Artigos

Feedback positivo: saiba o que é e como conduzi-lo

feedback positivo

O feedback é uma importante ferramenta na gestão de pessoas que garante um melhor desempenho e percepção dos colaboradores sobre o próprio trabalho. Contudo, é comum que as organizações foquem na ferramenta apenas quando algum profissional comete falhas, esquecendo de aplicar o feedback positivo.

Esse tipo de postura é bastante prejudicial à empresa, uma vez que o feedback positivo é um processo de reconhecimento importante para manter a equipe motivada e garantir a continuidade do bom trabalho.

Nova call to action

Quer entender melhor como funciona esse tipo de feedback e como ele deve ser aplicado para gerar resultados ainda melhores? Preparamos este post especial para você sobre o assunto. Confira!

O que é feedback positivo?

A palavra feedback pode ser traduzida livremente como “retroalimentação”, ou seja, um processo em que algo que a pessoa faz, retorna para ela. No meio corporativo, o feedback se refere às avaliações de desempenho feitas junto à equipe.

Dessa forma, podemos classificar como feedback positivo a apreciação pela performance do colaborador, que alcançou ou superou as expectativas da organização. Mas é válido ressaltar que o feedback, seja positivo ou negativo, deve ter um papel construtivo, buscando sempre o desenvolvimento do profissional e o aperfeiçoamento constante.

Para que a ferramenta seja realmente eficiente, a prática do feedback precisa estar incorporada na cultura organizacional, sendo utilizada com constância, não só pelo RH, mas por todos os líderes e gestores da companhia.

Qual a importância do feedback positivo?

Oferecer retornos ao colaborador com periodicidade é de extrema importância para que as equipes se sintam reconhecidas, motivadas e entendam no que estão acertando. Dessa forma, o feedback positivo funciona como uma ferramenta de valorização dos profissionais, mostrando que a empresa reconhece seu potencial e confia neles.

Além disso, essa devolução ajuda a promover a continuidade do bom desempenho, fornecendo o direcionamento necessário para maximizar os bons resultados e garantir o crescimento e desenvolvimento da empresa e dos colaboradores.

Por fim, o feedback positivo também ajuda a estreitar o relacionamento entre líderes e liderados, melhorando processos internos e o clima organizacional, o que resulta em mais engajamento e retenção dos talentos.

Como conduzir o feedback positivo?

Para que o feedback positivo seja conduzido com sucesso, é importante que o RH tome alguns cuidados e treine os gestores de equipe. A seguir, listamos algumas medidas importantes na hora de fornecer esse retorno aos colaboradores.

Crie a situação adequada

Para que um feedback passe a mensagem correta e gere resultados, é preciso que ele seja conduzido em um ambiente adequado e no momento certo. Locais com muito barulho e movimentação, por exemplo, podem dificultar a comunicação e até mesmo gerar ruídos e informações desencontradas.

Além do local, é preciso considerar também o perfil comportamental do colaborador que receberá o feedback. Para tanto, tenha em mente que as pessoas não são todas iguais, já que alguns profissionais podem ser mais reservados e outros mais extrovertidos.

Dar um feedback em público para um colaborador que não gosta de chamar atenção, por exemplo, pode acabar gerando uma situação desagradável. A melhor forma para dar um feedback positivo, portanto, é buscar um local calmo e fornecer as informações em particular.

Introduza o assunto que será abordado

É comum que os colaboradores fiquem ansiosos em situações de feedbacks. Afinal, eles não sabem o que vão escutar. Dessa forma, é importante introduzir desde o início o assunto que será tratado, de maneira cordial e cuidadosa, para que o profissional entenda o contexto.

Aqui, você pode começar falando que tem observado as atividades do colaborador, apontando em quais tarefas ele teve um bom desempenho. Além disso, mostre quais as prioridades e a conduta que deve ser reproduzida e continuada nos próximos trabalhos.

Reconheça o trabalho do colaborador

Essa é uma das partes mais importantes de um feedback positivo. Isso porque, o reconhecimento é uma importante fonte de motivação para os colaboradores e um estímulo para que eles continuem fazendo um bom trabalho.

Nesse cenário, é interessante que você aponte os bons resultados de sua performance, ressaltando suas competências e as melhorias que ele apresentou em relação a tarefas anteriores.

Ainda, é importante entender que o feedback positivo não é um simples elogio, logo, é preciso que ele tenha embasamento real, para que o colaborador entenda no que está acertando e gere um novo ciclo positivo. 

Elogios mal colocados e sem embasamento podem fazer com que o profissional fique confiante demais, o que aumenta a probabilidade de erros ou inferioriza o trabalho dos demais colaboradores.

Cite exemplos

A forma mais simples de contextualizar um feedback positivo é apresentar exemplos de experiências vividas e tarefas bem-sucedidas. Assim, para que o profissional dê continuidade à boa performance, é imprescindível que ele entenda claramente o que foi feito de forma correta.

Citar exemplos é uma boa maneira de deixar as situações mais palpáveis e visualizáveis, garantindo uma replicação dos bons padrões.

Pontue o que precisa ser mudado

Mesmo no caso de um feedback positivo, o gestor pode aproveitar para apontar melhorias e criar planos para que o colaborador evolua ainda mais. Assim, é importante ter em mente que, até mesmo o melhor dos colaboradores, pode cometer falhas ou deixar passar alguns detalhes.

Nesses casos, aproveite o momento do feedback para pontuar as situações e mostrar qual o comportamento esperado. Ao reforçar as atitudes que precisam ser revistas, é fundamental que você seja cuidadoso para não transformar um feedback positivo em uma situação constrangedora, que pode impactar na motivação do profissional.

Mantenha a periodicidade dos feedbacks

Para que o bom desempenho seja contínuo, o RH e os líderes devem criar uma cultura de feedbacks periódicos. Isso porque, se você dá um bom retorno ao profissional e nunca mais realiza novos feedbacks, ele tem a impressão de que seu trabalho não está mais sendo visto, o que impacta diretamente em sua motivação.

Além dos feedbacks positivos, pode ser necessário aplicar, também, feedbacks negativos. Nesses casos, a abordagem deve ser construtiva, sempre buscando melhorias e propondo mudanças para que o profissional alcance o desempenho esperado.

O ideal é manter um equilíbrio entre feedbacks positivos e negativos para promover o aprimoramento e desenvolvimento do time, sem impactar na motivação dos colaboradores.

Peça feedbacks à equipe

Uma boa ideia para tornar os feedbacks mais construtivos é tornar a comunicação uma via de mão dupla, pedindo aos colaboradores ideias e dicas para garantir mais produtividade e desempenho às equipes.

Dessa forma, é possível tornar os profissionais mais participativos e ativos, mostrando que você valoriza, não só o trabalho deles, mas também suas ideias e propostas.

Quais erros evitar ao dar um feedback positivo?

Já explicamos as vantagens de um bom feedback positivo e como ele deve ser aplicado para garantir os melhores resultados. Mas é importante entender, também, que se a ferramenta não for utilizada do modo correto, ela pode influenciar no processo.

Dessa forma, é essencial que o RH treine os gestores para que eles estejam preparados para fornecer feedbacks sem gerar constrangimentos ou situações desagradáveis.

Um dos principais erros das empresas é acreditar que os feedbacks positivos não são necessários ou que beneficiam apenas o colaborador. Essa ideia é equivocada. Para que a empresa continue competitiva no mercado, é necessário aplicar críticas e elogios para corrigir falhas e atender as necessidades do público.

Além disso, outro erro comum é não ter uma cultura de feedbacks e fornecer esse tipo de retorno apenas esporadicamente. Dessa forma, o colaborador não consegue entender no que está melhorando, para manter um desenvolvimento contínuo.

Ignorar os feedbacks dos colaboradores também é um erro, pois faz com que eles acreditem que sua opinião não é valorizada e que eles não têm autonomia e liberdade para expor suas percepções.

Além dos erros citados, outras práticas também devem ser evitadas na hora de aplicar esse tipo de feedback:

  • falta de embasamento real;
  • comparações;
  • elogios exagerados;
  • verticalização da gestão;
  • feedbacks aplicados muito tempo após o ocorrido;
  • exposição do colaborador frente à equipe;
  • falta de planejamento e preparo;
  • elogios em momentos inoportunos;
  • falta de acompanhamento contínuo.

Qual o momento ideal para dar um feedback positivo?

Como vimos, o momento em que o feedback positivo é aplicado também é um ponto importante para se considerar. Ainda, que esse tipo de retorno deve ser utilizado sempre que um colaborador ou uma equipe alcança os resultados esperados ou quando vão além das expectativas.

A maioria das companhias tem um cronograma preestabelecido com períodos específicos para avaliações de desempenho e feedbacks. Nesses casos, é importante criar uma programação contínua, que não seja muito espaçada, como uma vez ao mês.

Programar uma agenda específica é uma boa maneira de preparar a equipe para que ela fique consciente da avaliação que a espera, buscando sempre melhorar seu desempenho e entregar bons resultados.

Concluindo, o feedback positivo é tão importante quanto o negativo e pode ser utilizado como uma poderosa ferramenta de motivação e desenvolvimento para os colaboradores. Ao aplicá-lo, o gestor deve ser cuidadoso e considerar o perfil de cada profissional, entendendo o que ele valoriza e como prefere ser abordado.

Agora que você já sabe como conduzir um feedback positivo e quais erros evitar, baixe nosso e-book gratuito e descubra também como calcular o ROI em gestão de pessoas.

0 0 votes
Article Rating

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments