logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Início > Carreira e Negócios > Fusão de empresas: O que é, seus tipos e como liderar

Sumário

Fusão de empresas: O que é, seus tipos e como liderar

Entenda o processo de fusão de empresas para conseguir se comunicar com o colaborador, explicar o que está acontecendo e mantê-los engajado durante a integração das empresas. Boa leitura!

Movimentos de fusão de empresas demandam grandes alinhamentos não só na visão do negócio, mas também na cultura organizacional. Ao unificar duas empresas distintas, é preciso integrar os valores e rituais de ambas no objetivo de desenvolver um ambiente de trabalho colaborativo.

A cultura organizacional descreve a visão dos membros da corporação, dos funcionários à liderança, que reflete na mentalidade predominante no dia a dia de trabalho. Durante a integração de duas empresas, o principal cuidado deve ser em reconhecer, valorizar e integrar essas culturas.

Quer algumas dicas sobre como cuidar da cultura organizacional na fusão de empresas? Continue a leitura deste post!

O que é fusão de uma empresa?

A fusão de empresas nada mais é do que a união ou a mistura de duas empresas, que passam a se tornar apenas uma.

O foco principal com a fusão de dois negócios é conseguir gerar uma nova organização que seja muito mais forte do que ela era quando estava sozinha.

Por isso, é comum encontrar empresas fazendo fusão para ganhar força no mercado de atuação. Isso envolve a unificação de produtos, serviços, processos e equipe.

Quais são os tipos de fusão de empresas que existem?

Apesar de ser mais comum a fusão de empresas do mesmo setor, simplificando o processo de integração, existem outros tipos de fusões que você precisa conhecer. Abaixo abordaremos um pouco sobre cada uma delas:

planejamento de carreira

Fusão vertical: aqui as empresas atuavam no mesmo setor, mas não de forma direta. Enquanto que a empresa A pode fabricar roupas, a empresa B pode criar os panos. Assim, deixa de existir um intermediário, o que torna mais vantajoso para ambos os negócios, já que agora eles atuam no segmento de ponta a ponta.

Fusão horizontal: ambas as empresas vendem produtos parecidos, mas, elas são pequenas dentro do setor. Por isso, elas se unem para se tornarem maior e obter maior escala do mercado.

Conglomerado: neste caso, as empresas não atuam no mesmo segmento. Normalmente, essa união é válida quando o intuito é aumentar os lucros dos acionistas. Para isso, uma se utiliza do recurso da outra para ganhar mais espaço nos seus respectivos mercados.

Fusão de extensão de mercado: aqui, ambas as empresas atuam em segmentos diferentes, mas vendem o mesmo tipo de produto. Um bom exemplo, são produtos de banho para bebês e a outra com produtos de banho adulto.

Fusão de extensão de produto: esse tipo de fusão de empresas acontece quando uma empresa oferece produtos que complementam a outro. Enquanto que a empresa A oferece produtos para cuidado de pele, a outra vem com linha de maquiagem vegana.

Como ajudar os colaboradores a se adaptar a um processo de fusão de empresas?

Como ajudar os colaboradores a se adaptar a um processo de fusão de empresas?

Compartilhe o propósito:

Trate de compartilhar o propósito de negócio da fusão de empresas. É importante desenvolver ações de comunicação interna que propaguem a mensagem em treinamentos, e-mails ou qualquer outro canal de comunicação com os colaboradores.

Identifique valores em comum:

Dedique um profissional a entender mais sobre a cultura organizacional de cada uma das empresas. É importante fazer um mapeamento que apresente os principais valores de cada uma.

Com essas informações reunidas, você deve identificar os valores convergentes, divergentes e complementares de cada empresa. Feito isso, estruture a nova lista de valores que deverão ser trabalhados a partir da fusão.

Os valores de uma empresa representam o comportamento esperado na equipe em situações diversas de trabalho, envolvendo a relação com clientes, fornecedores e colegas.

Saiba mais:

Entreviste pessoas de ambas as partes:

Uma boa prática é conduzir conversas com pessoas de diferentes hierarquias, de ambas as empresas. A entrevista deve ser focada em entender a satisfação com a empresa, o clima com a mudança organizacional, as expectativas e, também, vieses culturais.

Confira algumas perguntas que você pode fazer durante a entrevista com os profissionais:

  • Quais os rituais de trabalho você considera relevantes?
  • Como você vive os valores da empresa no dia a dia?
  • Como é sua integração com a equipe atual em termos de trabalho em equipe?
  • Na sua visão, quais são os principais ganhos com a fusão das empresas?
  • Quais serão os principais desafios enfrentados nesse momento de mudança?
  • O que você gostaria que mudasse na sua rotina de trabalho a partir dessa integração?
  • Quais são os ganhos que você enxerga para sua carreira com a fusão das empresas?
  • Qual sua expectativa com a liderança?
  • Quais valores são indispensáveis para você?

Faça um mapeamento dos rituais:

Faça um mapeamento dos rituais: Os rituais de uma empresa são elementos essenciais para a construção e solidificação de uma cultura organizacional

Os rituais de uma empresa são elementos essenciais para a construção e solidificação de uma cultura organizacional. Isso porque os rituais unem as pessoas e as colocam em situações adversas em que elas podem interagir e colocar os valores em prática.

Durante o momento de fusão de empresas, um passo importante é mapear os rituais de ambas. Identifique os rituais em comum, os rituais diferentes e aqueles complementares. Alguns exemplos de rituais são:

  • Reuniões semanais com a liderança direta;
  • Reuniões semanais de time para alinhamentos da rotina;
  • Workshops e aulas ministradas pela própria equipe ou por convidados;
  • Reuniões mensais de time para compartilhamento de metas e resultados;
  • Reuniões semestrais com toda a empresa para compartilhamento de resultados e apresentação do planejamento estratégico.

Esse mapeamento dos rituais pode ser feito diretamente na entrevista com os profissionais de ambas as empresas. Devem ser mapeados desde os rituais menores, que envolvem menos pessoas, até aqueles maiores, que agregam toda a companhia.

Entenda o que é construtivo ou não na rotina dos colaboradores. Alguns rituais costumam ficar imersos na rotina, mas não entregam valor à equipe. Por isso, não deixe de questionar o quanto cada ritual contribui na carreira e rotina de trabalho.

Identifique os embaixadores da mudança:

Os embaixadores são os membros da empresa que acreditam no propósito da mudança e podem ser aliados para compartilhar valores e boas práticas no dia a dia de trabalho.

Aproveite as entrevistas para identificar aqueles que enxergam grandes ganhos à carreira e ao crescimento da empresa no momento de fusão.

Essas pessoas se mostram alinhadas ao propósito de negócio e não precisam, necessariamente, estar em cargos de liderança. É importante ter representantes em todas as hierarquias.

Identificados os embaixadores, a alta liderança pode convidá-los para serem ouvidos nos momentos de compartilhamento de clima da empresa.

Mostre aos embaixadores que eles são representantes da equipe e faça um acompanhamento frequente para entender como está o clima da área.

Vale a pena também convidar os embaixadores para contribuir em ações de comunicação.

Se houver uma reunião ou comunicação, por exemplo, compartilhando alguma mudança ou informação sensível, os embaixadores podem ser convidados para receber esses dados em primeira mão e dar feedback sobre o que foi entendido e como aquela mensagem pode ser melhorada.

Treine as lideranças:

Treine as lideranças: As lideranças devem carregar a mensagem principal da empresa de forma cascateada.

As lideranças devem carregar a mensagem principal da empresa de forma cascateada. Não deixe de fazer alinhamentos sólidos sobre o propósito da fusão e os ganhos não só para a empresa, mas também para toda a equipe.

É importante que as lideranças conduzam conversas individuais com a equipe para entender o clima diante da mudança e para reforçar o propósito.

Comumente, movimentos de fusão de empresas trazem grandes oportunidades à equipe. Então, cabe à liderança orientar cada membro a enxergar os potenciais ganhos à carreira com essa integração das marcas.

Saiba mais: Aprenda a ser um protagonista, além do que fazer para ser visto e reconhecido em sua organização e sua carreira.
Clique aqui e faça nosso curso gratuito.

Pratique novos rituais:

Os rituais mapeados devem ser implementados em toda a equipe. Os times de ambas as empresas devem se unir e se integrar nos novos rituais da corporação.

Lembre-se de que cada cultura deve ser reconhecida e representada nos rituais. Vale a pena ter cuidado para que uma cultura não seja imposta à outra, já que isso não gera identificação e, consequentemente, pode resultar na perca de talentos.

Em casos de fusões de equipes internacionais, por exemplo, considere construir rituais de desenvolvimento de idiomas ou comemoração de culturas locais. Assim, as equipes podem se conhecer para além da rotina de trabalho e construir uma dinâmica ainda mais colaborativa.

Conclusão

Cuidar da cultura organizacional na fusão de empresas é uma ação que demanda compreensão de diferentes valores e, principalmente, comunicação.

Considere o momento de integração como uma oportunidade para realinhar a rota da empresa e desenvolver novas ações colaborativas.

desenvolvimento e treinamento de pessoas
Assine a nossa Newsletter