Artigos

Contato Consigo Mesmo!

Um grande número de pessoas desejam realizar
sonhos.

Um pequeno número de pessoas realizam sonhos.

Em qual grupo de pessoas você está?

Há uma grande diferença de atitudes e comportamentos nestes dois grupos.

Existem pessoas deixando o dia a dia tomar conta de sua vida, se preocupando
exclusivamente com as necessidades básicas de sobrevivência e o imediatismo.

Uma escola fantástica é o Exército.

Praticamos vários exercícios que nos colocam de frente com nossos limites máximos.

Um exercício marcante é o de sobrevivência. Nos ensinam administrar e
planejar o que temos em nosso poder até encontrarmos outras fontes de recursos
até sairmos daquela situação momentânea. Neste exercício, observarmos vários
comportamentos diferentes no grupo, fazendo muita diferença no resultado final.
São percebidos aqueles que ficam ansiosos, calmos, nervosos, irritados, tranqüilos,
observadores, submissos, líderes, etc..

Trazendo este exercício para o nosso dia a dia.

Todos nós já passamos por alguma situação de administrar e planejar o que tínhamos
em nossas mãos.

Depois que passamos por uma situação desta, damos valor a muitas coisas que
estão a nossa disposição.

Realizar sonhos, não está simplesmente na capacidade de reunir recursos
financeiros e sim um conjunto de atitudes e comportamentos que fazem muita
diferença.

Realizar esta na competência de visualizar o que desejamos, transpor obstáculos
(que com uma grande probabilidade irão aparecer) e ter atitude em prol daquilo
que desejamos.

Um grande número de pessoas tomam atitudes, mas que não levam ao objetivo
desejado.

Vejamos….

O tempo é feito para aproveitarmos ao máximo….

Tem uma frase que gosto muito:

“Você ama a vida?……… Então, não desperdice o tempo, pois é dele que
se compõe a vida” – Sir Walter Scott

Seja qual for sua idade, pois acredito que o tempo não seja linear, podemos
gerar um momento de reflexão sobre nossa vida…

Até os 35 anos de idade, nos preparamos para grandes atuações, fazendo
acontecer, cheio de projetos, correndo atrás e tudo mais.

Após os 35, chamamos para nós a responsabilidade. Acabamos nos comparando, de
uma maneira ou outra, com os resultados das pessoas que estão com a mesma
idade. É uma fase onde buscamos entendimento da nossa intelectualidade,
espiritualidade, agindo com dois elementos importantíssimos a razão e o coração.
Importante a Inteligência Emocional, fazendo com que estes dois elementos se
interajam de uma forma harmônica. Também dizer que nesta idade, começamos a
ter um desgaste físico e um processo de consciência maior, uma consciência de
alma. Momentos de interiorização, de introspecção, onde surge à
possibilidade de evolução, o de ouvir a si próprio. Muitas vezes a impressão
de não sermos compreendidos, conseqüentemente passamos a ter uma atitude crítica
com relação aos outros ou aos ambientes em que vivemos. Conseguimos enxergar
com clareza os defeitos dos outros, por ser um momento de evolução.

Evolução?

Sim, evolução. Pois acabamos conhecendo uma tal de projeção. Notamos no
outro, o que nos pertence, isto é, vemos no outro o que está dentro de nós
mesmos, reconhecendo nossos próprios defeitos e limites.

Acredito que um grande aprendizado nesta fase é transformar a capacidade crítica
externa em autocrítica.

Comum nesta fase nos questionarmos de muitas coisas, de reaproximarmos de nossa
essência e da essência das coisas. O “ter” e o “ser”.

Jung dizia: “… o Anjo da morte se faz sentir do Além, do limiar, como que
alertando o indivíduo e acordando-o:

Olhe, já passou boa parte de sua vida, o que vai fazer daqui para frente?”

Muitos neste momento passam a se desesperar e trilham por caminhos estranhos a
sua essência.

Calma….faz parte!

É momento de reconhecer suas potencialidades, sua destreza maior, o domínio do
que realmente sabe.

Momento importantíssimo na vida……

Lembre-se do exercício de sobrevivência. Talvez seja o momento de avaliar o
que tem e administrar e planejar o que pode, evitando a frustração.

Por pesquisa de campo, as pessoas que planejam realizam seus projetos e sonhos
com aproximadamente 60% do tempo planejado.

Você está com todas as informações em suas mãos.

Ninguém é igual a ninguém e somente você mesmo pode saber quais são seus
limites.

Aprendemos, basicamente de duas formas, ou por experiências próprias ou
observando as experiências dos outros.

É claro e verdadeiro também que ou aprendemos pela dor ou por amor.

Você escolhe!

Artigo de:
Arnaldo Carvalho

Por:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of