logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Competência: O que é, o que analisar e o que não pode faltar

Sumário

Home > Artigos > Gestão de Pessoas > Competência: O que é, o que analisar e o que não pode faltar

Competência: O que é, o que analisar e o que não pode faltar

Entenda o conceito de competência, como aplicá-lo e o quais não podem faltar para a gestão de um líder de sucesso.

Tornar-se competitivo no mercado de trabalho está relacionado diretamente à atualização profissional que resulta em competências.

O profissional de hoje não basta só ter capacidades técnicas, tem que saber liderar pessoas, ter uma boa comunicação oral e escrita, ser político, ter um bom marketing pessoal e uma boa oratória.

Porém, nenhuma dessas habilidades se valem se ele não tiver competência para executar. Por isso, neste post apresentaremos tudo o que é preciso saber sobre o tema e, claro, o que um bom profissional precisa ter.

Vamos começar?

Qual é a definição de competência?

YouTube video

A palavra competência, no fim da Idade Média, era associada à linguagem jurídica e dizia respeito à faculdade atribuída a alguém ou a uma instituição para apreciar e julgar certas questões.

Porém, o termo passou a designar o reconhecimento social sobre a capacidade de alguém se pronunciar a respeito de determinado assunto e, mais tarde, passou a ser usado para qualificar o indivíduo capaz de realizar determinado trabalho.

De maneira geral, competência pode ser baseado em três dimensões:

Banner artigo_Material-O Novo RH
  • Conhecimento que envolve informação, sabedoria (saber o quê, saber o porquê);
  • Habilidade que relacionadas a técnica, capacidade – saber como;
  • Atitude envolve a identidade, determinação – querer fazer.

Portanto, podemos dizer que competência se resume a um conjunto de habilidades e conhecimentos que se relacionam e que podem ser desenvolvidos a partir da experiência ou treinamentos.

Diferença de competências e habilidades:

É comum ver muitas pessoas considerarem o termo habilidade como um sinônimo de competências, porém, essa definição está errada.

A habilidade são as qualidades que uma pessoa tem para fazer alguma atividade, ou seja, são características que podem contribuir para que alguém se torne um bom profissional, venha a ter sucesso em uma organização.

Assim, ter a habilidade para atuar em determinada função, não quer dizer que o profissional é competente. Entretanto, para ser competente, é necessário já ter algumas habilidades.

O que analisar no perfil profissional com base nas competências e habilidades?

O que analisar no perfil profissional com base nas competências e habilidades?

O aumento da competitividade em todos os segmentos da economia numa escala global está fazendo com que as pessoas ocupem um lugar de destaque dentre os fatores diferenciais que distinguem as empresas competitivas das demais, já que o sucesso está baseado em:

  • Desempenho profissional;
  • Competências;
  • Habilidades.

Ao analisar um perfil profissional tomando como base a competência, habilidades e atribuições do cargo, levamos em consideração:

  • O grau de contribuição de cada empregado;
  • Oferecer oportunidades para que o potencial individual se manifeste;
  • Descobrir talentos e potencialidades, verificando os que têm condições de assumir outras funções / responsabilidades de maior conteúdo;
  • Identificar os que necessitam de treinamento e aperfeiçoamento em suas habilidades e/ ou competências para execução ótima de seu trabalho e de suas tarefas;
  • Oferecer oportunidades para que os empregados conheçam seus pontos fortes e fracos e se sintam estimulados a corrigi-los e melhorar o seu desempenho;
  • Elaborar planos de ação para desempenhos insatisfatórios.

Como escolher um profissional com base nas competências e habilidades?

Escolha uma metodologia:

Para aplicação desta ferramenta, a primeira coisa que deve ser feita é a adoção de uma metodologia que se inicia com um detalhado diagnóstico da situação atual, na qual são identificadas:

  • As características organizacionais e funcionais da organização;
  • Aspectos facilitadores e dificultadores do processo em foco;
  • Rotinas de trabalho;
  • Balanceamento “atribuições x quadro de pessoal.

Depois desta análise, já se torna mais “simples” definir as habilidades e competências que serão avaliadas no processo.

Faça uma pesquisa de campo:

Na sequência, a próxima etapa deverá servir para a operacionalização dos levantamentos, por meio de:

  • Questionários;
  • Observações no local de trabalho;
  • Entrevistas individuais;
  • Tarefas executadas;
  • Habilidades e competências dos ocupantes dos cargos.

A partir disso, você consegue realizar o comparativo das competências e habilidades identificadas com os paradigmas definidos para execução com alto desempenho das atribuições dos cargos.

Faça comparativos:

Faça comparativos: fazer a avaliação das divergências encontradas entre o cargo x funções e perfil atual do ocupante do cargo em relação ao perfil desejado.

Chegou o momento de fazer a avaliação das divergências encontradas entre o cargo x funções e perfil atual do ocupante do cargo em relação ao perfil desejado.

Entendendo o que está errado, é possível elaborar um plano de ação de melhoria com foco em:

  • Desenvolvimento;
  • Qualificação;
  • Motivação das pessoas.

Em alguns casos, a empresa realiza uma ampliação para um plano de renovação do quadro em posições estratégicas consideradas mais deficientes.

Faça a implementação e acompanhe os resultados:

Por fim, a última etapa deve incluir a implantação e o acompanhamento das ações planejadas e os ajustes necessários para que a empresa consiga atingir os objetivos, de acordo com o cronograma e condicionantes previamente definidos e aprovados.

Ao aplicar essa metodologia, entre as vantagens que a organização pode obter é:

  • Melhoria na qualidade da gestão, que poderá ser obtida com o aprimoramento dos instrumentos de administração e controle de seus Recursos Humanos, direcionando-as para o atendimento das metas planejadas pela Organização;
  • Aumento da eficácia dos empregados na execução de suas atividades e no cumprimento de suas metas.

Lista de competências que todo líder de sucesso deve ter?

Agora que sabemos como alinhar os profissionais as suas devidas competências no trabalho, vamos entender quais competências todo líder de sucesso precisa ter para ajudar a organização a se tornar produtiva e alcançar seus respectivos resultados:

1 – Flexibilidade:

Diante das mudanças que têm sido tão frequentes, a flexibilidade é um aspecto muito importante no perfil de um líder. Afinal de contas, a rotina de uma organização precisa lidar com:

  • O avanço tecnológico e a competitividade;
  • Diversidade de gerações;
  • Colaboradores com idade e níveis de maturidade diferentes.

Há uma enorme necessidade de flexibilidade do líder para se adaptar às mudanças e para desenvolver habilidades e sensibilidade para atender às diversas demandas geradas pelos fatores acima citados.

2 – Inovação:

Inovação: A inovação está totalmente relacionada à criatividade responsável.

A inovação está totalmente relacionada à criatividade responsável.

Um líder eficaz precisa ter capacidade de criar, quando necessário, meios de solucionar problemas de forma ágil, porém, de acordo com a política da organização.

Ou seja, inovar vai além de se criar um novo produto ou serviço para atender à demanda do mercado. Podemos inovar em qualquer situação. A cada momento de decisão a respeito de um problema, o líder tem a oportunidade de inovar.

É muito importante que haja neste processo um comportamento ético, que consiste em considerar os princípios da organização, mantendo assim um bom exemplo para os liderados.

Leia também:

3 – Foco nas pessoas:

Uma das mudanças de paradigmas detectadas nos últimos tempos é o foco nas pessoas. Um líder eficaz precisa ter consciência de que os resultados são gerados pelas pessoas, por isso é tão importante priorizá-las.

Quando falo de priorizar as pessoas, não me refiro a fazer tudo o que os liderados querem. Refiro-me a:

  • Se preocupar com a qualidade de vida das pessoas no trabalho;
  • A motivação para que gerem melhores resultados;
  • Preocupar-se em proporcionar a elas as condições necessárias para realizar seu trabalho;
  • A qualidade da comunicação entre o líder eficaz e seus liderados.

Estes princípios básicos têm maior valor para a maioria das pessoas do que os melhores salários do mercado em que estão inseridas. Mantê-los pode contribuir para que as equipes gerem excelentes resultados.

Saiba mais: Aprenda quais são as competências profissionais fundamentais que capacitam os indivíduos a enfrentar os desafios contemporâneos.

Clique aqui e faça nosso curso gratuito.

4 – Perspectiva de futuro:

Quando um líder tem perspectiva de futuro ele toma decisões de acordo com o planejamento estratégico da empresa. Seu foco não é apenas a curto prazo.

Ele influencia seus liderados a gerarem resultados que atendem às necessidades no presente e que contribuam para o alcance dos objetivos futuros.

Isto também consiste em trabalhar de acordo com os princípios e valores da organização, para que os processos sejam mantidos de forma organizada e assim, não comprometam o crescimento da empresa.

5 – Inspirar confiança:

Inspirar confiança: A credibilidade de um líder eficaz diante de seus liderados é algo inegociável

A credibilidade de um líder eficaz diante de seus liderados é algo inegociável, pois tem ligação direta aos resultados da equipe.

Se um líder conseguir manter este pensamento em momentos de alta pressão, provavelmente ele ouvirá seus liderados e tomará decisões mais sábias que, consequentemente, gerarão melhores resultados.

Geralmente, quando um líder traz uma situação-problema e apresenta ao seu líder para decidir o que fazer, ele já pensou sobre as possíveis soluções para este problema.

Por isso, vale a pena escutá-lo e até perguntar: Qual sua sugestão a respeito da solução? A resposta pode ser surpreendente.

6 – Ter opinião própria:

Ter opinião própria, não quer dizer que age com base em seus próprios interesses. Um líder eficaz:

  • Veste a camisa da empresa;
  • Conhece seus valores, missão, visão, princípios;
  • Tem convicção do que pode ou não ser feito diante de determinada decisão a tomar.
  • Tem firmeza em suas declarações. Prepara-se, quando possível, para argumentar diante dos liderados e influenciá-los;
  • Quando questionado de forma incisiva, sabe os limites de suas respostas de acordo com os objetivos traçados pela empresa e por ele, diante do planejamento estratégico da mesma.

7 – Fazer a coisa certa:

Quando falamos de eficácia, estamos falando de resultados. Um líder eficaz toma a decisão certa, com foco no resultado desejado. Sua postura, sua conduta, seus ensinamentos e a influência que exerce sobre os liderados se fortalecem cada vez que os resultados do seu trabalho e da sua equipe se apresentam.

Fazer a coisa certa faz de você um líder eficaz diante das pessoas às quais você exerce influência sobre elas.

Ser um líder eficaz é resultado de:

  • Determinação;
  • Compromisso;
  • Foco;
  • Conhecimento;
  • Habilidade de comunicação.

Conclusão

As competências no ambiente profissional vão além das habilidades técnicas, abrangendo a capacidade de integrar conhecimentos, habilidades e atitudes para alcançar resultados eficazes.

Ao adotar essa abordagem, as empresas podem não apenas recrutar talentos que atendam às demandas específicas do cargo, mas também promover uma cultura organizacional que valoriza o desenvolvimento contínuo e a colaboração.

Por fim, para um líder de sucesso, é fundamental o desenvolvimento de competências que mantém a coletividade, influência na inovação e esteja sempre aberto ao diálogo.

Essas competências não apenas impulsionam o desempenho individual, mas também contribuem para o crescimento e sucesso duradouro das equipes e organizações.

Assine a nossa Newsletter