Artigos

Diferenças entre Consultoria de Recolocação Profissional, Outplacement e Headhunting

Diferenças entre Consultoria de
Recolocação Profissional, Outplacement e Headhunting
No mercado de recolocação, saiba diferenciar o joio do trigo

No amplo mercado de serviços em recursos
humanos é bastante freqüente a existência de empresas que se propõem a
oferecer assessoria com o objetivo de auxiliar profissionais, executivos ou não,
na busca de uma recolocação no competitivo mercado de trabalho. Volta e meia,
pela internet ou através da mídia em geral, vemos o surgimento de novas
empresas oferecendo esses serviços. Porém, não obstante os já numerosos
alertas publicados pela imprensa em geral, escrita e falada, muitas pessoas,
movidas pela inocência e, principalmente, pelo desespero de conseguir um
emprego de forma fácil e rápida, acabam ludibriadas por pseudo-consultores que
se aproveitam dos sonhos e da fragilidade de pessoas de bem para vender-lhes
aquilo que jamais irão entregar.

Antes de tudo, é preciso que se diga que o mercado de recolocação
profissional (pessoa-física) ou Outplacement – como é conhecido quando
oferecido no modelo empresarial/corporativo – é uma atividade lícita, complexa
e muito necessária, possuindo grande demanda de serviços, justamente porque
cada vez mais pessoas necessitam de apoio e orientação especializados para que
possam enfrentar, com diferenciação, os processos de seleção das empresas –
esses cada vez mais exigentes.

Contudo, o simples exercício da atividade, exige a atuação de Consultores com
“C” maiúsculo, munidos da experiência e competência necessárias para que
possam, de fato, ajudar quem necessita de orientação. Portanto, em se tratando
de atividade lícita e necessária, estamos falando, na verdade, de um problema
ético, ou seja: pessoas irresponsáveis trabalhando em empresas duvidosas, cuja
missão parece ser uma só: enganar as pessoas. Isso é um caso de polícia e
precisa acabar.

Na condição de Consultor de Outplacement, a única maneira que vejo para
contribuir para o fim desse tipo de “crime”, é procurar esclarecer e
divulgar as boas-práticas da atividade, alertando e conscientizando um maior número
de pessoas para que, caso encontrem alguma empresa desonesta pela frente, sejam
capazes de identificar e separar o joio do trigo, evitando desgastes desnecessários,
pois já bastam as preocupações normais de quem busca uma recolocação.

A seguir, apresento alguns conceitos, práticas e reflexões gerais com esse
objetivo. Com isso, creio, só será enganado quem realmente quiser.

Diferenças entre Consultoria de Recolocação Profissional, Outplacement e
Headhunting

Recolocação profissional é uma denominação que, em geral, caracteriza a
atividade de consultoria que objetiva oferecer apoio e orientação para
facilitar o processo de recolocação profissional no mercado de trabalho. Como
pessoa-física, você contrata esses serviços e arca totalmente com os seus
custos, estando empregado ou não.

Já a consultoria de outplacement, indica que a empresa que demite o
profissional deseja auxiliá-lo em sua busca de uma nova recolocação. Para
tanto, a empresa demissora contrata os serviços de uma consultoria e, nesse
caso, os custos são todos da empresa, você não paga nada. Em ambos os casos,
cuidado. Escolha bem a empresa que irá ajudá-lo.
O headhunter – também conhecido como caça-talentos – é um consultor cujo
trabalho se resume em recrutar e selecionar, no mercado, profissionais para uma
determinada empresa que contratou os seus serviços, segundo um conjunto de
características – perfil do cargo – determinado pela organização
contratante. É o outro lado da mesa. Nesse caso, um headhunter poderá
perfeitamente buscar o profissional que necessita em alguma empresa de recolocação
ou outplacement.

Em que consistem os serviços de recolocação profissional e/ou outplacement?

Em geral, para ambos os casos, as boas consultorias devem oferecer apoio e
orientação de bom nível em duas frentes: análise e revisão da carreira
profissional (coaching) e auxílio no planejamento das estratégias para a
melhor divulgação no mercado. Obviamente, que outras práticas também são
muito necessárias, como elaboração de um material curricular diferenciado,
orientação para participação em processos de seleção e um acompanhamento
“de perto”, através de um trabalho individual, que mostre interesse e
empatia pelo cliente.

Qual o perfil de um bom Consultor de Outplacement ou Recolocação Profissional?

Ele deve ser alguém com experiência anterior de trabalho com pessoas; alguém
oriundo da área de recursos humanos, por exemplo, que conheça carreira
profissional em diversos níveis, sobretudo carreira executiva, e esteja
habituado a realização de atividades envolvendo aconselhamento de pessoas.
Formação superior e cursos de aperfeiçoamento na área são imprescindíveis,
além de excelente nível cultural.

Como saber se uma empresa é lícita e confiável?

Hoje em dia, uma simples consulta na internet pode ajudar a esclarecer o
problema. Digite o nome da empresa num site de busca e leia tudo o que já foi
publicado sobre ela. Consultar antigos e atuais clientes também é uma boa prática,
além dos órgãos de defesa do consumidor, para ver se não existem muitas
reclamações sobre a empresa. Ah, não se esqueça: o seu feeling também é
muito importante nessas horas. Não o despreze.

Além disso, fique sempre atento para alguns sintomas de empresas e consultores
pouco confiáveis. Aqui vão alguns:

· Desconfie daquelas empresas que exigem a cobrança de uma taxa para que você
participe de processos de seleção enquanto candidato. Lembre-se daquilo que
dissemos acima: empresas de seleção (headhunting) apenas são remuneradas por
outras empresas que contrataram os seus serviços. Nesse caso, o “consultor”
com “c” minúsculo, deve estar querendo cobrar nas duas pontas, o que não
é ético.

· Fuja daqueles consultores que prometem tudo rapidamente, bastando assinar um
contrato para que você obtenha a vaga ou a possibilidade de participar de
alguma entrevista naquela empresa dos seus sonhos, com salário de marajá. Não
assine nada na hora. Volte para casa, faça as consultas necessárias. Reflita.
Não tenha pressa.

· Saiba que nenhuma empresa de recolocação tem o poder de abrir vagas em
outras empresas, nem indicá-lo de forma diferenciada para que “somente você”
seja o escolhido. Cuidado com promessas de entrevistas e a certeza de que “você
será recolocado rapidamente, fique tranqüilo”. O mercado não está fácil
para ninguém. Não entre nessa.

· Pergunte tudo sobre a empresa e sobre os consultores que irão atendê-lo.
Experiência na área, formação, cursos de desenvolvimento etc.

· Faça tudo isso e prepare-se para um trabalho duro, pois outra característica
de uma boa empresa de recolocação é justamente fazer com que seu cliente seja
o grande mentor do seu próprio sucesso, trabalhando com foco, seriedade e
determinação.

Gilberto de Moraes
Psicólogo organizacional e Pós-Graduado – MBA – em Gestão Estratégica de
Recursos Humanos. Consultor sênior de Recursos Humanos e "Executive
Coaching", Treinamento, Desenvolvimento e Avaliação de executivos e
profissionais. Diretor-responsável pelas áreas de Outplacement/Recolocação
Profissional e Aconselhamento de Carreiras – Coaching, da Facioli Consultoria
www.facioliconsultoria.com.br

Por:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of