Artigos

O País Precisa De Lideres E Não De Chefes!


O tema liderança requer novos paradigmas. Além disso, tem sido tema de grande preocupação entre empresários brasileiros. O que faz uma empresa ser bem-sucedida e outra menos, sendo que ambas possuem tecnologia e produtos que podem ser equiparados? As respostas são as mais diversas, porém a mais comum é a que se refere às pessoas que compõem as organizações e, conseqüentemente, os processos de liderança. Com todas as mudanças que ocorrem, percebemos a importância do líder servindo como âncora da equipe, um radar que dá a direção a ser seguida, buscando o sucesso e a eficácia organizacional e dificultando o seu fracasso. Para isso, torna-se necessário estabelecer uma nova postura na relação líder/ subordinado, através de uma nova postura, uma vez que a anterior já não fazia mais efeito, leva ao comprometimento e desenvolvimento das pessoas, fazendo com que o funcionário vista a camisa da empresa. 

Hoje o líder dever ser um Empreendedor e deve se utilizar da liderança criativa para obter resultados satisfatórios. 

Como será que estão os nossos líderes? 

Pelo que podemos observar temos muito a desenvolver. Para concretizar tal cenário, começando de nós mesmos. Lembre- se que os líderes atuais são oriundos de uma sociedade, onde as empresas eram bastante paternalistas, autoritária, ditavam as regras do jogo. Eles eram apenas intermediários, nomeados pela organização, que faziam as determinações a serem seguidas à risca. Mas será que eles estão preparados para atuar de forma diferenciada? E como estão as pessoas que eles lidera? 

A liderança criativa parte da seguinte seqüência: 

* Liderança de si mesmo: os líderes devem ser independentes
* Liderança da equipe: aproveitar as características e o potencial do grupo e desenvolvê-los
* Liderança organizacional: liderança total 

Entende-se como Liderança criativa como a maneira de pensar, sentir e atuar, de forma visionária, futurista e pró-ativa.
O líder é acima de tudo aquela pessoa que todos querem seguir, devendo ser também um bom ouvinte.Muitos líderes baseiam-se em outros, porém, cada situação demanda um tipo de liderança. A liderança é mais que uma arte, é uma técnica que pode ser assimilada, aperfeiçoada e adaptada. 

Assim, podemos perceber que os líderes, baseiam-se em outros líderes, para comporta -se de determinada forma. No entanto, podemos ser líderes em uma situação e seguidores em outras. 

O fato de sermos líderes de sucesso em determinada situação não significa que teremos sempre líderes com êxito. A eficácia de uma liderança depende da situação, do grupo, dos seguidores e do próprio líder. 

A liderança eficaz consiste em diagnosticar o nível em que se encontra o subordinado e aplicar nele um estilo de acordo com o seu grau de maturidade e envolvimento no projeto. 

O Líder bem sucedido 

É aquele que sabe comporta-se adeqüadamente de acordo com as diversas situações, ou seja, é aquele que consegue perceber cada uma delas e adaptar o método de liderança de acordo com as circunstâncias. 

A liderança pode ser desenvolvida a partir do momento em que o líder tenha como característica básica “foco nos objetivos” e “vontade de ajudar o outro” resgatando o potencial de cada indivíduo e estimulando-o a desenvolvê-lo. Obviamente percebemos que existem pessoas que possuem maior ou menor facilidade. 

Liderar um grupo requer uma liderança pessoal, ou seja, temos que saber primeiramente a nossa própria vida. Tomando conhecimento de nossas habilidades, limitações, pontos positivos e negativos sendo pessoas independentes, para depois liderar de forma criativa um grupo de trabalho. Dessa forma o líder deverá perceber a sua organização como um todo, definir um planejamento estratégico, possibilitando, assim, condições de elaboração de metas, conduzir times de trabalhos, para conseqüentemente conquistar os objetivos organizacionais. 

Dicas e toques 

Algumas para o processo de liderança 

* Autoconhecimento – reconheça suas fraquezas, aperfeiçoe-se e saiba qual os objetivos e como atingi-los.
* Sinceridade – honestidade no pensamento e ações, integridade e confiança absoluta não somente para os seus dirigentes, mas para os seus seguidores. Cuidado com mentiras.
* Curiosidade – deverá aprender cada vez mais através de cursos, treinamentos etc.
* Audácia – estar disposto a correr riscos.
* Assuma responsabilidades – tanto escolhendo suas ações como assumindo seus erros.
* Experiências positivas – espelhe-se nelas e não somente nas negativas.
* Auto-motivação – tenha claro o que pretende, o que motiva-o, gosta etc.
* Seja ético – tendo um padrão alto de comportamento, com honestidade e integridade, através de regras e normas definidas pela sociedade.
* Passividade – deverá sair da acomodação, inércia, devendo ter seu comportamento de maior independência, não ficando à espera da determinação da empresa.
* Flexibilidade – adaptando-se às mudanças organizacionais e mundiais, deixando muitas vezes de ser empecilho dentro da organização.
* Executor – deverá sair da posição em que os outros devem servi-lo e deve servir, mas cuidado! Delegue.
* Prioridade – estabelecendo-as, pois costumam dar muitas ordens ao mesmo tempo, provocando um caos.
* Administre o tempo – priorizando atividades e aproveitanto as reuniões satisfatoriamente e não apenas para marcar a próxima reunião, não ficando nada decidido, estabelecido etc.
* Aprendendo com erros – evite simplesmente punir, perseguir, só isso não resolve o problema. O importante é reparar o erro e aprender com ele.
* Encare os problemas como desafios. Coragem – transformando-os em objetivo estabelecendo metas, procedimentos para conquistá-los.
* Avance nos caos – nas crises existem empresas que crescem, aprenda com o passado, projete-se e fique de olho no futuro.
* Visão maior – tenha perspectivas, seja estratégico, pense grande e acompanhe as etapas.
* Proficiência – conheça a fundo o que faz passando por práticas de treinamento etc.
* Busque adeptos – traga as pessoa para trabalharem como você, atraindo-as, estabelecendo relações interpessoais.
* Gerencie reciprocidade – estabeleça a relação de troca satisfatória entre dar e receber.
* Tome decisão – evite ficar em cima do muro, uma decisão a ser tomada e com resultados favoráveis sempre foram compartilhadas anteriormente. 

O que equipe espera do líder – Algumas atitudes facilitadoras: 

* Ouça mais e mande menos – o líder deverá possibilitar liberdade de expressão, mesmo porque nenhuma idéias nasce perfeita, dê-lhe tempo para crescer, possibilitando uma gestão compartilhada.
* Motive-se e motive – partindo do ponto de vista individual, perceba, respeite e considere as diferentes necessidades dos seus colaboradores, utilizando-as para liderá-los
.* Estimule – Faça com que trabalhe com autonomia, sendo assim responsável pelas suas atitudes, dando-se o máximo de si, liderando o seu próprio comportamento.
* Delegue – partilhe responsabilidades, transmita a autoridade, divida com ele a decisão, dê-lhe liberdade de sugerir e de ação. Portanto atribua tarefas, responsabilidade e autoridades desenvolvendo assim a máximo da suas habilidades.
* Flexibilize-se – adapte-se às diferenças individuais dos membros da sua equipe, seja facilitador do processo, mas cuidado não seja paternalista.
* Possibilite a criatividade – espírito inovador, criativo faz parte das características do indivíduo de sucesso. Para inovar é preciso olhar para frente, da quantidade de idéias pode-se levar a qualidade das idéias, utilizando de brainstorming.
* Trabalhe em equipe – faz parte do comportamento humano, viver socialmente, mantenha sua equipe integrada e comprometida, não é mais possível trabalhar sozinho.
* Feedback – com o objetivo de acompanhar o desenvolvimento do seu funcionário orientando-o na eliminação dos seus erros e ressaltando, reforçando os seus acertos
* Comunique-se – seja claro,objetivo e estimulador, ouça e propicie que as pessoas falem.
* Buscando oportunidades – posicionando-se de maneira estratégica, articulando-se para obtenção de resultados.
* Transparência total – possibilitando qualidade do relacionamento e o comprometimento.
* Administre conflitos – o que falta às empresas é pessoa com capacidade de exercer o papel de mediadora nos processos. Somente jogo de cintura não adianta.
* Avalie resultados – identifique os obtidos e modifique sua estratégia se necessário. Lembre-se o seu sucesso depende do seu grupo de trabalho.
* Auto-avaliação – tenha consciência de si próprio, de suas limitação, e faça a sua avaliação com seus colegas e subordinados.
* Administrando suas inseguranças – busque orientação especializada. Atualmente liderar é ousar, quebrar paradigmas, agir sem medo de errar, sendo preciso coragem não só intuição ou bom senso.
* Assuma seus erros e arrisque-se – mesmo sendo líder, pois eles também erram.
* Comprometa-se – juntamente com a sua equipe.
* Busque o aperfeiçoamento – profissional e pessoal através de cursos e palestras.
* Qualidade de vida – pratique esportes, evite cigarro, álcool etc.
* Encoraje – seus funcionários buscar a qualidade de vida evitando o Workaholic.

* Maria Inês Felippe é Psicóloga, pós-graduada em Adm. de Rec. Humanos e Mestre em Desenvolvimento do Potencial Criativo pela Universidade de Educação de Santiago de Compostela – Espanha. Professora universitária de Graduação e Pós-graduação (FAAP, UNIP, Trevisan, UNIFIL–Centro Universitário Filadélfia-Londrina). Palestrante em Congressos Nacionais e Internacionais. Palestrante do IBC- Internacional Bussiness Comunications. Autora de artigos em revista especializada em Recursos Humanos.

Por:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of