Artigos

Estamos Falhando com a Ética e com a Democracia*

Ética, do grego, éthos, diz respeito aos costumes, aos hábitos dos homens, ao seu caráter, ao conjunto de valores morais que orientam, disciplinam, motivam o comportamento humano. As sociedades dela se utiliza para nortear suas ações. Quase a totalidade das categorias de classe trabalhadora, por exemplo, desenvolve o seu código de ética, ou seja, normatizam quais atos e atitudes são ou não aceitas em determinada profissão.

No Brasil, o Decreto-Lei que regulamenta as relações de trabalho, a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), quando faz referência direta à palavra ética, é no Art. 168, § 5º, que se refere às medidas preventivas de medicina do trabalho, onde cita “que o resultado dos exames médicos, inclusive o exame complementar, será comunicado ao trabalhador, observados os preceitos da ética médica.”

Para Barros Filho; Pompeu (2014, p. 25) “Ética é ao mesmo tempo reflexão sobre a vida e vida pensada. Ao mesmo tempo princípio e ação. Norma e deliberação. Decisão e vida decidida. Para Aristóteles, o objeto da ética é a práxis. Para Kant, a vontade. Para ambos, é a ação submetida à razão.” A ética, assim como a democracia, deve estar presentes nas atitudes e ações dos cidadãos.

Nova call to action

No preâmbulo da Constituição Federal da República Federativa do Brasil, consta: “Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus.”

A democracia moderna, de acordo com Baczko (2001) está diretamente correlacionada aos modos de viver em conjunto livremente consentidos por indivíduos emancipados, iguais em dignidade e direitos, já para Mario Quintana “A democracia é dar a todos, o mesmo ponto de partida. Quanto ao ponto de chegada, isso depende de cada um”.

Atualmente o Brasil passa por um momento singular. Vivemos um cenário de debate sobre o impeachment ou não da figura do maior representante da nação, seu presidente, ou presidenta, como preferem alguns…

Uma série de argumentações favoráveis e desfavoráveis permeia o cotidiano do brasileiro. O assunto é debatido no açougue; no salão; no bar; nas universidades; nas igrejas; nas redes sociais e nos softwares de trocas de mensagens de texto, como o WhatsApp. A conversa, o debate, a troca de argumentações são saudáveis e importantes para o processo democrático, porém, o que se observa nas conversas sobre política, quando as ideias não são convergentes, é qualquer coisa menos o respeito à ética e a democracia.

Famílias estão deteriorando-se, criando abismos, trincheiras; amigos que não compartilham da mesma opinião viram ferrenhos opositores, com direito até a troca de xingamentos e a revelações de intimidades. Pessoas estão com medo de serem agredidas em manifestações e de vestirem algo que represente seu partido ou ideais que acreditam.

A televisão propagava para todo o Brasil e fora dele o comportamento nocivo em debates de alguns representantes do povo, eleitos deputados ou senadores, por milhares de votos. Socos, tapas, acusações e cusparadas ficaram registradas nas atas e na memória do povo brasileiro, que replica este comportamento nas ruas.

Conforme os últimos dados da pesquisa Democracy Index, da The Economist Intelligence Unit, que analisa o índice de democrática de 165 países e mais dois territórios, o Brasil, em 2015 ocupou a 51º posição e em 2014 o 44º lugar, ou seja, caímos sete posições no ranking e isto nos afasta de sermos reconhecidamente uma nação democrática. O que estamos ensinando para as futuras gerações? Que exemplos estamos dando para os nossos futuros representantes da Nação? Quando uma família,

O que estamos ensinando para as futuras gerações? Que exemplos estamos dando para os nossos futuros representantes da Nação? Quando uma família, amigos, políticos não conseguem desenvolver um debate saudável, o que se ganha?

Como ensinar que um conflito de ideias não precisa representar um conflito pessoal e que não é necessário que todos tenham a mesma opinião para poderem conversar, serem amigos ou compartilhar de maneira harmônica um ambiente, se não damos o exemplo. As pessoas podem e devem ter visões diferentes, assim como devem saber respeitar a opinião alheia. Não é no braço, na briga, na porrada, que se ganha um argumento. Precisamos que a ética e a democracia estejam presentes nos debates políticos.

__________

* Este artigo foi publicado no Livro Ética geral e profissional: ensaios e reflexões.

Lucineide Cruz, coautora dos Livros:

Livro Gestão de Talentos
http://indicalivros.com/pdf/gestao-de-talentos-lucineide-cruz-juliana-pontelho

Gestão de Pessoas: manual de rotinas trabalhistas

http://indicalivros.com/pdf/gestao-de-pessoas-manual-de-rotinas-trabalhistas-juliana-pontelo-lucineide-cruz

Por: Lucineide Cruz

Mestra em Liderança; Especialista em Marketing Empresarial; Especialista em Gestão de Recursos Humanos; Bacharel em Ciências Econômicas; Acadêmica - Cadeira de nº III de Literatura da Academia Latino-Americana de Ciências Humanas; Comendadora Grão Colar da República Brasileira e da América Latina; Comendadora Projeção 40 Anos; Diretora de Publicações na Rede Internacional de Excelência Jurídica do Distrito Federal; Diretora de Publicações na International Telework Academy; Fundadora da Fácil Editora; Consultora Sênior do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD); Professora em cursos de graduação e pós-graduação; Coautora dos seguintes livros: Gestão de Pessoas: manual de rotinas trabalhistas - Editora Senac; Gestão de Talentos - Editora Senac; Administração em Foco - Editora Camões; Enfoque de Gestión- Editora Nova Letra; Projeção dos Sonhos: a consolidação do conhecimento - Editora Câmara Brasileira de Jovens Escritores; Projeção dos Sonhos: espaço privilegiado do saber em construção - Editora Câmara Brasileira de Jovens Escritores; Ética geral e profissional: ensaios e reflexões - Editora Processus; Saiba Tudo Sobre Constituição da CIPA - Norma Regulamentadora Comentada - Fácil Editora; Reforma Trabalhista: comparação da CLT com a Lei 13.467/17 - Fácil Editora; Economia sem Economês - Fácil Editora; Dicas para você viajar para o exterior com conforto, segurança e economia - Fácil Editora; Gestão do Teletrabalho (Home Office) no Brasil: Casos do Serpro e TCU e métodos para a implantação - Fácil Editora.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of