logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Liderança como agente mediador de conflitos interpessoal

Sumário

Home > Artigos > Liderança e Motivação > Como utilizar a liderança agente mediador de conflitos interpessoal

Como utilizar a liderança agente mediador de conflitos interpessoal

Este artigo aborda o papel crucial da liderança na resolução de conflitos interpessoais. Aprenda estratégias para líderes promoverem um ambiente de trabalho colaborativo e saudável.

No dinâmico terreno do ambiente corporativo, a liderança não apenas guia uma equipe em direção ao sucesso, mas também atua como um mediador vital em situações de conflito interpessoal. 

Reconhecer e resolver eficazmente as tensões se torna uma das qualidades distintivas de um líder eficaz. 

Este artigo irá esclarecer o significado de liderança, a sua importância e o verdadeiro papel de um líder, discutindo como líderes podem identificar e navegar conflitos com habilidade, transformando potenciais impasses em pontes para a colaboração e o entendimento mútuo. 

O que é a definição de liderança?

YouTube video

A definição de liderança é ampla e varia dependendo do contexto em que é aplicada, mas em sua essência, a liderança pode ser entendida como a habilidade de influenciar, motivar e habilitar outros a contribuir para o sucesso e eficácia de uma organização ou grupo do qual fazem parte. 

Líderes eficazes são capazes de criar uma visão inspiradora, estabelecer direções claras e fornecer as informações, conhecimento e métodos para realizar essas visões.

Liderança envolve mais do que simplesmente estar encarregado ou ter um título gerencial; é sobre comportamento e ação. Um líder eficaz não apenas dirige, mas também orienta, treina e incentiva a equipe para alcançar seu potencial máximo. O líder inspira confiança e segue princípios éticos que servem de modelo para outros.

Além disso, liderança envolve a compreensão das forças e fraquezas dos membros da equipe, bem como a promoção de um ambiente de respeito mútuo e colaboração. Comunicar-se efetivamente, tomar decisões ponderadas e estar aberto a feedback são também aspectos fundamentais da liderança.

Banner artigo_Material-O Novo RH

Ela está presente em todos os aspectos da vida social e é essencial no mundo dos negócios, educação, política e em qualquer contexto onde um grupo precisa ser orientado em direção a um objetivo.

A evolução dos conceitos de liderança

Diante desse contexto, vemos alguns conceitos sobre liderança:

“Liderança é o processo de dar propósito (direção significativa) ao esforço coletivo e provocar o desejo de despender este esforço para se atingir o objetivo.”

(Jacobs e Jaques, segundo Yukl, 1998)

“Liderança é o processo de influenciar as atividades de um grupo organizado em direção à realização de um objetivo.”

(Rauch e Behling, segundo Yukl, 1998)

“Liderança é o que dá a uma organização sua visão e capacidade para transformar essa visão em realidade.”

(Bennis, 1988)

“Liderança é influência pessoal, exercida em uma situação e dirigida através do processo de comunicação, no sentido do atingimento de um objetivo específico ou objetivos.”

(Tannenbaum, Wesheler e Massarik, segundo Yukl, 1998)

“Liderança não é apenas uma questão de posição, mas também de caráter, ambição, inquietude e curiosidade.”

(M. Hammer, 1994)

“A liderança consiste em influir nas pessoas para que cooperem com o fim de alcançar um objetivo comum.”

(H. Koontz, C. O’Donnel, 1975)

“Liderança é a influência interpessoal exercida em uma situação, dirigida através do processo de comunicação humana à consecução de um ou diversos objetivos específicos.”

(I. Chiavenato, 1993)

Características de um bom líder

liderança

Há muitos e muitos anos, filósofos, pedagogos, sociólogos, antropólogos, psicólogos e outros especialistas da organização e comportamento se questionam a respeito da importância da personalidade dos dirigentes para as organizações.

O enfoque de traços psicológicos consiste no fato de que a liderança se expressa em pessoas que têm certas características de personalidade, sendo que aqueles que não são líderes não apresentam essas características na mesma proporção.

Traços psicológicos são:

  • inteligência;
    • sociabilidade;
    • tipo de temperamento;
    • dinamismo;
    • traços do caráter;
    • simpatia;
    • credibilidade;
    • bom comunicador;
    • tato;
    • confiança em si mesmo;
    • segurança;
    • habilidade para prever;
    • entre outras.

Outros especialistas dizem que os líderes possuem “carisma”. Alguns também afirmam que o líder é inato.

De todas as características até aqui atribuídas à liderança, a flexibilidade e capacidade de influenciar incide em vários estudos. Segundo James C. Hunter, autor do livro O Monge e O Executivo, liderança é “a habilidade de influenciar pessoas para trabalharem entusiasticamente visando a atingir objetivos comuns, inspirando confiança por meio do caráter”.

Liderança Situacional, Liderança Transformacional, Transcendente, Liderança Ressonante, Servidora…. E tantas outras teorias ainda irão surgir mediante o cenário em que estaremos inseridos, buscando um equilíbrio entre a teoria sobre liderança mais adequada às práticas de direção organizacional.

Mas afinal, qual é a diferença entre chefe e líder?

Sabemos que para uma organização existir, existem atividades que são inerentes ao seu bom funcionamento, mas nem sempre essas atividades são inspiradoras ou tidas como mais nobres.

Sim, como gestores, temos atividades burocráticas e outras mais inspiracionais. Ambas vão caminhar juntas, ou pelo menos próximas, e cabe ao gestor buscar o equilíbrio entre estes dois mundos.

Quando pensamos em chefe e líder, as diferenças são mais comportamentais do que necessariamente associadas às atividades.

Algumas diferenças entre chefe e líder

Para o chefe, sua autoridade vem do cargo que ocupa. Há mais temor do que respeito. Já o líder lidera pelo exemplo e conquista o respeito pelo seu caráter e suas atitudes.

liderança

Sobre tomar decisões, o chefe vai querer sempre decidir sozinho, porque ele considera que só ele está apto para isso. O líder, em contrapartida, envolverá os liderados nas decisões, facilitando e inspirando a decisão.

Na delegação de tarefas, a tendência do chefe é centralizar as atividades em torno dele mesmo. Não delega funções nem autoridades. Por outro lado, o líder confia nos seus liderados, mas sabe delegar de forma responsável.

Sobre transmissão de informações, a tendência é que o chefe detenha informações e as retenha, não passa adiante. Já no conceito de liderança moderna, essas informações devem ser filtradas, separando aquilo que é estratégico, que deve ficar com o líder, daquilo que é operacional, ou seja, o modo de se trabalhar.

O que é ser líder ágil?

E o que é ser o líder que transforma? O que é ser líder ágil?

O especialista em liderança James McGregor Burns apresentou o conceito de liderança transformacional em seu livro de 1978, Liderança. Ele definiu liderança transformacional como um processo em que “líderes e seus seguidores levantam um ao outro a níveis mais altos de moralidade e motivação”.

Bernard M. Bass, em 1985, em seu livro Liderança e Desempenho além Expectativas, desenvolveu um pouco mais o conceito de liderança transformacional:

  • É um modelo de integridade e justiça;
    • Estabelece objetivos claros;
    • Tem grandes expectativas;
    • Incentiva outras pessoas;
    • Fornece suporte e reconhecimento;
    • Agita (mexe com) as emoções das pessoas;
    • Faz com que as pessoas olhem além do interesse próprio;
    • Inspira as pessoas a alcançarem o improvável.

O tempo todo o termo VUCA é citado pelos quatro cantos do mundo e tem tudo a ver com liderança e com o papel do líder.

VUCA é um acrônimo para descrever quatro características marcantes do momento em que estamos vivendo: Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade.

Esse termo foi cunhado pelo exército americano, em 1990, para descrever o cenário enfrentado pelos soldados em suas batalhas. Mais recentemente, o VUCA foi adotado no mundo corporativo para descrever os desafios das empresas no ambiente de negócios caracterizado pela evolução constante, rápida e imprevisível.

O mundo VUCA e o líder ágil

Um grupo de pessoas em uma reunião discutindo liderança ágil

O mundo VUCA e o líder ágil caminham juntos. Cabe a esse novo tipo de liderança desenvolver características ou atributos que facilitem essa caminhada.

O líder ágil é aquele que promove:

  • Experimentação;
    • Colaboração;
    • Melhoria contínua;
    • Priorização estratégica;
    • Consciência.

O líder ágil é aquele que consegue criar esse estado em três níveis diferentes: indivíduo, time e empresa.
• Individual: impactando a si mesmo e outros indivíduos da organização, inclusive seu cliente;
• Time: impactando times ou subtimes;
• Empresa: impactando na organização como um todo.
O desenvolvimento da liderança deve ser direcionado para que os líderes compreendam sobre o negócio e suas reais necessidades. Para que os líderes aprendam a responder mais rapidamente ao mercado competitivo, às mudanças econômicas e políticas. E para que sejam cada vez mais responsáveis por si e pelo impacto que geram em cada indivíduo e na organização.

Num mundo com mudanças constantes, os comportamentos e respostas dos líderes devem ser rápidos e inspiradores. Com desejo e curiosidade de se envolver em situações novas e ampliar suas experiências e perspectivas para ter insights.

Líderes buscam feedback e fazem reflexões para incorporar as lições aprendidas, acessam aprendizados de experiências passadas para enfrentar com destreza novos desafios.Têm a capacidade de assumir riscos e criar em conjunto. O líder ágil é um intra-empreendedor e não mais só um executivo.

Qual o papel de um líder?

É papel da liderança ágil demonstrar e vivenciar com atitudes e exemplos a cultura que esperamos da organização. Realizar um ajuste entre a cultura (valores e comportamentos) e as estruturas (métodos, processos, sistemas). Não recompensar e incorporar aos mecanismos os comportamentos que não queremos.

O líder na Evolução do Negócio

No processo de Evolução do Negócio, Transformação Ágil ou Digital bem-sucedida, os líderes têm papel essencial. Mas para que isso aconteça, eles devem estar alinhados aos valores desejados da organização, sejam esses valores ágeis ou não.

Para o líder ágil é importante também cultivar uma mentalidade que busque a agilidade nos negócios e para além dele.

Além de desenvolver a autoconsciência é importante os líderes se perceberem no momento atual e entenderem quais são os principais pontos em seus comportamentos e atitudes que devem ser trabalhados. O objetivo disso é alinhar seu desenvolvimento ao sistema de valores da organização.

Os líderes devem descobrir como aprender rápido, desenvolver seu pensamento criativo e crítico, e dedicar tempo para isso. Para desenvolver novas habilidades é imprescindível reservar um tempo para dedicar-se ao seu desenvolvimento pessoal.

A partir de dois especialistas que usamos de base para esse estudo, James McGregor Burns e Bernard M. Bass, confira alguns passos para ser um líder transformador:

  1. Criando uma visão inspiradora do futuro. Motivar as pessoas a comprar e entregar a visão.
    2. Gerenciando a entrega da visão.
    3. Criando relacionamentos cada vez mais fortes e baseados em confiança com as
    pessoas.

Como desenvolver uma liderança efetiva?

Mão segurando recortes de papel que representam pessoas, com a figura central destacada, representando liderança afetiva

Engana-se quem pensa que um bom líder é o profissional que apresenta uma série de cursos e capacitações, uma trajetória vitoriosa e várias conquistas durante o crescimento da carreira. Na verdade, é preciso alinhar características e especificidades pessoais. 

Por isso, é fundamental desenvolver habilidades e competências voltadas a área, a fim de ser exemplo para a equipe e alcançar altos patamares de sucesso. Mas, afinal, como executar uma liderança efetiva e se destacar no mercado de trabalho?

Continue lendo e descubra as maiores formas simples de desenvolver uma liderança efetiva. 

1. Escolha ser líder

Cuidado com a ideia de achar que a sua posição pode torná-lo um líder. Liderança não é uma sala, um crachá ou uma cadeira. Na verdade, ela é o oposto disso: é uma escolha, um objetivo de vida e um sonho.

Por isso, escolha ser líder, veja suas contribuições, transformações e avalie se é necessário mudar. O primeiro degrau para alcançar uma boa liderança é escolher liderar e influenciar pessoas, independente do cargo que você ocupa. 

2. Foque no dia a dia

Outro ponto fundamental para construir uma boa liderança é focar no dia a dia. Ou seja, é necessário criar uma equipe forte e formar os próximos líderes. Além do mais, avalie todas as áreas da companhia e aplique melhorias. 

Por isso, cuide dos aspectos administrativos e veja se você está colocando as áreas certas em destaque.

3. Seja corajoso 

A coragem também é uma característica presente em uma liderança. Contudo, isso não significa que líderes de sucesso não devem ter medo, mas aprender a reconhecê-los, enfrentar a realidade de cada situação e agir da melhor forma. 

Além disso, é fundamental ter coragem para acreditar no potencial da equipe, nas pessoas que nos rodeiam e na própria capacidade de liderar.

Se você trabalha com moinho de milho, por exemplo, e deseja bater as metas no fim de cada mês, é preciso garantir o comprometimento e o engajamento de todos nos processos.

4. Pratique o autoconhecimento

Por fim, vale ressaltar ainda que o autoconhecimento é um fator determinante para executar uma boa liderança. Afinal, antes de conhecer as pessoas, é fundamental fazer uma viagem dentro de si mesmo e compreender emoções, sentimentos e comportamentos. 

Por isso, separe alguns minutos do seu dia para refletir sobre a maneira que tem liderado. Faça os seguintes questionamentos: o que eu fiz bem hoje? O que não foi legal? O que eu posso melhorar? Preciso pedir desculpas por algum erro? Eu me seguiria? 

Dessa forma, você consegue aumentar o seu autoconhecimento e refletir sobre a maneira que tem agido no ambiente de trabalho. 

Leia também:

O que é mais importante na liderança?

Jeff Weiner, executivo da LinkedIn, já disse: “Menos coisas, mas bem feitas”. Esta perspectiva ressoa com força no âmbito da liderança eficaz, onde o foco na qualidade muitas vezes supera a quantidade. Em uma era onde a produtividade é medida não apenas pelo volume, mas pela eficácia, o conceito de “fazer menos, porém melhor” de Greg McKeown no livro “Essencialismo” se torna uma filosofia revolucionária.

Desafios da liderança no ambiente corporativo 

No dia a dia corporativo, líderes enfrentam o desafio de balancear múltiplas demandas e pedidos urgentes. A habilidade de manter o foco na liderança é mais do que uma competência desejável – é uma necessidade. 

O essencialismo não é sobre fazer mais – é sobre fazer melhor. Líderes devem ser seletivos ao decidir quando dar feedback, por que fazer feedback, e como a prática de feedback no trabalho pode ser um exemplo de como priorizar tarefas que realmente importam.

A arte de manter o foco se torna uma luta contra a maré de interrupções e distrações diárias. Abraham Lincoln, conhecido por sua sabedoria atemporal, é citado dizendo: “Dê-me seis horas para derrubar uma árvore e passarei as quatro primeiras horas afiando o machado”. 

Esta mentalidade é um testamento à importância do foco na liderança, onde preparação e clareza de objetivos definem a eficiência de uma equipe.

Estratégias de foco para liderança eficaz 

Para manter esse foco, líderes devem dominar a arte de dizer “não”. Como Tom Friol e Steve Jobs destacaram, decidir o que não fazer é tão vital quanto decidir o que fazer. 

YouTube video

No turbilhão de eventos, pessoas e lugares todos vying por atenção, a liderança focada não é aquela que diz sim a tudo, mas sim aquela que reconhece e se concentra no que é verdadeiramente essencial.

A liderança eficaz também envolve sintetizar planos de ação de forma clara e concisa. Definir o que é importante e o que é prioritário é um passo crucial para alcançar resultados significativos. 

Seneca, o filósofo estoico, disse que nenhum vento é favorável para o homem que não sabe para onde navega, uma lição vital para líderes que buscam direcionar suas equipes com sucesso.

Dominando as distrações digitais 

No entanto, o desafio permanece: Como se manter focado na era da hiperconectividade? As distrações digitais, como e-mails e redes sociais, podem desviar nossa atenção do que realmente importa. 

Abraham Zalesnick nos lembra de manter nossa atenção no essencial, onde decisões firmes fecham portas para abrir novas oportunidades.

Definir o foco na liderança envolve fazer perguntas críticas:

  • O que é necessário fazer mais?
  • O que é preciso fazer menos?
  • O que deve começar a ser feito?
  • O que deve ser deixado de lado?

O que é uma boa liderança?

Liderança, derivada do termo inglês “leader”, significa mais do que simplesmente comandar; é sobre inspirar e influenciar positivamente. No contexto corporativo, a liderança pode manifestar-se de duas formas: informal e formal. 

A liderança informal emerge naturalmente, sem um título oficial, enquanto a liderança formal é reconhecida por meio de posições de autoridade dentro de uma organização.

No âmago da liderança eficaz está a capacidade de servir e doar-se às pessoas que são influenciadas. A liderança não é apenas uma posição; é uma ação dinâmica que envolve estimular o entusiasmo, a alegria e a satisfação no trabalho, orientando as equipes a atingir e ultrapassar metas estabelecidas. 

O ato de influenciar é essencial na liderança, persuadindo os colaboradores a seguir as diretrizes com vontade e determinação, visando conquistas a curto, médio e longo prazo.

A essência da liderança de alta performance reside em impulsionar a realização, enfatizando a eficácia e a inteligência no trabalho. Um verdadeiro líder é um exemplo vivo, demonstrando pessoalmente o que espera dos outros. 

O estudo da liderança tem evoluído para enfatizar características como flexibilidade, capacidade de coordenação, visão estratégica e aprendizado contínuo, todas cruciais para manter uma vantagem competitiva no mercado.

Liderar é comunicar o valor e o potencial de maneira tão convincente que os membros da equipe veem essas qualidades refletidas em si próprios, motivando-os a agir e a se desenvolver. 

O melhor tipo de liderança é aquele que conquista respeito por meio de influência e sensibilidade às necessidades de justiça e retidão, não apenas por posição ou poder.

Os líderes de hoje são responsáveis por descobrir oportunidades, desenvolver pessoas e inspirar ação. Eles valorizam a ética, a motivação da equipe e a realização de resultados positivos. A liderança eficaz envolve ouvir ativamente e dar feedback construtivo, delegando tarefas para fomentar a confiança e a independência dos colaboradores.

Por que a liderança é importante? 

A liderança é fundamental para o cumprimento de metas, a motivação da equipe e o sucesso organizacional. Líderes que praticam uma liderança eficaz e são capazes de desenvolver equipes de alta performance são inestimáveis para qualquer negócio, pois são eles que impulsionam o avanço e o crescimento contínuo.

Assim, liderança é a arte e a ciência de gerir pessoas e processos, uma habilidade que pode ser aprimorada e que desempenha um papel crucial no sucesso de qualquer empresa. Os líderes não só guiam suas equipes, mas também moldam o futuro das organizações em que atuam.

O que os jovens de hoje precisam saber sobre liderança

Um grupo de pessoas em um ambiente de negócios, discutindo dicas de liderança

A internet é uma ferramenta maravilhosa, mas também dispersa o enfoque, enfraquecendo a importância de muitos professores tradicionalmente importantes (os pais, notadamente) – e as plataformas de mídia social são difusas, encorajando as pessoas a serem descoladas, distantes e até mesmo cruel.

Então, como podemos ajudá-los a tomar decisões claras sobre os tipos de pessoas que querem se tornar? Precisamos fornecer conselhos sensatos sempre que possível para ajudá-los a ver o que realmente significa ser um líder: como eles podem se impor, assumir o controle e encontrar maneiras de superar conflitos cotidianos para alcançar objetivos comuns. Aqui está o que eles realmente precisam saber:

Perspectivas variadas são inestimáveis

Um erro clássico de liderança é favorecer consistentemente as pessoas que concordam com você. 

Muitas vezes, isso leva a ser cercado por bajuladores: pessoas que sempre estarão dando apoio a você, independentemente do que realmente pensem, tudo para que possam manter sua aprovação. Esta é uma má ideia porque seus pensamentos, opiniões e planos precisam ser desafiados.

A grande liderança entende que as formas atuais não são inerentemente superiores e que melhores métodos podem surgir a qualquer momento. Se eles aparecerem e você não os notar, porque você está completamente no seu caminho, você sabotará seus futuros prospectos, assim como aqueles das pessoas que seguem sua liderança.

Consequentemente, é benéfico buscar a contradição – pedir que as pessoas avaliem suas ideias sem preconceitos e não tenham medo de avisá-lo quando discordarem de você. E quando o fizerem, você deve recompensar essa decisão, independentemente de quão prejudicado possa sentir. 

Ser mais flexível e abraçar novas ideias fará de você um líder melhor.

É importante dar o exemplo

Grandes empresas – e grandes equipes em geral – são forjadas por laços estreitos de confiança e companheirismo (elementos vitais da liderança transformacional ), com todos se esforçando para fazer o melhor possível.

Como tal, mover-se para uma posição de liderança não deve ser sobre a busca de inatividade, ou delegar todo o desafio para que você possa progredir ao fazer o mínimo possível, mas levando todo o crédito.

Se você adotar essa abordagem, irá inspirá-la naqueles que lidera, e os resultados serão miséria, tédio e alienação. Nenhuma quantidade de repreensão ou bajulação forçará as pessoas a se preocuparem mais com o que está acontecendo. 

Mas se você decidir saber mais, trabalhar mais e ser mais entusiasta do que todos que você está liderando (mesmo se você não tiver essa ambição), você estabelecerá um grande precedente.

Vendo que você é motivado, mesmo que você realmente não precise ser, encorajará todos os outros fazerem o melhor possível – não porque se sintam obrigados , mas porque querem se sentir parte de algo positivo e significativo.

Todo mundo se comunica de maneira diferente

Como você prefere se comunicar com os outros como parte de uma equipe? Você gosta de manter as brasas de uma conversa sempre animada, com um zumbido constante de conversa para ajudá-lo a se sentir conectado com os outros? Você prefere se isolar, no entanto, possível, trabalhando com o mínimo de distrações e se comunicando apenas quando for praticamente necessário?

Você pode cair em um desses dois campos, ou você pode estar em algum lugar no meio. O ponto é que todo mundo tem um estilo comunicativo diferente , e a boa liderança não procura encaixar as pessoas em posições idênticas: reconhece que elas serão mais felizes e produtivas quando permitido (na medida em que for prático) para comunicar a maneira como elas preferiria.

Isso também significa que um grande líder sabe como ajustar o tom e o léxico conforme necessário. Não faz sentido procurar motivar as pessoas exclusivamente por meio de palavras duras e uma voz elevada, por exemplo: algumas delas serão motivadas por essa agressão, mas outras serão esvaziadas por ela e responderão muito melhor à empatia e ao reforço positivo.

No final, você tem que confiar nas pessoas

O líder de microgerenciamento é a ruína da vida de muitos trabalhadores. Frequentemente, eles exigirão inovação e iniciativa, mas ainda assim, deverão encerrar qualquer esforço para fazer qualquer coisa tangível, insistindo que tudo deve ser executado primeiro para aprovação. 

Tomando este caminho pode protegê-lo de um erro ocasional, é verdade, mas vai sabotar enormemente suas perspectivas a longo prazo.

Eis o porquê: as pessoas não crescem e se desenvolvem a menos que tenham permissão para tomar decisões de consequências reais. Isso é algo que as maiores empresas do mundo entendem muito bem. Tobias Lütke, CEO do Shopify (criador de uma ferramenta líder na criação de sites de comércio eletrônico ), disse o seguinte quando entrevistou e perguntou sobre a cultura de startups:

“Quando iniciamos novos estagiários em nossa equipe de P & D, garantimos que, na primeira semana, eles realmente façam uma alteração no Shopify que impacta nossos clientes. Minutos depois de enviar o código, vai estar na frente de cem milhões de compradores. ”

Esse tipo de política levará a alguns contratempos? Provavelmente, sim – mas vale muito a pena, porque estabelece investimento pessoal e mostra que você está comprometido em fazer com que todos trabalhem com você, um acréscimo valioso e significativo para a equipe.

Veja também:

Conclusão

Tornar-se uma figura de autoridade pode significar que você tem credenciais, experiência e habilidades para liderar outras pessoas (embora isso não garanta isso, porque decisões de liderança questionáveis ​​são comuns), mas isso não lhe renderá respeito das pessoas que você lidera. .

Qualquer um que não esteja familiarizado com você precisará passar algum tempo interagindo com você para decidir o que eles fazem de você – e qualquer um que tenha conhecimento de antemão precisará avaliá-lo sob uma luz completamente nova.

E embora sua posição possa permitir que você emita pedidos, você não será um verdadeiro líder até que as pessoas que você lidera o respeitem na medida em que elas o seguem porque acreditam em você, não porque são obrigadas a fazê-lo . Caso contrário, você correrá o risco de encontrar indiferença e até mesmo conformidade maliciosa (alguém obedecendo a uma ordem de uma maneira que trai o espírito dela).

Então, ser um líder não significa lançar o seu peso e intimidar as pessoas a se submeterem à sua regra. É sobre mostrar porque você merece estar nessa posição. Gerencie isso, e você terá mais impacto com um sussurro do que um líder menor poderia conseguir com um grito.

Os jovens de hoje têm tantas fontes de informação buscando sua atenção que é completamente compreensível que eles fiquem confusos sobre o que significa ser um líder.

Quanto mais cedo eles aprenderem esses princípios básicos de liderança, mais efetivamente eles poderão assumir o comando e ajudar os outros a prosperar no processo.

Assine a nossa Newsletter