Artigos

Linguagem corporal

Linguagem corporal

Diversas vezes quando estamos nos comunicando, nos deparamos com algumas situações que não conseguimos entender por completo, é porque no processo de comunicação, além da linguagem verbal, há também a linguagem não verbal, essa segunda muitas vezes de difícil compreensão. Um olhar rápido, um olhar mais demorado, um sorriso, um franzir de sobrancelhas ou um movimento provocante do corpo, todos são mensagens não verbais que podem ser enviadas sozinhas ou junto as mensagem verbal.

A grande dificuldade encontrada é entender o que cada gesto dessa linguagem não verbal significa, portanto procurou-se achar embasamento teórico e também exemplos práticos para deixar tudo mais claro.

A linguagem corporal é uma ferramenta de comunicação, sendo assim, se você consegue entender o que o corpo tem a dizer, conseguirá entender melhor o que os outros estão dizendo, e também transmitir melhor a sua mensagem.
Na verdade, devemos tomar muito cuidado, pois muitas vezes a boca diz uma coisa, mas o corpo fala outra completamente diferente.
Oliver Sacks, em seu livro sobre surdos, comenta sobre como estes, ao assistir um programa de televisão com a presença de políticos, riam ininterruptamente da incapacidade de mentir que os “corpos” tinham. A linguagem corporal era uma grande delatora das mentiras que estes contavam.

A linguagem corporal é comandada por impulsos nervosos, oriundos do nosso sistema de percepção, que muitas vezes oferece estímulos inconscientes. Pierre Weil e Roland Tompakow em sua obra O corpo fala, norteia a linguagem corporal em quatro princípios básicos, que são eles:

Os componentes simultâneos das mensagens em linguagem do corpo humano sempre concordam entre si ou discordam entre si.
É possível discernir entre atitude conscientemente exteriorizada ou atitude consciente ou inconscientemente oculta.
A percepção ou reação do receptor das mensagens podem ser de modo consciente ou inconsciente.
Na percepção consciente de mensagens corretamente avaliadas, o acordo dos componentes confirma a verdade da intenção convencionalmente exteriorizada enquanto que o desacordo entre os componentes revela oposição reprimida da intenção convencionalmente exteriorizada.
Segundo Cristina Cairo em sua página na internet, “quando analisamos os movimentos do corpo ou o funcionamento de cada órgão percebemos que carregamos diferentes sentimentos para diferentes movimentos do nosso corpo”. Com base nisso fica mais claro que cada movimento corporal que apresentamos tem um significado próprio. Em seguida alguns exemplos de sinais que utilizamos no dia a dia e suas respectivas possíveis interpretações:

movimentação rápida, andar ereto: confiança;
parar com as mãos na cintura: incompreensão, agressividade;
sentar com pernas cruzadas e pequenos
chutes no ar: cansaço, aborrecimento;
sentar com as pernas abertas: abertura, relaxamento;
braços cruzados no peito: defensiva;
andar com as mãos nos bolsos, olhando
para baixo: falta de entusiasmo, desmotivado;
mãos nas maças do rosto: avaliação, pensamento;
coçar o nariz, tocar o nariz ao falar: dúvida, mentira;
esfregar os olhos: descrença, dúvida, mentira;
mãos fechadas atrás das costas: frustração, ódio;
apoiar a cabeça nas mãos, olhar para baixo
longamente: aborrecimento;
esfregar as mãos: antecipação, ansiedade;
sentar com as mãos para trás da cabeça e
de pernas cruzadas: confiança, superioridade;
mãos abertas, palmas para cima: sinceridade, inocência, abertura;
coçar a ponta do nariz, olhos fechados: avaliação negativa;
batucar com os dedos, olhar o relógio: impaciência;
estalar os dedos: autoridade;
alisar o cabelo: insegurança;
inclinar/ virar a cabeça na direção…: interesse;
coçar o queixo: pensando;
desviar o olhar: desconfiança;
roer unhas: ansiedade, insegurança;
puxar ou coçar a orelha: indecisão.

Outro fator de fundamental importância é tentar entender as reações do corpo quando se está contando uma mentira, é claro que a linguagem corporal deve ser sempre interpretada de acordo com o contexto da comunicação, porém existem alguns indícios que podem denunciar um mentiroso, seja pelo seu corpo, olhos ou face. Por exemplo, o mentiroso tende a se retrair, encolhendo braços, pernas e ocupando pouco espaço, ele também evita contato visual com o interlocutor e também usa a mão para esconder o rosto, principalmente a boca.

Tentou-se com esse artigo tirar algumas dúvidas sobre linguagem verbal e assimilá-la a linguagem verbal. E também entender o significado de cada gesto que costumamos presenciar diariamente, mas nunca tínhamos certeza de seu significado, mostraram-se também algumas dicas sobre como desmascarar um “mentiroso” utilizando somente de percepção..

O assunto é bastante amplo, existem diversas teorias, porém tentou-se de maneira simples abordar os pontos principais do assunto proposto.

Por: Maicol Francisco Ribeiro

Por:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of