Artigos

Gestão Estratégica de Pessoas: o que é e quais são os pilares

gestão estratégica de pessoas

Os avanços tecnológicos e sociais dos últimos anos refletiram em diversas áreas do nosso cotidiano. E essas transformações mudaram também a forma como as relações de trabalho se dão, exigindo que o departamento de Recursos Humanos se adaptasse a um novo modelo.

Assim, surgiu o conceito de gestão estratégica de pessoas, uma abordagem voltada para o treinamento e desenvolvimento de colaboradores, a fim de melhorar os resultados individuais e coletivos das organizações.

Nova call to action

Mas afinal, quais as diferenças desse modelo para uma gestão de pessoas tradicional? Neste guia completo, falaremos um pouco mais sobre a abordagem, seus benefícios e principais pilares para a construção de uma gestão estratégica. Quer ficar por dentro do assunto? Então, continue a leitura.

O que é gestão estratégica de pessoas?

Trata-se de uma nova abordagem do RH, que visa entender os colaboradores e alinhar seus interesses com os da organização. Assim ela foi criada, com o intuito de suprir uma nova demanda de mercado, por conta das mudanças tecnológicas, socioeconômicas e geracionais.

Isso porque, os profissionais não estão mais interessados apenas no salário que a empresa pode proporcionar, mas também em outros fatores, como benefícios corporativos, crescimento de carreira e oportunidades que tragam desafios e flexibilidade.

Assim, a gestão estratégica reúne novas medidas para a administração de colaboradores, desde o recrutamento e seleção, oferecendo treinamentos e desenvolvimento de competências, saúde ocupacional, segurança no trabalho, remuneração e benefícios.

Dessa forma, é possível garantir mais motivação, engajamento e retenção de talentos, o que ajuda a empresa a alcançar melhores resultados e a bater metas, por meio de uma equipe comprometida e qualificada.

Gestão tradicional x gestão estratégica

Quando falamos em gestão tradicional de pessoas, a referência é um modelo paternalista de trabalho, no qual a administração de colaboradores era realizada por meio de hierarquias verticais.

A gestão estratégica, por sua vez, surge para quebrar esse paradigma, com um modelo horizontal e colaborativo. Essa mudança foi necessária, principalmente por conta da inserção dos Millennials no mercado de trabalho.

Nesse contexto, a conhecida geração Y trouxe novos valores e prioridades diferentes das gerações passadas, buscando por empresas flexíveis, com modelo de trabalho horizontal e receptivas à inovação, criatividade e responsabilidade social.

Assim, os gestores de RH precisaram mudar sua abordagem para conquistar os melhores candidatos. Portanto, a gestão estratégica veio para trazer um maior foco no capital humano, aproximando a empresa de seus colaboradores.

Qual a importância de tornar o RH estratégico?

Diante de todas as transformações sociais, tecnológicas, econômicas e culturais vividas nas últimas décadas, a gestão estratégica de pessoas têm se mostrado uma excelente solução para conciliar interesses entre empresa e colaboradores, além de melhorar o rendimento das equipes.

Mas para entender sua importância, é preciso compreender melhor as movimentações sociais pelas quais o mercado de trabalho passou ao longo dos anos. Com a democratização do acesso à tecnologia e aos níveis mais altos de escolaridade, os profissionais estão cada dia mais qualificados e exigentes ao buscar vagas de emprego. 

Assim, eles podem escolher em quais empresas querem trabalhar e buscar por oportunidades em organizações que ofereçam um propósito, tenham uma cultura clara e um modelo de trabalho compatível com o que buscam.

Por conta dessa mudança de cenário, o gestor de RH assume maior protagonismo dentro das empresas, uma vez que passa a atuar com mais critério em todas as suas atividades, com foco no capital humano e na criação de estratégias que visam potencializar as experiências do colaborador.

Ainda, uma organização comprometida com esse modelo de gestão consegue integrar toda a equipe, colaborando para o alcance de metas e objetivos. Isso porque, as ações contínuas implementadas resultam em uma equipe mais motivada e engajada.

Além disso, essa nova abordagem é um diferencial competitivo capaz de atrair e manter colaboradores, potencializando os processos de recrutamento e diminuindo as taxas de turnover, absenteísmo e presenteísmo.

Por fim, pessoas mais motivadas também produzem com maior eficiência e qualidade, garantindo a integridade dos processos e possibilitando a expansão do negócio de forma progressiva e bem estruturada.

Quais os benefícios da gestão estratégica de pessoas?

A gestão estratégica é muito benéfica tanto para os colaboradores quanto para a organização. Assim, se aplicada da forma correta, ela pode favorecer todo o ciclo de vida do colaborador dentro da empresa. A seguir, explicamos melhor cada um dos benefícios do método.

Satisfação dos colaboradores

Uma gestão de pessoas focada na qualidade de vida e desenvolvimento dos colaboradores é a chave para que os profissionais se sintam mais satisfeitos, motivados e engajados, o que faz com que eles “vistam a camisa da empresa”

Essa satisfação reflete no clima organizacional, possibilitando um ambiente de trabalho mais harmonioso e colaborativo, e também na performance e eficiência das equipes, garantindo mais produtividade e melhores resultados à empresa.

Melhora de resultados

Uma gestão estratégica e dedicada ao capital humano reflete nos resultados de toda a organização. Isso porque, o RH pode focar em capacitações e planos de desenvolvimento, potencializando competências e habilidades, garantindo times mais produtivos.

Dessa forma, é possível melhorar o relacionamento com o público, a eficiência de processos e a gestão de tempo, assegurando um alcance mais ágil de metas e objetivos.

Melhora no clima organizacional

Conhecer bem os colaboradores que fazem parte da empresa também é uma forma de melhorar o clima organizacional, ou seja, a percepção que eles têm sobre o ambiente de trabalho. Isso porque, a gestão estratégica permite que o RH conheça as expectativas dos colaboradores e busque métodos para se aproximar o máximo possível de uma experiência 100%.

Além disso, a gestão estratégica garante lideranças mais preparadas e empáticas, minimizando conflitos e outras situações que podem impactar na saúde mental e na qualidade de vida dos colaboradores.

Atração dos melhores talentos

Outra vantagem da gestão estratégica de pessoas diz respeito aos processos de recrutamento e seleção. Como vimos, adotar essa nova abordagem é essencial para alcançar candidatos mais exigentes e que buscam por vagas que oferecem outras vantagens, além da remuneração.

Assim, sabendo o que os profissionais mais qualificados procuram, o RH estará mais preparado para atrair os melhores talentos e garantir um processo de recrutamento mais efetivo. Além disso, a aplicação de uma boa estratégia nessa etapa, também contribui para o employer branding.

Melhora no employer branding

O employer branding é uma estratégia utilizada por grandes companhias para a construção de uma imagem de marca empregadora.

Dessa forma, garantir essa imagem faz com que a empresa capte o interesse dos melhores profissionais disponíveis, além de aumentar a concorrência por vagas, permitindo processos seletivos mais direcionados e evitando o turnover de novos colaboradores.

ROI em gestão de pessoas

Quais os 8 pilares da gestão estratégica de pessoas?

Para construir uma gestão estratégica de pessoas bem estruturada é preciso que a empresa adote uma abordagem sólida e eficiente e que busque desenvolver alguns pilares fundamentais. A seguir, explicaremos melhor cada um deles. 

1. Engajamento e motivação

A satisfação do colaborador é o pilar base desse tipo de gestão e, diferentemente do que muitos gestores pensam, ela não está diretamente ligada apenas a benefícios monetários e grandes investimentos.

Além de uma remuneração adequada, existem outros fatores que contribuem para que o profissional atue com mais engajamento e dê o melhor de si. Alguns exemplos são uma rotina de trabalho mais flexível, um bom ambiente corporativo, benefícios, proximidade com as lideranças e a possibilidade de crescimento pessoal e profissional.

2. Comunicação efetiva

Outro pilar importante para essa abordagem é a comunicação. Assim, é fundamental que o planejamento estratégico chegue aos colaboradores de forma clara e efetiva, com informações alinhadas para garantir que todos conheçam os objetivos traçados.

Mas para que todo o time trabalhe de maneira colaborativa em prol de um mesmo objetivo, todos precisam ser bem informados sobre a cultura organizacional e o papel de cada um na estratégia de negócio.

Para isso, vale a pena contar com uma equipe de comunicação interna, além de realizar reuniões face a face entre líderes e liderados.

3. Trabalho em equipe

Uma comunicação eficiente favorece outro pilar importante para a gestão estratégica: o trabalho em equipe. Ao compreender e comunicar o papel de cada colaborador em um mesmo objetivo, é possível conquistar uma sinergia com as metas da organização.

Além disso, é importante que o time entenda como a qualidade do seu trabalho impacta e afeta as tarefas dos demais colaboradores e suas funções têm importância para a conclusão do processo.

Ainda, para garantir equipes mais produtivas e que atuem de forma colaborativa, o RH deve criar estratégias para unir profissionais que se complementam em suas habilidades e competências comportamentais.

4. Aquisição e desenvolvimento de competências

Uma organização é formada por pessoas e cada indivíduo apresenta particularidades e características próprias. Assim, entender essa diversidade é fundamental para que gestores e líderes consigam aproveitar ao máximo o capital humano e otimizar o resultado das tarefas de acordo com a capacidade de cada profissional.

Contudo, não é porque os funcionários têm competências distintas, que o RH não pode capacitar os colaboradores e propor o desenvolvimento de novas habilidades. Independente de quão qualificados sejam os profissionais, é essencial investir em treinamentos para a aquisição e desenvolvimento de competências necessárias para trazer os resultados desejados.

5. Gestão de cargos e salários

Esse é um pilar importante para garantir a motivação e a retenção dos talentos, além de um sistema de recrutamento mais alinhado. Com uma gestão de cargos e salários bem definida, o RH estabelece um programa de remuneração variável, além de determinar estímulos às equipes, como bônus e outros benefícios.

Desse modo, a gestão de cargos e salários ajuda a estruturar os planos de carreira, mostrando aos profissionais quais cargos eles podem alcançar se mantiverem bons resultados e desenvolverem novas habilidades.

6. Capacitação de lideranças

Outro pilar essencial para uma gestão estratégica de pessoas é a capacitação de lideranças. Líderes bem treinados têm um papel fundamental ao desenvolver, motivar e engajar seus liderados nos processos organizacionais, acompanhando todas as etapas.

Isso porque, líderes e gestores podem impactar negativamente o clima organizacional e a qualidade de vida dos colaboradores se não estiverem alinhados com a cultura da empresa e não souberem como orientar e horizontalizar as informações.

Assim, para que a gestão estratégica de pessoas funcione, é essencial que o RH comece conquistando o comprometimento e treinando as lideranças em prol da valorização do capital humano.

7. Desenvolvimento pessoal

O investimento em desenvolvimento pessoal dos colaboradores é outro pilar importante para esse tipo de abordagem. Assim, é importante ter em mente que a empresa é feita por pessoas e que elas precisam estar em constante aprendizagem para acompanhar o desenvolvimento de novas tecnologias e da sociedade como um todo.

Dessa forma, além de investir em treinamentos técnicos, para que a equipe saiba operar ferramentas e soluções, é necessário, também, criar programas de mentoria, coaching e capacitações voltados para o desenvolvimento de soft skills.

O desenvolvimento dessas habilidades comportamentais é importante para que os colaboradores se mantenham produtivos e motivados, uma vez que entendem que a empresa se preocupa com seu crescimento de carreira.

8. Gestão de desempenho

Uma das principais características da gestão estratégica de pessoas é o aprimoramento constante de processos. Contudo, para que o RH consiga modificar e melhorar suas abordagens, ele precisa estabelecer indicadores e métricas para avaliar os recursos e habilidades das equipes.

Assim, é necessário implementar uma gestão de desempenho para compreender como cada membro está contribuindo para os resultados e metas da organização. Só assim é possível mensurar o potencial produtivo, identificar pontos de melhoria na gestão e solucionar problemas pontuais.

Qual o papel do RH e dos líderes na gestão estratégica de pessoas?

A gestão de pessoas é uma prioridade estratégica dentro das organizações, já que ela pode influenciar totalmente nos resultados obtidos e na imagem de uma empresa empregadora.

Por isso, a responsabilidade por essa gestão não deve se restringir ao departamento de RH nem aos consultores e coaches. Aqui, é preciso que todos os líderes trabalhem em conjunto para desenvolver e orientar os talentos diante dos objetivos da organização.

Ao criar programas de treinamento e desenvolvimento, por exemplo, o RH deve atuar em conjunto com os gestores de equipe, entendendo como cada integrante se destaca e quais competências precisam de mais atenção e aprimoramento.

Além disso, os líderes têm um papel fundamental na motivação e engajamento dos colaboradores, sendo essenciais para tornar as equipes mais comprometidas e produtivas, possibilitando a superação de metas.

Assim, as organizações devem contar com profissionais especializados em Recursos Humanos e também com um time de gestores de equipe bem treinados, que saibam se comunicar de forma eficiente e que consigam motivar e reconhecer os esforços do time, potencializando as habilidades de cada indivíduo.

Como implementar uma gestão estratégica de pessoas?

O primeiro passo para colocar a gestão estratégica em prática é treinar sua equipe. Nesse caso, investir em treinamento é o segredo para alinhar os profissionais e melhorar a performance de todo o time.

Além de melhores resultados, os treinamentos demonstram aos colaboradores que a empresa valoriza e acredita no potencial de cada um, ainda, incentivam o desenvolvimento pessoal e profissional, garantindo mais motivação e retenção de talentos.

Mas é importante que os treinamentos sejam estendidos aos gestores e líderes e que eles estejam comprometidos com a estratégia, agindo como motivadores e orientadores de seus liderados.

Por fim, o RH deve comunicar toda a organização sobre o plano estratégico, alinhando os colaboradores com as metas da empresa e garantindo um comprometimento da equipe em prol desses objetivos.  

Como avaliar os resultados da gestão estratégica?

Após adotar novas estratégias para a gestão de pessoas, cabe ao RH mensurar e avaliar os resultados obtidos com a transformação. A melhor forma de fazer isso é por meio de indicadores de desempenho.

Esse tipo de indicador ajuda a compreender os resultados em diferentes frentes, além de possibilitar novos insights de ações que podem ajudar a otimizar o alcance de metas.

Imagine que sua empresa adotou a gestão estratégica porque tinha dificuldades em manter os bons colaboradores e gastava muito em processos seletivos. Nesse cenário, é preciso que o RH levante métricas e resultados, avaliando indicadores como turnover, aderência à empresa, custos de contratação e de rotatividade.

Além disso, o RH pode medir os indicadores de desempenho de cada profissional e acompanhar sua evolução dentro de determinados períodos. Dessa forma, é possível identificar problemas e conflitos com maior agilidade, encontrando fatores que possam levar à desmotivação, ao absenteísmo e à queda de produtividade.

Para acompanhar esses indicadores de forma mais eficiente, a dica é contar com plataformas de gestão que automatizam processos e facilitam o acompanhamento de métricas em tempo real, garantindo ações corretivas de maneira mais rápida.

Como vimos, a gestão estratégica de pessoas é uma nova abordagem com foco nos colaboradores, que busca atingir objetivos e melhorar resultados da empresa, potencializando as experiências e a qualidade de vida dos profissionais.

Ainda, que esse tipo de administração considera as habilidades e competências de cada colaborador, trazendo muitos benefícios para o dia a dia da empresa, melhorando os processos de recrutamento e seleção, treinamento e desenvolvimento, além do clima organizacional no geral.

Agora que você já conhece esse novo modelo de gestão de pessoas, baixe nossa planilha gratuita e descubra como acertar no processo de recrutamento e seleção avaliando as competências dos candidatos.

5 2 votes
Article Rating

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments