Artigos

O papel do líder na retenção de talentos

Você sabia que metade dos profissionais que pedem demissão tomam essa decisão em razão de algum grau de insatisfação com os seus líderes? O dado, que consta em uma pesquisa divulgada recentemente pela consultoria Gallup, é de deixar qualquer gestor de cabelo em pé.

Do ponto de vista da empresa, isso significa que não basta apenas recrutar e contratar os melhores profissionais, remunerá-los e valorizá-los de acordo com os padrões do mercado e oferecer-lhes os melhores benefícios. Todo este pacote de atrativos será absolutamente inútil – tempo e dinheiro jogados fora – se os líderes gerais ou imediatos não fizerem cada um a sua parte.

Em outras palavras, a liderança tem papel crucial para a retenção de talentos nas empresas. Entre outras práticas, um bom líder deve estar sempre disposto a ouvir o que os funcionários têm a dizer. Independentemente de prazos apertados e da eventual falta de tempo para assuntos que possam não estar diretamente relacionados às tarefas de rotina, é preciso estar aberto a novas ideias. Isso faz com que os colaboradores se sintam valorizados e criem senso de pertencimento em relação à empresa.

Nova call to action

Ser humano é indispensável. O maior erro que um gestor pode cometer é tratar os funcionários como engrenagens de uma máquina infalível. Não, trabalhadores não são peças – são pessoas, antes de tudo –, e pessoas têm problemas que porventura podem interferir no desempenho profissional. Trate essas questões com a naturalidade devida. Demonstre verdadeira preocupação. Ofereça apoio. Coloque-se no lugar de seu colaborador. Estenda-lhe a mão.

Quando tudo estiver bem, procure descobrir o que motiva seus colaboradores. Por trás de cada profissional existe um ser humano diferente. E cada um tem seus próprios anseios, sonhos e aspirações. Quando possível, busque conciliar as metas da empresa com os objetivos dos profissionais envolvidos.

A transparência é outra virtude essencial para um líder. Seja claro em relação aos erros e acertos de todos, inclusive os seus, mas sem expor os funcionários publicamente. Esta honestidade nas relações, inclusive, pode ser um combustível indireto para a melhora no ambiente e na produtividade. Mas, mais do que isso, pode tornar-se o elo que irá fortalecer a relação entre chefe e comandados.

Sempre que possível, celebre pequenas e grandes conquistas, exaltando o papel de cada membro da equipe. Celebre ainda mais o alcance das grandes metas, nunca esquecendo de relacioná-las ao desempenho do time como um todo.

Saiba que, para manter colaboradores acima da média em seu time, é preciso apostar na boa gestão de pessoas, algo, aliás, que os seus principais concorrentes devem estar fazendo neste exato momento.

Sobre Fábio Pajaro

Com longa experiência no mercado financeiro, principalmente, no setor de pagamentos, Fábio Pajaro estudou Economia e Direito na Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Atuou na gestão de diferentes empresas de prestação de serviços como Call Canter, Tecnologia da Informação, Sistemas de Telemetria, Locação de Equipamentos, entre outros. Portanto, possui conhecimento de gerenciamento administrativo e financeiro em organizações de pequeno, médio e grande portes, além de desenvolvimento de novos produtos para mercado de meios de pagamento e sub-adquirência.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of