Artigos

Escolha

Uma das coisas que nos tornam seres maravilhosos
é o de ter o poder em nossas mãos. O poder, a capacidade de dar ou
estabelecer significados aos acontecimentos de forma animadora, boa e positiva
ou desanimadora, má e negativa.

Recebi um e-mail esta semana de um amigo sobre o Ensinamento Cherokee e
assistindo o filme “The Missing” (Desaparecida), ouvi sobre o mesmo
ensinamento.

Em nossas vidas, nada acontece por acaso! Obrigado AMIGOS!

Os povos indígenas são povos extremamente espiritualizados.

O Ensinamento tem em sua essência o seguinte:

Possuímos dois lobos dentro de nós, sempre em luta.

Um lobo bom e um mau.

Qual dos dois vence?

Em nosso dia a dia a escolha está em nossas mãos.

Medíocre.

Uma palavra simples de um significado amplo, mas de conotação maldosa, que
incomoda e até passa ser desrespeitosa.

Medíocre é o médio ou mediano. Que está entre bom e mau, pequeno e grande.
Ordinário, sofrível, vulgar. Aquele que tem pouco talento, ou pouco
merecimento.

Você quer ser ou estar medíocre?

É claro que não desejamos isto para nós.

Queremos ter sucesso, reconhecimento em nossas vidas.

Já pensou como andam as escolhas e qual o significado que damos aos
acontecimentos em nossa vida?

É muito fácil nos colocarmos como coitadinhos em situações onde estamos
por baixo, na menor diferença entre o de cima e o de baixo.

Nos defender e discorrer o velho e longo monólogo com nós mesmos.

Pare e pense!

O que está fazendo de diferente para alcançar aquilo que deseja?

Às vezes desejamos, mas não atuamos.

Deixamos de fazer aquilo que é necessário ser feito ou simplesmente fazemos
nossas escolhas.

Já presenciei várias pessoas, inclusive eu mesmo, dando o significado
diferente para aquilo que está acontecendo.

O autoconhecimento é o maior caminho para o desenvolvimento.

Quando acontece algo que não é o que queríamos, nos sentimos fragilizados,
angustiados e temerosos.

No Ensinamento Cherokee o que nos deixam reflexivos é quando estamos em plena
briga entre o bom e o mau. Momento de fortalecimento.

Qual dos dois vence?

Lembre-se de uma situação em sua infância onde aconteceu algo que não
desejava.

Naquele momento o que mais queria?

Permitindo-se a esta lembrança poderá lembrar que o que mais queria era
carinho, amor, atenção, validação.

E o tinha, pois corria para perto de quem sempre o protegeu.

Hoje adultos não temos mais a qualquer momento e a disposição, tudo aquilo
que acreditamos que necessitamos.

Temos que procurar ser auto-suficientes. Até quem sempre nos protegeu, se
ainda presentes, querem que tenhamos resultados diferentes. Que tenhamos
posturas diferentes. Somos adultos.

Assim, ou podemos dar um significado diferente, ou podemos ficar nos
lastimando para sempre, ou agir de forma diferente para ter o que queremos.

São escolhas.

Esqueçamos os outros.

Lembremo-nos que o poder está dentro de nós e podemos mudar as coisas que
acontecem em nossa volta.

Vence o lobo que nós alimentarmos mais.

Alimentemos o que nos trás resultados positivos, para deixarmos de ser medíocres,
com resultados medianos, de ficar no meio, pois tenho a certeza que há um
grande potencial e talento a ser desenvolvido até nos que já possuem grandes
resultados.

Uma simples escolha.

Qual irá alimentar?

Boa escolha, uma excelente semana e sucesso a todos!

Artigo de:
Arnaldo Carvalho

Por:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of