Artigos

O que é feedback e como aplicá-lo de forma eficaz?

feedback

Saiba o que é um feedback, seus tipos, seus impactos na empresa e aprenda a aplicá-los de forma eficiente.

Acredite, um profissional pode se sentir desmotivado quando não sabe se está no caminho certo ou se o que está fazendo tem contribuído de forma eficiente para a empresa. Esse hábito é uma via de mão dupla, ou seja, é fundamental tanto para aqueles que lideram quanto para os que são liderados.

Nova call to action

Esta ação serve como ferramenta para melhorar a performance de equipes, qualificar desempenhos e tornar processos mais produtivos. Em uma equipe de desenvolvimento de softwares, por exemplo, antes de pensar em recrutar bons desenvolvedores, é preciso reter os talentos. Para isso, emitir feedbacks e deixar o time motivado é fundamental. Mas afinal, o que é de fato um feedback e como aplicá-lo no dia a dia?

Antes de prosseguirmos, saiba que a ausência de feedback pode impactar negativamente em toda uma estrutura organizacional, impedindo que a empresa cresça de forma contínua e que os colaboradores desenvolvam novas habilidades e competências.

Isso é péssimo, não é mesmo? Mas não se preocupe! Criamos este artigo exatamente para te ajudar. Continue a leitura e descubra a melhor forma de colocar essa estratégia em prática.

O que é um feedback?

O conceito de feedback está ligado à palavra “retroalimentação”, ou seja, retorno da informação ou do processo passado/anterior. Esta ideia é constantemente utilizada na área científica, assim como nas empresas. Em equipes ágeis de desenvolvimento de soluções digitais, esse tipo de prática é fundamental para que os projetos sejam otimizados.

Enfim, ainda que existam maneiras e casos diferentes para o uso dessa palavra, a mais conhecida está ligada a comunicação feita dentro das empresas, na qual vamos falar neste conteúdo.

De modo geral, um feedback consiste em avaliar alguém e compartilhar com essa pessoa informações relevantes observadas em seu trabalho ou desempenho. Nesse caso, um feedback pode ser aplicado de duas formas: formal e informal. Entretanto, não existe certo ou errado. Ambas as maneiras são úteis na hora de fazer considerações sobre algum trabalho ou desempenho, podendo inclusive serem usadas juntas.

Feedback formal

Basicamente, o feedback formal é a forma mais tradicional, onde o líder chama seu liderado para uma reunião e apresenta considerações sobre seu desempenho. Nessa conversa podem ser abordados dados, estatísticas, entre pontos positivos e negativos para chegar a uma conclusão.

A ideia aqui é mostrar para o colaborador quais ações estão de acordo com as estratégias da empresa, quais processos podem ser otimizados e quais devem ser corrigidos. Normalmente, esse tipo de feedback é marcado na agenda dos envolvidos, sendo realizado de forma mensal ou semestral, por exemplo. Em outras palavras, é uma avaliação completa do desempenho do profissional em determinado período.

Feedback informal

Já o informal, como o próprio nome sugere, é aplicado no dia a dia de forma mais natural. Ou seja, o líder usará desse recurso na rotina de trabalho para frequentemente manter seu colaborador alinhado com as expectativas e estratégias da empresa. Além disso, esta também é uma excelente forma de manter o profissional motivado e focado em tornar os processos mais ágeis e produtivos.

Feedback positivo x negativo

Independente se o feedback for formal ou informal, ele pode ser positivo ou negativo. Um retorno positivo, como o próprio termo indica, é dado quando o colaborador consegue atingir os resultados esperados.

É fundamental que sua equipe de trabalho saiba quando estão atingindo os objetivos da empresa e colaborando para o crescimento da organização de forma eficiente. Isso fará com que o time se mantenha motivado em relação às metas da organização. Afinal, é maravilhoso saber que estamos na direção correta, não é mesmo?

Com isso, o feedback positivo se transforma em um necessário processo de reconhecimento, que promove não só apenas engajamento, mas também contribui para retenção de talentos na empresa. Além disso, como mencionamos anteriormente, isso pode ocorrer de ambos os lados. Um gestor também se sentirá valorizado depois de receber um feedback positivo de sua equipe.

Já o feedback negativo é usado em momentos onde o time ou o colaborador não alcança o desempenho esperado, seja em questão de resultados ou comportamento.No entanto, o mais indicado é que esse tipo de feedback aconteça sempre de forma individualizada para não gerar constrangimento ou impactar negativamente o grupo.

Por isso, é fundamental deixar claro para o colaborador que o feedback negativo tem o objetivo de torná-lo mais eficiente e produtivo, servindo também como um suporte para o crescimento do próprio profissional no mercado. Ou seja, a abordagem merece cuidado!

Agora que você entendeu um pouco mais sobre esse costume e como ele pode impactar o crescimento de uma empresa, veja o que fazer para aplicá-lo da forma correta.

Como aplicar uma cultura de feedbacks assertivos

A melhor forma de construir uma cultura de feedbacks produtivos e eficazes é garantir que esta estratégia seja aplicada sempre com a intenção de promover qualidade de vida no trabalho e melhorias tanto no desempenho do colaborador quanto no clima organizacional.

Para que uma avaliação seja bem feita e bem compreendida, você pode considerar quatro fatores, os chamados CCIE (contexto, comportamento, impacto e expectativa). Esta é uma maneira objetiva de promover um feedback, entendendo primeiramente sua necessidade, a motivação e seu objetivo em si.

Além disso, é fundamental pensar juntamente com os funcionários em ações que podem ser colocadas em prática para melhorar os resultados de forma descomplicada. Em outras palavras, não adianta trabalhar metas impossíveis de serem atingidas. É necessário trabalhar alvos que, embora sejam acessíveis, possam instigar o crescimento dos profissionais.

Enfim, para te auxiliar de forma prática, listamos algumas ações que devem ser evitadas ao emitir um feedback. Ou seja, se você quer ser assertivo nessa estratégia, é melhor eliminar essas ações da sua rotina.

O que não fazer:

  • não se abrir para críticas sobre si mesmo ou sobre a empresa;
  • cobranças indevidas, ou seja, cobrar o que nunca foi pedido para o colaborador;
  • expor colaboradores perante o time;
  • se fundamentar em achismos e opiniões, ignorando dados;
  • focar em eventos passados e ignorar a evolução do colaborador;
  • criticar demasiadamente ou elogiar demais, não tendo equilíbrio;
  • não ser coerente em relação às cobranças; entre outros pontos.

Agora que você entendeu um pouco mais sobre o que fazer e o que não fazer em um feedback, use essa estratégia com muita atenção e cuidado para que sua empresa de fato possa colher os benefícios de uma comunicação ágil e eficaz.

Emitir um feedback serve como uma forma preventiva e de desenvolvimento profissional e corporativo. Por isso, busque sempre estar pautado em dados e informações reais sobre os processos antes de fazer uma avaliação.

Em setores mais técnicos e complexos como TI, por exemplo, quando for necessário testar desenvolvedores ou avaliar habilidades técnicas de candidatos em recrutamentos, use ferramentas como o Geniustest, que te permite ser assertivo na hora de analisar resultados.

5 1 vote
Article Rating

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments