Artigos

O Objetivo Da NegociaÇÃo Para Pratica Da GestÃo De Pessoas

INTRODUÇÃO

Este artigo é fundamentado com base em estudos sobre os objetivos e o papel da Negociação quanto às novas praticas de Gestão de Pessoas. Durante logo tempo a Gestão de Pessoas vem percorrendo um longo caminho ao passar dos anos, podemos citar como fontes da nova Gestão de Pessoas nomes como Taylor, Fayol, Mc Gregor, Mayo e Lewin.
Como pessoas que ao longo destes anos vieram modificando as formas de administrar e gerir recursos. Segundo Taylor (1905), Em sua avaliação os males da indústria à sua época era a falta de comprometimento dos trabalhadores com o trabalho, e a ignorância da gerência com respeito à maneira de executar o trabalho e finalmente a inexistência de uma rotina uniforme de trabalho.
Leva-se em conta que a área de Recursos Humanos deixa de ser um mero departamento de pessoas para tornar-se o personagem principal das transformações dentro das organizações do mundo moderno e das grandes empresas.
Atualmente a forma que é trabalhada a Gestão de Pessoas, vem passando por grandes e importantes mudanças dentro de seu contexto, que é formado por pessoas e organizações tornando assim uma área muito sensível, à mentalidade que predomina na maior parte das organizações poderíamos de forma indireta afirma que seria tratada de duas maneiras bem simples contingencial e situacional, pois é variável podendo mudar de acordo com a cultura que já é pré-existente em cada organização.
Com base em pesquisas bibliográficas nesta primeira etapa podemos visualizar de uma forma clara o que é Gestão de Pessoas, seus modelos, processos, tendências e perspectivas.
O objetivo maior é buscar esclarecimentos de como é as novas de gerenciamento de recursos humanos nas organizações do século XXI, em conjunto com novas formas de Negociação dentro de um clima organizacional, com foco em novas formas de estratégias de gerenciamento de pessoas, como isso podemos ter uma base de como a Negociação trabalha diretamente dentro da Gestão de Pessoas.
Dentro desta situação de transformação que passa a Gestão de Pessoas, podemos tirar como objetivo de que devem ser feita duas escolhas, entre tratar as pessoas como meros recursos ou buscar introduzir estas pessoas como parceiras dentro das grandes organizações.
Para que isso possa acontecer se faz necessário o trabalho em conjunto com a Negociação que leva em conta as estratégias do uso de informações que são indispensáveis e fundamentais dentro do contexto organizacional onde são visualizados choques e diferenças culturais e comportamentais que muitas vezes geram conflitos dentro destes grupos de trabalho.
A Gestão de Pessoas através de um trabalho em conjunto com a negociação dentro das organizações, vem buscando assim viabilizar a mudança de contexto de que pessoas se tratam apenas de recursos, mas sim que de forma objetiva e bem trabalhada poderão tornar-se grandes parceiros, tornando assim fortes e sólidos em busca de um só objetivo dentro de suas empresas.
No mundo profissional que se torna a cada dia que passa, mas e, mas competitivo e ao mesmo tempo tão extenso em oportunidades para aqueles que buscam melhores praticas dentro deste contexto de mudanças e fortalecimento que vem passando as grandes organizações e a Gestão de Pessoas nos últimos anos.
Este artigo tem como objetivo mostrar as mudanças que ouvi nos novos métodos de Gestão de Pessoas dentro do contexto do século XXI, trazendo como passe de apoio a Negociação. Com isso visando melhorar e explorar mais as necessidades das organizações nas soluções de conflitos dentro de seus ambientes de trabalho.
Usando uma metodologia com base em pesquisas bibliográficas através de contextos literários voltados para os conceitos sobre, a Gestão de Pessoas e a Negociação.
Através destas pesquisas, buscamos uma solução para os problemas que surgiram quando relato sobre as novas tendências da Gestão de Pessoas e os novos conceitos de Negociação, ou seja, como a Negociação pode influenciar na Gestão de Pessoas dentro das organizações?

CAPITULO 1 – GESTÃO DE PESSOAS SUAS DEFINIÇÕES, OBJETIVOS E PERSPECTIVAS.

A grande evolução da Gestão de Pessoas durante toda historia das organizações vem sendo encarada de uma forma positiva, pois com isso as pessoas passaram a ser encaradas pelas organizações não só como um insumo, ou seja, apenas como recursos a serem administrados. Para serem encarados como parceiros para dentro de suas empresas e organizações.

“As pessoas eram consideradas recursos de produção, juntamente com outros recursos organizacionais como máquinas, equipamento, e capital na conjunção típica dos três fatores tradicionais de produção: natureza, capital e trabalho. Dentro dessa concepção, a administração das pessoas recebia a denominação de Relações Industriais” (CHIAVENATO, 1999a, p. 28).

Mesmo com todas essas mudanças em torno da visão sobre as pessoas o principal foco da Gestão de Pessoas é o controle sobre elas em contra ponto as grandes organizações sofrem com a forte pressão de contexto externo que visa à revisão na forma de como esta sendo tratada e visualizada as novas formas e conceitos de como esta sendo tratada a Gestão de Pessoas.

“A antiga Administração de Recursos Humanos cedeu lugar a uma nova abordagem: a Gestão de Pessoas. Nesta nova concepção, as pessoas deixaram de ser simples recursos (humanos) organizacionais para serem abordados como seres dotados de inteligência, personalidade, conhecimentos, habilidades, destrezas, aspirações e percepções singulares.” (CHIAVENATO 1999a, p. 32).

Podemos usar como exemplos das principais mudanças sobre os conceitos de gerir pessoas dentro das empresas alguns pontos importantes.
Como:
 Estruturas e formas de organização do trabalho flexível e adaptáveis ás contingências importantes pelo ambiente, gerando demanda por pessoas em processo de constante adaptação;
 Processos decisórios ágeis e focados nas exigências do mercado, por decorrência, descentralizados e fortemente articulados entre si, necessitando de pessoas comprometidas e envolvidas com o negócio e com uma postura autônoma e empreendedora;
 Alto grau de competitividade em padrão global, necessitando de pessoas que se articulem muito bem entre si, formando um tome em processo contínuo de aprimoramento e aperfeiçoamento.
Devido a estas mudanças e alterações em padrões dos valores socioculturais e a velocidade com que, vem acontecendo estas transformações dentro dos ambientes organizacionais.
Estas fortes mudanças geram com elas pessoas cada vez mais conscientes de si mesmas, e, mas mobilizadas pela autonomia dentro de suas escolhas para o seu desenvolvimento e aperfeiçoamento.

“A Gestão de Pessoas nas organizações é a função que permite a colaboração eficaz das pessoas – empregado, funcionários, recursos humanos ou qualquer denominação utilizada – para alcançar os objetivos organizacionais e individuais.” (CHIAVENATO 1999, p. 09).

Profissionais com alto nível de conhecimento viabilizam o crescimento organizacional que vemos nos dias atuais, mais pessoas preocupadas com sua vida dentro e fora dos seus locais de trabalho, trazendo assim uma leva de produtividade que vem em uma grande crescente nos últimos anos.
Menos pessoas com problemas de saúde gerando assim uma queda em um dos pontos mais preocupantes dentro de uma organização, que se trata do absenteísmo.
As pessoas constituem a linha de produção das organizações dei a necessidade de manter um alto controle e fluxo de comprometimento de todos no geral para que as organizações possam manter um nível estrutural favorável para o mercado em que as organizações são atuantes.

1.1 Objetivos da Gestão de Pessoas

As organizações bem-sucedidas estão percebendo que somente podem crescer prosperar e manter sua continuidade se forem capazes de aperfeiçoar o retorno sobre os investimentos de todos os parceiros, e principalmente os funcionários. Quando uma organização esta realmente voltada para as pessoas, a sua filosofia global e sua cultura organizacional passam a refletir essa crença.
A Gestão de Pessoas dentro das organizações é uma função que nos permite a colaboração eficaz das pessoas que nelas atuam, para que possa alcançar os objetivos propostos deste complexo organizacional.

“Capital intelectual é a soma de tudo o que você sabe. Em termos organizacionais, o maior patrimônio de uma organização é algo que entra e sai pelas suas portas todos os dias, ou seja, são os conhecimentos que as pessoas trazem em suas mentes – sobre produtos, serviços, clientes, processos, técnicas etc. Este capital intelectual: algo que não vê que não é físico nem ocupa lugar, não é contabilizado pelas tradicionais partidas dobradas nem equacionado em números quantificáveis, mas que está transformando rapidamente o mundo dos negócios. Isto significa que ter as organizações de hoje e de amanhã.” (CHIAVENTO, 1999a, p.419).

As pessoas ou também podemos chamar de colaboradores ou parceiros podem ampliar ou limitar as forças e fraquezas de uma organização, dependendo da maneira como elas são tratadas ou administradas melhor afirmando, desta forma podem assim chagar aos objetivos que uma boa Gestão de Pessoas visualiza alcançar.
Os objetivos da Gestão de Pessoas podem variar e para que estes objetivos sejam eficazes o ARH deve contribuir através dos seguintes meios:
 Ajudar a organização a alcançar seus objetivos e realizar sua missão;
 Proporcionar competitividade à organização;
 Proporcionar à organização empregados bem treinados e bem motivados;
 Amentar a alto-atualização e a satisfação dos empregados no trabalho;
 Administrar a mudança;
 Manter politicas éticas e comportamento socialmente responsável.
Com estes pontos importantes para se alcançar os objetivos da Gestão de Pessoas podemos levar em conta que gerir pessoas é não apenas saber administra-las, mas sim buscar formas de telas sempre como seus parceiros, para manter uma produtividade satisfatória dentro das organizações do século XXI.

1.2 Perspectivas quanto a Gestão de Pessoas

Podemos visualizar uma grande necessidade de novas formas de gerir pessoas, como podemos ver no decorrer deste primeiro capitulo, é que de forma natural as empresas estão alterando sua forma de administrar a Gestão de Pessoas, para que possam atender a grande pressão que vem do mundo interno e externo.
Estes tipos de reações são naturais e espontâneas que caracterizam um novo modelo e formas de gerir pessoas em suas áreas de atuação.
Por conta das mudanças que vem ocorrendo de forma avassaladora nos últimos anos, às relações de trabalho se tornaram mais complexas, levando-se em conta as expectativas e necessidades das novas organizações e de colaboradores voltados ao crescimento profissional e organizacional onde atuam.
Para que objetivos venham a ser alcançados será de extrema importância que investimentos simultâneos juntamente com a modernidade do sistema de gestão de pessoas, utilizando novas formas de mudanças diretamente voltadas para o estimulo e suporte ao desenvolvimento das pessoas dentro das organizações.
A modernização das novas formas de gerir pessoas devem trazer benefícios para esta nova era de colaboradores com um alto nível de conhecimento intelectual, com isso os mesmo possam visualizar seus desenvolvimentos, para que, com isso a empresa possa assim avaliar o poder de contribuição de todos os seus parceiros, colaboradores e gestores dentro de um contexto direcionado a Gestão de Pessoas, para que o desenvolvimento organizacional e pessoal de cada um que faz parte destas organizações do novo século.

CAPITULO 2 – O QUE É NEGOCIAÇÃO SEUS CONCEITOS E OBJETIVOS.

Podemos conceituar Negociação como um processo social utilizado para fazer acordos e resolver ou evitar conflitos. A Negociação é utilizada quanto às partes interessadas desejam estabelecer regras de relacionamento mútuo ou quando se trata de mudanças de regras de um acordo já existente entre ambas.
Segundo Cohen (1980, p.13), “Negociação é o uso da informação e do poder com o fim de influenciar o comportamento dentro de uma rede de tensão”.
Desta forma procurando de maneira rápida e eficiente resolver e solucionar problemas de conflitos dentro do ambiente de trabalho das organizações.
Podemos avaliar uma Negociação entre duas empresas de fornecimento, diante desta Negociação podemos visualizar que simplesmente ocorre de forma mútua de ambas as parte que se esta se estabelecendo regras de relacionamento. Estas regras que estão sendo estabelecidas podem tomar a forma de um documento, onde ficam descritos valores, regras do acordo, prazos de pagamento e de estrega.
Com este exemplo descrito podemos afirma que a Negociação é um indicador do grau de desenvolvimento e maturidade das pessoas e organizações, com isso podemos evidenciar claramente se elas abandonaram outras formas de disponíveis para solução de problemas e conflitos: a força. Muitas vezes negociar significa movimentar. Independentemente da estratégia a ser utilizada seja ela competitiva ou cooperativa. Dentro da estratégia competitiva a movimentação é causada pelo poder que o negociador exerce sobre o outro e a movimentação é feita por meio de extração de concessões, de forma natural o negociador que tem mais poder cedera menos que o outro negociador com menos poder.
Dentro da estratégia cooperativa, também existe movimentação, mas, ao contrario da anterior, a movimentação é obtida por meio de entendimento, mesmo que parcial, das necessidades do outro negociador. Com isso podemos visualizar que em ambos os casos, o objetivo de ambas as partes é concluir a Negociação com acordos aceitáveis para as duas partes envolvidas nestes dois casos.
Podemos ver de forma objetiva o que é Negociação e quais pontos importantes ela se direciona dentro de um conflito e ate mesmo dentro de um contexto de administração, sendo ela corporativa ou dentro do contexto de Gestão de Pessoas, nas soluções de problemas e nos acordos dentro das novas indústrias e nos polos corporativos das organizações do novo século.

2.1 Os conceitos da Negociação

A Negociação sempre esteve e sempre estará presente de forma intensa na vida contemporânea e no século XXI, o século das novas organizações. Quando iniciamos um processo de Negociação estamos envolvendo trocas, concessões e barganhas desta forma estão iniciando questões substantivas e colocamos em jogo oportunidades para os relacionamentos.
Toda Negociação tem um ou mais objetivos estes objetivos podem ser caracterizados com ideias, realistas e prioritárias. Os objetivos são aqueles que poderiam ser objetivados quando o lado oposto da Negociação estivesse de acordo com o que é pedido. As Negociações só são aceitas no momento em que as partes envolvidas estejam dispostas a realizar uma troca, estas trocas acontecem o tempo todo em torno destes princípios.
Os pontos chaves de uma boa Negociação se da quando a concessões entre as partes negociantes, desta forma e objetivos é que as novas gerações de gestores de pessoas estão utilizando mais e mais a cada dia que estes tipos de conceitos de negociar e levado para dentro das novas organizações.
Podemos de uma forma objetiva afirma que o conceito de Negociação pode ser baseado em controlar e evitar conflitos dentro e fora das organizações, não só em torno de um acordo com um cliente, mas também dentro de suas atividades com seus colaboradores e assim evitando os conflitos coorporativos. Desta forma viabilizando o conceito da Negociação ganha – ganha que busca de forma direta o acordo entre as duas partes envolvidas.
Segundo Laurent (1991, p. 148) “a manipulação é a disposição de alcançar os próprios objetivos utilizando essencialmente a palavra, sem se preocupar muito com a exigência de veracidade de seu conteúdo”.
Como já foi comentada no paragrafo anterior a Negociação é uma forma de viabilizar uma forma de acordo entre as partes que se faz parte do embate, de uma forma a solucionar o problema que se fez da inicio a discussão, desta forma nivelando os níveis visando um acordo como igual.
Podemos afirma que o conceito de Negociação é o uso de informações e do poder com a finalidade de buscar a solução de conflitos dentro de uma rede de tensão. Para que desta forma possa viabilizar o acordo entra as partes deste conflito, mas para que isso venha acontecer ambos tem que busca a comunicação por comum igual ceder de seu poder para chegar a um objetivo.

2.2 Os Objetivos da Negociação.

Devido ao crescimento que passam as organizações do século XXI, a Negociação vem cada vez mais sendo utilizada para se manter um contato e em busca das soluções dos conflitos.
Com o fluxo de pessoas de deferentes pensamentos e culturas diversificadas, a uma grande crescente em conflitos organizacionais, deste modo as grandes organizações e seus gestores vêm levando em consideração o aprendizado no uso de novas técnicas da Negociação para que possa ser usada de forma positiva dentro destas grandes cadeias organizacionais.
Um dos objetivos da Negociação é o foco no repasse de informações, desta forma podendo de maneira rápida contorna conflitos por conta dos ruídos de comunicação. Podemos a seguir visualizar os problemas e o foco em que se vem trabalhando a Negociação na solução destes problemas quando se trata de comunicação dentro das organizações.
Abaixo está um modelo do processo de comunicação.

Na imagem anterior mostra os pontos importantes da comunicação, que são eles:
 O transmissor, aquele que transmite a mensagem.
 O receptor, aquele que recebe a mensagem.
 A fonte, e de onde a mensagem que o transmissor esta passando surgiu.
 O canal, onde acontece o meio que é escolhido para o repasse, e onde poderá apresentar os ruídos.
Na maioria das vezes os conflitos e as redes de tensão se apresentam dentro de informações que são repassadas de uma forma que gera um ruído, assim apresentando e criando os conflitos com isso dar-se a necessidade do uso da Negociação para a busca da solução destes problemas.
Dentro deste mundo organizacional que vivemos no novo século, saber negociar é a chave para uma boa administração e de uma boa gestão dentro do clima organizacional. Para que sempre acha a necessidade de buscar algo coletivo ou individual. Ao que se trata de ARH, é imprescindível o domínio das formas de Negociação.
O ARH tem um papel importante dentro das negociações seja elas de conflitos ou até mesmo na busca de parceiros para o crescimento do capital intelectual dentro das organizações, desta forma serão os próprios administradores que viabilizam de forma rápida e eficaz parcerias junto com outros grupos melhorias para os colaboradores e parceiros de sua organização.
De forma positiva podemos ver que para uma boa Negociação vem acontecer dar-se a necessidade de que ambas as partes venha a ceder um pouco do seu poder para que desta forma tenhamos soluções para os problemas decorrentes, de modo que se venha concretizar a comunicação, para que desta forma possamos parte do principio em que se abriu o canal.
A comunicação nestes casos será fundamental para que seja possível identificar os tipos de conflitos a serem trabalhados, buscando o relacionamento como referência. Tratando assim o reconhecimento e o respeito às diferenças entre as partes estabelecidas pelo conflito.
Com isso chegamos a uma conclusão sobre a importância da Negociação dentro das organizações do século XXI, trata-se de uma forma de busca e solucionar problemas dentro das redes de tensões existentes dentro do clima organizacional das novas empresas do século em que vivemos. Por fim podemos afirma que a Negociação parte do principio do respeito entre os conflitantes.
CONCLUSÃO

Podemos constata que devido às mudanças que passam as organizações a busca por pessoas com mais conhecimento e de um capital intelectual a que venha somar para o crescimento das empresas levando seus objetivos e mantendo-as fortes e competitivas.
Trazendo novas formas de gerir pessoas as grandes organizações esperam que desta forma agregue colaboradores como parceiros, mas buscando parceiros capacitados e comprometidos com os objetivos e as missões das suas organizações.
Com esta busca por pessoas mais e mais competitivas as empresas vêm com esta busca tornando o ambiente de trabalho mais hostil e conflitante, com isso os colaboradores deixam em momentos o trabalho em equipe meio que esquecido fazendo que ocorra um aumento nos conflitos dentro dos grupos de trabalho.
Por conta deste aumento nos conflitos a busca dos gestores em ampliar suas técnicas dos conhecimentos sobre Negociação vem em uma grande evolução.
A junção entre a Gestão de Pessoas e a Negociação passa a ser de extrema importância para este crescimento coorporativo. Por conta destas mudanças os conflitos estão cada vez mais presentes nas organizações, os gestores de produção, como gestores das novas organizações do século XXI.
Estes gestores desta nova era necessitam estar cada vez mais preparados para administrá-los com sabedoria, inclusive seus próprios conflitos, visto que também fazem parte do quadro humano das organizações, apesar da posição de liderança por conta das diferentes formas de pensar e de liderar abrem possibilidades para o surgimento de conflitos entre lideranças.

BIBLIOGRAFIAS

Mello, José Carlos Martins F. de, Negociação baseada em estratégia – Atlas, São Paulo, 2007.
Dutra, Joel Souza, Gestão de pessoas: modelo, processos, tendências e perspectivas – Atlas, São Paulo, 2006.
Chiavenato, Idalberto. Gestão de Pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas
organizações. Rio de Janeiro: Elsevier, 1999.
Chiavenato, Idalberto, Administração Nos Novos Tempos – Ed. Campus, São Paulo, 1998.
Macêdo, Ivanildo Izaias de Aspectos comportamentais da gestão de pessoas – 9 ed. Ver. e atual. – Rio de Janeiro, 2007.
Miranda, Marcio, Negociando para ganhar – Casa da Qualidade. – Salvador, 2003.
Paschoal, Luiz, Gestão de pessoas: nas micros, pequenas e médias empresas – Qualitymark, Rio de Janeiro, 2006.
Ferreira, Gonzaga, Negociação: como usar a inteligência e a racionalidade – Atlas, São Paulo, 2008.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of