logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Início > Clima Organizacional > Administração de Conflitos: Estratégias eficientes no ambiente de trabalho 

Sumário

Administração de Conflitos: Estratégias eficientes no ambiente de trabalho 

Neste artigo, exploraremos as diversas facetas da administração de conflitos, desde a identificação e compreensão dos diferentes tipos de conflitos até a implementação de estratégias eficazes para resolvê-los. 

Administração de conflitos é uma habilidade vital em qualquer ambiente organizacional, desempenhando um papel crucial na manutenção de um ambiente de trabalho saudável e produtivo. 

Neste artigo, exploraremos as diversas facetas da administração de conflitos, desde a identificação e compreensão dos diferentes tipos de conflitos até a implementação de estratégias eficazes para resolvê-los. 

Discutiremos como a abordagem construtiva dos conflitos pode não apenas resolver tensões momentâneas, mas também abrir caminho para uma melhor comunicação, colaboração e um clima organizacional positivo.

O que é administração de conflitos?

https://www.youtube.com/watch?v=wg1DHNuBELQ

​​A administração de conflitos é um processo crucial em qualquer ambiente organizacional ou social, focado em identificar, abordar e resolver desacordos ou divergências que surgem entre indivíduos ou grupos. 

A administração de conflitos é vital para manter um ambiente de trabalho saudável e produtivo, promovendo a colaboração, o respeito mútuo e a compreensão entre todas as partes. 

Ela não apenas ajuda a resolver problemas existentes, mas também contribui para a prevenção de desentendimentos futuros e fortalece a coesão e a eficiência da equipe ou organização.

Quais são as formas de administrar conflitos?

Mão humana mediando entre duas figuras opostas, simbolizando a resolução de conflitos.

Administrar conflitos efetivamente é crucial para manter um ambiente de trabalho saudável e produtivo. Existem várias abordagens e técnicas que podem ser utilizadas para gerenciar e resolver conflitos:

Banner artigo_Material-RH Humanizado
  • Evitação: Nesta abordagem, os conflitos são evitados ou adiados. Embora possa ser útil em situações menores ou quando é necessário mais tempo para coletar informações, a evitação prolongada pode levar ao agravamento do conflito.
  • Acomodação: Aqui, uma das partes envolvidas cede aos desejos da outra. Essa estratégia pode ser eficaz para preservar a harmonia e a paz, mas pode não ser a melhor solução a longo prazo, especialmente se levar ao ressentimento.
  • Competição: Neste caso, uma parte procura atender às suas próprias necessidades ou interesses, sem considerar os da outra parte. 
  • Compromisso: As partes envolvidas buscam uma solução que atenda parcialmente aos interesses de ambos. O compromisso pode ser uma boa solução quando um acordo completo não é possível, mas pode não satisfazer completamente nenhuma das partes.
  • Colaboração: Esta é uma abordagem baseada na solução de problemas, onde as partes trabalham juntas para encontrar uma solução que atenda totalmente aos interesses de ambas. A colaboração é muitas vezes considerada a melhor abordagem para a administração de conflitos, pois promove o entendimento mútuo, o respeito e uma solução benéfica para todos.
  • Mediação: A mediação envolve a intervenção de uma terceira parte neutra que ajuda as partes em conflito a chegar a uma solução. O mediador facilita a comunicação e negociação, mas não toma decisões por nenhum dos lados.
  • Confronto Construtivo: Envolve abordar o conflito diretamente de maneira assertiva, mas respeitosa. Isso requer comunicação aberta, escuta ativa e a busca de um entendimento mútuo.

Cada uma dessas abordagens pode ser mais ou menos adequada, dependendo da natureza do conflito e do contexto em que ele ocorre. 

Quais as 4 etapas da gestão de conflitos?

As quatro etapas para uma gestão eficaz de conflitos são:

  1. Identificação do Conflito: Onde se reconhece e define claramente o conflito, identificando as partes envolvidas, os problemas em questão e as emoções associadas.
  2. Análise do Conflito: Envolve analisar as causas subjacentes e os fatores que contribuem para a situação conflituosa.
  3. Intervenção e Resolução do Conflito: Implementação de estratégias para resolver o conflito de maneira construtiva, que pode incluir mediação, negociação direta ou técnicas de resolução de problemas.
  4. Avaliação e Aprendizado: Após a resolução do conflito, avalia-se o processo e os resultados, refletindo sobre o que funcionou bem e o que poderia ter sido feito de maneira diferente.

Essas etapas ajudam a criar um ambiente onde as diferenças possam ser resolvidas de forma construtiva, promovendo a compreensão, a comunicação eficaz e a colaboração entre as partes envolvidas.

Quais são os 4 tipos de conflitos?

Duas pessoas discutindo intensamente, representando um conflito que exige habilidades de administração.

Os quatro tipos de conflito são:

  • Intrapessoal: Conflito interno de um indivíduo, surgindo de seus próprios pensamentos, emoções, ideias, valores e predisposições.
  • Interpessoal: Ocorre entre duas ou mais pessoas em uma organização, resultante de diferentes personalidades ou perspectivas.
  • Intragrupo: Surge entre membros de um mesmo grupo devido a diferenças de opiniões, estilos de comunicação e personalidades.
  • Intergrupo: Acontece entre diferentes grupos dentro de uma organização ou entre grupos com objetivos distintos.

Cada tipo de conflito apresenta seus próprios desafios e soluções únicas, sendo importante compreender e gerenciar adequadamente para manter um ambiente de trabalho saudável e produtivo.

Saiba mais: Aproveite que você está aqui e confira no curso sobre Gestão de conflitos.

Você aprendera como gerenciar e amenizar desentendimentos no contexto profissional a partir da metodologia comportamental. 100% gratuito!

Negociação e administração de conflitos

De acordo com Miranda, (2005). “Antes de iniciar uma negociação, o negociador precisa estar atento a algumas questões e satisfazê-las antes de qualquer ato negocial”.

Assim, deve-se, por exemplo, delimitar anteriormente as questões, ter informações da parte contrária, definir prioridades e necessidades, preestabelecer metas e objetivos, e desenvolver ideias e propostas para sustentar suas posições.

Existem três tipos de posturas utilizadas para se obter uma negociação eficaz, são elas:

1. Postura ganha-ganha, onde todos podem sair ganhando, podem obter vantagens mútuas, o acordo é mais provável; essa postura iremos enfatizar no capítulo posterior , pois a mesma merece que se faça algumas considerações.

2. Postura perde-perde, onde um ganha e o outro perde, sendo que o importante é levar vantagem em tudo, e só o que importa são os próprios interesses, até porque segundo essa postura estar em negociação é estar em batalha, o acordo é pouco provável;

3. Postura ganha-perde, onde todos os negociadores não estão dispostos a ceder para que possa ocorrer uma composição sadia e igualitária, onde é quase certo que não haver á acordo. Miranda, (2003, p. 85),

Habilidade para a negociação

Segundo Miranda (2005). A negociação é uma das áreas em que as organizações mais necessitam de uma substancial competência, embora poucas pensem assim. 

A habilidade como negociador é imprescindível para as interações efetivas entre gerentes e subordinados e mais diversas situações.

A competência neste muitos fóruns contribuem para o sucesso da organização como todo.

Quando aplicada a negociação, a disciplina do aprimoramento contínuopode desenvolver a eficácia de uma organização e com o passar do tempo, aumentar sua lucratividade.

Obstáculos da negociação e administração de conflitos:

  • Uma negociação onde se leva prejuízo resultando numa quebra de relacionamento.
  • Uma má negociação produz consequências futuras.
  • Onde há muitas variáveis torna-se imprevisível os resultados.

A necessidade de incentivos são insuficientes para tornar eficaz a negociação com os outros. É necessário obter um treinamento em uma organização para alcançar resultados satisfatórios. 

Em determinadas empresas que tinha seus focos em concessões codificaram os processos e implantaram uma nova cultura em seus negociadores, para obter seus objetivos.

Estilos de Negociação

Em relação ao estilo de negociação, Thoreu,(2003) apud Prado,(2005) diz que: “é um componente fundamental em todo o processo de negociação.

Ele permitirá ao negociador conhecer a si mesmo, e conhecer de forma consciente seu ou seus interlocutores”.

Equipe de trabalho em uma discussão tensa, destacando a necessidade de administração de conflitos no local de trabalho.

Dentre alguns estilos e comportamentos para uma negociação tem-se a persuasão, onde o negociador tenta convencer a outra parte para que aceite sua ideia, tenta influenciar a parte contrária, raciocinando, argumentando, fazendo e idealizando propostas e alternativas.

A afirmação, onde o negociador impõe e julga a parte contrária, suas propostas e sugestões, expõe seu ponto de vista a despeito da parte com a qual se está debatendo. Henry Thoreu apud Prado (2005).

A atração ocorre quando o negociador usa seu poder de atração, sedução,demonstrando a abrindo para a parte contrária suas fraquezas, reconhecendo seus próprios erros. 

E, por fim, a ligação que consiste no estilo ganha-ganha que se sobressai como o mais humanizado e ético dos estilos de negociação, mas a forma mais difícil de negociar necessitando para o êxito, muita competência e habilidade. 

Segundo Henry Thoreu apud Prado (2005) para se chegar ao ganha/ganha é necessário se ter dois fatores: as posturas dos negociadores e as formas de negociar”.

A negociação também é uma habilidade que pode – e deve – ser aprimorada com o passar do tempo.

Por isso, recomendamos que você invista em softwares que ajudam no desenvolvimento profissional e pessoal, como o Profiler.

Táticas de negociação

Algumas táticas são consideradas importantes na mesa de negociação pela grande perspectiva de resultados positivos e êxitos para o negociador, destacando-se entre elas algumas ações como:

  • Ter uma boa aliança, podendo ser esta uma pessoa ou um grande projeto, uma grande proposta;
  • Ter uma autoridade limitada, no sentido de que mesmo estando certo o acordo é fundamental que o negociador solicite a autorização de seu superior;
  • Agir de forma apaixonada, e apaixonante, demonstrando interesse e pleno conhecimento e aceitação de sua proposta e sua posição, pois esta atitude alimenta de forma considerável a confiança e a credibilidade da outra parte para com o negociador;
  • Dividir para conquistar, esta é uma boa tática para quando a outra parte for composta por uma equipe, sendo que nesse caso o negociador deve tentar convencer um dos integrantes desta equipe para que ele tente influenciar os demais;
  • Manter-se firme, quando não houver mais concessões a fazer, o negociador deve, com firmeza, afirmar tal situação;
  • Ser paciente, no sentido de que o negociador que sabe esperar mais que a parte contrária terá mais chances de fazer melhor negócio;
  • O negociador deve fazer surpresas, nunca sendo previsível, desgovernando a outra parte com uma mudança repentina nas suas táticas e comportamentos, impedindo-a de antecipar suas ações (Nascimento, 2002,p.43).

Veja também:

3 dicas de admnistração de conflitos

Dois profissionais em meio a uma discussão intensa, destacando a importância da administração de conflitos no local de trabalho.

De acordo com Willames, Kold apud Watkins (2004) sugerem três medidas que podem ser tomadas ao iniciar uma negociação:

a. Oferecer incentivos. Deve-se conhecer do que o indivíduo necessita: dinheiro, tempo, seu apoio? Descubram quais são as suas necessidades e apresente-as como possíveis benefícios de uma negociação.

b. Atribua um preço ao Status quo. Explicite o custo de deixar de negociar, deve-se perceber o custo do status quo.

c. Conquistar apoio. Às vezes os nossos aliados são capazes de obter o que outras medidas não conseguem.

Inicialmente atraia seu interlocutor a mesa de negociação, é primordial que no início seja tranquilo. Para que isso ocorra é necessário aliviar a tensão que geralmente estar presente. Procure fazê-lo em palavras iniciais.

  • Manifeste respeito pela experiência e perícia do seu interlocutor
  • Apresente a tarefa de maneira positiva, como uma empreitada conjunta
  • Saliente a sua receptividade aos interesses e preocupações do outro.

Táticas para uma negociação ganha/ ganha

Para Watkins,(2004).São aquelas que a negociação cresce por meio de trocas. Exigem um outro conjunto de táticas, começa mais lento e exploratório baseia-se numa maior colaboração e troca de informações. 

Ao contrario da tática do ganha –perde se concentra nas reinvindicações do valor, os acordos tendo por objetivo de criar e também de exigi o valor.

Ao iniciar uma negociação integrativa, ou seja ganha /ganha fale e ouça.

A medida que for tomando conhecimento das preocupações e interesses da outra parte, não se apresse em fazer uma proposta.

Uma oferta prematura não se beneficiará de informações obtidas no processo de negociação, evite dar proposta irrisória, ou subestimar o interlocutor.

Conclusão

A administração de conflitos é uma habilidade essencial para manter um ambiente de trabalho saudável e produtivo.

Compreender os diferentes tipos de conflitos e aplicar estratégias adequadas para cada situação é fundamental. 

Uma gestão eficaz de conflitos não apenas resolve desentendimentos, mas também promove um melhor entendimento e colaboração entre os membros da equipe.

Ao abordar os conflitos de forma construtiva, as organizações podem criar um ambiente de trabalho mais harmonioso e eficiente.

desenvolvimento e treinamento de pessoas
Atualmente atuo como Diretora de Operações responsável que aumentam o potencial de crescimento da Sólides, tive uma jornada sólida como Diretora Comercial estruturando a máquina comercial com o crescimento de + de 5000% em receita na Sólides.
Assine a nossa Newsletter