Artigos

Funcionários decidem salário de colegas e empresa reduz turnover em 66% com ferramenta

Percival dá autonomia à equipe com avaliação de desempenho rápida e justa e estimula time mais ágil e motivado

“Quanto o seu colega contribui para a empresa ou para o projeto em que estão trabalhando?”. Essa é uma das simples perguntas feitas na avaliação de desempenho Percival (www.percival.live), em que colaboradores determinam o salário dos seus colegas. Aplicando o mindset ágil, a ferramenta colabora para um time satisfeito com a remuneração, engajado e produtivo, e para a redução de turnover de funcionários de até 66%.

“O Percival produz um resultado numérico justo sobre o tamanho da ‘fatia do bolo’ que cada um merece, na opinião coletiva do time, resultando em colaboradores mais felizes”, afirma o CEO, Klaus Wuestefeld, pioneiro em métodos ágeis no Brasil. A mudança é imediata: os profissionais passam a ter uma visão mais sistêmica, com maior autonomia, colaborativos e dispostos a comunicar e participar mais – além da consequente retenção de talentos.

Nova call to action

Extensas e subjetivas análises de performance centralizadas nos gestores tornam-se obsoletas com a ferramenta, que requer 15 minutos para que cada membro da equipe use a interface intuitiva, fazendo uma comparação cuidadosa – e confidencial – dos colegas usando o sistema drag-and-drop (arrastar e soltar). O algoritmo do Percival se encarrega, então, de cruzar as informações e fazer os cálculos para gerar os gráficos e os relatórios. “Enquanto uma avaliação 360° demora vários dias para ser completada, com o plataforma pode-se completar todo o processo em apenas um dia”, compara Wuestefeld.

O empresário criou a solução em 2002, quando percebeu que passava muito tempo analisando a remuneração da equipe que gerenciava. “Usamos o processo como ‘arma secreta’ por muitos anos até que decidimos compartilhá-la, em 2015”, conta. Já foram feitas mais de 10 mil avaliações até agora.

Ferramenta reduz turnover de empresa em 66,7%
O turnover é um dos índices mais importantes do setor de RH – medido pelo número de saídas de colaboradores em um determinado período – e tem significativa redução com o uso do Percival. “Quanto mais satisfeitos, menor a rotatividade dos funcionários. Isso significa maior produtividade e faturamento porque cada novo recrutamento demanda treinamento, tempo e dinheiro”, observa o CEO da startup.

O setor de tecnologia tem a maior taxa de turnover, segundo o guia Rotatividade do LinkedIn Talent Insights 2019, com 13,2%. Na Webgoal, a taxa passou de 33,3%, em 2017, para de 21,7% em 2018 e caiu para 11,1% no ano seguinte – uma redução de 66,7% em dois anos. “É comum o aumento de salário ser visto como tabu, ainda mais em empresas com gestão horizontal, como a nossa. O Percival faz uma mensuração sobre a apreciação da contribuição de cada um e nos ajuda nas decisões”, conta Altieres Ribeiro Lopes, sócio-fundador da holding de negócios inovadores.

Além de ajudar a definir a remuneração de times dinâmicos, colaborativos e multidisciplinares, o Percival também pode ser usado como base para bonificações e demissões. “Recomendamos as rodadas de avaliação de duas a quatro vezes por ano, dependendo do dinamismo da empresa, para acompanhar a evolução dos profissionais”, diz Wuestefeld. A ferramenta é gratuita para equipes de até cinco membros e parte de R$ 50 por pessoa para grupos maiores.

5 2 votes
Article Rating

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments