Artigos

O papel do RH na cultura organizacional

Diante de um mercado tão competitivo, é fundamental que as empresas criem e fortaleçam identidades próprias, de forma a personificar o negócio, reforçar valores e princípios, diferenciar suas iniciativas, além de constituir características marcantes. Neste processo, a cultura organizacional se torna a base para a criação desta identidade, sendo responsável também pela atração e retenção de talentos e de clientes, que compartilham os mesmos ideais.

Por meio da cultura organizacional, é possível definir aspectos importantes da gestão, envolvendo as políticas internas, processos, normas e procedimentos, além de estabelecer padrões de trabalho e objetivos coletivos. Paralelamente, a cultura organizacional determina regras para as relações profissionais, entre os próprios colaboradores, fornecedores, parceiros e consumidores, considerando preceitos de conduta e questões éticas.

Neste contexto, o RH tem papel importante junto ao planejamento estratégico da empresa, desde a criação até a disseminação dos conceitos entre as equipes de trabalho. Confira agora como o RH pode colaborar para o fortalecimento da cultura organizacional:

Criação e formalização da cultura organizacional

Cabe ao RH atuar ativamente na criação e na formalização da cultura organizacional, adicionando os elementos humanos, como a priorização do indivíduo e de suas potencialidades, além da preocupação com o capital intelectual, com a diversidade, com a inclusão e com as questões sociais e ambientais. Independentemente da área de atuação ou da natureza do negócio, o RH deve nortear as discussões para que pontos importantes relativos principalmente à gestão de pessoas não sejam negligenciados.

Definição das políticas de RH

As políticas de RH devem representar a cultura organizacional, contemplando diversos processos importantes, como recrutamento e seleção, treinamento e desenvolvimento, saúde e segurança, cargos e salários, remuneração e benefícios, plano de carreira e ainda, as relações trabalhistas envolvendo colaboradores e sindicatos. Desta forma, é preciso lembrar que a transparência, o respeito e a meritocracia são componentes básicos a uma cultura organizacional contemporânea e em sintonia com os valores e prioridades da atual sociedade.

Disseminação e comunicação

A qualidade da informação é fundamental para estimular uma conduta comum a todos os colaboradores. Por isso, os pilares da cultura organizacional devem ser compartilhados através de todos os canais internos de comunicação, atentando para a linguagem e para o conteúdo, de modo que todos possam compreender a mensagem. Campanhas educativas também são bem-vindas, além de programas especiais e eventos planejados para confirmar a preocupação da empresa com determinados temas.

Construção de equipes de alta performance

A formação de equipes de alta performance depende do alinhamento entre o perfil dos profissionais e a cultura da empresa. Portanto, a cultura organizacional se faz presente durante os processos seletivos, onde o recrutador deve identificar os talentos com maior aderência às características da empresa. Esse cuidado facilita o desempenho e a produtividade, além de reduzir drasticamente os prejuízos com a rotatividade e como o absenteísmo dos colaboradores.

Desenvolvimento e capacitação

Uma cultura organizacional contemporânea e assertiva estimula seus colaboradores a novos aprendizados, proporciona abertura para a inovação e a criatividade, encoraja a participação e o engajamento. Através de investimentos em planos de desenvolvimento individualizados, direcionados às demandas da empresa, é possível maximizar talentos e competências, além de minimizar deficiências e fraquezas. Essas iniciativas estimulam o senso de pertencimento, o comprometimento e a motivação, fatores essenciais a uma gestão eficiente, com foco em pessoas e em resultados.

E na sua empresa, qual o papel de RH na cultura organizacional? Compartilhe conosco suas impressões e comentários!

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of