Artigos

Como montar uma Matriz de Competências para desenvolvedor de software?

Matriz de Competências

O que fazer quando um desenvolvedor muito talentoso pega férias ou licença, e os resultados da sua startup começam a ficar negativos? Com a Matriz de Competências esse impasse pode ser resolvido. Confira este conteúdo para saber como isso é possível. 

Você já conhece essa ferramenta? Ela é aplicada nas empresas que desejam resultados mais sólidos a partir do investimento feito na hora de compor ou desenvolver a sua equipe.  

Nova call to action

Na prática, a Matriz de Competências pode ser aplicada em todos os setores da empresa. Entretanto, quando pensamos na contratação de desenvolvedores de softwares, websites e aplicativos, ela se torna ainda mais importante. Isso porque a profissão é bastante técnica, ou seja, é essencial que o colaborador domine as tecnologias mais estratégicas para o negócio. 

Portanto, o caminho ideal é definir as competências antes de iniciar o seu processo de recrutamento e seleção. Assim, você terá mais subsídios na hora de montar o seu job description, fazer a triagem dos currículos e entrevistar as pessoas candidatas. 

O que é Matriz de Competências? 

A Matriz de Competências é uma ferramenta que permite uma visão geral das competências de cada um dos seus colaboradores e, portanto, de toda a equipe. 

Para entender melhor o termo, é bom lembrar o que é matriz e o que é competência. Quando falamos em matriz, imagine uma tabela com linhas verticais e horizontais, com detalhamento de uma variável, no caso as competências. 

Já a competência é medida pelo nível de conhecimento e de aplicabilidade do profissional que geram resultados para a organização. Sendo assim, você une o saber e o saber fazer. 

Normalmente, usa-se a técnica de avaliação do CHA para identificar a competência de um colaborador, ou seja: 

  • C de conhecimento (saber);
  • H de habilidade (saber fazer);
  • A de atitude (querer fazer). 

De modo geral, o “C” está ligado às certificações e diplomas do desenvolvedor, que são conhecidos no momento da triagem. Enquanto isso, o “H” pode ser medido nos testes técnicos. 

Por falar nisso, é muito importante promover desafios técnicos com os desenvolvedores para verificar como eles lidariam com situações reais dentro da equipe na hora de entregar uma tarefa. 

E, por último, o “A” de atitude está ligado ao perfil comportamental do candidato, afinal, cada pessoa tem um aspecto que se sobressai na sua personalidade, uns são mais proativos, outros reativos. Portanto, tudo vai depender das necessidades da sua empresa. 

Como montar uma Matriz de Competência para desenvolvedores? 

Como você viu acima, a Matriz de Competências pode ser visualizada em uma planilha de Excel ou outro programa que você preferir. 

Primeiramente, coloque em cada linha da esquerda os nomes dos seus colaboradores do time de desenvolvimento ou TI (Tecnologia da Informação). Em seguida, monte a planilha escrevendo as skills mais desejadas e estratégicas, uma em cada coluna, da esquerda para a direita. 

E agora um detalhe importante: se você ainda está montando a equipe e não tem desenvolvedores contratados em número suficiente, coloque nas primeiras linhas, na coluna à esquerda, somente os nomes das funções, como desenvolvedor Pleno, estagiário, CTO, entre outros. 

A partir deste instante, com os nomes na vertical e os talentos desejados na horizontal, comece a pontuar as competências dos seus colaboradores atuais ou as requisitadas nos candidatos que irão preencher as futuras vagas. 

Por exemplo, você pode conferir estrelas para cada nível de competência: 

  • Básico, quando se trata de um iniciante ou entusiasta da tecnologia desejada, coloque uma estrela; 
  • Praticante, insira duas estrelas se é necessário que o colaborador tenha experiência e contato com a tecnologia desejada; 
  • Avançado, neste caso, com três estrelas, pois o desenvolvedor estará disposto a enfrentar desafios mais complexos e contribuir com insights para o produto/serviço, como um Sênior

Como o scorecard pode ajudar a montar sua Matriz de Competências? 

Mas, afinal, como avaliar a equipe de desenvolvedores e profissionais tech do time ou ainda os próximos que virão a compor o departamento? 

Uma das soluções está no scorecard, que é uma autoavaliação feita pelo desenvolvedor com relação às stacks solicitadas no job description

Desse modo, ele próprio atribui um nível de conhecimento às suas habilidades. Por exemplo, ele pode indicar ser nível Básico em uma determinada tecnologia que é uma aposta na sua startup ou empresa. Ou ainda ser nível Avançado em um software ou metodologia que você preza no seu time para conquistar os resultados desejados. 

Com esse embasamento, portanto, você pode avaliar melhor a sua equipe atual e os profissionais que ainda serão contratados. 

Uma dica importante: olhando para a sua Matriz de Competências do ponto de vista de cada colaborador você terá um recorte das habilidades e competências de cada desenvolvedor da sua equipe de forma individual. 

Agora, olhando para as colunas da sua planilha, você saberá qual é o nível do seu time em relação a cada stack. Por exemplo, como está o padrão de qualidade em metodologia Scrum, em desenvolvimento web ou ainda em Back-end. 

scorecard

Como usar a Matriz de Competências? 

O primeiro passo é documentar a sua Matriz de Competências. Sendo assim, use alguma plataforma interna, como o Trello ou o Notion para deixar tudo organizado, ficando visível aos membros do seu time de Gestão de Pessoas e, assim, poder ser atualizado ou consultado posteriormente. 

Outro detalhe importante é utilizar o resultado da Matriz de Competências como embasamento para planos de desenvolvimento da equipe. Portanto, se você verificar, por exemplo, que o seu time de desenvolvimento está carente de conhecimentos em determinado framework usado, como o .NET da Microsoft ou o React.js, você poderá investir em treinamentos internos

Mas quando falamos em recrutamento e seleção na área tech, o indicativo da sua matriz poderá orientar seus processos seletivos. Dessa maneira, você poderá trazer um equilíbrio à composição do seu time ao contratar desenvolvedor ou programador que preencha lacunas em termos de habilidades e competências. 

Conclusão 

Você viu neste artigo o que é Matriz de Competências e como montar a sua para recrutar e selecionar desenvolvedor para o seu time tech. 

O que você achou das dicas? Para desenvolver uma boa planilha é importante conhecer os talentos do desenvolvedor indo além do currículo, que nem sempre expressa as verdadeiras skills da pessoa candidata. 

Nesse sentido, conheça a plataforma Coodesh de contratação de desenvolvedores. Após inscrito na vaga da sua empresa ou diretamente na plataforma, o desenvolvedor responde o seu scorecard e faz teste técnico e comportamental para a vaga. 

Este artigo foi escrito por Coodesh.

ebook janeiro branco

0 0 votes
Article Rating

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

News do RH Portal

Assine nossa Newsletter e fique por dentro de todas as Novidades e Tendências do Universo do RH