logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Como fazer uma demissão humanizada: passo a passo completo

Sumário

Home > Artigos > RH na Prática > 10 práticas fundamentais para uma Demissão Humanizada

10 práticas fundamentais para uma Demissão Humanizada

Este artigo oferece um guia detalhado sobre como realizar uma demissão humanizada, desde a preparação até a execução, enfatizando a importância da empatia, clareza e apoio no processo.

A demissão humanizada representa uma mudança paradigmática, onde os processos de desligamento são conduzidos com empatia, respeito e um forte senso de ética. 

Neste artigo, vamos explorar como a demissão humanizada pode beneficiar todos os envolvidos, diminuir o impacto emocional nos funcionários e preservar a imagem e os valores da empresa. 

Quais são os tipos de demissão?

Existem diversos tipos de demissão que podem ocorrer no contexto empresarial, cada um com características e implicações legais específicas para o empregado e o empregador.

  • Demissão sem Justa Causa: Quando o empregador decide terminar o contrato de trabalho sem que haja um motivo disciplinar ou de desempenho por parte do empregado.
  • Demissão por Justa Causa: Ocorre quando o empregado comete uma falta grave definida pela legislação trabalhista, como atos de indisciplina ou insubordinação.
  • Pedido de Demissão: Quando o próprio empregado decide deixar a empresa, seja por encontrar uma nova oportunidade ou por não querer mais permanecer na posição atual.
  • Demissão Consensual: Parte do programa de desligamento voluntário, onde tanto o empregador quanto o empregado entram em um acordo mútuo para a rescisão do contrato de trabalho.
  • Demissão Construtiva: Acontece quando o empregado se vê forçado a resignar devido a mudanças inaceitáveis ou condições de trabalho impostas pelo empregador.

Entre essas modalidades, a demissão humanizada vem ganhando destaque como uma abordagem que procura respeitar a dignidade do empregado durante o processo de desligamento. 

Este método procura tornar o processo de demissão menos traumático, oferecendo suporte e consideração ao impacto emocional que a perda do emprego pode ter sobre o indivíduo.

O desligamento humanizado pode incluir a oferta de serviços de outplacement, assistência psicológica, treinamento para recolocação no mercado, e um diálogo aberto sobre os motivos do desligamento. 

O objetivo é assegurar que o empregado saia com uma percepção positiva da empresa e esteja bem equipado para buscar novas oportunidades, mantendo sua autoestima e minimizando o impacto emocional.

Banner artigo_Material-O Novo RH

Como realizar uma entrevista de desligamento de maneira humanizada?

YouTube video

O desligamento humanizado, ou demissão humanizada, é um processo em que a empresa desliga um funcionário de maneira digna, transparente e compreensiva.

Contrariando as demissões tradicionais, muitas vezes impessoais e abruptas, a demissão humanizada tem em conta o impacto emocional sobre o indivíduo e busca mitigá-lo.

Os benefícios se estendem desde a manutenção de uma reputação positiva para a empresa, a gestão eficiente de possíveis riscos legais até a conservação do moral dos funcionários remanescentes.

Cinco recomendações para líderes e recursos humanos ao realizar uma demissão humanizada

  • Capacitação: Os líderes devem estar preparados para lidar com a situação de maneira empática e profissional.
  • Comunicação Transparente e Respeitosa: A verdade é fundamental, mas a forma como é transmitida deve ser cuidadosa e respeitosa.
  • Ofereça Assistência: Proporcione ao funcionário desligado apoio para a recolocação profissional e ajuda emocional.
  • Sem Surpresas: O colaborador deve receber feedbacks constantes e estar ciente de seu status na empresa.
  • Dignidade é Fundamental: Mantenha o respeito à dignidade e profissionalismo do funcionário durante todo o processo.

Demissão responsável: cuide dos seus colaboradores.

Inscreva-se no curso gratuito da Escola de Pessoas e descubra como conduzir demissões.

Deslizes comuns durante a demissão

demissão humanizada

Mesmo com as melhores intenções, líderes e profissionais de RH podem cometer erros durante a demissão, tais como presentear de maneira imprópria no momento da demissão ou agir de forma excessivamente emocional.

Estas atitudes podem gerar ressentimento e confusão no funcionário.

Por exemplo, um líder que não controla suas emoções e acaba chorando de forma incontrolável durante a demissão pode deixar o funcionário desconfortável e duvidando da profissionalidade da situação.

E podem acabar chorando juntos, o que mostra total despreparo e controle.

Outro fato muito comum, é no momento de demissão uma das partes agredir, ainda que verbalmente, a outra parte.

Pode ocorrer e o líder deve estar preparado para manter-se controlado emocionalmente, e manter sua postura profissional. É fácil? Não, mas é necessário.

Principais Causas do encerramento de contrato

Conforme o estudo realizado pela Robert Half no Brasil em 2023, os principais motivos de demissão incluem:

  1. Baixo desempenho
  2. Violação de políticas da empresa
  3. Falta de habilidades necessárias
  4. Incompatibilidade com a cultura organizacional. 

Tais razões, quando persistentes e após diversas tentativas de melhoria, podem levar ao desligamento inevitável.

É preciso ter clareza para compreender que o líder e área de recursos humanos, tem grande responsabilidade no processo de demissão, mas também não descartar a responsabilidade do colaborador.

Qual é o papel do RH no desligamento humanizado?

Duas pessoas em um ambiente profissional, com foco na pessoa que está sendo demitida

Entender como funciona a demissão humanizada é fundamental.  ​​

O papel do RH no desligamento humanizado é crucial e multifacetado, estendendo-se muito além do ato administrativo de finalizar um contrato de trabalho. 

O RH é o guardião da experiência do empregado durante todo o processo de desligamento, garantindo que seja conduzido com empatia, respeito e consideração pela pessoa que está saindo. 

Aqui estão as principais responsabilidades do RH no processo de desligamento humanizado:

  • Comunicação Eficaz: O RH deve garantir que a comunicação sobre o desligamento seja clara e respeitosa. A mensagem deve ser transmitida de maneira que preserve a dignidade do empregado e explique os motivos do desligamento de forma transparente e honesta.
  • Apoio Emocional: Oferecer suporte emocional durante o desligamento, reconhecendo o impacto emocional que a demissão pode ter e, se possível, fornecendo acesso a aconselhamento ou serviços de apoio.
  • Outplacement: Auxiliar o empregado desligado na transição para novas oportunidades de emprego, o que pode incluir serviços de outplacement, como aconselhamento de carreira, preparação para entrevistas e busca de emprego.
  • Processos Justos: Assegurar que todos os processos legais e éticos sejam seguidos corretamente, garantindo que o empregado receba todas as compensações devidas e que seja tratado com justiça.
  • Feedback Construtivo: Fornecer ao empregado desligado um feedback construtivo sobre seu desempenho, que possa ajudá-lo em futuras oportunidades de emprego.
  • Continuidade dos Negócios: Planejar a transição das responsabilidades do empregado de maneira a minimizar o impacto sobre a equipe e a continuidade das operações.
  • Cultura da Empresa: Proteger a cultura da empresa ao tratar desligamentos com cuidado, o que pode influenciar a moral dos empregados remanescentes e a percepção da empresa pelo mercado.

Leia também:

A liderança no processo de demissão humanizada

A demissão deve ser a última alternativa, após a implantação de um plano de melhoria de desempenho. Contudo, há funcionários que não buscam aprimoramento, mas apenas receber um salário.

Nestes casos, os líderes e RHs devem tomar medidas o mais breve possível para não desestimular os demais funcionários e não incentivar comportamentos improdutivos.

Existem situações em que é necessária uma ação ágil, e isso não é nenhum bicho de 7 cabeças e muito comum no mundo corporativo.

Lembre-se do ARCO: Atitude, Resultado e Consequência. Tudo o que realizamos, sejamos líder e liderados, seguem esse ordem.

Quais são os benefícios da demissão humanizada para a empresa?

Mão apontando para figura vermelha entre figuras azuis, representando conduzir uma demissão humanizada

A demissão humanizada oferece uma série de benefícios para a empresa, refletindo-se não apenas na imagem corporativa, mas também na cultura interna e na relação com os empregados. 

Aqui estão alguns dos benefícios mais significativos:

  • Preservação da Imagem da Marca

Uma abordagem humanizada para desligamentos ajuda a manter a reputação positiva da empresa.

Tratar os empregados com respeito e dignidade durante um momento difícil pode resultar em uma percepção pública mais positiva.

  • Engajamento dos Colaboradores

A forma como uma empresa lida com demissões pode afetar a moral e o engajamento dos empregados remanescentes.

Um processo humanizado pode tranquilizar a equipe de que eles são valorizados e que a empresa cuida de seu bem-estar.

  • Redução de Conflitos e Litígios

O desligamento humanizado pode diminuir a probabilidade de desavenças legais, pois os empregados se sentem tratados justamente e com respeito.

  • Cultura Corporativa Fortalecida

Demonstrando empatia e consideração, a empresa reforça uma cultura de respeito mútuo e confiança, fundamentais para a construção de um ambiente de trabalho saudável.

  • Relações de Longo Prazo

Empregados que se desligam sob termos amigáveis têm maior probabilidade de manter uma relação positiva com a empresa, o que pode ser benéfico em termos de networking e futuras colaborações.

  • Alinhamento com Valores Corporativos

A demissão humanizada pode alinhar as práticas de desligamento com os valores centrais da empresa, como integridade e responsabilidade social.

  • Melhoria da Atração de Talentos

Candidatos potenciais tendem a se atrair por empresas que demonstram um compromisso genuíno com o bem-estar de seus empregados, o que pode facilitar a atração de talentos de alta qualidade.

  • Redução de Custos a Longo Prazo

Ao investir em serviços de outplacement e apoio ao empregado demitido, a empresa pode economizar custos associados ao turnover e ao recrutamento, além de reduzir o risco de litígios trabalhistas.

  • Promoção da Responsabilidade Social Corporativa

Práticas de desligamento humanizado podem ser parte integral da estratégia de responsabilidade social da empresa, aumentando seu capital social e seu compromisso com práticas de negócios éticas e sustentáveis.

Entrevista de desligamento para uma demissão humanizada

demissão humanizada: mãos apertando

A entrevista de desligamento é um componente crítico do processo de gestão de recursos humanos, que, quando realizada corretamente, pode fornecer insights valiosos para a melhoria contínua da organização e apoiar o funcionário em transição. 

Longe de buscar culpados ou falhas, este tipo de entrevista visa identificar oportunidades de crescimento para ambas as partes envolvidas.

O propósito de uma entrevista de desligamento é duplo.

No caso de um funcionário demitido, busca-se compreender as razões por trás da demissão, sejam elas relacionadas a competências, questões pessoais ou estruturais da empresa. 

Para o funcionário que pede demissão, o foco recai sobre as motivações para tal decisão, como insatisfação com o ambiente de trabalho, remuneração ou falta de oportunidades de crescimento.

Em ambos os casos, é também uma chance para o funcionário oferecer feedback valioso que pode não ter tido a chance de compartilhar anteriormente.

Conduzindo uma Entrevista de Desligamento

Para que a entrevista seja produtiva, ela deve ser opcional e conduzida com discrição e sensibilidade, evitando qualquer pressão por parte do entrevistador.

O entrevistador deve adotar uma postura imparcial e focar em ouvir e fazer perguntas pertinentes, falando o mínimo necessário. 

Considerando que o funcionário pode estar emocionalmente afetado pelo desligamento, é importante interpretar suas palavras e gestos com um olhar atento às nuances e sentimentos não verbalizados.

Entendendo os Sentimentos do Funcionário

Durante a entrevista, diferentes emoções podem ser expressas pelo funcionário desligado. Pode haver uma falsa alegria, ressentimento, irritação ou tristeza.

O funcionário que se demite tende a permanecer mais tranquilo, mas ainda assim pode carregar sentimentos não expressos de frustração ou revanchismo.

Anotações e Local da Entrevista

É essencial que o entrevistador informe ao funcionário sobre as anotações que serão feitas para o relatório, respeitando o conforto e a privacidade do entrevistado.

As anotações devem ser breves, sem perder a essência das informações compartilhadas. 

A sala onde a entrevista ocorre deve oferecer privacidade e estar localizada de forma a evitar desconforto ao funcionário.

Encerrando com Positividade

Ao finalizar a entrevista, é importante que o entrevistador mantenha um tom otimista, reafirmando o valor do funcionário e, se possível, oferecendo recursos ou assistência para a transição, como ajuda na elaboração de currículos. 

O respeito e a atenção devem ser mantidos, refletindo a dignidade e o apreço da empresa pelo tempo de serviço do funcionário.

Atendimento Pós-Entrevista

Após a entrevista, o entrevistador deve manter uma postura de empatia e respeito, evitando brincadeiras ou comentários negativos. 

É importante refletir sobre como eles gostariam de ser tratados se estivessem na mesma situação, garantindo que a experiência seja conduzida com humanidade e compreensão.

Assim, a entrevista de desligamento humanizada é uma ferramenta valiosa para uma empresa que valoriza a contribuição de seus funcionários e busca melhorar constantemente suas práticas de gestão de pessoas.

Conclusão

A demissão é um evento natural na trajetória de qualquer profissional.

Embora possa ser um momento doloroso, pode se transformar em uma oportunidade de reflexão profunda e aprendizado, especialmente se conduzido de forma estruturada e com respeito.

Portanto, ao invés de temer a demissão, podemos encará-la como uma chance para crescimento e desenvolvimento pessoal e profissional.

Claro que ninguém quer a demissão, mas ela pode ocorrer e deve ser encarada como algo natural na relação de trabalho.

Então, para você, a demissão humanizada é uma realidade tangível ou apenas uma fábula corporativa?

Deixe sua opinião nos comentários e compartilhe esse artigo com seus amigos líderes, recursos humanos e todos outros que podem aprender com esse conteúdo!

Assine a nossa Newsletter