão presentes globalmente, desempenhando algum tipo de impacto ao planeta por meio dos seus processos de industrialização, armazenamento de insumos ou descarte de produtos.

O fato é que, ao longo de décadas, o mundo corporativo foi marcado por uma infeliz linguagem marcada por um estilo dominador e não dialogal de olhar e tomar a natureza como algo à sua disposição, de livre exploração. E isso tudo vem trazendo um impacto perigoso à natureza.

Sustentabilidade e responsabilidade social das empresas

Responsabilidade Social é um termo amplo, podendo estar relacionado à responsabilidade legal, à ética ou ainda a ações sociais voluntárias realizadas pelas empresas.

Esta prática surgiu por meio de vários acontecimentos importantes no mundo todo, dentre os quais:

  • a Constituição de Weimar, em 1929 na Alemanha, que lançou a idéia de “função social da propriedade”;
  • os movimentos pela Responsabilidade Social, iniciados nos Estados Unidos em 1960;
  • o Código de conduta proposto pela ONU em 1972, proposto às empresas transnacionais; o surgimento dos balanços sociais;
  • a realização da Eco 92 de onde surgiu a Agenda 21 (documento que propõe mudanças nos padrões de desenvolvimento) e a ISO 14000 (que trata da questão ambiental);
  • a criação do índice Dow Jones Sustainability Index, em 1999 nos Estados Unidos, que define a sustentabilidade de acordo com critérios econômicos, sociais e ambientais;
  • a criação e o desenvolvimento do instituto Ethos de Responsabilidade Social.

Tais iniciativas e discussões foram adotadas por empresários que viram que uma mudança no modo de gestão que se voltasse a questões éticas e sociais e à divulgação destas práticas seria um modo eficaz para tornar positiva sua imagem diante de todos os agentes relacionados à empresa, bem como a sociedade como um todo.

E se engana quem pensa que ações em prol do meio ambiente devem ser tomadas somente por grandes corporações e indústrias posicionadas de maneira multinacional. As pequenas empresas e simples escritórios de trabalho também podem prezar por cuidados com o meio ambiente e cuidados com o planeta, por meio de simples ações que podem ajuda-las a desenvolver um ambiente corporativo sustentável.

Quais os reflexos de um ambiente corporativo sustentável?

Nos últimos anos, práticas de sustentabilidade e de responsabilidade social tornaram-se estratégias para melhorar o desempenho empresarial e os empresários estão cada vez mais atentos a isso.

As empresas socialmente responsáveis tem buscado participar de projetos comunitários, de parcerias educacionais, de programas de preservação ambiental e de conservação de patrimônios públicos. Além disso, fabricam cada vez mais produtos focados em qualidade e seguros, visando prestar bons serviços, pois isto significa respeito ao consumidor e ao planeta.

Essas ações englobam, ainda, promover um equilíbrio maior entre a vida profissional, familiar e social de seus empregados, estando atentos em agir com igualdade entre todos, promovendo um ambiente de trabalho seguro e, quando possível, possibilitando algum tipo de ação com participação nos lucros.

Os benefícios deste modelo de gestão incidem sobre a comunidade local, numa integração entre a empresa e o lugar onde está instalada. A contribuição da empresa para a comunidade na qual se encontra consiste na geração de empregos, pagamento de impostos e toda eventual iniciativa que venha a tomar, como uma parceria com a prefeitura para criar uma creche, por exemplo.

Como ter um ambiente corporativo sustentável, na prática?

Na prática, ser sustentável e responsável socialmente não é difícil. Esse tipo de ação pode representar muito para o planeta e para a vida das pessoas. Quem tem uma sala comercial em Belo Horizonte, por menor que ela seja, pode, por exemplo, separar o lixo reciclável do orgânico.

Outra ação é evitar gastar papel demasiadamente, evitando impressões de cópias de arquivos desnecessariamente. A empresa também pode trocar lâmpadas incandescentes e fluorescentes pelas de LED (apesar de serem mais caras, elas duram muito mais e geram redução de pelo menos 90% na conta de luz.

Além disso, funcionários podem ser convidados a desligar o monitor do computador quando ele não estiver sendo utilizando – este é o responsável pela maior parte do consumo de energia em um computador.

Pode-se também se atentar ao uso de ar-condicionado, desligando-o antes da hora do almoço e num período que anteceda o fim do expediente. Além do mais, optar por modelos com selos de eficiência em consumo de energia pode ser outra ação que impacta positivamente no meio-ambiente.

Outras medidas ainda importantes: não usar copos descartáveis, carona consciente entre funcionários que moram próximos, ter plantas nos ambientes de trabalho, realizar reuniões por vídeo-conferência, investir em home-office, engajar funcionários em ações para melhorias na comunidade local.

Por: Milena

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of