Artigos

Competências Profissionais e a Empregabilidade

Competências Profissionais e a Empregabilidade

*Naraline M. Machado
**Lucineide Cruz

Tornar-se competitivo no mercado de trabalho é relacionado diretamente à atualização profissional que resulta em competências. Corresponde ao desenvolvimento do profissional intelectual e emocional, podendo ser adquiridas por estudos, treinamentos vivência de empregos anteriores e no próprio dia a dia. O profissional de hoje não basta só ter capacidades técnicas, tem que saber liderar pessoas, ter uma boa comunicação oral e escrita, ser político, ter um bom marketing pessoal, uma boa oratória e saber utilizar os recursos tecnológicos.

De acordo com Minarelli (2011, p. 30) “Competência é o resultado da capacitação profissional. Com ela você compete no mercado. É o resultado dos conhecimentos adquiridos, das habilidades físicas e mentais, do jeito de atuar e das experiências. É desenvolvida pela formação escolar, pelos treinamentos recebidos pelo autodidatismo e pela vivencia cotidiana”.

Em conformidade com essa visão de Minarelli (2010), para ser competente é preciso mais do que fazer seu trabalho, é necessário propor sugestões inovadoras e criativas; mudar de emprego se ele não estiver alinhado ao seu foco e preparar-se sempre, nunca ficar parando no tempo.
Já McClelland, Boyatzis (1982 apud Dutra, 2011), resume competência como um aglomerado de conhecimento onde as habilidades e atitudes vão estar relacionadas afetando as responsabilidades, correlacionando com desempenho e podendo ser melhorado através de treinamento.
Segundo Arnau, (2015), o primordial das competências é a sua funcionalidade diante das novas situações impostas e desconhecidas, portanto o currículo fundamentado em competências representa a formação do profissional, pois as competências que ele traz à organização podem ser utilizada em casos reais de forma inovadora.
Segundo os autores já mencionados esse pilar da empregabilidade é composto dos conhecimentos que o profissional traz em conjunto com as habilidades adquiridas e desenvolvidas por meio de treinamentos com base nos conhecimentos teóricos pois o mercado está em constante mudança. É importante reconhecer que hoje se tem uma troca entre o profissional e a empresa e as habilidades e conhecimentos ajudam na hora de se contratado porem as competências comportamentais faz com que os formandos subam degraus dentro das organizações.

Idoneidade

A idoneidade vai além da capacitação, aptidão, habilidades e méritos que um profissional tem que ter; é relativo ao caráter, à índole, à honestidade, a credibilidade conquistada. De acordo com Hilsdorf (2015), o caráter da pessoa não é um fator que possa ser moldado ou treinado, diante disso escolher bem com quem se trabalha é conhecer a trajetória profissional, a credibilidade que o profissional tem no mercado de trabalho.
A idoneidade de um profissional é extremamente relevante para sua carreira, pode-se verificar na pesquisa Profissionais Brasileiro Catho (2014), que a checagem das referências nas redes sociais vem crescendo no decorrer dos anos em 2013 era de 23,5%, já em 2014 teve um crescimento relevante 16,5% em relação ao ano anterior chegando a 40%.
Vale ressaltar que no mesmo período a checagem convencional das referências profissionais que eram feitas por telefone teve uma queda de 2,7%, os dados mostram que em 2013 foram 71,6%, já no ano de 2014 caiu para 68,9%. As mudanças tecnológicas mudaram a forma das organizações fazer a checagem das referências, hoje se utiliza além do telefone os meios digitais, porém não mudam a visão do empregador uma vez que as referências decorrem de um trabalho bem feito e de uma conduta correta exemplar. “[…] o relacionamento transparente só se torna viável se cada parte desenvolver absoluta confiança nas intenções da outra. Essa confiança é constituída na honestidade com que as partes se condizem no processo”. (DUTRA, 2011, p. 106).

Porém essa realidade não é apenas para o candidato que está concorrendo a uma vaga, essas mesmas referências são checadas quando se vai contratar um serviço, isso quer dizer que a idoneidade das empresas também é importante.

De acordo com Minarelli (2011, p. 33) “Alguém só é contratado ser for idôneo; só será recomendado se for honesto; só será apresentado, elogiado ou convidado se for correto, confiável. Esta é uma questão que não se admite meio-termo. Ou o profissional é correto, idôneo, honesto ou não é”.

Neste contexto à honestidade entra como uma vantagem competitiva, é importante prometer o que se pode cumprir. Nessa mesma pesquisa as organizações pautaram em primeiro lugar o fato do profissional mentir sobre experiências profissionais e formação acadêmica com a média de 4,3%, ou seja, a idoneidade é um fator primordial para se manter a empregabilidade, seja para o profissional ou para o empreendedor.

Saúde Física, Mental e Espiritual

No contexto atual o homem passa maior parte do seu tempo dentro das organizações, isso é fato, já que precisamos disso para sobreviver; entretanto não pode esquecer-se dos cuidados com a saúde. Com saúde se vive e trabalha muito melhor, esse pilar da empregabilidade de acordo com Minarelli (2011, p.54) “[…] é o equilíbrio entre o trabalho e o lazer, entre a obrigação e a diversão, entre o papel profissional e os demais papéis”.
O equilíbrio entre trabalho e a vida pessoal influencia na qualidade de vida das pessoas, o profissional precisa estar bem fisicamente, equilibrado emocionalmente para desempenhar bem seu trabalho, prezar por este equilíbrio ajudará a manter a empregabilidade. Conforme pesquisa Profissionais Brasileiro Catho (2014), 52,9% dos entrevistados valoriza a qualidade de vida como fator importante na hora de se decidir por um trabalho.
De acordo com Minarelli (2011), o equilíbrio entre o trabalho e o lazer e os demais papéis da vida são interligados, essa ligação produz uma mente saudável, saber separar o trabalho da vida pessoal traz um equilíbrio que torna as atividades cotidianas mais leves para serem realizadas, pois o trabalho compõe um dos ambientes mais próximos ao homem e cada vez se trabalha mais,
Nesta mesma linha de pensamento, Maximiano (2006), afirma que: é preciso fazer mais, com menos recursos, a ponto de uma pessoa dedicar o equivalente a um terço de sua vida ativa no desempenho de alguma função econômica, o trabalho em si, seu espaço e o modo como está organizado, interfere diretamente sobre a saúde de quem o executa.
Ainda neste pilar da empregabilidade, pode-se ressaltar a importância das atividades físicas para o profissional, porque a prática de exercícios traz disposição para realização das tarefas do cotidiano, melhorando o seu desenvolvimento físico e intelectual. Segundo Hilsdorf (2015), aprender e colocar em prática novos comportamentos sejam eles físicos ou intelectuais alteram gradativamente nossa personalidade, proporcionando novas realidades.

Dentro deste contexto de mente saudável, a espiritualidade está cada vez mais presente na vida do profissional e nas organizações, pois as que se preocupam com isso, buscam uma satisfação maior dos seus profissionais. Está ligada a missão da empresa, ou seja, aquilo que não pode ser tocado, porém pode ser alcançado e sentido pela emoção. A espiritualidade transcende o material, vai além. Segundo Hilsdorf (2015), ela traz uma satisfação pessoal que só pode ser alcançada interiormente e de forma individual com serenidade e paciência, porém esse equilíbrio é externado com atitudes positiva.

Reserva Financeira

A reserva financeira feita durante o período que se tem emprego auxiliará no momento oportuno, é necessário adaptar-se a realidade do seu padrão financeiro. O consumo tem que ser menor do que do que se ganha possibilitando a reserva financeira. Isso permitirá a realização de cursos e especializações que contribuirão para recolocação do profissional no mercado de trabalho.
De acordo com Minarelli (2011, p. 59) “A perda do emprego significa a perda da entrada de receita, um hiato no seu orçamento. O Profissional equilibrado deve fazer uma reserva mês a mês”, pois nunca se sabe quando será enfrentado situações difíceis como uma demissão inesperada ou um problema de saúde.
Segundo Hilsdorf (2015, p.89) ”[..] justamente porque o futuro é incerto precisamos planejar. Não planejamos para prever o futuro; planejamos para construi- lo e estamos preparados para os diferentes cenários[…]”. A reserva financeira é conexa ao planejamento e a visão do futuro podendo assim preparar-se para incertezas, pois mudanças inesperadas podem acontecer no decorrer do caminho, e assim quem se planeja tem mais chance de supera-la.

Para Minarelli (2011, p.40) “Quem depende do salário do mês para viver estar sujeito a enfrentar situações difíceis, como correr risco de perde o emprego evitar que sua dignidade seja afrontada ou ter seus princípios transgredidos. É possível, também, que o profissional precisa ter uma reserva que o sustente diante de qualquer contratempo. Essa poupança pode ser administrada como um item a mais no orçamento”.

De acordo Marianca e Brissac (2010), se o profissional não fizer uma reserva financeira terá que aceitar qualquer trabalho e não o que mais se ajusta as suas competências e suas expectativas, podendo entrar em pânico ao perceber que o fundo de garantia está sumindo em pouco tempo.
Observa-se que de acordo com autores citados a reserva financeira traz tranquilidade, mesmo ocorrendo situações inesperadas o profissional que se planeja consegue manter o equilíbrio financeiro e emocional, podendo analisar melhor as propostas ofertadas no mercado de trabalho.

Relacionamentos

Ter uma boa rede de relacionamento é importante para todo profissional seja ele já conceituado no mercado ou um recém formando que busca o seu lugar no mercado de trabalho, porque esses contatos se bem cuidados pode abrir portas no mercado de trabalho.

Quanto mais pessoas conhecer, mais chance terá de obter informações e acesso à oportunidade de empregos e negócios. Segundo Minarelli (2010), é impercebível o valor dos relacionamentos e deixamos assim de cuidar e dedicar-se a eles.
É necessário ter atenção e cuidado com os relacionamentos, para que possam ser acessados quando for preciso. Conforme pesquisa CATHO, o networking, ou seja, a indicação é o principal meio das pessoas buscarem uma colocação no mercado de trabalho, ao analisarmos os dados podemos observar que os homens utilizam 49% e as mulheres 46,2%, dessa ferramenta.
De acordo com divulgado nesta mesma pesquisa, a chance de ser chamado para uma entrevista através de uma indicação é de 45% e as chances de ser contratado neste mesmo contexto é de 47,9%. Conforme visto ter bons relacionamentos é um tipo de capital social, pois solucionam problemas que o dinheiro nem sempre resolve.

Para Dutra (2011, p.86) “O meio mais importante de acesso das pessoas ao mercado é o uso de sua rede de relacionamentos[…]. Desenvolver um foco preciso sobre o que queremos não é uma tarefa simples, mas muitas vezes nossa rede de relacionamento ajuda-nos muito nesse sentido. É mais fácil também se temos um projeto profissional consciente […].

Com as mudanças constantes do mercado de trabalho os relacionamentos se fazem necessários e importantes, pois sempre encontramos novas pessoas além da relação familiar e amigos, as pessoas de um modo ou de outro pode nos ajudar a crescer. De acordo com Hilsdorf (2015, p. 37) “Por trás da vitória de todo grande empreendedor encontramos sempre outras pessoas que de uma forma ou de outra o ajudaram, incentivaram […]”.
Segundo Menezes (2015) para conseguir relacionamentos saudáveis é necessário praticar e exercitar a comunicação, investindo nos níveis de relacionamentos do meio em que se está inserido e externo fora da organização. De acordo ainda com esse mesmo autor existem dois tipos de relacionamentos, as pessoas que se tem certeza que pode confiar para confirmar referencias positivas e aquelas que estão dispostas a colocar investimentos em projetos e ideias.

Na atual conjuntura da empregabilidade e mercado de trabalho, as mudanças constantes nos processos e nas novas tecnologias caracterizaram-se desafiadores aos novos profissionais. Passou ao profissional a responsabilidade por manter sua empregabilidade. As empresas se tornaram cada vez mais exigentes, fazendo os profissionais contemporâneos utilizarem o desenvolvimento das suas capacidades como forma de desenvolver suas competências bem como a educação continuada, equilíbrio emocional, valorização dos seus relacionamentos, a adequação profissional dentre outros, tornaram diferenciais para se destacar no atual cenário do mercado de trabalho.

Referências

ARNAU, Laia. 1 Educação-Aptidões: 2 Competências. 1º edição – Artimed editora, S. A. 2010.
BHERING, Marcio Mario. Gestão de Carreira: Gerenciando Corretamente o seu crescimento profissional. Editora – [ Sine loco ] – A. S. Sistema E. book, 2015.
CARVALHO, Pedro Carlos de. Empregabilidade: a competência necessária para o sucesso no novo milênio. 7ª edição. Campinas: Alínea, 2011.
DUTRA, J. S. Administração de Carreiras. 1ª Ed. São Paulo: Atlas, 2011.
Em: Acesso em: 10/06/2016 16:20m.
FILHO, SamiBoulos. Encontrei: “o” emprego 1ª edição. São Paulo-Editora Gente Live, 2009.
GIL, Antônio Carlos. Gestão de Pessoas: enfoque nos papeis profissionais / 1º ed. – 11 reim. – São Paulo: Atlas, 2011.
GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010. HILL, Napoleon. Quem pensa enriquece. 1 ed. São Paulo, SP. Fundamento, 2009
HILSDORF, Carlos. Atitudes empreendedoras: como transformar sonhos em realidade e fazer seu projeto de vida acontecer-1º ed.- São Paulo: Editora Schwarcz S.A, 2015.
HOLSMEISTER, Deise Leia Farias. Planejamento e Desenvolvimento de Carreira/ Edit. IESDE. S.A, Curitiba, 2009.
JUNIOR, Joaquim Martins. Como escrever trabalhos de conclusão de curso: instruções para planejar e montar, desenvolver, concluir, redigir e apresentar trabalhos monográficos e artigos. 3. ed. Petrópolis (RJ): Vozes, 2008.
KON, Anita. A economia do trabalho qualificação e segmentação no Brasil – 1ª Edição. Editora Alta Books, 2016.
MARIANCA, Marcelo e BRISSAC, Chantal. Erre Mais! 65 conselhos de um headhunter para ter sucesso no trabalho e na vida. Elsevier editora Ltda./ Rio de Janeiro, 2010.
MAXIMINIANO. Antônio Cesar Amaru. Teoria Geral da Administração. São Paulo: Atlas 2006.
MENEZES, Jorge. Transformando Networking em Negócios. Ed. Alta Book – Rio de Janeiro -2015.
MINARELLI, José Augusto. Empregabilidade: Como entrar, permanecer e progredir no mercado de trabalho. 25ª edição. São Paulo: Editora Gente, 2011.
MINARELLI, José Augusto. Carreira Sustentável: Como enfrentar as transições de carreira e ter trabalho e renda dos 18 aos 81 anos – São Paulo: Editora Gente, 2010.
NERI, Aguinaldo. Gestão de RH por competência e a empregabilidade. 3º ed. Campinas, SP – ed. Papirus, 2008.
Neto, A. A.; ALMEIDA, C. P. S.; ANDREASSI, T. Empreendedorismo e desenvolvimento de novos negócios. Editora FGV –1º edição – Rio de Janeiro 2013.
OLIVEIRA, Djalma de Rebolcas. Plano de Carreira: Foco no Individuo. São Paulo: Atlas, 2009.
PINHEIRO, José Maurício dos Santos. Da iniciação científica ao TCC: Uma abordagem para os Cursos de Tecnologia. Rio de Janeiro: Ciência Moderna Ltda. 2010.
ZANELLI, J. C.; SILVA, N.; PENNA, D. H. Orientação para aposentadoria nas organizações de trabalho: Constrição de Projetos para os pós – carreira – Dados eletrônicos. – Porto Alegre: Edit. Artmed, 2010.

__________
* Naraline M. Machado, formada em administração na Faculdade JK.
** Lucineide Cruz, professora na Faculdade JK,
Coautora dos Livros:
Livro Gestão de Talentos http://indicalivros.com/pdf/gestao-de-talentos-lucineide-cruz-juliana-pontelho
Livro Gestão de Pessoas: manual de rotinas trabalhistas http://indicalivros.com/pdf/gestao-de-pessoas-manual-de-rotinas-trabalhistas-juliana-pontelo-lucineide-cruz

DICAS

Links de sites para cursos online

https://ead.sebrae.com.br/cursos http://www.veduca.com.br/cursos/gratuitos http://www12.senado.leg.br/institucional/educacao https://moodle.eadesaf.serpro.gov.br/course/category.php?id=30 http://www.portaldaindustria.com.br/
http://www.df.gov.br/images/Cronograma%20cursos%20gratuitos%20Caesb% 20trabalhadores%20prediais%20-%202015.pdf
http://webcast.pr.gov.br/emap/
http://www.tse.jus.br/institucional/escola-judiciaria-eleitoral/noticias-e- destaques/curso-on-line-de-direito-eleitoral http://www20.anvisa.gov.br/restaurantes_curso/index.php
http://eadana.hospedagemdesites.ws/
http://www.portalcursos.com/ http://ead.senar.org.br/cursos
http://www.ciee.org.br/est/ead/

http: www.5.fgv.br/fgvonline/cursosgratuitos.aspx
http:www. iel.org.br
http: www.senac.com.br/portal/index.asp
http: www.trabalho.df.gov.br
http: www.cgu.gov.br
http: www.projetomeubrasil.com http: www.fnq.org.br
http: www.sistemafibra.org.br http: www.cepceilandia.gov.br http: www.etb.com.br
http: www.ifb.edu.br
http: www.ev.org.br
http: www.bradesco.com.br/cursosonline http: www.ifestagio.com.br

Por: Lucineide Cruz

Mestra em Liderança; Especialista em Marketing Empresarial; Especialista em Gestão de Recursos Humanos; Bacharel em Ciências Econômicas; Acadêmica - Cadeira de nº III de Literatura da Academia Latino-Americana de Ciências Humanas; Comendadora Grão Colar da República Brasileira e da América Latina; Comendadora Projeção 40 Anos; Diretora de Publicações na Rede Internacional de Excelência Jurídica do Distrito Federal; Diretora de Publicações na International Telework Academy; Fundadora da Fácil Editora; Consultora Sênior do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD); Professora em cursos de graduação e pós-graduação; Coautora dos seguintes livros: Gestão de Pessoas: manual de rotinas trabalhistas - Editora Senac; Gestão de Talentos - Editora Senac; Administração em Foco - Editora Camões; Enfoque de Gestión- Editora Nova Letra; Projeção dos Sonhos: a consolidação do conhecimento - Editora Câmara Brasileira de Jovens Escritores; Projeção dos Sonhos: espaço privilegiado do saber em construção - Editora Câmara Brasileira de Jovens Escritores; Ética geral e profissional: ensaios e reflexões - Editora Processus; Saiba Tudo Sobre Constituição da CIPA - Norma Regulamentadora Comentada - Fácil Editora; Reforma Trabalhista: comparação da CLT com a Lei 13.467/17 - Fácil Editora; Economia sem Economês - Fácil Editora; Dicas para você viajar para o exterior com conforto, segurança e economia - Fácil Editora; Gestão do Teletrabalho (Home Office) no Brasil: Casos do Serpro e TCU e métodos para a implantação - Fácil Editora.