Artigos

Expatriação: Armadilhas, Causadores Do Insucesso E O Choque Intercultural

Expatriação: armadilhas, causadores do insucesso e o choque intercultural

A expatriação de executivos vem se tornando um fato corriqueiro, pois a globalização chegou para ficar. Muitas empresas estão enviando um número cada vez maior de executivos para trabalharem fora de seus países, para ensinarem novas habilidades, facilitarem a implantação de novos processos, para se desenvolverem dentro da organização ou ainda para liderarem mudanças e equipes.
Do ponto de vista do profissional de recursos humanos existem passos, dentro de um processo desenvolvido para assegurar o melhor desempenho possível, que deveriam ser aplicados e adaptados de acordo com cada situação. Porém vale a pena lembrar que mesmo adotando um processo de expatriação, que é imprescindível, alguns problemas podem acontecer de qualquer maneira.
Segundo pesquisas feitas por décadas com várias empresas e muitos expatriados, os problemas apontados como sendo os principais causadores de uma expatriação de pouco ou nenhum sucesso são sempre as mesmas:

– A (o) esposa(o) apresenta dificuldades ou não se adapta a nova cultura.
– O expatriado apresenta dificuldades ou não se adapta a nova cultura.
– A falta de experiência do expatriado no gerenciamento intercultural.

Vendo estes resultados fica muito claro que é necessário assegurar que o expatriado e, ainda mais importante, sua família se adaptem ao novo contexto.
Normalmente as empresas entendem um processo de expatriação como uma mudança “apenas” de local de trabalho, de casa, de escola, de rotina, mas elas vão muito além disso. As alterações mais complicadas e desafiantes são as relacionadas à cultura, ao novo idioma, a sentimentos, valores, crenças e comportamentos. Sendo o choque intercultural inevitável, todos estes aspectos farão parte da vida destas pessoas, que ainda podem apresentar os seguintes sintomas em maior ou menor escala:

– Sensação de isolamento;
– Saudades extremas de casa;
– Tristeza e Depressão;
– Perda de foco;
– Sensação de desamparo;
– Reações críticas excessivas a cultura anfitriã;
– Distúrbios alimentares ou de sono;
– Hiper-irritabilidade (podendo incluir comportamento inadequado).

O impacto cultural acontece por que quando um expatriado chega a um novo local ele traz consigo suas crenças, valores, visões de mundo, dimensões culturais e expectativas. Isso tudo o ajudava muito no seu próprio país ou para que ele entendesse uma nova cultura vista “de longe”, mas vivendo em um novo país ele necessita de um novo padrão mental para se adaptar ao novo e diferente contexto.
A boa notícia é que todas estas armadilhas, causadores de insucesso e o choque intercultural podem ser minimizados com a aplicação de um processo de expatriação eficiente, que deve incluir preparação intercultural, amplo apoio profissional durante o período da expatriação e preparação para a repatriação, mas este é um assunto que abordarei em um novo artigo.

Glaucos Antunes
glaucosintercultural@gmail.com

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of