logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Início > Treinamento e Desenvolvimento > Empregabilidade: Significado, pilares, tipos e como fazer

Sumário

Empregabilidade: Significado, pilares, tipos e como fazer

Entenda o que é empregabilidade, seus principais pilares e como você pode aplicá-lo na sua carreira.

A empregabilidade é um conceito relativamente recente, mas que tem grande importância na vida de qualquer pessoa. Ainda, ela vai além da questão de se estar ou não ocupando um cargo em uma empresa, focando na capacidade de cada profissional em ser notado e desejado pelas organizações.

Embora a empregabilidade represente a aptidão para atender as demandas das empresas, engana-se quem pensa que desenvolvê-la é responsabilidade apenas do profissional.

As empresas também devem assumir esse compromisso. Especialmente o RH e a gestão de pessoas, pois essa área é estratégica no aprimoramento das habilidades e competências individuais.

Sendo assim, quanto mais exigente for uma empresa, maior será a empregabilidade de seus colaboradores. Logo, cabe à gestão de pessoas incentivar os profissionais a buscarem aperfeiçoamento técnico e humano. O resultado será benéfico para todos, inclusive para o mercado de trabalho.

Neste artigo, vamos explicar o conceito de empregabilidade e cada um de seus pilares. Além disso, falaremos sobre o índice de empregabilidade e como calculá-lo. Por fim, vamos mostrar como fazer para aumentar a sua empregabilidade e se tornar um profissional disputado pelo mercado. Confira!

Qual o conceito de empregabilidade?

Trata-se da capacidade do indivíduo de conseguir um emprego e se manter nele sem ser afetado pelas oscilações do mercado. Sendo assim, está diretamente relacionada ao alinhamento entre o que a pessoa tem a oferecer com o que as empresas buscam para o preenchimento de suas vagas.

O conceito foi criado no final da década de 90, pelo educador e orientador profissional José Augusto Minarelli, especialista em recolocação e aconselhamento de carreira, pioneiro no assunto aqui no Brasil.

Quais são os 6 pilares da empregabilidade?

Adequação da profissão à vocação: uma vez que para se tornar um bom profissional e um ser humano realizado, o indivíduo deve conciliar a sua função com a capacidade e paixão pelo que faz.

Competências: as competências que fazem parte da empregabilidade são:

  • Preparo técnico;
  • Habilidade política;
  • Capacidade de liderar pessoas;
  • Habilidade de comunicação oral e escrita em pelo menos dois idiomas;
  • Habilidade de vendas;
  • Capacidade de utilização dos recursos tecnológicos;
  • Habilidade em marketing.

Idoneidade: A idoneidade implica confiança de parte a parte e entre outros fatores, podem-se considerar:

  • Ética;
  • Conduta;
  • Correção;
  • Respeito.

Saúde física e mental: pessoas saudáveis têm bons relacionamentos e interagem de maneira favorável, evitando vícios como, fumar, álcool e drogas. Manter sua autoestima e sua capacidade de realizar projetos. Além disso, a empregabilidade ajuda a:

  • Cuidar do equilíbrio;
  • Atenção ao desgaste exagerado,
  • Cuidar do corpo.

Reserva financeira e fontes alternativas de aquisição de renda: a perda do emprego significa a perda da entrada de receita. Por isso, você deve fazer uma reserva e emergência, para que, mesmo que perca o emprego, consiga se manter estável, até se repor no mercado de trabalho.

Relacionamentos: quem conhece pessoas, adquire informações importantes e relevantes, uma pessoa cuidadosa registra seus relacionamentos. Guarda e cuida deles, retorna as ligações, que podem ser oportunidades de trabalho. Em termos profissionais é muito importante ter um networking.

Qual é o objetivo da empregabilidade?

Qual é o objetivo da empregabilidade? A empregabilidade é fundamental para proporcionar segurança e estabilidade aos profissionais.

A empregabilidade é fundamental para proporcionar segurança e estabilidade aos profissionais. Para quem está em busca de uma recolocação ou de um primeiro emprego, ela garante que a pessoa seja encontrada pelos recrutadores e seja tida como uma opção adequada para a participação dos processos seletivos.

Imagine um candidato que tem boas habilidades e competências, mas não investe em seu desenvolvimento pessoal e profissional. Mesmo que esteja desempregado e buscando por uma recolocação, ele pode não ser encontrado pelos recrutadores por não atender aos requisitos exigidos para a vaga.

Além disso, quem já conquistou uma posição na empresa enfrenta o desafio de mantê-la. Assim, a empregabilidade é uma excelente estratégia, pois, ao desenvolver habilidades e competências, o profissional se torna mais valioso para a empresa, aumentando suas chances de manter-se empregado em um mercado competitivo.

Por fim, é importante se atualizar e se preparar para os novos desafios. Desta forma, se torna mais “simples” assumir novas funções e responsabilidades, o que pode resultar em melhores oportunidades de crescimento e desenvolvimento na carreira.

Quais são os tipos de empregabilidade que existem?

Existem vários tipos de empregabilidade, que se referem às diferentes formas de se obter e manter um emprego. Alguns dos principais tipos de empregabilidade são:

Empregabilidade formal: refere-se a empregos tradicionais, onde o trabalhador é contratado por uma empresa ou organização e recebe um salário fixo. Isso inclui empregos em tempo integral ou parcial, com carteira assinada ou contratos temporários.

Empregabilidade autônoma: envolve trabalhar por conta própria, sem estar vinculado a uma empresa específica. Isso pode incluir profissionais autônomos, freelancers, empreendedores e proprietários de pequenos negócios.

Empregabilidade temporária: refere-se a empregos de curto prazo ou contratos temporários, onde o trabalhador é contratado por um período específico de tempo. Isso pode incluir trabalhos sazonais, projetos específicos ou substituições temporárias.

Empregabilidade remota: envolve trabalhar de forma remota, sem a necessidade de estar fisicamente presente no local de trabalho. Isso pode incluir trabalhos em home office, teletrabalho ou empregos que permitem flexibilidade de localização.

Empregabilidade internacional: refere-se a empregos que envolvem trabalhar em outros países ou ter uma carreira internacional. Isso pode incluir expatriados, profissionais que trabalham em empresas multinacionais ou aqueles que buscam oportunidades de trabalho no exterior.

É importante ressaltar que esses tipos de empregabilidade podem se sobrepor e variar conforme a indústria, o setor e as preferências individuais. Cada tipo de empregabilidade tem suas próprias vantagens e desafios, e a escolha depende dos objetivos e interesses de cada pessoa.

O que fazer para garantir empregabilidade?

O que fazer para garantir empregabilidade? Educação e Aprendizado contínuo, Experiência profissional, Habilidades técnicas

Educação e Aprendizado contínuo: investir em educação formal, como graduação e pós-graduação, bem como buscar oportunidades de aprendizado contínuo, como cursos e treinamentos, ajuda a manter suas habilidades atualizadas e demonstra um compromisso com o crescimento profissional.

Experiência profissional: ter experiência relevante em sua área de atuação é fundamental. Por isso, realizar estágios, ter trabalhos anteriores, projetos voluntários ou freelancers é um ótimo passo. A experiência demonstra suas habilidades práticas e capacidade de aplicar conhecimentos teóricos.

Habilidades técnicas: as habilidades técnicas são específicas para cada área de atuação e são essenciais para realizar tarefas e funções específicas do trabalho. Por exemplo, habilidades técnicas podem incluir conhecimentos em programação, design gráfico, contabilidade, entre outros.

Habilidades interpessoais: as habilidades interpessoais, também conhecidas como habilidades sociais, são importantes para se relacionar e colaborar com colegas de trabalho, clientes e outros profissionais. Exemplos de habilidades interpessoais incluem comunicação eficaz, trabalho em equipe, liderança e resolução de conflitos.

Adaptabilidade e flexibilidade: em um ambiente de trabalho em constante mudança, a capacidade de se adaptar a novas situações, lidar com mudanças e demonstrar flexibilidade é valorizada pelos empregadores. Isso inclui a disposição de aprender novas habilidades, enfrentar desafios e se ajustar a diferentes ambientes.

Pensamento crítico e solução de problemas: a capacidade de analisar informações, identificar problemas e encontrar soluções eficazes é altamente valorizada. O pensamento crítico envolve a habilidade de tomar decisões embasadas, resolver problemas complexos e avaliar diferentes perspectivas.

Gestão de carreira: ter uma visão clara de sua carreira, estabelecer metas e planejar seu desenvolvimento profissional é fundamental. Isso envolve a capacidade de tomar decisões estratégicas, buscar oportunidades de crescimento e adaptar-se às mudanças no mercado de trabalho.

Empregabilidade: exemplos para se inspirar

Ter a capacidade de ser notado e desejado pelas empresas é fundamental para garantir segurança e estabilidade em uma carreira profissional. Existem diversas maneiras de desenvolver a empregabilidade, mas algumas habilidades são consideradas essenciais para qualquer profissional.

A seguir, veja alguns dos principais exemplos de empregabilidade e como desenvolvê-los:

Aprimoramento

Aprimoramento: Uma das formas mais eficazes de desenvolver a empregabilidade é buscar constantemente o aprimoramento técnico e humano

Uma das formas mais eficazes de desenvolver a empregabilidade é buscar constantemente o aprimoramento técnico e humano.

Isso significa estar sempre atualizado em relação às novas tecnologias e tendências do mercado, participar de cursos, workshops e eventos, além de desenvolver habilidades interpessoais, como a comunicação, liderança e resiliência.

O aprimoramento é fundamental para acompanhar as mudanças e evoluções do mercado de trabalho, além de aumentar as chances de conquistar novas oportunidades de emprego e crescimento profissional.

Portanto, investir em educação e desenvolvimento pessoal é uma excelente forma de desenvolver a sua empregabilidade.

Marketing pessoal

Outra forma de desenvolver a empregabilidade é pelo marketing pessoal. Assim, é importante evidenciar as próprias habilidades, competências e experiências de forma estratégica, para se destacar dos demais profissionais na concorrência por uma vaga.

Isso pode ser feito com a criação de um bom currículo, um perfil completo e atualizado nas redes sociais e a participação em eventos da área.

Além disso, é importante desenvolver uma boa imagem profissional, transmitindo confiança, credibilidade e seriedade, por meio da postura, vestimenta e comportamento. Essas são características que podem influenciar a percepção dos recrutadores e colaboradores em relação ao profissional.

Equilíbrio

O equilíbrio entre saúde mental e física é um exemplo importante de empregabilidade. Um profissional que cuida de sua saúde física e mental está mais preparado para lidar com as demandas do trabalho, além de ser mais produtivo e criativo.

Para isso, é importante praticar atividades físicas, cuidar da alimentação, ter uma boa noite de sono e dedicar tempo para atividades de lazer e descanso. Ainda, é fundamental saber gerenciar o estresse e a ansiedade, buscando ajuda profissional caso necessário.

Trabalho em equipe e relacionamento interpessoal

Trabalho em equipe e relacionamento interpessoal: Ter habilidades interpessoais é fundamental para o sucesso no ambiente de trabalho.

Ter habilidades interpessoais é fundamental para o sucesso no ambiente de trabalho. Além de saber se comunicar, é necessário demonstrar empatia, ser capaz de resolver conflitos e trabalhar em conjunto com outras pessoas, respeitando as diferenças e contribuindo para um ambiente saudável.

O trabalho em equipe também é essencial para a empregabilidade. Saber lidar com colegas e liderança, contribuindo de forma positiva e produtiva, pode ser um diferencial na carreira e no engajamento do grupo. Dominar as habilidades interpessoais é um passo importante para ter sucesso em trabalhos em grupo.

Quais são os principais fatores que influenciam a empregabilidade?

No primeiro trimestre de 2022, o desemprego atingiu 10,6 milhões de brasileiros, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nesse universo, a falta de capacitação é apenas um dos fatores que contribuem para a desocupação dos postos de trabalho. Conheça outras causas que comprometem a empregabilidade.

1. Formação acadêmica

As empresas priorizam os profissionais que se dedicam a uma especialidade e investem na qualificação acadêmica. A trajetória de aprendizagem agrega diferentes conhecimentos, habilidades e experiências capazes de aumentar a eficiência do colaborador.

2. Perfil profissional

Além de ter habilidades específicas para atender à vaga, o profissional precisa ter perfil adequado e coerente com os objetivos da organização. Sendo assim, a gestão de pessoas deve formar times plurais, respeitando a diversidade e agregando o perfil de profissional adequado à cultura da empresa. 

3. Experiência de mercado

Não é regra, mas a experiência é bem-vinda e, muitas vezes, decisiva para grande parte dos recrutadores. Portanto, as empresas devem dar condições ao colaborador iniciante, auxiliando-o a conquistar sua própria bagagem para crescer profissionalmente.

4. Rede de relacionamentos

Saber se relacionar com os colegas e gestores é pré-requisito para a qualidade do clima organizacional. Times atuando em harmonia são mais engajados e produtivos. Portanto, manter um bom networking é um fator de empregabilidade e deve ser incentivado pelo RH.

Saiba mais: Comece agora a se tornar um gestor que investe no desenvolvimento de pessoas e gera os melhores resultados para a sua empresa! Faça nosso curso 100% gratuito clicando aqui.

O que fazer para garantir a empregabilidade?

O que fazer para garantir a empregabilidade? Uma boa empregabilidade garante que um profissional deixe de ser invisível ou mesmo seja constantemente incluído em banco de currículos, para ser disputado pelas principais organizações do mercado.

Uma boa empregabilidade garante que um profissional deixe de ser invisível ou mesmo seja constantemente incluído em banco de currículos, para ser disputado pelas principais organizações do mercado. Veja, a seguir, como aumentar a sua empregabilidade e se tornar esse tipo de profissional.

1. Fortaleça seu autoconhecimento

O autoconhecimento é um excelente ponto de partida para aumentar a empregabilidade.

Assim, antes de pensar em qualquer tipo de ação, é fundamental que você se conheça bem, sabendo do que gosta e o que não gosta e, principalmente, tenha seus valores muito bem definidos e esclarecidos.

Esses pontos ajudam a determinar qual área de atuação deseja seguir e qual tipo de empresa se encaixa em seu perfil.

Essa etapa pode requerer a ajuda de um profissional, como um coach, um mentor ou, até mesmo, um psicólogo. O mais importante é entender bem a si mesmo e se sentir seguro em relação a isso para enfrentar os desafios que estarão por vir.

2. Conheça o mercado onde pretende atuar

Enquanto o autoconhecimento diz respeito ao que você tem a oferecer ao mercado, o conhecimento do mercado diz respeito sobre o que ele exigirá de você como um bom profissional.

Por isso, pesquise sobre as principais empresas do setor, entenda quais são as competências organizacionais que elas exigem de seus colaboradores e o que elas têm buscado no perfil de suas vagas.

Nesse momento, uma ótima dica é olhar o perfil dessas empresas no LinkedIn e estabelecer contato com os funcionários delas por lá. Essas pessoas podem passar informações muito importantes para serem usadas de forma estratégica no fortalecimento da sua empregabilidade.

Leia Também:

3. Cuide da sua saúde física e mental

Tanto a saúde física quanto a saúde mental devem ser tratadas como pontos constantes de observação. Afinal, uma pessoa que esteja doente sequer será capaz de mandar bem em uma entrevista, caso seja convidada para uma.

Começando pela saúde física, é preciso:

  • Cuidar da alimentação;
  • Fazer exercícios físicos;
  • Acompanhamento médico de rotina periodicamente.

Já em relação à saúde mental, é fundamental levar o assunto muito a sério.

Desse modo, tenha momentos de lazer incluídos na rotina, tenha um hobbie, leia livros e evite gastar todo o tempo livre nas redes sociais.

4. Controle suas finanças

Controle suas finanças: A saúde financeira é outro ponto crítico da empregabilidade

A saúde financeira é outro ponto crítico da empregabilidade. Manter as finanças em ordem significa ter tranquilidade para tomar decisões importantes na carreira sem ter o dinheiro como um empecilho.

Isso implica em uma possível migração de área, na realização de uma pós ou de um intercâmbio. Ainda, até mesmo na recusa de uma oferta de trabalho que não esteja alinhada com seu perfil.

A principal dica aqui é: tenha uma reserva de emergência de, pelo menos, 6 meses a 1 ano. Se você ainda não tem a sua, comece a fazê-la desde já, mesmo que isso envolve alguns meses de sacrifícios.

Observe seus gastos com atenção, veja se todos eles são realmente necessários e reserve cerca de 30% da sua renda para investir em seu futuro.

5. Forme uma rede estratégica de relacionamentos:

Uma das bases mais importantes da empregabilidade atualmente é o networking. Grande parte das contratações nas empresas têm sido realizadas por meio de indicações dos colaboradores, por isso é tão importante se aproximar das pessoas certas.

Imagine que a sua intenção seja entrar para uma empresa que fomente o intraempreendedorismo e que tenha iniciativas de desenvolvimento de carreira.

A concorrência pode ser bastante acirrada, mas se você já tem o contato de vários colaboradores de empresas com essas características e mantém um diálogo frequente com elas, certamente elas se lembrarão do seu nome em uma oportunidade de indicação.

Para quem já está empregado, o fortalecimento da rede de relacionamentos ajuda na progressão da carreira internamente. Ser bem-visto e bem-relacionado pode gerar promoções mais frequentes e melhores oportunidades de ascensão na estrutura organizacional.

6. Invista em capacitação

Por fim, não dá para falar de empregabilidade sem pensar em capacitação. Toda vaga, seja ela para ingressar em uma empresa ou para ser promovido, exigirá certo nível de conhecimento de seu ocupante. Quanto mais alto for o cargo na estrutura da empresa, maiores também serão as exigências técnicas e comportamentais.

Sendo assim, disponha tempo e dinheiro para aprimorar seus conhecimentos. Entenda quais são as exigências do mercado em relação a isso e trace um plano de desenvolvimento para a sua carreira, com metas claras e objetivas. Inclua:

  • Cursos;
  • Treinamentos;
  • Eventos;
  • Intercâmbios.

Quanto mais fortalecida estiver essa base, melhores serão as vagas a serem pleiteadas.

Como descobrir o seu grau de empregabilidade?

Como descobrir o seu grau de empregabilidade? Para que o resultado seja fidedigno responda a cada afirmação com a máxima sinceridade, retratando a sua situação atual, e não a ideal.

Para que o resultado seja fidedigno, responda a cada afirmação com a máxima sinceridade, retratando a sua situação atual, e não a ideal.

  • Responda S = SIM, N = NÃO, + (MAIS) ou – (MENOS).

– Perguntas:

  1. Eu me envolvo completamente. Trabalho no emprego como se o negócio fosse meu.
  2. Sou fluente na língua inglesa (conversação, leitura, escrita).
  3. Adapto-me rapidamente a todos os tipos de mudanças na empresa.
  4. A profissão que exerço está totalmente de acordo com minha vocação.
  5. Estou sempre criando desafios profissionais para mim mesmo.
  6. Faço pelo menos um curso de curta duração (de 8 a 24 horas) a cada seis meses.
  7. Estou sempre atento às oportunidades de trabalho que surgem no mercado, ligadas à minha profissão.
  8. No trabalho atual que faço na empresa, sou substituível a qualquer momento.
  9. Tenho grande iniciativa e estou sempre inovando no meu trabalho.
  10. Cuido da minha aparência e utilizo roupas adequadas ao ambiente em que trabalho.
  11. Tenho uma rede de contatos e relacionamentos profissionais fora da empresa que podem abrir-me oportunidades de trabalho rapidamente.
  12. Estou sempre me atualizando e fazendo cursos de aperfeiçoamento de média e longa duração em minha área profissional.
  13. Tenho disponibilidade para viajar ou mudar de cidade, se necessário for.
  14. Tenho facilidade de me relacionar com qualquer tipo de pessoa.
  15. Se eu for demitido hoje, possi me recolocar no mercado em, no méximo, dois ou três meses.
  16. Eu (e não minha empresa), sou o maior responsável pelo desenvolvimento da minha carreira e da minha profissão.
  17. Tenho facilidade de vender minhas ideias aos outros.
  18. Sinto-me inibido quando tenho que dar palestras e enfrentar público.
  19. Trabalhar em equipe e interagir com pessoas é um dos meus pontos fortes.
  20. Não me abalo com facilidade. Sei tomar decisões sob pressão e trabalhar em ambientes estressantes.

Some seus pontos:

  • Se você marcou SIM nas afirmações, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 19, 20, some um ponto na sua contagem;
  • Se você marcou NÃO nas afirmações 8 e 18, marque um ponto na sua contagem;
  • Se a sua resposta foi MAIS OU MENOS, some meio ponto.

Guia para descobrir seu resultado no teste de empregabilidade:

Guia para descobrir seu resultado no teste de empregabilidade:

De 18 a 20 pontos:

Parabéns! O desemprego não afeta você, porque sua empregabilidade está no auge. Você sabe investir em você e se destacar no trabalho, tem um bom network, está atento ao que ocorre ao seu redor e às tendências do mercado. Se viesse a perder o emprego rapidamente conseguiria outra colocação.

De 15 a 17,5 pontos:

Sua empregabilidade está entre média e boa. Você procura se atualizar e ser reconhecido pela empresa, embora, talvez, nem sempre o consiga. Demonstra interesse pelo que ocorre no mercado, mas isso não significa que queira trocar de emprego. É provável que você tenha que melhorar seu network.

De 12 a 14,5 pontos:

Sua empregabilidade é regular. Apresenta várias brechas que podem dificultar seu trabalho ou garantir o emprego. Procure analisar como anda seu aprimoramento profissional, seu relacionamento com entidades externas e profissionais da área e, sobretudo, como você está vendendo seu serviço dentro da própria empresa.

Abaixo de 12 pontos:

Sua empregabilidade é baixa. Talvez você está desmotivado ou não se importe tanto com a sua carreira, mas existem itens que vai precisar ajustar. Não subestime seu trabalho, a empresa ou o mercado de trabalho.

Se você trabalha numa organização onde não existe estabilidade de emprego, você tem que investir forte em si e em sua carreira. Boas colocações requerem trabalho intenso e continuado, aperfeiçoamento contínuo, e uma boa rede de contatos.

Conclusão

A empregabilidade é um conceito amplo e necessário na vida de qualquer profissional. Assim, conhecer e fortalecer seus pilares ajuda a pessoa a conquistar uma carreira de muito sucesso, com ascensões mais frequentes e ótimos retornos financeiros.

Neste artigo, exploramos as diversas facetas que contribuem para a empregabilidade, desde a aquisição de habilidades técnicas até o desenvolvimento de competências interpessoais e a disposição para a aprendizagem contínua.

A compreensão e aplicação desses elementos não apenas impulsionam as oportunidades de carreira individual, mas também contribuem para uma força de trabalho mais dinâmica e resiliente.

Em última análise, investir na própria empregabilidade é um caminho estratégico para prosperar em um ambiente profissional em constante transformação.

desenvolvimento e treinamento de pessoas
Assine a nossa Newsletter