logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Início > Mulheres empreendedoras; Cenário, Desafios e Perfis

Sumário

Mulheres empreendedoras; Cenário, Desafios e Perfis

A habilidade das mulheres empreendedoras de criar e administrar negócios não apenas desafia preconceitos e supera obstáculos, mas também...

Mulheres empreendedoras, ou, empreendedorismo feminino é um tema que vem ganhando cada vez mais destaque no cenário econômico e social global.

A capacidade de criar e gerir negócios por mulheres empreendedoras não apenas desafia estereótipos e quebra barreiras, mas também impulsiona o desenvolvimento econômico e promove a igualdade de gênero. 

Neste artigo, vamos mergulhar no universo das mulheres empreendedoras, explorando o cenário atual, os desafios enfrentados e os perfis dessas poderosas agentes de mudança.

O que falar sobre o empreendedorismo feminino? 

O empreendedorismo feminino refere-se à iniciativa de mulheres que decidem abrir seu próprio negócio, seja por necessidade ou oportunidade. 

Elas representam uma força vital na economia, trazendo inovação, criando empregos e contribuindo significativamente para o PIB (Produto Interno Bruto).

Cenário Atual

Nos últimos anos, observou-se um aumento expressivo no número de mulheres que decidiram empreender.

Segundo dados do SEBRAE, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, as mulheres já representam cerca de 34% do total de empreendedores no Brasil. 

Esse crescimento é reflexo de uma série de fatores, incluindo maior acesso à educação, mudanças culturais e a busca por flexibilidade de horários que permitam conciliar a vida profissional com a pessoal.

Apesar do crescimento, as empreendedoras ainda enfrentam um ambiente de negócios que pode ser desafiador.

A disparidade de gênero em cargos de liderança e a dificuldade de acesso a financiamentos são alguns dos obstáculos que ainda persistem.

No entanto, redes de apoio e incentivos governamentais têm surgido como formas de encorajar e facilitar a jornada dessas mulheres.

Quais são os desafios das mulheres empreendedoras? 

Mulheres empreendedoras; Cenário, Desafios e Perfis

O empreendedorismo feminino tem se destacado cada vez mais no cenário econômico mundial.

Apesar disso, as mulheres empreendedoras enfrentam uma série de desafios únicos, que vão desde questões culturais até obstáculos práticos no desenvolvimento de seus negócios.

Vamos explorar alguns desses desafios e entender como eles impactam a jornada das mulheres no mundo do empreendedorismo.

1. Equilíbrio entre vida pessoal e profissional

Um dos maiores desafios enfrentados pelas mulheres empreendedoras é encontrar um equilíbrio saudável entre a vida pessoal e a carreira.

Culturalmente, espera-se que as mulheres desempenhem um papel significativo no cuidado com a casa e a família, o que pode dificultar a dedicação ao próprio negócio.

A pressão para ser bem-sucedida em todas as áreas da vida muitas vezes resulta em uma carga de trabalho e estresse excessivos.

2. Acesso a financiamento

Outro obstáculo significativo é o acesso a financiamento. Estudos mostram que, em muitos casos, as mulheres têm mais dificuldade em obter empréstimos bancários e investimentos para seus negócios.

Isso pode ser atribuído a uma variedade de fatores, incluindo preconceito de gênero e uma rede de contatos menos extensa comparada à dos homens.

3. Preconceito e discriminação

O preconceito de gênero é uma realidade persistente no mundo dos negócios. Mulheres empreendedoras frequentemente enfrentam dúvidas sobre sua capacidade e competência simplesmente por serem mulheres.

Isso pode se manifestar em reuniões com investidores, negociações com fornecedores e até mesmo no tratamento por parte dos clientes.

4. Desenvolvimento de rede de contatos

A construção de uma rede sólida de contatos profissionais é essencial para qualquer empreendedor.

No entanto, as mulheres muitas vezes encontram dificuldades nesse aspecto devido à falta de representatividade feminina em posições de liderança e eventos do setor.

Isso limita as oportunidades de networking e mentorias que são cruciais para o crescimento do negócio.

5. Estereótipos de gênero

Os estereótipos de gênero podem influenciar a percepção sobre quais tipos de negócios são “apropriados” para mulheres.

Isso pode desencorajar empreendedoras de entrar em indústrias dominadas por homens ou de buscar oportunidades que não se encaixam nas expectativas tradicionais.

6. Barreiras culturais e sociais

Em muitas culturas, ainda há uma resistência significativa à ideia de mulheres como líderes empresariais. Isso pode resultar em falta de apoio social e até mesmo oposição da família ou da comunidade, o que pode ser um obstáculo emocional e prático para mulheres que desejam começar seu próprio negócio.

7. Falta de modelos femininos no empreendedorismo

A falta de visibilidade de mulheres bem-sucedidas no empreendedorismo também é um desafio. Sem modelos a seguir, as mulheres podem ter dificuldade em visualizar seu próprio sucesso e podem não ter acesso aos mesmos conselhos e orientações que os homens têm.

8. Pressão para aderir a normas de gênero

Mesmo quando alcançam o sucesso, as mulheres empreendedoras podem sentir pressão para aderir a normas de gênero dentro do ambiente empresarial, como manter uma aparência ou comportamento “feminino” para serem levadas a sério.

9. Desafios na liderança

Assumir posições de liderança vem com seu próprio conjunto de desafios para as mulheres, que muitas vezes têm que provar suas habilidades repetidamente e lidar com críticas mais severas do que os homens em posições semelhantes.

10. Dificuldades na expansão do negócio

Por fim, as mulheres podem enfrentar dificuldades específicas ao tentar expandir seus negócios, seja por limitações impostas por responsabilidades familiares, seja pela falta de acesso a recursos e oportunidades que facilitem o crescimento empresarial.

Apesar desses desafios, as mulheres empreendedoras continuam a progredir e a inovar em todos os setores.

Com o aumento da conscientização sobre essas questões e o fortalecimento de redes de apoio, espera-se que mais mulheres sejam capazes de superar esses obstáculos e prosperar no mundo dos negócios.

Quais são as 10 maiores empreendedoras no Brasil?

Mulheres empreendedoras; Cenário, Desafios e Perfis

Vamos mergulhar na trajetória de 10 das maiores empreendedoras no Brasil, que com sua determinação e visão de futuro, estão redefinindo o que significa ser uma mulher de negócios no país.

1. Luiza Helena Trajano – Presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza

Falar de Luiza Helena Trajano é falar de uma verdadeira potência no varejo brasileiro. Sob sua liderança, o Magazine Luiza saiu de uma rede de lojas físicas para se tornar um dos maiores players do e-commerce no Brasil. 

Com uma visão de negócios aguçada e uma capacidade única de antecipar tendências, Luiza transformou o Magalu em uma plataforma digital com múltiplos serviços e produtos, sempre focando na experiência do cliente e na inclusão digital.

2. Zica Assis – Fundadora do Beleza Natural

A trajetória de Zica Assis é uma história de resiliência e inovação. Identificando uma necessidade não atendida no mercado de beleza para cabelos cacheados e crespos, Zica criou o Instituto Beleza Natural.

A marca não só oferece produtos e serviços especializados, mas também se tornou um símbolo de empoderamento para mulheres negras em todo o país, incentivando-as a abraçar sua beleza natural.

3. Sônia Hess – Ex-Presidente da Dudalina

Sônia Hess é um exemplo de como visão estratégica e paixão pelo que faz podem levar a conquistas extraordinárias.

Durante sua gestão na Dudalina, ela não só consolidou a marca como uma das mais respeitadas em camisaria no Brasil, mas também a levou para o cenário internacional, mostrando que a moda brasileira tem qualidade e sofisticação para competir globalmente.

4. Leila Velez – Co-fundadora do Instituto Beleza Natural

Leila Velez, parceira de Zica Assis, é um exemplo de liderança focada em gestão e crescimento sustentável.

Sua contribuição foi essencial para que o Instituto Beleza Natural expandisse sua presença no mercado, mantendo a qualidade e a filosofia original da marca.

Leila mostra que é possível escalar um negócio mantendo os valores que o tornaram único.

5. Cristina Junqueira – Co-fundadora do Nubank

No mundo das fintechs, Cristina Junqueira se destaca como co-fundadora do Nubank, que trouxe uma nova perspectiva ao mercado financeiro brasileiro.

Com foco na experiência do usuário e na descomplicação dos serviços bancários, Cristina ajudou a construir um dos bancos digitais mais valiosos do mundo, provando que é possível inovar em um setor tradicional.

6. Camila Farani – Investidora-Anjo e Shark no Shark Tank Brasil

Camila Farani é sinônimo de visão empreendedora e capacidade de identificar potencial em novos negócios.

Como uma das maiores investidoras-anjo do Brasil e participante do programa Shark Tank Brasil, ela tem sido peça-chave no apoio ao crescimento de startups brasileiras, oferecendo não apenas capital, mas também mentorias e uma rede valiosa de contatos.

7. Bel Pesce – Empreendedora e Educadora

Bel Pesce é conhecida por sua energia contagiante e paixão por compartilhar conhecimento sobre empreendedorismo.

Fundadora da FazINOVA, ela se dedica a ensinar habilidades interpessoais e fomentar a cultura empreendedora entre jovens e adultos. Sua história inspira milhares de pessoas a perseguirem seus sonhos com determinação e inteligência.

8. Luiza Helena Ribeiro do Valle – Fundadora da Luiza Barcelos

A empreendedora Luiza Helena Ribeiro do Valle identificou uma oportunidade no mercado de calçados femininos de luxo e criou a marca Luiza Barcelos.

Combinando design, conforto e qualidade, seus produtos rapidamente conquistaram o coração das brasileiras, e hoje a marca é um ícone no segmento, mostrando que é possível aliar bom gosto e sucesso empresarial.

9. Nina Silva – Co-fundadora do Movimento Black Money

Nina Silva é uma voz poderosa na luta pela inclusão financeira e pelo empoderamento econômico da população negra no Brasil.

Através do Movimento Black Money, ela promove o empreendedorismo negro e a educação financeira, trabalhando para construir um ecossistema de negócios mais justo e diversificado.

10. Gisele Bündchen – Empresária e Modelo

Gisele Bündchen é um exemplo de como usar a influência para causas maiores. Além de ser uma supermodelo reconhecida mundialmente, ela tem se dedicado ao empreendedorismo sustentável, com sua linha de produtos ecológicos e seu engajamento em projetos ambientais.

Gisele mostra que sucesso e consciência ambiental podem, e devem, caminhar juntos.

Conclusão

Mulheres empreendedoras estão redefinindo o mundo dos negócios com sua resiliência, criatividade e liderança.

Enquanto o cenário atual apresenta desafios significativos, também está cheio de oportunidades e histórias de sucesso que inspiram uma nova geração de mulheres a seguir seus sonhos empreendedores.

O apoio contínuo por meio de políticas públicas, acesso a financiamento e redes de mentoria são fundamentais para garantir que as mulheres não apenas entrem no campo do empreendedorismo, mas também prosperem e liderem. 

Ao reconhecer e celebrar as conquistas das mulheres empreendedoras, estamos não apenas investindo em negócios individuais, mas também promovendo uma sociedade mais igualitária e diversificada.

Assine a nossa Newsletter