Artigos

O Poder Da Empatia No Mercado De Trabalho

Se você é um profissional que se preocupa com a evolução de sua vida profissional e busca colocar em prática seu plano de carreira, a empatia é a chave para discernir os melhores caminhos.

Empatia, no dicionário possui a seguinte definição: capacidade de se identificar com outra pessoa, de sentir o que ela sente, de querer o que ela quer, de apreender do modo como ela apreende.

Na etimologia da palavra, empatia vem do Grego EMPATHEIA, formado por EN-, “em; dentro”, mais PATHOS, “emoção, sentimento”. Ou seja, dentro do sentimento.

Nova call to action

Quando dizemos que os contratantes estão buscando cada vez mais esta característica nos candidatos, supomos que os líderes destes contratados devem possuir ou valorizam este atributo em si mesmos. Porém, nem sempre é isso que acontece. Muitas vezes, nossa empatia nos leva a lugares estratégicos para a empresa onde o uso da diplomacia é importante, mas os líderes não estão preocupados ou não “perdem” o seu tempo no esforço de entender seus subordinados.

A empatia é peça fundamental tanto para o contratante quanto para o contratado. Você, como contratado, terá maiores chances de prosperar em sua carreira se encontrar empresas onde seus líderes são empáticos, ou seja, buscam entender o outro antes de tomar qualquer atitude, seja de acusação, de premiação ou de redirecionamento estratégico.

Portanto, se você estiver ou entrar em uma empresa onde seus líderes trabalham por imposição, culpa externa, orgulho interno, indignação, vitimização ou dramatização das situações, para o bem de sua carreira profissional, é melhor você buscar uma transição para outra empresa ou oportunidade o mais rápido possível. Quanto mais você ficar em um ambiente destes, mais “contaminado” você será por essas energias densas e destrutivas.

Empresas sérias e idôneas prezam pela qualidade da empatia em todos os níveis hierárquicos da empresa e, logo, será um atributo bastante evidente no período de atração e seleção de candidatos. Por isso, separei algumas dicas que você pode utilizar para trabalhar a sua empatia e se preparar para que as entrevistas de emprego e o seu dia a dia no ambiente profissional sejam fluídos. Mas antes disso, precisamos entender qual a diferença de empatia e simpatia.

Sete dicas para treinar empatia e aprender a se flexibilizar:

1. Experimente: Quando estiver com um colega de trabalho com características diferentes da sua, aproveite para experimentar coisas novas. Por exemplo, almoçar junto com essa pessoa para comer algo diferente que a agrade e entender o porque ela gosta daquele tipo de alimentação.

2. Mantenha-se agradável: Por mais que não faça sentido para você uma experiência, busque entender que para o outro é significativo e esforce-se para ser agradável. O importante é que a situação a qual estão conectados naquele instante seja prazerosa o suficiente para ambos.

3. Seja proativo: Uma característica de uma pessoa empática é a proatividade, pois entende-se a importância de tomar a frente, liderar um assunto para resolvê-lo ou iniciá-lo no timing adequado para todos ou a maioria dos envolvidos. Não ficar esperando os outros pedirem ou cobrarem para resolver determinado assunto.

4. Conecte-se: Ouvir o outro na essência. Entender o que ele busca, o que ele quer, quais são suas necessidades. Se conectar com a sua realidade. Buscar sentir seus anseios e sentimentos. Assim que estiver completamente conectado com a pessoa, poderá então se expressar de uma maneira mais assertiva. Perguntas podem ajudar a entender o contexto do outro.

5. Fale na língua do outro: Entender o que o outro quer e qual a linguagem que faz sentido para ele para buscar resultados de ganha-ganha ou nada feito. Deixe de lado conceitos e palavras que fazem sentido para você, porque os símbolos acabam por atrapalhar a comunicação. O mais importante é transmitir a essência por trás das palavras. Durante as palestras e treinamentos que realizo na Pandora, busco aprender falar a língua das outras pessoas e usar palavras que façam sentido para elas, afinal, dentro da comunicação o mais importante é que haja conciliação, ou seja, compreensão e compromisso entre ambas as partes.

6. Tenha discernimento: Buscar discernir que cada situação é diferente da outra. Não buscar criar uma metodologia de empatia ou um passo-a-passo para conversas importantes. Deixe fluir naturalmente. Uma das principais características da empatia é dançar conforme a música. Entender quais os próximos passos a serem dados de acordo com o ritmo que está tocando. Às vezes quem escolhe a música é você, mas em outras você só é convidado a dançar.

7. Confie: A confiança é a chave para o processo de empatia acontecer. Sem confiar em si mesmo e no outro para estabelecerem uma conexão, sabendo que você possui suas forças e fraquezas e o outro também tem as potencialidades e limitações dele no momento presente – que são diferentes das do passado e serão diferentes das do futuro, de acordo com o ritmo de aprendizado – a empatia não tem como se estabelecer e passa a ser uma falsidade, se mostrando um lobo em pele de cordeiro.

Com esses atributos, talvez você possa, além de ser uma pessoa mais humana com o próximo, quebrar grande limitações suas que te fazem enrijecer e causam sofrimentos diversos em pequenas coisas do dia a dia.

Gratidão e bons aprendizados.

Por Vitor Esprega
Master Coach e Treinador de Alta Performance da Pandora – Evolução Consciente http://www.pandoragsa.com.br
É pós-graduado em Psicologia Positiva e Coaching pela Universidade Monteiro Lobato em parceria com o Instituto Brasileiro de Coaching – IBC, certificado em MBA Marketing, bacharelado em Publicidade e Propaganda e graduado em Gestão de Comunicação Empresarial pela Universidade Anhembi Morumbi.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of