logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Início > Tendências > Inteligência espiritual no trabalho: entenda como funciona e sua importância

Sumário

Inteligência espiritual no trabalho: entenda como funciona e sua importância

O que é inteligência espiritual? Como ser inteligente espiritualmente? O que é inteligência emocional e espiritual?

Você sabe o poder da inteligência espiritual no trabalho? No ambiente de trabalho contemporâneo, não dinâmico e muitas vezes exigente, a inteligência espiritual emerge como um componente vital para o sucesso e o bem-estar tanto dos indivíduos quanto das organizações. 

Este artigo visa explorar a inteligência espiritual no contexto profissional, destacando sua relevância e aplicabilidade. A inteligência espiritual, um conceito que transcende as habilidades cognitivas e emocionais tradicionais, abrange a capacidade de aplicar valores éticos, empatia, autoconsciência e resiliência no local de trabalho. 

Ao analisar essas qualidades que influenciam a cultura organizacional, como as relações interpessoais e a tomada de decisões, este estudo oferece insights profundos sobre como a inteligência espiritual pode ser cultivada e empregada para enriquecer tanto a vida profissional quanto pessoal dos indivíduos.

O que é inteligência espiritual?

Inteligência Espiritual é um conceito que aborda uma dimensão mais profunda do ser humano, além das capacidades intelectuais e emocionais. Consulte-se à habilidade de acessar significados mais profundos, valores e propósitos, transcendendo o ego individual. 

Envolve questões como:

  • Consciência de questões mais profundas : Compreensão de questões existenciais, como o significado da vida, o lugar do indivíduo no universo, e a conexão com o todo.
  • Capacidade de transcender o ego : Uma habilidade de ir além dos interesses e desejos pessoais, alcançando um estado de consciência mais elevado.
  • Valores e ações éticas : Guiar-se por princípios éticos universais e valores morais.
  • Conexão e compaixão : Sentir uma conexão profunda com os outros e o mundo, bem como uma forte compaixão por tudo que existe.

O que é inteligência emocional e espiritual?

Perfil de uma pessoa com uma representação digital luminosa do cérebro, simbolizando os benefícios da inteligência espiritual.

A inteligência emocional e espiritual são dois conceitos distintos, embora inter-relacionados, que se referem a diferentes aspectos do entendimento e manejo das emoções e da percepção de significado e conexão na vida.

Inteligência Emocional

Se refere à habilidade de entender, utilizar e gerenciar suas próprias emoções de maneira positiva para aliviar o estresse, comunicar eficazmente, superar desafios e resolver conflitos. 

Isso envolve a consciência emocional (incluindo o reconhecimento de suas próprias emoções e as dos outros), a capacidade de aplicar emoções para tarefas como pensamento e resolução de problemas, e a habilidade de gerenciar emoções, o que inclui regularmente suas próprias emoções e entusiasmo ou animar outras pessoas.

Inteligência Espiritual 

É um conceito mais abstrato e muitas vezes associado à busca de significado e propósito na vida. Muitas vezes está relacionado à capacidade de se conectar a algo maior que a própria existência individual, seja isso entendido como uma força espiritual, um senso de comunidade ou um propósito de vida. 

Pode incluir qualidades como capacidade de ser compassivo, ético, reflexivo e consciente de valores e opiniões pessoais. A inteligência espiritual também envolve uma habilidade de colocar a própria vida em um contexto mais amplo e significativo e pode se manifestar através da resiliência em tempos de dificuldade, uma sensação de paz ou satisfação, e uma sensação de conexão com os outros e com o mundo .

Ambas as formas de inteligência são vistas como componentes importantes do bem-estar e desenvolvimento pessoal, oferecendo perspectivas e ferramentas diferentes para entender e interagir com o mundo e com os outros.

Aprimore seu conhecimento: descubra nosso curso gratuito “Inteligência Emocional” na Escola de Pessoas e saiba mais sobre inteligência emocional. Explore sua relevância e profundidade, além de aprender estratégias práticas para desenvolvê-la em sua vida cotidiana.

O Poder Da Inteligência Emocional E Espiritual No Cotidiano

Silhueta de um perfil humano com um cérebro brilhante, representando o poder da inteligência espiritual.

Por muitos anos algumas empresas utilizavam no seu processo seletivo alguns testes que identificavam qual inteligência múltipla aquela pessoa tinha desenvolvido para que assim fosse verificado se seu perfil estava condizente com a vaga destinada. 

Esta teoria foi criada por Howard Gardner, psicólogo e pesquisador Norte Americano na década de 80. Gardner amplia o conteúdo do QI, desmembrando em várias partes para o QM, Inteligências múltiplas. 

Assim neste contexto ele propôs uma ideia diferente de se falar da inteligência, dividindo-a em 7 competências: Linguística, Matemática, Musical, Corporal, Espacial, Naturalista Ecológica, Interpessoal e Intrapessoal. 

Ou seja, se precisava de um funcionário para trabalhar na área financeira identificariam se possuía a inteligência matemática. Ou se a vaga era para relações públicas, por exemplo, identificaria as habilidades de relação interpessoal e intrapessoal.

Na verdade essas técnicas ainda são utilizadas, porém já não são mais o suficiente para determinar uma competência. 

O fato é que vivemos a cada momento uma época diferente é aí que quando em 1990 veio Daniel Goleman psicólogo defendendo a ideia de que a Inteligência Emocional deveria ser desenvolvida nas pessoas que ainda não a possuíssem, e que seria uma das melhores ferramentas para se utilizar na vida profissional, foi uma feliz observação para o preparo das pessoas no seu dia a dia e na vida profissional. 

Para Goleman a inteligência emocional se refere a capacidade que temos de identificar os nossos próprios sentimentos e também os sentimentos dos outros, de motivarmos e de gerir bem nossas emoções dentro de nós. 

Silhueta de um perfil humano com um cérebro brilhante, representando a inteligência espiritual o que é.

Ele diz que o QE é um conjunto de autocontrole, zelo e automotivação. Estas aptidões podem e devem ser ensinadas aos profissionais no mercado de trabalho para que tenham melhor desempenho em sua vida profissional e até mesmo nas tomadas de decisões do cotidiano.

Um profissional que tem a sua inteligência emocional desenvolvida, por exemplo, ele consegue driblar diversas situações com sabedoria e sem infligir à ética, evitando possíveis conflitos. Imagine a seguinte situação: Seu chefe chega ao escritório agindo agressivamente em suas palavras, chamando a atenção da equipe por algum motivo qualquer. 

Tudo bem, em alguns pontos ele até pode ter razão, entretanto imagine que o comportamento dele sobre a ação seja agressivo e que normalmente não agiria assim, é claro. Bom a pessoa que tem a inteligência emocional bem desenvolvida irá perceber que seu chefe com certeza está com um problema muito maior, ou que pode não ter dormido bem à noite. 

Então, ele simplesmente não vai reagir e nem responder negativamente e sim procurar entender o motivo da ação dele de forma que não crie um maior conflito.

Leia também:

Como ser inteligente espiritualmente?

A Inteligência emocional, possui muitas obras sobre este assunto e ainda é a dificuldade de muitas pessoas, que não conseguem controlar suas emoções diante de situações adversas. 

E era a mais discutida até que veio então veio Danah Zohar e completou com a terceira Inteligência, que é o QS- Inteligência Espiritual. Para ela muitas pessoas possuem de tudo, são bem sucedidas, possui família, casas gigantescas, uma conta bancária polpuda, saúde, mas ainda assim não são felizes por que falta uma inteligência maior, uma inteligência divina que é entender sua missão como ser único neste universo.

Danah Zohar, física e filósofa americana, coloca inteligência espiritual num contexto mais amplo de sentido e valor, tornando-os mais efetivos.

A diferença entre a Inteligência Emocional e a Inteligência Espiritual 

Pessoa meditando tranquilamente à beira de um lago azul claro, rodeada por árvores verdes, ilustrando o conceito de como desenvolver a inteligência espiritual.

A inteligência emocional eu vou identificar em qual situação eu me encontro e decidir de que forma eu vou reagir, procurando me comportar de maneira apropriada. Já a inteligência Espiritual tem haver com o que aquela situação significa para mim e se eu quero estar nesta situação e como eu reajo. 

Na situação do exemplo citado acima do seu chefe que chegou mal humorado, eu posso dizer o seguinte: na inteligência emocional eu vou entender que ele está com problemas e que não vou me abalar emocionalmente com a atitude dele, já na inteligência espiritual além de entender esta questão eu vou querer ajudá-lo a resolver o problema o qual ele se encontra ou fazê-lo a repensar na situação. Então saímos do processo individualista e passamos a pensar num todo.

As empresas hoje são mais focadas para o capitalismo, onde os profissionais trabalham, mais, com menos recursos e precisam produzir e vender mais. Tais práticas levaram a questões como, por exemplo, a da sustentabilidade, pois o que a minha empresa ou a que eu gerencio faz para contribuir com o meio ambiente? E com a solidariedade? Será que trabalhar é apenas ganhar dinheiro? E as outras questões como ficam?

Com a Inteligência Espiritual passamos a perceber que precisamos ver o outro bem, e que o meu bem estar está ligado a tudo isto. 

Eu só posso estar bem e feliz se o outro também estiver bem e feliz. E aí você deve buscar resposta para os seguintes questionamentos: Porque ocupar determinado cargo naquela empresa? O que posso fazer para contribuir com o crescimento e desenvolvimento das pessoas que estão na minha empresa ou a minha volta? E fora da empresa, Na minha família? Na cidade onde vivo? No Estado, País ou mundo? O que posso fazer para ser melhor? 

Com a procura das respostas para estas e outras perguntas, descobrimos nossa missão na terra e passamos a ter um pensamento menos individualista e mais no coletivo olhando para o cotidiano de todas as outras pessoas.

Para que você possa ser um profissional feliz e bem sucedido, não basta só fazer MBA´s, Mestrados, cursos e cursos, é necessário que se tenha bem desenvolvido as três Inteligências para agir conscientemente nas determinadas situações que vivemos em nosso cotidiano, deixando de lado o processo individualista, pensando num todo interno e externamente a sua vida. 

E diria que um líder que possui Inteligência Espiritual não julga, tem empatia e consegue envolver a equipe para a percepção de um todo da sua existência no universo, na família e na empresa.

Como manter a inteligência espiritual no trabalho?

 Uma luz brilhante irradiando em um ambiente escuro, representando a inteligência espiritual sendo mantida e cultivada no local de trabalho.

Manter uma inteligência espiritual no ambiente de trabalho envolve integrar qualidades como autoconsciência, empatia, ética e resiliência no cotidiano profissional. 

Aqui estão algumas maneiras de praticar a inteligência espiritual no trabalho, usando as palavras-chave mencionadas:

  • Autoconsciência: Esteja sabendo de suas opiniões, valores e emoções, e como eles influenciam suas ações e reações no trabalho. Pratique a reflexão e a meditação para se manter centrado e consciente.
  • Empatia: Exerça a empatia ao se relacionar com colegas e clientes. Tente entender as perspectivas e sentimentos dos outros, o que pode ajudar a criar um ambiente de trabalho mais harmonioso e colaborativo.
  • Ética: Mantenha um alto padrão de integridade e ética profissional. Isso significa ser honesto, justo e responsável em suas ações e decisões.
  • Resiliência: Desenvolva resiliência para lidar com desafios, mudanças e estresse no trabalho. A capacidade de se recuperar e aprender com dificuldades é uma parte crucial da inteligência espiritual.
  • Comunicação Consciente: Pratique a comunicação consciente e compassiva. Isso envolve ouvir ativamente, falar com sinceridade e evitar julgamentos precipitados.
  • Conexão e Colaboração: Busque criar conexões significativas com colegas de trabalho. Trabalhe de forma colaborativa, respeitando as diferenças e valorizando a contribuição de cada um.
  • Equilíbrio e Fronteiras: Estabelecer um equilíbrio saudável entre trabalho e vida pessoal. Respeite suas próprias fronteiras e os outros ajudem a manter o bem-estar e a eficácia no trabalho.
  • Desenvolvimento Contínuo: Busque o crescimento pessoal e profissional contínuo. Isso pode incluir aprender novas habilidades, participar de workshops sobre desenvolvimento espiritual ou buscar orientação de mentores.

Integrar esses aspectos ao seu comportamento e práticas no trabalho pode não apenas melhorar sua própria experiência profissional, mas também contribuir positivamente para o ambiente de trabalho como um todo.

Conclusão

A inteligência espiritual no trabalho é mais do que uma habilidade interessante; é um elemento essencial para criar um ambiente de trabalho mais harmonioso, ético e produtivo. 

Ao longo deste artigo, fica evidente que a integração da inteligência espiritual nas práticas diárias do ambiente de trabalho pode levar a uma maior satisfação profissional, melhor colaboração entre colegas e uma abordagem mais equilibrada para o gerenciamento de desafios. 

Ao adotar práticas que promovam a autoconsciência, a empatia, a resiliência e a comunicação consciente, os indivíduos e as organizações podem não apenas melhorar o desempenho, mas também fomentar um sentido mais profundo de propósito e realização. 

Em última análise, a inteligência espiritual no trabalho oferece uma via para alinhar os objetivos profissionais com valores pessoais mais profundos, gerando não apenas sucesso externo, mas também enriquecimento interno.

desenvolvimento e treinamento de pessoas
CEO e Co-Founder da Sólides, empresa de tecnologia para gestão de pessoas, que integra o ranking das 100 startups mais promissoras do país em 2021 e tem um ecossistema completo de RH, com o intuito de ajudar as PMEs a automatizar processos e criar dados e inteligência para melhor gestão e tomada de decisão sobre pessoas.
Assine a nossa Newsletter