Artigos

Meu Currículo, Meu Panfleto

Achou o título do artigo forte? Pois infelizmente é isso o que acontece desde sempre e intensificou após a internet ganhar força no mercado.

A pessoa fica desempregada e acredita que quanto mais currículos ela enviar, maiores serão as suas chances de conseguir ao menos uma entrevista.

Conquistar uma lista com e-mails de RHs de empresas é algo muito valioso para muitos.

No entanto, este não é o melhor caminho. E vou explicar o motivo.

Suponhamos que você seja uma pessoa bastante caseira, que goste de ficar em ambientes calmos, com a família. Então, um dia você recebe um e-mail com uma cortesia para frequentar a casa noturna mais badalada da cidade.

Seu vizinho talvez fosse amar receber este convite. Mas não você. Você não gosta de barulho e prefere ambientes tranquilos. O que você faz? Ignora o e-mail ou então deleta.

Com o seu currículo, é muito provável que aconteça algo parecido, por uma única razão que já se basta: A pessoa que o recebeu não solicitou o recebimento! Se ela não solicitou, é muito difícil que ela se interesse por ele.

Muitas pessoas fazem essa panfletagem de currículos. Alguns que recebem podem até armazenar em uma pasta, retransmitir para alguém….Mas infelizmente a maioria é, de alguma maneira, descartada. Da mesma maneira que você faz quando está no farol, com a janela aberta do carro e vem aquela mocinha simpática e entrega a propaganda de um apartamento maravilhoso que você não tem a menor pretensão de comprar.

Então qual é a melhor maneira de se conseguir uma vaga? Ou uma oportunidade de entrevista? A resposta que eu posso dar é: NETWORKING. Sim, é isso mesmo! Quanto mais pessoas você conhecer, maiores serão as suas chances. Não quer dizer que você deva procurar pessoas para pedir emprego.

Significa que você deve mostrar por qual razão merece ser contratado e sair da situação do desemprego. Mostrar suas competências, transmitir seus conhecimentos e ajudar as pessoas. Sim, ajudar as pessoas!!! Quando estamos desempregados, nos colocamos numa situação de vítima e achamos que as pessoas devem nos ajudar. Mas a situação de desemprego não diminui a sua experiência. Não diminui as suas qualificações. Não diminui as suas competências e os seus aprendizados.

Quando estamos desempregados, precisamos em primeiro lugar, tratar de nossa autoestima. Quem não acredita em si, não se gosta, não vai conseguir se vender durante um processo seletivo. Se eu me achar um fracasso, é essa a imagem que vou transmitir para o selecionador.

Olhe para as suas qualificações, lembre-se dos momentos vitoriosos e de suas conquistas. Entenda que você não merece estar desempregado. Acredite em você!

Procure pessoas, frequente grupos de discussão de sua área, compareça a eventos gratuitos e mostre que você é competente e faz a diferença!

Todos nós temos momentos bons e momentos ruins. Acredite, é uma fase que vai passar. Mas não abra mão das oportunidades. Esteja preparado sempre!

Procurar emprego é o seu trabalho. Encare como um desafio. Estabeleça uma rotina, um horário definido. Anote tudo – vagas para as quais encaminhou currículo, com a data e a fonte (onde localizou a vaga, nome da empresa ou do site). Organize-se, tal qual você faria durante o seu trabalho.

E acima de tudo, acredite: vai dar tudo certo!

Isabela Cavalheiro

Idealizadora e Administradora do Grupo TRHOCA: https://www.facebook.com/groups/rhtroca/

Especialista em Recrutamento e Seleção

Por:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of