Artigos

Não Foi Só Oscar!

Você pode não gostar do ator Leonardo DiCaprio ou achar que criaram ‘holofotes’ demais em torno de sua premiação no Oscar. Mas ao parar e entender um pouco de sua história, ficará mais fácil compreender porque houve tanta mobilização a seu favor.

Leonardo DiCaprio teve sua primeira indicação ao Oscar em 1990 através do filme “Gilbert Grape – aprendiz de um sonhador” em que não venceu. Ganhou o mundo com “Titanic” (1997) vindo sua segunda indicação como melhor ator ao qual também não ganhou. Foi indicado dez vezes ao Globo de Ouro como melhor ator, em que venceu somente três. Obteve mais duas indicações ao Oscar em que novamente não foi premiado.

Ao longo de sua carreira foi alvo de muitas críticas, muitas delas negativas. Alguns acreditam que ele foi injustiçado. Mas possivelmente Dicaprio entendeu que a vida não vai ser sempre justa conosco, por mais que nos julguemos merecedores, a vida tem seu próprio cursor, não respeita fielmente as nossas vontades.

O que teria acontecido se lá depois do Titanic (1997) – filme que lhe despontou para o sucesso e um dos mais rentáveis da história do cinema – se ele tivesse desistido por não achar que foi justo? Poderia muito bem ter se dedicado a outra carreira ou contentar-se com papéis medianos, roteiros pobres e viver lamentando. Mas ele se manteve perseverante, construindo e aguardando o seu momento.

Finalmente em 2015, vivendo sua personagem Hugh Glass em “O regresso”, recebe sua quinta indicação ao Oscar como melhor ator e leva a estatueta! O tão esperado prêmio veio após vinte e seis anos de carreira e de sua primeira indicação.

Só fatos como esses nos fazem perceber que trata-se de uma história de perseverança. Por isso não foi só o fato de ter ganho o Oscar que mobilizou as pessoas, foi sua persistência em dar continuidade a uma ação após intenso esforço. Ter continuado firme e constante no propósito.

Steven Covey (Os sete hábitos das pessoas altamente eficazes) escreveu: “muitas coisas na vida (pessoal/ profissional) são iguais ao bambu chinês. Você trabalha, investe tempo e esforço, faz tudo o que pode para nutrir seu crescimento e, às vezes, não se vê nada por semanas, meses, anos. Mas se tiver paciência para continuar trabalhando e nutrindo, atingirá o propósito: O crescimento e a mudança que se processam o deixarão espantado”.

Podemos ainda nos mirar em outros exemplos de perseverança como: Thomas Edison que tentou mais de duas mil vezes, até inventar a lâmpada. Abraham Lincoln tentou mais de dez vezes para conseguir se tornar presidente dos Estados Unidos da América. A mãe de Ludwig van Beethoven sofreu três abortos, até dá a luz para aquele que se tornaria um dos maiores compositores, da música clássica de todos os tempos.

Ser perseverante nos exige acreditar, mas também seguir fazendo, buscando melhores alternativas e estratégias. Acompanhando e observando os resultados periodicamente, verificando se estamos no caminho certo, se o que estamos fazendo nos levará ao almejado. Ser perseverante difere de ser teimoso, se percebemos que não estamos tendo bons resultados e temos sinais de que aquilo não dará certo, é hora de parar e refletir e quem sabe mudar os objetivos ou a rota. Já o teimoso continua insistindo no erro. Einstein sabiamente nos ensina: “insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes”.

Há algumas outras atitudes notórias do ator. Quando foi discursar sobre o prêmio, Leonardo foi à favor de questões ambientais e climáticas. Você seria capaz de abdicar de discursos particulares inflamados para dar ênfase a uma causa ambiental e coletiva? Muito provavelmente a resposta seria não.

DiCaprio quando entrevistado por um jornal sobre o filme “O Regresso”, diz que durante as gravações passou muito frio, sofreu com as condições climáticas, chegou a pensar em desistir, mas lembrou-se da equipe que estava por trás e persistiu. Também comenta que teve que se reinventar muitas vezes como ator ao longo das filmagens, pois as filmagens exigiam muito.

O ator parece ter compreendido e vivido intrinsicamente o significado da palavra perseverança quando arremata ao falar de “O regresso”: “no fim, a história é sobre a perseverança em viver, o que há no espírito humano que nos faz querer sobreviver contra todas as probabilidades”.

Pode ser que você não tenha mudado de opinião a respeito de Leonardo Dicaprio e toda essa ‘viralização’, mas há de convir que o que mobilizou as pessoas não foi sua atuação, profissionalismo ou o prêmio em si. Mas foi sua perseverança obstinada em busca daquilo que acreditava até conseguir.

Num mundo sem grandes modelos de referência de boa conduta e persistência, não fica difícil entender porque atingiu tanta gente em cheio.

Ligia M. Balbo é consultora de RH, psicóloga, coach de vida e de carreira.

Por:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of