Artigos

Gestão de Benefícios e suas implicações para a organização e ao colaborador

A gestão de benefícios bem elaborada e aplicada corretamente dentro da organização poderá ter resultados positivos, tanto para o colaborador quanto para a organização. As organizações necessitam estar sempre competindo frente aos seus concorrentes e constantemente trazer o bem estar profissional aos seus colaboradores, para isso a gestão de benefícios é uma peça fundamental para a concretização destes aspectos. 

Com o avanço em oferecer benefícios aos colaboradores às indústrias ou organizações aderiram à conscientização e a responsabilidade social para com o colaborador e para com a sociedade, as organizações passaram a entender que o seu maior capital são os seus colaboradores, embora algumas organizações ainda possuem o pensamento de que o seu maior capital são os recursos materiais.

O surgimento da gestão de benefícios 

Em meados dos anos de 1927 foram criados estudos sobre a influência de fatores físicos sobre o desempenho e qualidade dos recursos humanos que trabalhavam nas indústrias, onde a partir deste momento foram levantadas questões que eram relevantes para o bom andamento das atividades profissionais como: horas de trabalho, período de descanso, fatores como família, satisfação pessoal e profissional, bem-estar profissional e segurança. Que poderiam influenciar na produtividade de um colaborador, com os estudos destes assuntos despertou o interesse em: ouvir as opiniões dos colaboradores, aconselhamentos profissionais, recreação em grupo e principalmente nos benefícios oferecidos pelas organizações.

Nova call to action

O tema benefícios veio de certa forma aparecer a partir de 1927 e com isso foram criadas várias abordagens e aperfeiçoamentos para este tema desde então, onde podem ser citados alguns tipos de benefícios como: benefícios legais, benefícios espontâneos, benefícios monetários, benefícios não monetários. Tudo isso para criar um ambiente de trabalho flexível, facilitador e sedutor para o colaborador, onde o mesmo terá um amplo respaldo ao seu lado. 

Conforme ilustra o quadro abaixo veja resumidamente o explicativo dos benefícios citados acima:

Explicativo de Alguns Tipos de benefícios 
Tipos de Benefícios  O que é?
Benefícios legais São aqueles garantidos pela CLT ou por convenções sindicais, e que toda empresa é obrigada a oferecer. São eles: 13º salário, PIS, hora extra, vale-transporte, FGTS e férias.
Benefícios espontâneos São aqueles que a empresa, voluntariamente e sem nenhuma obrigação, decide conceder aos seus trabalhadores. Exemplos: cesta básica, tíquete-refeição, bônus, gratificações, assistência médica e odontológica e empréstimos consignados.
Benefícios monetários São gratificações em dinheiro concedidas pela empresa, registradas na folha de pagamento, gerando encargos sociais para o governo. São exemplos: aposentadoria, complementação de aposentadoria, financiamento de remédios, férias e planos de empréstimo.
Benefícios não monetários São os benefícios em forma de serviços e facilidades, disponibilizados diretamente ao trabalhador. Exemplos: refeitórios e lanchonetes, acesso a clubes, transporte da empresa, serviços sociais e horários flexíveis.

 

(IBCCOACHING, Disponível em: <http://www.ibccoaching.com.br/portal/rh-gestao-pessoas/o-que-e-beneficio-social-e-sua-importancia/>. Acessado em: 23 ago. 2020).

Alguns passos seguros que as organizações devem tomar para oferecer benefícios ao colaborador: 

  1. Saber que ela está visando o bem-estar do colaborador. 
  2. O segundo passo é verificar na lei trabalhista (Consolidação das Leis Trabalhistas, Constituição federal e sindicatos) se ela está cumprindo as determinações legais, por exemplo: 
  3. Se os valores dos benefícios estão adequados, 
  4. Se o benefício está sendo pago no dia correto, 
  5. Se o benefício está dando a cobertura mínima necessária para o colaborador (exe.: assistência médica, odontológica, seguro de vida), 
  6. Se está sendo realizado o desconto do benefício ao colaborador de forma que não exceda o limite de descontos e demais cláusulas que estejam estipuladas nas leis trabalhistas. 
  7. E o terceiro e último passo é fazer o acompanhamento periódico dos benefícios oferecidos, por exemplo: 
  8. Ficar atento aos percentuais de reajustes de aumentos e diminuição nos preços (de vale transporte, vale refeição, vale alimentação e etc.), 
  9. Acompanhar os novos modelos de cartões e senhas, 
  10. Acompanhar as desistências e anulações de benefícios motivados pelo colaborador ou por força de lei como, por exemplo, afastamentos no trabalho.

A visão do colaborador

Muitas organizações acabam retendo os seus talentos por causa dos benefícios oferecidos, hoje em dia não é apenas o salário um fator que irá diferenciar a estadia do profissional na empresa, muitos colaboradores estão preocupados e interessados não somente com o salário, mas sim o que a organização pode oferecer para o seu bem estar e para a sua família como, por exemplo: se a empresa oferece o convênio médico, assistência odontológica, seguro de vida, pois assim o colaborador não irá precisa ter em seu orçamento mensal estes gastos. Vemos também que o colaborador trabalha muito mais motivado quando a organização oferece a ele qualidade de vida no trabalho, pois o ser humano sempre se preocupou com o seu bem-estar.

Na grande maioria das organizações a qualidade de vida no trabalho está ligada aos benefícios que ela oferece aos seus colaboradores, isto acaba sendo um fator motivacional. Isto pode trazer maior produtividade, aumento em seu desempenho profissional, envolvimento com a empresa, realização pessoal, segurança e proteção familiar e qualidade de vida, vimos que isto pode resultar positivamente tanto para a organização quanto para o colaborador.

As vantagens da aplicação de benefícios para a organização e para o colaborador:  

Vantagens dos benefícios
Para a Organização Para o colaborador
• Eleva a moral dos empregados; • Oferece conveniências não avaliáveis em dinheiro;
• Reduz a rotatividade e o absenteísmo; • Oferece assistência disponível na solução de problemas pessoais;
• Eleva a lealdade do empregado para com a empresa; • Aumenta a satisfação no trabalho;
• Aumenta o bem-estar do empregado; • Contribui para o desenvolvimento pessoal e bem estar individual;
• Facilita o recrutamento e a retenção do pessoal; • Oferece meios de melhor relacionamento social entre os empregados;
• Aumenta a produtividade e diminui o custo unitário do trabalho; • Reduz sentimentos de insegurança;
• Demonstra as diretrizes e os propósitos da empresa para com os empregados; • Oferece oportunidades adicionais de assegurar o status social;
• Reduz distúrbios e queixas; • Oferece compensação extra;
• Promove relações públicas com a comunidade. • Melhora as relações com a empresa;
• Reduz as causas de insatisfação.

 

Fonte: (Chiavenato, 1998, p. 142).

Vale ressaltar que muitos acabam se aproveitando que a organização oferece ótimos benefícios e só querem a efetivação para desfrutar dos benefícios oferecidos por ela, mas não cumprem com suas responsabilidade e obrigações profissionais e acabam tornando o ambiente de trabalho ruim e sobrecarregado, porque se o colaborador não cumprir com suas tarefas diárias ele irá sobrecarregar o trabalho de seus colegas. Por isso se não houver um equilíbrio, a concessão de benefícios por si só não irá ser a resolução da motivação, da qualidade de vida e do bem-estar profissional.

Conclusão

Diante da importância do tema abordado é possível verificar que novas ideias devem ser realizadas para o aprimoramento deste assunto, pois a tendência do futuro são organizações atraentes com os melhores benefícios oferecidos e colaboradores que buscam cada vez mais benefícios que serão fatores de decisões em escolhas de oportunidades de emprego.

A implantação de benefícios não é um assunto difícil de tratar, mas também ele não pode ser considerado apenas um custo excessivo e sem utilidade para organização, pois se bem implantado e seguindo e obedecendo aos princípios básicos de implantação e acompanhamento de todo processo. Todos os envolvidos neste tema (gestão de benefícios) serão consideravelmente coerentes nas suas ações frente a este subsistema que só vem ganhando força na administração de recursos humanos.

REFERÊNCIAS

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração. 3. ed. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1983.     

IBCCOACHING. Gestão de Pessoas: O que é benefício social. Disponível em: <http://www.ibccoaching.com.br/portal/rh-gestao-pessoas/o-que-e-beneficio-social-e-sua-importancia/>. Acesso em: 23 fev. 2017.

Por: Professor Wanderlei de Souza.

Atualmente é tutor de ensino à distância da universidade nove de julho, além de já ter atuado como coordenador de recursos humanos no ramo empresarial, possui pós-graduação em psicologia organizacional e do trabalho, MBA em gestão de recursos humanos, pós-graduação em especialização em educação a distância e graduação superior em gestão de recursos humanos. Tem experiência com docência em escola técnica profissionalizante na área de administração, logística e recursos humanos e já ministrou videoaula pela Laureate EAD em cursos de graduação. Possui alguns cursos em: ISO 9001-2008 e formação de auditores internos, normas NR-5, benefícios e incentivos trabalhistas e afastamentos nos contratos de trabalho.

Redes sociais de relacionamento:

Linkedin: 

https://www.linkedin.com/in/wanderlei-de-souza-896a9926

Plataforma Lattes: 

http://lattes.cnpq.br/9076024728956414

Email:

wanderley88souza@hotmail.com

Telefone: (11) 96493-9652

5 1 vote
Article Rating

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments