logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Início > Recrutamento e Seleção > Desenvolvedor Front-end: o que faz, quanto ganha e como ele ajuda sua empresa

Sumário

Desenvolvedor Front-end: o que faz, quanto ganha e como ele ajuda sua empresa

Tire todas as suas dúvidas sobre o profissional que desempenha um papel crucial no time de programadores!

O desenvolvedor Front-end é uma peça-chave no time de programadores da sua startup. Ele é responsável por todos os recursos de interação entre o usuário e o seu website, aplicativo ou software. 

Se a interface da sua aplicação está com problemas, o DEV Front-end é acionado para resolver o bug. De modo geral, qualquer projeto precisa deste profissional para rodar. 

Não é à toa que a empregabilidade do DEV Front-end está em alta. Segundo a pesquisa Stack OverFlow, feita com 70 mil programadores de todo o mundo, em 2022, pelo menos 25,96% dos entrevistados se dizem desenvolvedores Front-end. Aliás, eles ocupam o terceiro lugar da lista, depois de Full-stack e Back-end. 

Com uma participação tão ativa nas equipes de desenvolvimento, os profissionais desta área precisam ser bem selecionados.Nesse sentido, é importante conhecer melhor suas características, bem como as skills mais requisitadas, para compreender o contexto do recrutamento de um Front-end. 

Continue a leitura e fique por dentro da profissão!

O que é um desenvolvedor Front-end? 

O desenvolvedor Front-end é o profissional responsável pela criação da interface gráfica de um website, aplicativo ou software, ou seja, tudo aquilo que terá interação com o usuário, como um formulário para o preenchimento de dados pessoais, é de responsabilidade deste desenvolvedor. 

Portanto, ele utiliza linguagens de programação, frameworks e bibliotecas para escrever códigos que sejam interpretados pela máquina e expressem a vontade do usuário. 

gestão por competências

Dessa forma, ao clicar no botão de “finalizar compra” em uma loja virtual, ao enviar um e-mail, ao digitar um termo na lupa, devemos saber que há um desenvolvedor Front-end que trabalhou para que isso fosse possível. 

Funções e diferenças

Para entender melhor a sua função, também é interessante conhecer o que é um desenvolvedor Back-end e um desenvolvedor Full-stack, que atuam em paralelo na equipe de programadores. 

Back-end: ao contrário do desenvolvedor Front-end, o Back-end é responsável por tudo aquilo que o usuário não vê, como os servidores e os bancos de dados. É como se o Front-end fosse a lataria, e o Back-end fosse o motor de um carro.

Além disso, o Back-end também fica responsável pela estrutura, gerenciamento de conteúdo e segurança do sistema. 

Full-stack: de modo mais simples, o desenvolvedor Full-stack se explica pela junção das duas funções anteriores. Sendo assim, um developer desta área lida com as mesmas tecnologias usadas no Front e no Back-end. 

Qual a importância de um DEV Front-end? 

Por ser responsável pela linha de frente de um produto que está diretamente ligado à experiência do usuário, o desenvolvedor desta stack é de extrema importância. 

Afinal de contas, se um site não funciona direito, o usuário irá abandonar o carrinho de compra ou criticar a empresa nas redes sociais, afetando assim as vendas e a imagem do negócio. 

Então, RH precisa de subsídios para entrevistar desenvolvedores desta área e recrutá-los com precisão. Nesse contexto, é interessante contar com o apoio do CTO (Chief Technical Officer) ou das lideranças da equipe de TI (Tecnologia da Informação). 

Isso porque após uma reunião de briefing com eles será possível identificar o perfil da vaga, as necessidades da equipe, as ações cabíveis de vagas afirmativas, entre outras demandas. 

Onde um desenvolvedor front-end pode trabalhar?

Como já mencionamos ao longo do texto, um desenvolvedor front-end é responsável por criar a interface visual e a experiência do usuário em sites e aplicativos. Mas, agora queremos listar em detalhes algumas de suas principais funções. Então, entre suas responsabilidades estão ações como:

Desenvolvimento de Layouts

Traduzir designs de UX/UI em código, utilizando linguagens como HTML para estruturação, CSS para estilização e JavaScript para interatividade.

Responsividade

responsabilidades desenvolvedor Front-end

Garantir que a interface seja adaptável a diferentes dispositivos e tamanhos de tela, proporcionando uma experiência consistente em computadores, tablets e smartphones.

Interação do usuário

Implementar funcionalidades interativas e dinâmicas por meio de JavaScript, melhorando a usabilidade e a interação do usuário com a aplicação.

Otimização de desempenho

Buscar otimizar o desempenho da interface, considerando o carregamento rápido de páginas e a eficiência no consumo de recursos do navegador.

Compatibilidade com navegadores

Certificar-se de que a aplicação funciona corretamente em diferentes navegadores, solucionando problemas de compatibilidade quando necessário.

Integração com Back-end

Colaborar com desenvolvedores back-end para integrar a interface do usuário com a lógica e os dados do servidor.

Testes e depuração

Realizar testes de qualidade, depurar problemas e corrigir bugs para garantir que a aplicação front-end funcione de maneira eficaz.

Atualizações e manutenção

Manter-se atualizado com as melhores práticas e tendências em desenvolvimento front-end e realizar atualizações contínuas para garantir a relevância e a segurança da aplicação.

Colaboração com designers

Trabalhar em estreita colaboração com designers de UX/UI para garantir a fidelidade à visão de design e uma experiência do usuário coesa.

Documentação

Criar documentação clara e concisa para o código desenvolvido, facilitando a compreensão e a colaboração com outros membros da equipe.

Ou seja, a desenvolvedores front-end desempenham um papel crucial na criação de interfaces de usuário intuitivas e atraentes, contribuindo diretamente para a qualidade geral das aplicações web e móveis.

O que é preciso para ser um desenvolvedor back-end?

Para se tornar um profissional de Front-end, que é responsável pela criação da interface e experiência do usuário em sites e aplicativos, é comum buscar uma formação relacionada à área de Tecnologia da Informação (TI) ou Ciência da Computação. Embora nem todas as faculdades ofereçam um curso específico para Front-end, existem opções de cursos e áreas de estudo que são relevantes para essa carreira. Veja alguns exemplos:

1 – Ciência da Computação

Oferece uma base sólida em programação, algoritmos e estruturas de dados, habilidades cruciais para um desenvolvedor front-end.

2 – Engenharia de Software

trabalhar como desenvolvedor Front-end

Aborda o ciclo de vida do desenvolvimento de software, incluindo design de sistemas, teste e manutenção, proporcionando uma visão abrangente das práticas de desenvolvimento.

3 – Sistemas de Informação

Foca na integração de tecnologia da informação nos processos de negócios, proporcionando uma compreensão ampla das aplicações práticas da tecnologia.

4 – Desenvolvimento Web

Algumas instituições oferecem cursos específicos de desenvolvimento web ou design de interfaces, que podem ser mais direcionados para as habilidades necessárias em front-end.

5 – Design de Interface

Embora menos comum, cursos de design de interface ou design de experiência do usuário (UX) podem fornecer uma perspectiva valiosa para quem deseja se especializar na parte visual e interativa do desenvolvimento front-end.

Além da formação acadêmica, é importante desenvolver habilidades práticas por meio de projetos próprios, participação em comunidades online, workshops e estágios. Conhecer linguagens como HTML, CSS e JavaScript é fundamental para um desenvolvedor front-end, e muitos profissionais também exploram frameworks e bibliotecas populares, como React, Angular ou Vue.js. Certificações e cursos online também podem ser úteis para aprimorar habilidades específicas no desenvolvimento Front-end.

Leia também:

Quanto ganha um desenvolvedor Front-end? 

Profissionais de tecnologia são investimentos altos para o RH. Isso ocorre devido a uma série de fatores, como a importância desse profissional numa startup, o mercado aquecido e a escassez de profissionais.

Um estudo da Brasscom (Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação), aponta uma demanda de 420 mil profissionais até 2024. Portanto, com uma demanda maior que a oferta de profissionais, os salários tendem a ser ainda mais valorizados para estes profissionais. 

No Brasil, um levantamento da Coodesh aponta as seguintes médias salariais para esta categoria: 

  • Estágio – de R$ 1.000,00 a R$ 1.500,00;
  • Júnior – de R$ 2.750,00 a R$ 4.350,00 (regime CLT + Benefícios); 
  • Pleno – de R$ 5.500,00 a R$ 7.500,00 (regime CLT + Benefícios); 
  • Sênior – de R$ 8.150,00 a R$ 14.530,00 (regime CLT + Benefícios);

Contudo, se a contratação for no formato PJ (Pessoa Jurídica), é interessante que a empresa multiplique essa média em 1.4 ou 1.6. Isso é uma prática comum, pois o contratado como prestador de serviços PJ não tem acesso a direitos trabalhistas como os celetistas. 

Lembrando que essa média salarial acima citada é a do mercado brasileiro. Nos Estados Unidos, por exemplo, a remuneração é de aproximadamente US$ 60 mil por ano. Portanto, na hora de definir o salário do profissional leve em conta todos esses fatores para não perder bons candidatos. 

 
Torne os processos de atração de talentos da sua empresa ainda melhores. Inscreva-se em nosso curso gratuito Estruturação do Funil de Recrutamento e Seleção e aprenda as estratégias certas!

Quais skills são desejadas?

desenvolvedor Front-end trabalhando

Na hora de recrutar desenvolvedores Front-end, é bom ter em mente as skills mais desejadas neste profissional. Por isso, confira algumas tecnologias e características comportamentais que ele(a) deve apresentar. 

Hard skills

Power skills

  • Autodidatismo;
  • Boa comunicação;
  • Criatividade;
  • Espírito colaborativo;
  • Flexibilidade;
  • Pensamento crítico;
  • Resiliência;
  • Resolução de problemas;
  • Trabalhar com prazos.

Lembrando que, como esta pessoa desenvolvedora trabalha principalmente com desenvolvimento web, é interessante que ela tenha conhecimento em SEO e UX (User Experience), além de saber lógica de programação e outras tecnologias usadas no Back-end. 

Conclusão

A comunidade de desenvolvedores Front-end é bastante ampla e forma a base da maioria das empresas que trabalha com o desenvolvimento de aplicações, sejam startups, empresas tradicionais com produtos tecnológicos, fintechs, e-commerces, fábricas de softwares,etc. 

Por consequência, as pessoas recrutadoras vão se deparar com a missão de recrutar e selecionar um desenvolvedor Front-end. Portanto, a dica é estudar as características das principais stacks e habilidades comportamentais para acertar na escolha. 

Agora que você chegou ao fim deste conteúdo, aproveite para ler sobre a pesquisa onde 64% dos profissionais da área de tecnologia mudariam de país. Confira e aproveite!

E se você conhece alguém que possa se interessar pelo assunto, envie o nosso conteúdo cheio de informações. Além disso, continue acessando o nosso portal para conferir outros artigos como este!

desenvolvimento e treinamento de pessoas
Camila Rocha, é uma profissional experiente em publicidade. Com formação pela Fumec, ela coordena atualmente a BU de Educação na Sólides Tecnologia, onde trabalha há 6 anos. Sua expertise em liderança e estratégias de educação corporativa tem sido fundamental para impulsionar o crescimento e o desenvolvimento dos colaboradores.
Assine a nossa Newsletter